Pular para o conteúdo principal

Retrospectiva literária - Junho 2014

“Alguns infinitos são maiores que outros.” <3

Junho foi um mês tranquilo. Lembro que, apesar de A Culpa é das Estrelas ser um livro pequeno e de leitura rápida, eu o li com calma, bem devagar. Até porque eu não li sozinha. Eu combinei de ler junto com uma amiga e nós dividimos tantos capítulos por dia. Claro que não deu muito certo hahahah. Eu fiquei uns dias sem ler, depois um dia eu passei ela, lendo bem mais do que o combinado e a cretina pra se vingar correu na leitura no dia seguinte. XDD

Esse foi o primeiro e único livro do John Green que eu li. Tenho aqui o Cidades de Papel, mas ainda não consegui pegar nele. Tem muita gente que diz que o livro é fraco, que é livro de modinha só porque virou filme e porque todo mundo fala dele. Sério? Eu tenho muita preguiça dessa gente. Opinião é uma coisa que graças a Deus cada um tem a sua, mas eu sinceramente não vejo necessidade das pessoas postarem tanta abobrinha falando isso e aquilo, detonando o livro e falando de quem lê. Se você não gostou, ok, direito seu. Quando eu não gosto de algo eu também digo numa boa e falo o motivo, mas não acho legal meter o pau, menosprezar. Eu gostei muito do livro e da maneira como o John Green escreve. É uma leitura gostosa e fácil. Bom, pelo menos nesse livro, não sei como são os outros.

Ri em algumas partes, chorei em outras e por incrível que pareça, chorei mais com o filme do que com o livro. Bizarro, né? Isso nunca tinha acontecido rs.

Duvido muito que você não conheça a história, mas aqui vai a sinopse:
A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

“Esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida.” 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 260 :: "Dois Irmãos", Fábio Moon e Gabriel Bá

Sinopse: Um dos livros mais importantes da literatura brasileira contemporânea, Dois irmãos vem, desde seu lançamento há quinze anos, conquistando novas gerações de leitores. E foi com o mesmo entusiasmo desses leitores que Fábio Moon e Gabriel Bá embarcaram na missão de adaptar o romance de Milton Hatoum para uma graphic novel. Os irmãos quadrinistas vêm igualmente arrebatando fãs e trazendo uma legião de leitores às HQs. Suas obras foram publicadas em diversos países, atravessando fronteiras culturais e políticas.  Preservando a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento de Bá e Moon na construção de histórias que alternam entre a tragédia, a delicadeza, a brutalidade e o humor. Então..né! Bora começar a resenha... 

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch