Resenhas

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

:: Resenha 13 :: Subindo pelas paredes, Alice Clayton


Sinopse: A primeira noite de Caroline em seu novo apartamento é uma promessa de que dias – e noites – agitados virão. Ela não poderia imaginar que dividiria a fina parede do seu quarto com um cara capaz de deixar uma mulher completamente maluca na cama. Aliás, uma não, Caroline já contou pelo menos três gritos e gemidos diferentes. Conviver toda madrugada com a animação do apartamento ao lado deixa Caroline ainda mais afundada na crise sexual que a acompanha há tempos. Mas ela nem sequer pode imaginar que o vizinho que ela abomina talvez seja o único capaz de lhe trazer de volta seus orgasmos. Em Subindo pelas paredes, Alice Clayton mistura humor, paixão e boas doses de sensualidade, capazes de fazer qualquer uma cair de joelhos e se apaixonar.

Eu não conhecia essa autora e muito menos sabia que esse livro era uma série. Quando a Bia disse que estavam falando bem desse livro, mas não havia lido ainda, eu resolvi conferir as cegas e sem ler nenhuma resenha (praticamente às cegas mesmo, só com o que eu tinha ouvido falar dela). Então o que aconteceu? Eu me surpreendi... Vou tentar explicar para vocês o que senti.


Sabe aquele livro que você lê e se apaixona de cara e se pergunta por que cargas d’água você ainda não o conhecia.  Aquela sensação de que ele é um dos livros que você deveria ter lido a muito tempo. E digo com sinceridade e sem exageros que Subindo pelas Paredes  me conquistou nas primeiras páginas.

Ai você me pergunta: O que esse livro tem de tão diferente?

Primeiro, a escrita da Alice Clayton que é objetiva, leve e com total capacidade de relacionar os elementos do texto sem se perder na história, dando um contexto perfeito. Sua narrativa é afiada e cativante, deixando de lado os dramas clichês de tantas comédias românticas que existem (não me leve a mal, eu até gosto em certos casos).

Segundo, os personagens. Desde os principais até os coadjuvantes, inclusive o gato Clive (meu preferido hahahaha impossível não amar ele).

Então vamos apresentar os personagens principais  ;)

De um lado temos Caroline, uma designer de interiores, que é uma mulher feliz com sua carreira, divertida, independente, carismática e tem amigas maravilhosas. Acabou de se mudar para o novo apartamento com seu gato Clive. Mas tem um pequeno problema... Aliás, pequeno não, um grande problema a meu ver.  =(
Caroline perdeu completamente seus orgasmos... Sério gente, ela perdeu seu “O” devido a uma péssima transa (o apelido que ela dá para o cara que proporcionou isso é hilário hahaha). Então como vocês podem ver,  ter um orgasmo é um sonho distante para a coitada da Caroline, mesmo tentando de tudo para recupera-lo.

E do outro lado, tipo no apartamento colado ao seu hahahaha, temos o fotógrafo charmoso, sexy , divertido e lindo vizinho Simon. Podemos dizer que é o sonho de toda mulher, ter um vizinho assim, certo? Errado... Pelo menos para a dona Caroline não é nada como um sonho ter ele como vizinho.

Logo na primeira noite, ela descobre o quanto é animada a vida sexual de Simon. Caroline é acordada pelos barulhos, gemidos e pancadas na parede. E as pancadas na parede são tão fortes que chega ao ponto de Caroline ter um galo em sua cabeça quando o quadro pendurado no seu quarto cai em sua cabeça. E dia após dia, Simon (que tem várias parceiras) leva todas à loucura completando o círculo vicioso de gemidos, barulhos estranhos e pancadas na parede.

Isso só agrava a crise sexual pela qual Caroline está passando a ponto de deixa-la furiosa, e faze-la sair do seu apartamento e ir direto bater na porta do vizinho e atacar o tal Trepador de Paredes (como ela o apelidou). Detalhe é que na fúria ela esqueceu que estava usando um Baby Doll rosa e quando a “guerra” começa entre os dois, Simon lhe apelida de  Garota do Baby Doll .

A parede passou a tremer, e as batidas da cama começaram. Já chega.“Ria disto, sua piranha!” Eu me levantei… Marchei até a porta de entrada, meus saltos esmurrando o assoalho de madeira. Estava mais que furiosa. Estava lívida. Tinha chegado tão perto. Escancarei a porta da frente com a ira de um orgasmo interrompido. Comecei a martelar a porta dele. Martelei e martelei, como Clooney estivera prestes a fazer. Bati de novo, sem esmorecer, sem trégua. Ouvi passos rumo à porta, mas não parei. A frustração do dia e da semana e dos meses sem O rompeu em uma invectiva jamais vista. Então, a porta se abriu, e eu vi. Lá estava ele. Simon… Simon era deslumbrante. Claro que era. 

A partir daí é uma sequencia de momentos engraçadíssimos, que começa com uma guerra entre ambos e caminha para uma tentativa engraçada de trégua e que durante o processo, dão início a um flerte quase descarado. Sem contar a deliciosa tensão sexual entre dois...

“Você vai bater em minhas paredes, Simon?” Eu suspirei.“Você não tem ideia,” ele prometeu.”  
  


Você consegue ver em Subindo pelas Paredes, o quanto o casal nasceu para estar junto e a relação deles se desenvolve de uma forma sedutora, prendendo o leitor. A química entre os personagens convence e Alice teve um time perfeito para desenvolver o romance entre eles. Ela também consegue aproximar muito da vida real em algumas partes, principalmente na parte em que os amigos estão envolvidos. Além de dar muitas risadas, também achei legal o sarcasmo (na medida certa) em que Alice Clayton usa no livro. Ela é super afiada em seus diálogos. E não posso esquecer-me de citar, que ela consegue enquadrar os personagens secundários de uma maneira fascinante. Não tem como não se apaixonar por eles também.

– Por que você é tão galinha e idiota? – perguntei, meu rosto a centímetros do dele.— E por que você é tão puritana e empata-foda? – ele replicou, e, quando abri a boca para dizer exatamente o que eu pensava, o desgraçado me beijou.Ele me beijou. 

Então é isso meninas, Subindo Pelas Paredes foi um livro que peguei para ler e devorei as 274 páginas em apenas um dia. E foi um dia maravilhoso ler esse livro romântico, engraçado, sexy e quente. Recomendo essa leitura, vocês vão ter muitas risadas e conferir uma narrativa sexy, com personagens supercativante e super bem abordados. Além de curtir as cenas quentes quando elas rolam hahahaha. 

Sabe aqueles momentos em que tudo é exatamente como deveria ser? Quando você e seu universo inteiro se alinham em perfeita sincronia? Quando você sabe que não poderia ser mais feliz? Eu estava vivendo um momento assim e tinha total consciência disso. 

Subindo pelas paredes — é mais conhecido por Wallbanger e a capa original é a minha preferida.


Abaixo os nomes dos livros que são continuação dessa série, mas no Brasil, por enquanto, apenas o primeiro foi publicado:

  • Rusty Nailed
  • Screwdrivered
  • Mai Tai'd Up
Título: Subindo Pelas Paredes
Série: Wallbanger
Autora: Alice Clayton
Páginas: 274
Editora: Benvirá
Classificação: 

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Não sei o que estava fazendo antes de encontrar esse livro para ler!
    Uma leitura super leve, com altas risadas e muito, muito tesão. A trama é passada logo nas primeiras páginas, mas desenvolvida aos poucos e, sem perceber, logo te deixará "subindo pelas paredes"!
    Mais que indico! E já estou a procura do segundo, qnd souber onde baixar, por favor, nos informe!

    ResponderExcluir