quarta-feira, 31 de agosto de 2016

:: Resenha 202 :: “A terapeuta”, Gaspar Hernández




Sinopse:

Héctor Amat é um ator que sofre de ansiedade. Após testemunhar acidentalmente o assassinato de uma jovem, ele não se lembra dos detalhes do ocorrido e tem dificuldade de atuar de novo.
Para aliviar a ansiedade e recuperar sua memória, Héctor consulta a psicóloga Eugenia Llort, a terapeuta que o tratou logo após o crime, numa ligação de emergência. Essa relação, no primeiro momento profissional, vai se transformar em um relacionamento de dependência que atingirá limites incomuns: Eugenia atende Héctor todos os dias no seu consultório e vai assistir a todas as exibições de suas peças, nas quais interpreta Dick Diver, o personagem principal de Suave é a noite.
Mas como o seu próprio personagem, um psiquiatra que se apaixona por uma paciente, ele também, eventualmente, fica loucamente apaixonado por sua terapeuta.




A breve opinião de uma mente cansada [ao menos no dia de hoje]:

Apenas como justificativa da minha sonolência, mais especificamente do meu cansaço, estou retornando de um maravilhoso, belo e adoravelmente lindo de meu Deusu fim de semana, passado em Campos do Jordão e São Paulo [aka BIENAL].
Sobre a Bienal não entrarei em detalhes no momento, pois isso ficará para outra postagem; a grande questão é que, apesar do cansaço, decidi que faria logo a resenha deste livro! Apesar do pouco tempo que tenho nessa vida [“Oh, mundo cruel!”], ler e escrever permanece o maior prazer que tenho nessa vida e estou tentando [vejam bem, TENTANDO] mantê-lo, uma vez mais, como algo presente na minha vida. Não é exatamente simples, mas estou tentando de verdade!
Nada disso importa nesse momento! O que vale é a resenha desse tão adorável e diferenciado livro... para aqueles que gostam desse tipo de livro.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

:: Resenha 201 :: “No Limite da Atração”, Katie McGarry


Sinopse: Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma esquisita cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal.
Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada.
Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente.
No Limite da Atração é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que juntas tentam desesperadamente se encontrar.

Eu adoro um bom Young Adult, adoro um drama, adoro personagens sofridos e problemáticos. Pois é, sou dessas. Mas vou falar pra vocês que o começo foi difícil, demorei a engrenar na leitura e me apegar aos personagens e a história. Talvez eu só não estivesse no momento certo, não sei (devia ser ansiedade pelas férias no trabalho rsrs). O importante é que logo isso passou e a leitura fluiu sem problemas. Me vi sempre querendo ler mais um pouco pra descobrir o que havia acontecido com a personagem, me vi sofrendo, chorando as pitangas, querendo chegar ao final pra saber como tudo terminaria.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

:: Resenha 200 :: "A Garota do Calendário – Janeiro", Audrey Carlan


Sinopse: Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. 
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. 
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser… 
Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele. 

Sabe aqueles momentos em que tudo que você quer é um livro rápido, gostoso, divertido e por que não, sexy? Um livro curto, para ler entre um livro pesado e outro, algo para deixar sua cabeça mais leve? Estava euzinha enfrentando algo assim. Eu li Na Estrada Jellicoe, um YA com temas pesados (morte, suicídio, drogas) em seguida peguei Qualquer outro Lugar, outro YA, mas dessa vez ele é o livro que fecha uma trilogia que eu tive que devorar e acabei gostando e para completar eu tenho um livro na estante implorando para ser lido, porque é de uma das minhas autoras favoritas, Sarah Dessen. Em comum, são três livros que estão de certa forma no mesmo gênero, eu precisava mudar, mas também precisava de algo rápido, afinal tem Sarah me esperando. Solução: A Garota do Calendário, serviu como uma luva para resolver o meu problema!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

:: Resenha 199 :: "Qualquer Outro Lugar Série", A.G. Howard


Sinopse: Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo.
Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha.
Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração.
E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre.

Alice no País das Maravilhas é um daqueles livros que todo mundo já ouviu falar, seja o livro, o filme animado da Disney ou o filme live action também da Disney que ganhou toques pop e sombrios com o Tim Burton. De todo caso, todo mundo sabe algo sobre a história da menina curiosa que segue o coelho branco, cai em um buraco e vai parar em outro mundo, repleto de loucura e aventuras. Talvez por isso essa história já ganhou tantas releituras ao longo da vida. Temos a história clássica do Lewis Carroll (que na realidade são dois livros, Alice no País das Maravilhas e Alice através do Espelho), temos histórias voltadas a Rainha de Copas, temos jogos com uma Alice abraçando a loucura (que eu sou louca – trocadilho – para jogar!!) e temos a série O Lado mais Sombrio que eu venho falar com vocês sobre o terceiro (e último) livro dessa série! 

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Lançamentos de Agosto



Como falei no outro post de Lançamentos, mês de Bienal Internacional sempre tem muitas novidades para dar aquela esvaziada bonita nos nossos bolsos! Juntando os dois post temos quase 30 dicas de livros que foram lançados esse mês e isso porque refinamos as dicas! Ou seja, teria muito mais para aparecer aqui no blog! Tem bolso que aguente? Não, não tem, mas aí quem resiste em fazer uma ou outra comprinha não é mesmo? Vou enrolar menos ainda nesse post, já vamos logo entrar com esses livros que o bagulho tá tenso!! 

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Lançamentos de Agosto - Parceiros


Me segura que tô descontrolada!!!! Comecei a fazer esses lançamentos na sexta feira passada, estava crente que ficaria como o de julho, só com os parceiros e tal, mas aí fui colocando livros, e mais livros e mais livros e quando eu vi deu para fazer dois post! Um para os parceiros (que é o post de hoje) e um post para as não parceiros que sai ainda essa semana! Tá bom ou quer mais? 
E se para completar tem muito livro bom esse mês, coisa que sempre acontece quando estamos perto de Bienal Internacional, que esse ano acontece em São Paulo, as editoras sempre dão aquela segurada nos lançamentos e jogam os mais esperados (Sim, eu estou falando de Sem Pudor e O Erro que eu preciso!!) para o mês da Bienal, que acontece agora no final de agosto. Sorte a nossa, azar dos bolsos! Chega de enrolação, vamos aos lançamentos das nossas parceiras!!! 

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

[Precisamos falar sobre PDF - De novo!]

Eu sei que já conversamos sobre PDF aqui no blog (vocês podem reler ele aqui). Não quero ser repetitiva e nem soar como a chata cult, mas a vista de acontecimentos recentes, precisamos bater um papinho sobre PDF, mais uma vez. Por que? Vocês perguntam. Porque antes a situação envolvia apenas o meu medo como autora iniciante. Eu ingenuamente acreditava que autoras que possuem o apoio financeiro e jurídico de grandes editoras não sofriam com isso, mas descobri que a coisa não é bem assim. A pirataria literária cresce tanto quanto cresce a quantidade de novos leitores, porém, eu vou ser pessimista aqui e dizer que nesse ritmo eu duvido muito que vão surgir novos autores. A competição em um ramo onde não deveria existir competição é bem cruel, afinal, como vencer essa mania de se dar bem, mesmo que isso seja o mesmo que prejudicar o outro?

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

:: Resenha 198 :: “O Príncipe dos Canalhas”, Loretta Chase


Sinopse: Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.
Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Olá, pessoal! Quem acompanha o blog sabe que este foi um dos livros que eu coloquei na minha TBR da Maratona Literária de Inverno 2016, e que quando a maratona terminou, eu estava no iniciozinho dele, flopando bonito. Maaaasss, tudo certo, eu pude ler o livro com um pouco mais de calma, sem aquela preocupação de estar numa maratona e pude entender porque falam tão bem dos romances de época da Loretta.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

:: Resenha 197 :: “Seduzida Por Um Guerreiro Escocês”, Maya Banks


Sinopse: Eveline Armstrong é imensamente amada e protegida por seu clã, mas as pessoas a consideram diferente, pois apesar de ser linda e encantadora, a moça sofreu um acidente que lhe causou sequelas não só psicológicas, mas também físicas, visto que ela ficou surda. Satisfeita com sua vida reclusa, ela aprendeu a ler lábios e permitiu que o mundo a enxergasse como uma tola.
Contudo, quando um casamento arranjado a torna esposa de Graeme Montgomery, integrante de um clã rival, Eveline aceita seu destino - despreparada para os deleites que viriam.
Enredado pelos mistérios de Eveline, cujos lábios silenciosos são cheios de tentação, Graeme vê seu casamento ameaçado devido às rivalidades entre clãs e agora deverá enfrentar inúmeras adversidades para salvar a mulher que lhe despertou tanto amor.

Pense num livro gostoso de ler! Pois é, Seduzida Por Um Guerreiro Escocês é desses. O engraçado é que quando ele foi anunciado eu achei legal, interessante, mas em nenhum momento fiquei naquela coisa de “Meu Deeeuuussss, eu preciso desse livro!”, não, não fiquei. Claro que eu iria ler assim que pintasse uma oportunidade porque: 1 – é um romance e eu adoro romance, 2 – é da Maya e a Maya curte um nhenhenhe, um tchaca-tchaca na butchaca e eu também, 3 – tem um guerreiro, um guerreiro escocês e que pelo título tá ali pra seduzir. Pronto, preciso de mais alguma razão? É, acho que não. Aí pintou a chance de pedir um livro para a nossa linda e amada salve-salve editora parceira e eu pensei “Por que não?”, bora lá! Pedi o livro e ele chegou na semana dos outros mundos, da Maratona Literária de Inverno. Eu estava começando a ler um livro tão grosso, mas tão grosso e que é o quarto livro de uma série que eu já li os antecessores há tanto tempo, que a leitura estava meeega arrastada. Aí o que eu fiz? Deixei ele no cantinho, na fila de espera, e peguei o escocês sedutor porque imaginei que a leitura fosse fluir melhor e mais rápido e, bingo! Eu devorei o livro!

Mas chega de blábláblá, vamos a resenha!

domingo, 7 de agosto de 2016

Como foi a MLI2016 por aqui

Para quem tem preguicinha de pesquisar o significado de uma palavra nova ao se deparar com ela, eu vou ajudar (foi o que eu fiz na maratona passada, pesquisei): Flopar/flop (fiasco) é uma gíria muito usada na internet que significa algo ou alguém que não obteve sucesso, que fracassou.


Por isso no post passado sobre a Maratona Literária de Inverno 2016 eu falei que estava quase abraçando o flop e hoje eu venho dizer pra vocês que estou agarrada a ele hahahahah. Sim, a maratona terminou dia 31/07 e eu não consegui concluir toda a leitura que tinha separado, maaaaas tuuuuudo bem! Mesmo assim eu gostei muito do resultado e mais uma vez chamei a Crika e a Grazi para contarmos para vocês como foi a maratona desse ano. Vamos lá!