Resenhas

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Cinquenta Tons de Cinza, o filme


Olá! Aqui é a Bia e eu já assisti o filme Cinquenta Tons de Cinza. Se você quer saber o que eu achei e conferir os depoimentos de amigas que também já piraram com o filme, continue lendo. Mas aviso logo, este post contém spoilers, então se você ainda não foi assistir o filme, volte depois. ;) Vamos lá?

Não sei muito bem por onde começar, talvez dizendo que o filme me surpreendeu e superou as minhas expectativas seja um bom caminho. Depois de tanta espera e de tantas especulações, eu tinha medo de me decepcionar tanto pela grande ansiedade e expectativa que a demora causa, quanto aos traumas por conta de outros filmes baseados em livros que me decepcionaram.

Eu confesso que não esperava cenas de sexo iguais as que tiveram (que foram belíssimas por sinal), não esperava tanta nudez e muito menos que ele falasse a tão marcante frase: “Eu não faço amor, eu fodo... com força.” Pois é, eu era daquelas que pensava: “Gente, pra ir para o cinema, o filme não será igual ao livro, pois seria um filme pornô. Vai ser algo leve, tipo insinuações e só.” Depois de ontem eu vejo como me enganei e como foi bom eu ter me enganado rsrs. Cenas foram corridas e outras aconteceram numa ordem diferente do livro? Sim. Tem coisas diferentes? Sim, detalhes que a meu ver, foram completamente insignificantes, afinal de contas é uma adaptação. Transformar um livro de 547 páginas em um filme de 2h não é fácil e é impossível você levar para o visual tudo o que acontece no livro. Temos que pensar que uma cena detalhada que consome 5 páginas, por exemplo, pode ser reduzia a 2 minutos na telona. Temos que pensar também, que eles montam um roteiro que precisa ser entendido tanto por quem não leu os livros, quanto por quem leu. [Editando (21/02): Fui ver o filme novamente e preciso dizer que alguns detalhes passaram batidos, ficando de fora e só quem entende é quem leu o livro, então sim, é normal o pessoal que não leu, ficar sem entender certas coisas.] Em algumas situações eles têm de transformar pensamentos de um livro, em falas pra fazer e dar sentido a coisa.

Pra mim, mesmo com as pequenas mudanças que uma adaptação pede, o filme foi extremamente fiel ao livro. Tanto nas falas, quanto nas características dos personagens, o filme e os atores foram super fiéis. Dakota é a perfeita Ana, a garota tímida com boca atrevida e Jamie passou muito bem o jeito distante e intocável de Christian, que aos poucos vai se encantando e mudando por causa de Anastasia. Duas coisas que me chamaram muito a atenção foram: as cores e a trilha sonora. Muito cinza como o título pede e como a chuvosa Seattle é por natureza, contrastando com o vermelho intenso do quarto de jogos de Christian, não deixando nada a desejar a fotografia do filme. A trilha, mesmo que diferente da do livro (salvo as belíssimas: Bachianas Brasileiras de Villa-Lobos, Witchcraft de Sinatra, Canon de Pachelbel e Prelúdio opus vinte e oito de Chopin), o que a princípio havia me deixado um pouco chateada, se encaixou perfeitamente em todas as cenas, dando um clima perfeito e intenso para o filme. Agora, pra minha total alegria, uma das cenas mais esperadas por mim era a que tocava Thomas Tallis. Eu ainda não descobri a versão que tocou no filme, pois é diferente da que eu me apaixonei e ouvi todos esses anos de espera e que é a mesma que está no canal do youtube da EL James. Eu tenho quase, quase certeza de que é esta aqui, mas só vendo o filme outra vez pra eu ter certeza absoluta. O que importa é que a cena ficou linda e eu fiquei muito satisfeita.

Resumindo, faltou detalhes da história? Faltou. Como eu disse antes, é impossível você passar tudo de um livro para as telas, mas acho que eles foram muito felizes e pegaram o essencial e mais importante e passaram lindamente para o filme. Saí do cinema extasiada e muito feliz com o que vi. Agora é esperar por Cinquenta Tons mais Escuros e que Sam (a diretora), Dakota e Jamie, continuem arrasando! Agora, vamos aos depoimentos de amigas e seguidoras do Viciados que toparam participar deste meu post:
O meu marido nunca leu o livro e gostou muito do filme. Bom....eu assisti dublado!!!! Não gostei da voz dos dubladores. ..achei que não combina com eles, gostei muito do filme...a sintonia entre os dois é boa. A Dakota ficou com cara de boba igual a Ana, achei que poderiam ter feito um pouco mais parecido (algumas cenas são bem fiéis ao livro). As cenas de sexo foram perfeitas....nada vulgar ou constrangedor. Minha nota pro filme é 8. O difícil agora vai ser esperar o próximo! !!! Bjs.
Bruna Nogueira, SP
Adorei o filme maravilhoso. Atores encarnaram os personagens perfeitos. Cenas de sexo bem dirigidas. Sei que é difícil colocar um livro inteiro num filme, mas assim mesmo conseguiram resumir bem. Captaram os sentimentos e emoções perfeitamente. Minha única crítica é que acho que mostraram um Grey um pouco frio, coisa que não vejo nele, as cenas da preocupação e cuidados com a Ana no livro é intenso, é profundo, e no filme acho que não exploraram isso. Enfim amei pq não tem como não amar!!!! Chegaaaaa 2016...please.
Anu Marrone, SC
Amei!!!!!! Simples assim!  Posso dizer que fui com meu coração aberto de simples mortal que só queria ver Ana e Christian "ganhar vida" na telona para que eu possa sonhar ainda mais de carona nessa história apaixonante. Jamie e Dakota merecem meu agradecimento e admiração por terem topado um desafio artístico que me autorizo a dizer: do século! Afinal, aceitar papéis difíceis mas politicamente corretos e já com meio caminho para uma indicação ao Oscar ou apenas a aprovação dos críticos é sonho de qualquer ator que deseja o sucesso... Agora, aceitar um papel cheio de polêmicas e com meio caminho andado para te marcar talvez negativamente? Ahhh... Isso é para os fortes! Ana e Dak, Jamie e Grey têm isso em comum. Portanto, para mim, tá realizado o sonho e é isso que importa! #50tonsprasempre
Jurandineia Andreliane, MG
Fiquei extasiada com cada cena que se passava, prestando atenção em cada detalhe e acompanhando cada frase dita. Então só tenho a dizer que ARRASARAM!!! Agora sobre os atores, a Dakota encarnou muito bem seu papel, agora o James, achei ele meio que perdido em alguns momentos nas cenas, só conseguir ver o Grey nele, na parte final do filme. Mas sim, me arrepiei a cada cena que fizeram no quarto vermelho. Resumindo foi realmente lindo ver os nossos personagens na tela.
Valeria Cristina, RJ
Gostei do filme... Dakota maravilhosa. Tive uma ótima surpresa com ela... foi uma Ana perfeita! Jamie conseguiu transmitir a frieza… o carinho… e distância… o medo do Christian! Maaaasss… tenho que dizer… esperava mais! Acho (pra mim) que a direção deixou a desejar. Senti uns pedaços soltos do filme… alteraram a cronologia de alguns acontecimentos. Posso estar sendo muito crítica… mas sempre fui sincera com vcs e estou sendo agora. O final???? Sem palavras e sem fôlego até agora!!!! Vale a pena...vou ver de novo...dessa vez com um olhar mais romântico...rs.
Karla Bezerra, SP

Uffaa!!! Acho que não vai ser tão fácil colocar aqui a explosão de sentimentos que há em mim, masss, vou tentar. Vou começar por ELE. O HOMEM. Falar de Jamie Dornan não é fácil, ainda mais para alguém como eu que não sabe muito bem colocar no papel o que sente. Jamie simplesmente arrasou como Grey. Há quem diga que Dakota se sobressaiu a ele, chamando toda a atenção pra si, o que se formos parar para pensar era a obrigação dela, afinal a protagonista do livro é a Ana, mas na minha opinião ele fez um ótimo trabalho. Conseguiu capturar cada detalhe de Grey que é descrito pela Ana no livro. Sua frieza e distanciamento, seus medos, pequenos trejeitos, como o franzir do nariz quase imperceptível, a sombra de um sorriso, a intensidade dos olhares. Ele conseguiu me deixar sem fôlego. Acho que se fosse eu gravando ali, deixaria o técnico de lado e me apaixonaria perdidamente por ele. Dakota sortuda e corajosa, coragem essa que desempenhou com uma bela desenvoltura em se expor tão grandemente como fez. Não vi em nenhum momento sequer um sinal de vergonha ou insegurança. Ela estava esplendida no papel de Ana, pra mim foi de uma maestria sem igual. Os dois se entrosaram tão bem, pareciam tão íntimos, que se moviam como se fosse um. Já era esperado que o filme não agradaria a todos, mas creio eu que esperar mais seria ganância, as cenas de sexo foram eróticas e sexy sem serem vulgares, e pra quem diz que estavam fracas, digo o que sempre disse, você não foi ver um filme de romance e sim um pornô. O que claro, não se encontra nesse filme. Quem ama faz amor, não pornografia fria e sem intimidade. Mudanças sempre tem. Afinal filme é uma adaptação do livro, o que é descrito em cinco paginas tem que caber em 3 minutos. Alterações e mudanças na ordem cronológicas acontece em qualquer adaptação. Agradeço a carta branca que a E. L. recebeu da Universal Pictures. Estou muito orgulhosa do que foi feito, poder ver uma paixão se transformar e ganhar vida, disse que não esperava tanta fidelidade assim e acabei ganhando muito mais. Saí extremamente emocionada do cinema, fiquei com ressaca cinematográfica, assisti duas vezes e espero assistir quantas vezes mais. Afinal o filme se chama 50 shades... , então que venham as 50 vezes!!!!
Luma Raquel, SP

Obrigada, meninas! Até 2016 com Cinquenta Tons mais Escuros!  

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário