quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

:: Resenha 528 :: "Luca", Kym Grosso

Sinopse: Um romance erótico paranormal…
O vampiro sensual, Luca Macquarie não lida com amor, especialmente com humanos. Mesmo assim, desde que resgatou Samantha Irving, ele não pode negar a enigmática atração que desenvolveu pela atraente mortal. Preocupado com sua segurança, ele está determinado a trazer Samantha de volta para o clã. Sua missão é encontrar a bruxa novata e trazê-la para casa, nada mais, nada menos. Se apaixonar por ela não deveria ser parte do plano.
Samantha não quer ser uma bruxa, mas isso é exatamente o que ela é. Depois de falhar em induzir sua mágica, ela escapa para as montanhas em uma tentativa de ter uma vida semelhante com sua antiga vida humana. Quando um incendiário queima seu chalé, seus piores medos se realizam. Ciente de que sua vida está em perigo, ela aceita relutantemente retornar para Nova Orleans com Luca.
Na Big Easy, Samantha e Luca embarcam em uma mágica jornada, procurando por um amuleto místico que promete liberá-la de sua obrigação com um vampiro ancião e letal, que está ameaçando sua vida. Com pistas complicadas e aliados clandestinos, será que eles destruirão o perigoso amuleto antes de outros o obterem, iniciando uma corrente de eventos catastróficos? E Luca se entregará ao seu erótico desejo pela bruxa que magicamente capturou seu coração?

Sabe aquela sua listinha de livros para comprar que tá rolando por ai desde o ano passado? Então pega ela ai e já anota um nome: Luca!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

:: Resenha 527 :: “July”, Aurora Rose Reynolds





Sinopse: Wes Silver não estava procurando o amor, mas quando July Mayson literalmente “cai” sobre ele logo no primeiro encontro, seu mundo vira de cabeça para baixo por aquela loira, e cada momento com ela o deixa mais determinado a protegê-la.

July Mayson não entende a atração que sente pelo bad boy Wes Silver, mas ela sabe que estar com ele é diferente de tudo o que já sentiu antes. Agora o que ela precisa fazer é dizer a seu pai superprotetor, Asher Mayson, que ela encontrou o homem da sua vida.







July foi o primeiro livro que li tanto da Aurora Rose Reynolds, quanto da editora Pausa. Via muitos comentários positivos sobre a autora, curti muito essa capa então resolvi conferir.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

:: Resenha 526 :: “Coração Sombrio”, Tillie Cole


Sinopse: Até a salvação pode ser alcançada através do amor dos condenados...
A beleza pode ser uma maldição.
A fé pode ser uma prisão.
Apenas o amor pode te libertar.
Algumas semanas depois de ter sido relutantemente arrancada dos braços reconfortantes da comuna religiosa de seu profeta sagrado, a única vida que ela conhecia, uma aterrorizada Delilah é jogada em um mundo comandado pelo mal e inundado de pecados.
Fielmente devota à sua fé, e mantendo a profunda crença de que sua alma está manchada por ser uma 'Mulher Amaldiçoada de Eva', Delilah está determinada a encontrar o caminho de volta para casa, para o seu povo na Ordem e longe do grupo maldito de motociclistas foras da lei, o Hades Hangmen, que a mantêm em seu complexo isolada para sua proteção; uma "proteção" da qual ela se ressente fortemente.

Delilah anseia por voltar para casa, convencida de que somente entre seu próprio povo, e sob a santa orientação do profeta revelado pelo Senhor, a alma criada por Satanás poderá ser verdadeiramente salva. A jovem foi condicionada sua vida inteira para acreditar que é uma bruxa, uma sedutora, a prostituta do diabo... Ela se ressente cada vez mais com seu lindo rosto, seu corpo bem torneado e seu efeito sensual nos homens. Mas quando um homem do Hades Hangmen, um homem profundamente pecador, mas incrivelmente bonito, é encarregado de cuidar dela, Delilah começa a ver que apesar desse exterior de pecador perigoso e sem moral, ele pode oferecer algo que ela não sabia que poderia realmente existir: amor incondicional.

Kyler 'Ky' Willis ama sua vida: a camaradagem com seus irmãos de clube, bebidas, a liberdade da estrada vazia e, o melhor de tudo: mulheres gostosas em abundância. Começou na patente mais baixa e agora é o VP do mais notório clube de motociclistas dos Estados Unidos; Ky não tem problemas em encontrar mulheres para aquecer sua cama, e essa é uma situação que ele não tem problema de tirar vantagem... Até que uma certa loira entra em sua vida; uma loirinha de rosto angelical e que ele não consegue mais tirar da cabeça... Uma loira que ele e seu clube resgataram recentemente de uma seita religiosa... e que lhe ordenaram que se mantivesse o mais afastado, assim como as suas mãos sujas.

Quando mais uma briga de bêbados força Ky a relutantemente ficar a cargo dos cuidados da loira angelical, ele percebe que poderia haver mais nessa mulher do que apenas a aparência de supermodelo e seios grandes. Ele começa a ver que ela poderia ser a mulher que faria o impossível: domesticar seu lado selvagem e capturar seu coração sombrio.
Mas os laços de Delilah com o seu passado ainda são fortes, seu "povo" está ainda mais determinado e, com um novo profeta no comando e sedento por vingança, eles podem estar um tanto relutantes em deixá-la ir…

Depois de ler o primeiro livro da Série Hades Hangmen e conhecer o lado sombrio de Tillie Cole, eu não via a hora de ler a sequência. Se você já leu Prelúdio Sombrio, sabe que Mae, Maddie e Delilah estão agora sob proteção de Styx e seu clube de motociclistas.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

:: Resenha 525 :: "Pulso Forte", Lauren Blakely




Sinopse: Se ficar com o inimigo apenas por uma noite é uma má ideia, imagine se apaixonar depois… 
Rivais no trabalho, Max e Henley precisam colocar as diferenças de lado para desenvolverem juntos o projeto especial de um reality show de reforma de carros. 
Max é dono da melhor oficina da cidade. Bem-sucedido, nada tira seu foco, mas ter de lidar com sua antiga aprendiz novamente o deixa com os nervos à flor da pele. 
Henley, desde que saiu da oficina de Max, tornou-se uma profissional respeitada em um ramo dominado por homens. 
Há uma tensão evidente entre eles. Mágoa, irritação… e Henley ainda espera por um pedido de desculpas de seu ex-chefe por tê-la demitido anos atrás. 
Em meio à disputa por clientes e muita troca de farpas, ambos estão sob estresse máximo… até que começam a descobrir que o que parece ódio talvez tenha outro nome. 




Abram passagem que a nova rainha das comédias românticas está passando: Lauren Blakely eu te venero! Estou exagerada, mas tenho motivos, lá em 2017, quando eu li, e resenhei, Big Rock já avisei que o livro se destacava, mas agora, no 5º livro eu posso falar sem medo: essa série e a Lauren estão no meu top 5 de comédias românticas e todo mundo precisa conhecer esses livros.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

:: Resenha 524 :: "Dinastia do Gelo", Kristen Ashley



Sinopse: Seoafin “Finnie” Wilde foi ensinada por seus pais a buscar todas as aventuras que ela pudesse encontrar, pois cada respiração era um tesouro e cada momento uma oportunidade. Em uma destas aventuras os pais de Finnie morrem em um acidente de avião. Mesmo submersa em tamanha dor, ela guarda e segue os ensinamentos deles.
Ao conhecer uma bruxa, ela descobre a existência de um universo paralelo e que cada pessoa aqui tem um gêmeo lá. Com seu espírito aventureiro, Finnie Wilde aceita ser enviada pela bruxa a este lugar, para desfrutar a aventura da sua vida. Mas ao chegar no País das Maravilhas do Inverno de Lunwyn, percebe que foi ludibriada por sua gêmea e se encontra andando pelo corredor para se casar com o Drakkar.
Acostumada a lidar com situações nada favoráveis, Finnie supera os desafios e mergulha em sua aventura. Mas, quando Frey Drakkar descobre que a mulher que é sua nova esposa não é Princesa Sjofn, uma mulher que ele não gosta, mas sua Finnie, um espírito livre com sede de aventura como ele, sem o conhecimento dela, ele ordena que sua nova noiva seja eternamente ligada ao seu mundo congelado, eterno. Mas, ao mesmo tempo, Frey mergulha Finnie em uma teia de intrigas políticas que inclui planos de assassinato, veneno, magia, mistério e ... dragões."



Let it gooooooooooooooo..... Tá, tudo bem, Dinastia de Gelo tem nenhuma relação com Frozen, mas alguém me culpa por não perder essa piada pronta? Uma pessoa chata até poderia dizer que essa série da Kristen lembra Game of Thrones, temos reinos, dragões, profecias e para aqui, porque essa série da Kristen é única e se você ainda não a conhece (e nem os boys maravilhosos que temos aqui) pega na minha mão, solta a Elsa perdida em você e vem embarcar nessa aventura.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

:: Resenha 523 :: “Pegando Fogo”, Abbi Glines


Sinopse: Nan Dillon, a bad girl de Rosemary Beach, é uma garota imatura e egoísta que não tem outra preocupação na vida a não ser manter o corpinho perfeito. Só que Nan está longe de ser feliz: nunca teve o amor dos pais, o irmão adorado não tem mais tempo para ela, e Grant, o único homem de quem gostou de verdade, resolveu trocá-la pela meia-irmã dela.

Então, quando Major Colt a convida para sair, ela não pensa duas vezes. Apesar de saber que esse texano charmoso e de fala mansa não quer nada sério, ficar com ele é melhor do que estar com as colegas fúteis ou passar as noites sozinha vendo televisão.

Mas logo Nan fica farta do comportamento descompromissado de Major e, depois que ele a deixa plantada em casa mais uma vez, decide ir a Las Vegas para um fim de semana sem regras e sem limites. Lá, conhece Gannon, um empresário sedutor e perigoso que sempre diz exatamente o que ela quer ouvir.

Quando Major vai atrás dela implorar por uma segunda chance e Gannon mostra que não é tão perfeito quanto ela pensava, Nan tem que decidir a quem entregar seu coração. O que ela não percebe é que os dois têm uma estratégia de longo prazo para ela - e já estão várias jogadas à sua frente.

Sabe quando o TOC fala mais alto e para você concluir uma série você precisa ler o último livro, mesmo ele não fazendo a menor falta? Pois é, para terminar de vez Rosemary Beach eu encarei o livro da personagem mais detestável das personagens detestáveis, a vaca da Nan.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

:: Resenha 522 :: “Um desejo para nós dois”, Tillie Cole


Sinopse: Da mesma autora de Mil beijos de garoto, uma história sobre o poder transformador da música
Uma história de música. Uma história de cura. Uma história em que o amor conquista tudo.
Bonnie é a explosão de cor na escuridão dele.
Cromwell é a batida que faz o coração dela pulsar.
Aos dezenove anos, Cromwell Dean é a estrela em ascensão da dance music eletrônica. É adorado por milhares de pessoas, mas ninguém o conhece de verdade. Ninguém vê a cor do seu coração. Até a garota do vestido roxo. Ela é a primeira que consegue ver através das barreiras que Cromwell construiu para a escuridão que o habita.
Quando deixa para trás o céu cinzento da Inglaterra para estudar música na Carolina do Sul, a última coisa que ele espera é vê-la de novo. E ele certamente não espera que a garota do vestido roxo fique em sua cabeça como uma música.
Bonnie Farraday vive pela música. Ela deixa cada nota tocar seu coração e não entende como alguém tão talentoso quanto Cromwell pode evitar fazer o mesmo. Ele está se escondendo de seu passado e ela sabe disso. Bonnie tenta ficar longe, no entanto, algo continua chamando-a de volta. Mas quando uma sombra se aproxima dela, cabe a Cromwell ser sua luz, da única maneira que ele sabe. Ele deve ajudá-la a encontrar a música perdida em seu coração frágil, deve mantê-la forte com uma sinfonia que só ele pode compor.
Uma sinfonia de esperança. Uma sinfonia de amor.

Fala aí, pessoal!
Eu não sei porque pego livro que faz chorar estando grávida, ainda mais depois de ter lido Mil Beijos de Garoto. ~.~

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

:: Resenha 521 :: “Daisy Jones e The Six”, Taylor Kankins Reid


Sinopse: Embalado pelo melhor do rock'n'roll, um romance inesquecível sobre uma banda dos anos 1970, sua apaixonante vocalista e o amor à música. Da autora de Em Outra Vida, Talvez?.

Todo mundo conhece Daisy Jones & The Six. Nos anos setenta, dominavam as paradas de sucesso, faziam shows para plateias lotadas e conquistavam milhões de fãs. Eram a voz de uma geração, e Daisy, a inspiração de toda garota descolada. Mas no dia 12 de julho de 1979, no último show da turnê Aurora, eles se separaram. E ninguém nunca soube por quê. Até agora.

Esta é história de uma menina de Los Angeles que sonhava em ser uma estrela do rock e de uma banda que também almejava seu lugar ao sol. E de tudo o que aconteceu — o sexo, as drogas, os conflitos e os dramas — quando um produtor apostou (certo!) que juntos poderiam se tornar lendas da música.

Neste romance inesquecível narrado a partir de entrevistas, Taylor Jenkins Reid reconstitui a trajetória de uma banda fictícia com a intensidade presente nos melhores backstages do rock'n'roll.



Oie! Hoje vou falar de um livro super indicado pela Anastacia do @notasliterarias_ que eu acabei de ler e adorei!

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

:: Resenha 520 :: "Punk 57", Penelope Douglas


Sinopse: Autora best-seller do New York Times, Penelope Douglas, apresenta seu mais recente romance “New Adult” ...
“Nós éramos perfeitos juntos. Até nos conhecermos.
Misha
Não posso deixar de sorrir com a letra da música em sua carta. Ela sente a minha falta.
Na quinta série, minha professora organizou duplas com colegas de uma escola diferente. Pensando que eu era uma menina – por causa do meu nome – a outra professora me juntou com a sua aluna, Ryen. Minha professora – acreditando que Ryen era um garoto – concordou.
Não demorou muito para descobrirmos o erro. E, em pouco tempo, estávamos discutindo sobre tudo. A melhor pizza para viagem. Android vs. iPhone. Se Eminem é ou não o melhor rapper de todos os tempos...
E foi assim que começou. Nos sete anos seguintes, éramos só nós.
Suas cartas são sempre escritas em papel preto com caneta prateada. Às vezes, recebo uma por semana ou três em um dia, mas eu preciso delas. Ela é a única que me mantém nos eixos, me acalma e aceita quem eu sou por inteiro.
Nós só tínhamos três regras: nada de redes sociais, sem números de telefone e nenhuma fotografia. Nós tínhamos um lance bacana. Por que arruinar isso?
Até eu deparar com uma foto de uma garota, online. Com o nome de Ryen, que ama a pizza do “Gallo” e idolatra seu iPhone. Quais eram as chances?
Que se f*da. Preciso encontrá-la.
Só não imaginava que odiaria o que descobri.
Ryen
Ele não escreve há três meses. Algo não está certo. Ele morreu? Foi preso? Conhecendo Misha, nem um dos dois seria um exagero.
Sem ele por perto, estou ficando maluca. Preciso saber que alguém está me ouvindo. A culpa é minha. Devia ter pedido seu número de telefone, foto ou algo assim.
Ele podia ter sumido para sempre.
Ou poderia estar bem debaixo do meu nariz, e eu nem sequer desconfiava.

Eu te desafio a ler esse livro e não cantar Love The Way You Lie, do Eminen pelo menos umas duas ou três vezes!

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

:: Resenha 519 :: “Kiro e Emily”, Abbi Glines


Sinopse: O ano é 1992, e a Slaker Demon é a maior banda do momento. Ganhadores do disco múltiplo de platina, tendo turnês inteiras com ingressos esgotados, liderando as paradas de sucessos e acumulando rios de dinheiro, seus integrantes são a definição perfeita de deuses do rock.

Por isso, não é de estranhar que o bad boy incrivelmente sedutor Kiro Manning, vocalista da banda, tenha todas as mulheres a seus pés. Ou pelo menos era isso que ele pensava até ser rejeitado por Emily, uma jovem linda que apareceu inesperadamente em uma das badaladas festas pós-show.

Emily é diferente. Determinada. Pura. Especial. Ele a deixou escapar quando se conheceram, mas não para de pensar nela desde então. E ao se reencontrarem, Kiro promete não desistir desse sentimento novo que faz com que ele queira ser alguém melhor. Alguém que mereça ser amado.

Nesse livro emocionante, Abbi Glines nos transporta de volta no tempo para apresentar o romance secreto que todos os jornalistas tentaram desvendar em A primeira chance. E, nessa jornada, ela mostra que o amor verdadeiro supera qualquer barreira.


Olá! Na última resenha de Rosemary Beach eu contei pra vocês que desse ano não passava, eu finalmente vou concluir a série. Eu ouvi um aleluia?