Resenhas

quarta-feira, 6 de maio de 2015

:: Resenha 37 :: Enquanto a chuva caía, Christine M.

Sinopse: Erik não procura mais a garota dos seus sonhos. Vive em busca de adrenalina e de uma razão para continuar cumprindo tarefas obscuras. Ele sabe que é muito bom no que faz e não vê nada que possa ser melhor do que os seus dias repletos de perigo. O que Erik não esperava é que sua paixão por correr riscos seria a sua ruína. Ameaçado, ele precisa fugir para o exterior e viver disfarçado de cidadão comum, trabalhando como advogado em uma grande empresa. Marina comanda o império da família depois de seu pai ter sucumbido ao mal de Alzheimer. Precisa suportar ver os pais tombarem diante da ação implacável do tempo, enquanto ainda carrega a ferida provocada pela morte do jovem marido. Com o comando das empresas nas mãos, ela percebe que nem todas as atividades da corporação obedecem aos manuais de boa conduta. Quando ambos se encontram, presente e passado se misturam, dando início a um mistério arrebatador que os atrai a uma paixão incontrolável. No entanto, os segredos, cedo ou tarde, virão à tona e os colocarão em lados opostos da balança. Nenhum dos dois é inocente, mas será que eles aceitarão as verdades que tanto se empenham em esconder? É possível construir um futuro mesmo depois de descobrir que nesta história não há mocinha nem herói?


Estou devendo várias resenhas e não me orgulho disso, mas quero que saibam que...


HAHAHAHAHA DESCULPA GENTE, MAS FAZ TEMPO QUE A PORRA DA RITA NÃO É CULPADA, ENTÃO... HAHAHAHA...

Li bastante e ainda estou lendo, e posso dizer que dentre todos os livros que li esse foi uma surpresa. Aquela surpresa gostosa quando você não sabe nada do livro e quando termina, você fica feliz de ter lido. Sim, esse livro foi assim e Christine M. tem uma escrita tão gostosa e uma narrativa hipnotizante que fica difícil você não comer o livro. Não conhecia essa autora e nem sabia que era brasileira. Só para ter uma ideia, eu comprei o livro porque gostei da capa (sim, sou dessas) e não tinha visto nada de resenha e nem lido a sinopse do livro, preferi ler quando chegasse. Tipo, já que comprei por impulso vamos aproveitar o bonde né? Se no final for uma bosta pelo menos a capa tá valendo... Hahahaha.

Enfim, com o livro em mãos (detalhe, eu comecei a ler em um dia de chuva), gente, se for ver é irônico, mas juro, no dia tava chovendo canivete e porra, a net tava uma porcaria e eu resolvi pegar o tal bonde e começar a leitura às cegas. Então vamos a minha opinião...

A história gira em torno de Marina e Erik e suas perspectivas em relação à vida. Nesse livro vamos entrar em um mundo de conspiração, morte, superação e amor.

Erik Gouveia é um advogado formado, mas que trabalha para a polícia. É o tipo de cara que limpa a sujeira, que descobre as coisas com seus métodos peculiares e que é muito bom no que faz. Mantido em segredo pelos seus “fornecedores” (pois ele não aparece na folha de pagamentos da polícia) ele é praticamente um informante com benefícios, então faz o trabalho, recebe o pagamento e espera o próximo serviço. Ele gosta do que faz e não consegue visualizar outra coisa para si. Uma vida cotidiana não está nos seus planos, mas infelizmente um acidente acontece e ele acaba tendo que tirar uma pequena “licença” e isso é praticamente a morte para ele.

 Então depois de três anos ele é chamado novamente...

A adrenalina corre pelo meu corpo, e o meu coração salta no pescoço. É isso! Me sinto vivo! Todo aquele papo sobre acalmar o cotidiano se esvai. É no perigo que eu me sinto em casa, e é na bagunça das minhas identidades que eu sei quem sou. Talvez nos acostumemos com qualquer rotina, qualquer vida, e acabemos criando involuntariamente uma teia em volta de tudo que consideramos nosso. Talvez fiquemos cegos, trancados ali, iludidos pela segurança que parece oferecer tudo o que nos é familiar. Não importa: para o bem ou para o mal, a gente quer o que já conhece, o que não gera receios ou insegurança. Nesse instante, não quero saber se há alguém mais feliz do que eu, se eu poderia ser mais feliz do que sou ou se essa estupidez de felicidade realmente existe. Só sei que essa é a minha vida e eu estou de volta, baby! Hora da ação!

Amo essa parte =D

Voltando... Erik então vai ao encontro confiante e feliz da vida, achando que vai voltar para seu mundo de adrenalina e perigo, e acaba caindo do cavalo. O bonito descobre que vai ter que sair fora do país e mudar de vida, porque a real é que, o caçador agora está sendo caçado.

Não vou contar o motivo de o Erik estar sendo caçado, porque acho que estraga um pouco a história. Acho mais legal vocês lerem e descobrirem. =D

Tem algo nela que eu não consigo decifrar, parte me diz que se eu me aproximar vai ser encrenca, e a outra diz que ao fazer isso, ela pode fugir. Mesmo assim, eu só quero poder dar mais um passo em sua direção.

Já que falamos um pouco do Erik, agora vamos falar de Marina. Uma mulher que viu seu mundo virar de ponta cabeça quando ficou viúva e ao mesmo tempo descobriu que iria assumir o negócio da família por conta da doença do seu pai, ele tem alzheimer. Quando ela se tornou a mais jovem CEO, muitos apostaram que ela ia falir a empresa em meros três meses. Mas o que aconteceu foi que Marina mostrou para os descrentes que poderia ser uma ótima CEO, e um ano depois ela conseguiu aumentar o faturamento da empresa, diversificou os negócios e fez novas contratações, resumindo, deixou todos surpresos e felizes. E enquanto a vida profissional vai as maravilhas, a pessoal vai de mal a pior. Marina se mantém firme, em uma máscara perfeita deixando toda a sua dor armazenada, ela entra de cabeça no trabalho para tentar aplacar o vazio que segue sua vida depois da morte do marido. Mas depois que o turno termina, vemos o quanto a personagem está quebrada. E o pior é que ela aprendeu a viver na solidão e não quer dar chance para mudanças, isso claro, até Erick entrar em sua vida e tudo mudar completamente.

Não sei o motivo de eu escolher conhecê-lo, mas cada detalhe fez com que a razão não importasse. Era bom estar de volta a essa parte da vida, e era melhor ainda por estar acontecendo com ele.

Se você leu a sinopse já descobriu que é na empresa da Marina que Erik vai trabalhar para manter o seu disfarce. E aí é que a história começa, pois descobrimos junto com o Erik que algo está errado e que Marina está em perigo.  Conforme os segredos vão sendo desvendado e Erik tentando fazer de tudo para ajudá-la, Marina se encontra em um beco onde acha que não vai ter saída.

Dúvida. É isso que te faz sair de onde está. É a dúvida, e não a certeza, que te tira o sossego e bagunça o que estava indo perfeitamente bem. Foi uma dúvida que me fez sair da cama, em plena madrugada, andar a passos lentos e silenciosos em direção àquela pasta. E agora essa mesma dúvida me faz parar e temer o que vou encontrar dentro dela, pois, seja lá o que for, sei que pode me fazer perder de vez o homem que amo.

Enquanto a chuva caía é aquele livro que, muitas vezes, você tem aquela sensação que está do lado deles. Não posso esquecer-me dos outros personagens que possuem uma conexão importante com os protagonistas. E um deles foi James, o melhor amigo de Marina, ele é o típico o amigo “galinha”, além de lindo e atraente, James é engraçado. Dei boas risadas com as tiradas dele e gostei muito dele.

- Sabe o que isso significa, Marina? Ergo a sobrancelha e estico o canto dos lábios. - Folga! É isso que significa. Desliga isso e vai embora. – ele diz antes que eu possa responder qualquer coisa.
- Já estou indo. Vim só dar uma olhadinha nos e-mails. Ele se ergue ligeiramente e bate uma mão na outra, fazendo um estrondo.
- Ótimo, então estou dispensado.
- Que pressa é essa, hein? Pode me explicar?
- Loira, alta, carente e vou te poupar das medidas para me poupar do seu sermão.
- Entendi – respondo, sorrindo, e ele pisca para mim.

O que achei legal também são os trechos de músicas nacionais, que a autora coloca nos capítulos, gente eu amo quando pego um livro e tem trechos ou citações!  E a escolha dela foi perfeita...

Eu só quero que você saiba que eu estou pensando em você
Agora é sempre mais
Eu só quero que você ouça
A canção que eu fiz pra dizer
Que te adoro cada vez mais
E que eu te quero sempre em paz.
(“A Sua”, composta e interpretada por Marisa Monte)

Então lá estava eu, esquecida completamente da chuva de canivetes, no final do livro e surpresa do quanto havia gostado.

Marina, não vou prometer que a gente nunca vai se perder um do outro. Alguns casais se perdem morando na mesma casa. Mas estou te dizendo que, quando eu fecho os olhos e imagino o futuro, é você que está no sofá tomando cerveja e assistindo algum jogo de basquete comigo.

Então é isso, a capa do livro é linda hahahaha a história é boa e os personagens adoráveis e cativantes. Uma leitura que faz pensar sobre a forma como levamos a vida, sobre dar valor ao que realmente importa e o que fica marcado para sempre. E a forma como a história foi narrada é muito legal e fica impossível não se emocionar.


Espero que vocês tenham gostado da resenha, beijos e até a próxima.  =)


Título original: Enquanto a chuva caía
Editora: Novas páginas
ISBN-13: 9788581634470
ISBN-10: 8581634478
Ano: 2014 
Páginas: 288
Compre aqui: Amazon
Classificação:

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Olá Grazi,
    Achei a capa linda, bem legal!!
    Também amo quando um livro e tem trechos ou citações de música, o layout fica perfeito.
    beijos e parabéns
    conchegodasletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Daya, eu adoro quando pego um livro e ele está cheio de citações e trechos. Beijo grande!

      Excluir
  2. É TUDO CULPA DA RITA KKKKKKKKKKKKK MDS CHOREI!
    Amei a capa. Já tinha visto resenhas desse livro e sempre me interesso. Abs

    ResponderExcluir