Resenhas

quarta-feira, 15 de julho de 2015

:: Resenha 58 :: Na Ilha, Tracey Garvis Graves

Sinopse: Cansada do inverno rigoroso de Chicago e de seu relacionamento que não evolui, a professora Anna Emerson agarra a oportunidade de passar o verão em uma ilha tropical dando aulas particulares. T.J. Callahan tem 16 anos, um câncer em remissão e só quer levar uma vida normal. No entanto, os pais insistem que o garoto coloque em dia as aulas que perdeu na escola na casa de veraneio nas Maldivas.
Quando o avião cai em águas infestadas por tubarões, Anna e T.J. se veem em uma situação inimaginável. Professora e aluno conseguem chegar a uma praia, mas logo descobrem que estão presos em uma ilha desabitada. De início, tudo o que importa é sobreviver. Mas à medida que os dias dão lugar a semanas e então meses, Anna percebe que seu maior desafio pode ser conviver com um garoto que aos poucos torna-se homem.

Conhecendo o livro...

Esse livro foi uma daquelas surpresas, que de vez em quando aparece na nossa vida literária. Sabe quando você não dá nada para o livro, você sempre vê ele nos sites e o valor é muito barato? Então, como sempre a capa desse livro aparecia quando eu entrava na internet e era impressionante. Eu digitava um determinado livro, para descobrir se estava em promoção, e Na Ilha aparecia como sugestão no estilo: Se você clicou nesse, também vai gostar desse...


Isso durou um bom tempo, até um dia que eu estava vendo um canal no YouTube de uma garota falando dos livros que mexeram muito com ela e tal, e o bendito apareceu. Naquela hora eu pensei: Foda-se, é um sinal!  Não sei se já aconteceu isso com vocês, mas comigo foi assim. Enfim, resolvi arriscar e comprei o livro por míseros R$ 5,00 e no final confesso que me surpreendi.

Eu devorei o livro e perdi completamente a noção do tempo e do que acontecia ao meu redor, fiquei tão absorvida pela história que li ele em horas. Sim, horas! Peguei o livro em um sábado depois do almoço lá pelas 14:00 da tarde e acabei de lê-lo perto da 19:00 da noite. Depois que li, corri para descobrir sobre essa autora que me fascinou com a sua escrita e narração. Seu nome é Tracey Garvis Graves, esse livro foi seu primeiro romance e tornou-se best-seller do New York Times, teve os direitos de publicação vendidos em mais de 20 países e será adaptado para o cinema.

Mas nem tudo foi flores para Tracey, não na parte em escrevê-lo. A autora disse que escrever Na Ilha foi até fácil demais, as palavras fluíram de uma maneira bem bacana e ela amava ver seus dedos digitando rapidamente, conseguindo expressar exatamente o que ela queria. O problema foi em conseguir levar a história da Anna e T.J. aos leitores pelos meios tradicionais. No começo foi barra e ela ficou decepcionada, mas não intimidada, optando assim pela autopublicação e outros caminhos alternativos.  

E o livro se tornou sucesso, principalmente, por causa do método boca a boca, sim eu acredito que esse meio alternativo é muito poderoso! Ela disse uma coisa que eu concordo plenamente: “Nenhum plano de marketing é capaz de ultrapassar o poder de um grande número de pessoas que se conecta com uma história e depois a recomenda para outras pessoas.”

A história...

Esse livro conta a história de Anna, uma professora de inglês que tem 30 anos, que mora em Chicago e está cansada de esperar que John (seu namorado de anos) resolva tomar uma atitude e seguir para os próximos estágios: Casar, ter filhos... Como o cara não demonstra querer o mesmo, Anna decide então terminar com ele e aceitar ser tutora de um adolescente com um câncer em remissão. 

O trabalho é durante as férias de verão e tem como cenário as Ilhas Maldivas, uma ótima oportunidade que Anna aceitou sem hesitar. A real é que ela quer que John, durante esses quatro meses separados, tenha como rever suas prioridades. Resumindo, no fundo é a uma última carta na manga da Anna, em uma tentativa de saber qual o rumo do seu relacionamento com John, quando ela voltar.

Já T.J., o adolescente de quase 17 anos, não consegue ver vantagem nenhuma nessa parceria, ele  não está tão feliz assim em sair da cidade para estudar (mesmo tendo uma tutora muito bonita). Depois de um bom tempo doente, T.J. queria aproveitar essa pausa da doença para fazer coisas normais de adolescente, como curtir os amigos e ir a festas... Diferente da opinião dos seus pais, que estão bem animados em passar férias em família e de quebra fazer T.J. recuperar o seu tempo perdido em um lugar paradisíaco.

Então, devido algumas mudanças, Anna e  T.J. acabam pegando um vôo alternativo, para  encontrar os pais do adolescente que foram antes. E aí que o livro começa, as próximas páginas é uma surpresa atrás de outra, uma intensidade de acontecimentos surpreendentes que você se pergunta, como assim? Meu coração vai aguentar mais uma surpresa?

Image and video hosting by TinyPic

Só para ter uma pequena ideia, o avião durante o trajeto acaba caindo no mar, às condições dos dois é terrivelmente assustadora, eles estão machucados e boiando por horas em um mar que tem como principais habitantes: tubarões. É impressionante como a escritora narra os fatos, é de uma realidade sem tamanho. Fiquei tão tensa a partir daí, que os coitados dos meus nervos estavam gritando para uma pausa. 
Imagina você presa em uma ilha, cercado de tubarões e sem saber se vai sobreviver.  Nossa é muito p/ mim, ainda mais eu que não sei NADAR!!! 

Image and video hosting by TinyPic

Enfim, voltando ao foco... Anna e T.J. começam a fazer de tudo para conseguir ficar vivos, são horas que viram dias, dias que viram semanas, semanas que viram meses e meses que viram anos... Sim eles ficam anos nessa ilha, sem saber se um dia vão ser resgatados e nesse período você vai entender que já não existe mais esse negócio de adulto e adolescente. Você vai ver o crescimento e amadurecimento de T.J. e vai se surpreender em como os acontecimentos se desenvolvem de uma maneira gradativamente e compreende de uma forma muito bonita e intensa que o amor nasce de lugares mais improváveis e que ele não tem barreiras.

Se ela tivesse ficado doente, a única coisa que eu poderia ter feito era vê-la sofrer [...] Eu não sabia se eu conseguiria seguir em frente sem ela. O som da sua voz, seu sorriso, ela — essas eram as coisas que tornavam a vida na ilha suportável. Eu a abracei um pouco mais apertado e pensei que, se ela acordasse, eu diria tudo isso.                                                                                                        T.J.

A autora conseguiu uma história intensa e fascinante, ela mexe com suas emoções vária vezes. Um livro com uma narração onde você fica tensa e logo em seguida, você se emociona a ponto de deixar a lágrimas cair sem se importar com os outros, que olham para você com aquela cara tipo: Sério?
  
É, posso dizer que o meu coração sobreviveu, confesso que ele bateu várias vezes em ritmos totalmente diferentes. Mas também confesso que valeu cada batida, cada lágrima e cada suspiro.


Os espirros continuavam, quase ritmados. Imaginando não apenas um tubarão, mas cinco, dez, talvez mais, girei várias vezes. Algo emergiu e levei um segundo para perceber o que era. Os espirros eram as ondas batendo em recifes que circundavam uma ilha.Nunca senti tanto alívio na vida, nem mesmo quando o médico nos disse que o tratamento finalmente havia funcionado e que meu câncer tinha ido embora.                                                                                                                           T.J.

Não pense que entreguei o ouro nessa resenha, que contei tudo e que não tem mais surpresa que você possa descobrir. Tenha a certeza que o livro tem muito mais do que contei aqui nessa resenha, e espero mesmo que vocês queiram dar uma chance para ele.

Então é isso, o livro é emocionante, intenso e o final mais ainda. Os personagens são reais e não quis falar muito deles porque gostaria que vocês tivessem a mesma sensação que tive quando li; que foi a surpresa da intensidade em descobrir as mudanças de cada um deles.

Na Ilha virou um dos meus livros preferidos. E mais uma vez fiquei feliz, em descobrir uma nova autora para colocar na minha lista de: Autoras que vou seguir.

Mesmo sentindo aquela sensação de porque não li antes e tal, ainda acho válido aquele ditado: Antes tarde do que nunca.

Título: Na Ilha
Título original: On the Island
Autora: Tracey Garvis Graves
ISBN-13: 9788580574029
ISBN-10: 8580574021
Ano: 2013
Páginas: 288
Editora: Intrínseca
Compre aqui: Saraiva, Americanas, Casas Bahia
Skoob | Goodreads
Classificação:

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Lá vem você amentando a minha lista de compras. <3 rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 5,00 reais Biaaaaa aproveita na Amazon e compra junto com aqueles livros da Rachel Gibson rsrs

      Excluir
    2. Esse mês não to podendo comprar mais nada!!! hahaha

      Excluir
  2. Eu prometi que não iria mais ler as resenhas do blog kkkkkkkkkkkkkkkk aumentando minha lista de compra em 3,2,1 VALENDO !!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. AI MEU CORAÇÃOZINHO,ISSO COMEÇA COMO UM LIVRO DE TERROR,O MENINO ACABA DE SAIR DE UMA DOENÇA,A MULHER TA DISILUDIDA,O AVIÃO CAI,TEM TUBARÃO,TÃO QUASE NO LIMITE DA SOBREVIVENCIA.MAS SEI QUE AMBOS VÃO APRENDER MUITO COM CONVIVENCIA,E AUTORA DEVE TER SE VISTO COM DIFICULDADE DE PASSAR A QUESTAO DA IDADE,MAS AS CRIANÇAS CRESCEM MEU POVO.

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre tive duvidas sobre esse livro... mas agora, graças a grazi, vou ficar falida mais um pouquinho..... huauhauha

    ResponderExcluir
  5. As coisas começam tensas o acidente, os tubarões, essa história promete ser muito boa. Obrigado pela dica pois não conhecia o livro e fiquei muito curiosa para saber como sairam dessa.

    ResponderExcluir
  6. Como você para a resenha assim sem contar mais sobre a historia. rsrsrs
    Gente, que historia,me deixou querendo, e MUITO, saber o que vai acontecer. Já estou imaginando mil coisas que podem acontecer com esses dois na ilhas.
    Já esta anotadinho, foi uma ótima resenha e indicação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. É o máximo! Livro incrível, escrita incrível e história linda.

    ResponderExcluir
  8. É o máximo! Livro incrível, escrita incrível e história linda.

    ResponderExcluir
  9. É o máximo! Livro incrível, escrita incrível e história linda.

    ResponderExcluir