Resenhas

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A Transformação de Raven - Prólogo

Como falei ontem, o autor Sylvain Reynard vai começar uma nova série chamada The Florentine Series que vai ser publicada no Brasil pela Editora Arqueiro com o nome Noites de Florença. Em janeiro teremos um conto que irá funcionar como prólogo para essa nova série que ainda por cima terá a participação do Professor Gabriel Emerson e em fevereiro sai (no EUA, não temos data confirmada no Brasil ainda) o primeiro livro dessa série que já está na minha lista de leitura para 2015. E tudo por causa dessa sinopse maravilhosa!

Do autor de best sellers do New York Times vem um sombrio e sensual conto de romance envolto em mistério... Raven Wood passa seus dias na Galeria Uffizi de Florença restaurando obras de arte renascentistas. Todavia, um passeio inocente a uma casa depois de uma noite com os amigos muda sua vida para sempre. Quando ela intervém na surra sem sentido em um homem sem-teto, seus atacantes se voltam contra ela, arrastando-a para um beco. Raven está apenas semi-consciente quando o ataque é interrompido por uma cacofonia de grunhidos seguidos pelos gritos de seu agressor. Felizmente ela desmaia, mas não antes de vislumbrar uma figura sombria que sussurra para ela...
Cassita vulneratus.

Quando desperta, ela está inexplicavelmente mudada. Regressa a Galeria Uffizzi, mas ninguém a reconhece e mais preocupante ainda é que descobre que esteve ausente durante uma semana. Sem nenhuma memória dos acontecimentos que conduziram ao seu desaparecimento. Raven também fica sabendo que sua ausência coincide com um dos maiores roubos da história da Uffizzi, o roubo de uma série de ilustrações de Botticelli, de incalculável valor. Quando a polícia confusa a identifica como a principal suspeita, Raven está desesperada para limpar seu nome. Ela procura um dos homens mais indiscutivelmente ricos de Florença, na tentativa de descobrir a verdade sobre seu desaparecimento. O encontro leva Raven a um submundo escuro cujos habitantes matam para manter seus segredos.


Ficou curioso? Se ainda tem dúvida dá uma olhada no prólogo que o próprio Sylvain Reynard publicou e nós do Viciados em Leitura fizemos uma tradução livre só para vocês!

****
Prólogo
Maio, 2013
Florença, Itália
Uma figura solitária estava no alto de cúpula de Brunelleschi, sob a sombra do globo de ouro e cruz. Sua roupa preta desapareceu na invasora escuridão, tornando-o invisível para as pessoas abaixo.
Não que eles o teriam visto.
Do seu ponto de vista, pareciam formigas. E as formigas eram para ele, um irritante, talvez necessária, presença em sua cidade.
A cidade de Florença tinha sido sua por quase 700 anos. Quando ele estava na residência, ele passou os momentos antes do pôr do sol no mesmo lugar, examinando seu reino com orgulho tipo de Lúcifer. Este foi o trabalho de suas mãos, o fruto do seu trabalho, e ele desempenhou o seu poder sem misericórdia.

Sua força considerável foi ampliada por seu intelecto e sua paciência. Séculos se passaram diante de seus olhos, mas ele manteve-se constante. O tempo era um luxo que possuía em abundância, e ele nunca foi precipitado em sua busca de vingança. Mais de cem anos tinha ido e vindo desde que ele tinha sido roubado de alguns de seus bens mais valiosos. Ele esperou por eles para ressurgir e eles tinham. Nesta noite, ele restaurou as ilustrações para sua coleção pessoal, a segurança sofisticada da Galeria Uffizi causando-lhe apenas o mais insignificante dos inconvenientes.
E foi assim que ele ficou em triunfo contra o céu escuro, como um príncipe Medici, com vista sobre Florença. Ele cheirava a chuva sobre o ar quente enquanto contemplava o destino daqueles responsáveis pela aquisição de suas ilustrações roubados. Ele tinha a intenção de matá-los dois anos antes, mas havia sido frustrado por uma tentativa de assassinato cansativo. A guerra que se seguiu entre os submundos de Florença e Veneza o manteve ocupado desde então. Ele havia vencido a guerra, anexando com sucesso Veneza e todos os seus territórios. E sua presa tinha finalmente voltado para a cidade. Agora era a hora de ter sua vingança.
Ele teve tempo suficiente para planejar as mortes e por isso ele ficou de pé, apreciando seu sucesso, já que, uma chuva persistente e quente começou a cair. As formigas abaixo dispersas, correndo em busca de abrigo. Logo as ruas ficariam esvaziadas de seres humanos.
Ele agarrou o case sob o braço mais perto, percebendo que suas ilustrações teriam a necessidade de um espaço seco. Em um piscar de olhos, ele viajou para baixo das telhas vermelhas para uma meia dome inferior antes de saltar para o chão e correu para o outro lado da praça. Logo ele estava subindo para o telhado da Arciconfraternita della Misericordia, um prédio antigo.
Houve um momento em que ele teria servido o Arciconfraternita, juntando-se na sua missão de misericórdia, em vez de tratá-los como um obstáculo. Mas ele não tinha sido misericordioso desde 1274. Em sua nova forma, o conceito nunca entrou em sua consciência.
Algumas horas depois, ele voou sobre os telhados em grande velocidade, desviando de pingos de chuva e indo em direção a Ponte Vecchio. O cheiro de sangue encheu suas narinas. Havia mais de um aroma, mas o cheiro que atraiu a sua atenção era jovem e inexplicavelmente doce. Ele ressuscitou nele memórias esquecidas, imagens de amor e perda.
Outros monstros moveram-se na escuridão, de todas as partes da cidade, correndo em direção ao lugar onde o sangue inocente gritou do chão.
Ele mudou de direção e aumentou sua velocidade, movendo-se em direção à Ponte Santa Trinita. Sua forma borrado contra o céu noturno enquanto pulava de telhado em telhado.

Enquanto corria, a questão em primeiro lugar em sua mente era: Quem vai alcançá-la primeiro?

Fonte: Sylvain Reynard

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário