Resenhas

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

:: Resenha 80 :: A Promessa da Rosa, Babi A. Sette

Sinopse: A Promessa da Rosa - Século XIX: status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.
Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e sim, pela a única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e enorme teimosia: o seu coração.

Ok vamos lá...



A Promessa da Rosa é o segundo livro da autora Babi A. Sette, lançado pela editora Novo Século. Com uma capa maravilhosa e uma diagramação perfeita, o livro foi uma surpresa maravilhosa e muito bem-vinda.

Quem me conhece, sabe sobre a minha paixão por livros de época, sempre fui fascinada por livros desse gênero. Fã incondicional de Jane Austen, sou capaz de ficar horas e horas falando sobre seus livros e o que eles causam sobre a minha pessoa. E cara, quando encontro uma autora que consegue descrever com precisão a sociedade, os costumes, a desigualdade, e claro, o amor sem a história ficar chata, nossa.... Eu só tenho que agradecer e aproveitar o máximo a leitura.

E foi o que eu fiz com esse livro...

Nesses anos de leitura (desse gênero), já peguei alguns romances em que as histórias eram tão maçantes que custou muito para terminá-los. E eu sei o quanto é difícil escrever um livro de época que prenda a atenção do leitor do começo ao fim. Principalmente, se esse leitor não for tão fã desse gênero. 

Já escutei e li muito sobre pessoas reclamarem da forma como a história é contada em certos livros de época, de como algumas palavras são desconhecidas e tal, e é natural que assim seja, como também é compreensível a reclamação dessas pessoas! Eu mesmo já peguei alguns livros em que tive certas dificuldades, mas já que o dicionário é uma compilação de palavras ou dos termos próprios, vamos usá-lo, certo? Então, eu uso de boa e entendo realmente certos comentários, só que a meu ver, não é só em livros desse gênero que isso acontece. Vários outros gêneros já me fizeram recorrer ao meu velho amigo dicionário e quando não estou perto dele, recorro ao Google mesmo hahahaha.

Mas enfim, acho importante dar ênfase que independente de alguns gêneros, ter algumas palavras "estranhas'' a real é que, a trama prenda o interesse, que tenha uma narrativa fluida, que em minha opinião, é extremamente importante para a boa estruturação daquela história. E claro... personagens muito bem construídos.

E já que a narrativa é uma sequência de fatos interligados, posso dizer que a Babi foi extremamente perfeita nesse quesito. O dom que essa autora tem em narrar uma história, me deixou completamente apaixonada, e assim,, virando fã de carteirinha. SÉRIO GENTE! Não é exagero!

Não a conhecia e esse foi o primeiro livro que li dela, e digo com convicção que ele arrebatou o meu coração já nas primeiras páginas, fazendo com que o colocasse no mesmo patamar que o meu livro de cabeceira: Orgulho e Preconceito da Jane Austen.

Jane Austen além de ser considerada por muitos, como uma das maiores personalidades femininas na história da literatura, também é conhecida por trazer em seus livros, diálogos afiados e pela ironia presente em seus romances. Seus recursos de linguagem tinham um alvo específico: a sociedade provinciana inglesa, e isso eu encontrei muito no livro da Babi. Ah mais Grá, essa seria uma das intenções para a realização de livros de época, né? Não necessariamente, e além disso a história da Babi, os personagens, a narração, o clímax e o desenlace são muito bem construídos por ela. A autora também conseguiu construir uma história universal e atemporal, com personagens anticonvencionais para o século XIX e ainda manter todo o charme que um Romance de Época precisa ter. E isso meus caros colegas, foi uma das razões para eu ter devorado o livro.

Depois de conhecer Kathelyn e Arthur (os dois personagens protagonistas),cheguei a ter certeza que meu pobre coração era bipolar. A gama diversificada de sentimentos que senti com esses dois foi intensa demais. Suas ações e reações durante certos momento, são simplesmente reais e tenho certeza que em algum dia, alguém já viveu ou está vivendo ou até então, poderá viver as mesmas coisas. Sério! Como disse antes, a história que Babi construiu é totalmente atemporal, então quem nunca?

Ah e confesso novamente, que muitas vezes, achei que precisaria de uma boa sessão de terapia com as amigas após acabar o livro. São personagens marcantes, daqueles que fazem você ficar com eles por um bom tempo. Por isso a terapia com as amigas é necessária, pois depois de ler uma história como essa, você sente muita, mais muita vontade de falar sobre tudo que leu e nessa hora um bom par de ouvidos amigável é muito bem-vindo.



    Eu sofrendo porque terminei o livro e queria desesperadamente que a história continuasse para sempre...

Então, deixando as lágrimas de lado e tentando me recompor, vamos as apresentações... =P

Kathelyn Stanwell é uma jovem de alma livre que vive na Inglaterra, em uma época onde os costumes sociais, a educação, a cultura, a moral e o casamento na sociedade aristocrática são levados ao extremo. Com uma mente avançada para sua época, Kathelyn não aceita e não coloca as regras tradicionais em sua lista de prioridades. Muito pelo contrário, Kathe (para os íntimos) coloca como prioridade o estudo,o conhecimento geral do mundo. Amante da mitologia grega, Kathe é capaz de fazer qualquer coisa por sua paixão, e é isso que diferencia Kathe de outras jovens.

Com uma personalidade forte e única, Kathe é inteligente, espirituosa, determinada e corajosa. Além de todas essas qualidades, ela ainda possui uma beleza extraordinária. Por onde passa, sua presença é bem marcante e não digo apenas por sua beleza, e sim por suas ideias avançadas e seu comportamento totalmente fora do comum para essa época. Comportamentos que fazem com que Kathe seja ameaçada várias vezes pelo seu pai, a parar em um convento na Itália se não mudar.  E essa ameaça medieval, tem o intuito de assim, fazer com que ela siga os padrões, já que no século XIX, o principal papel que uma mulher deveria desempenhar na sociedade, era o de ser mãe e esposa. Então para conseguir um bom casamento Kathe precisa tomar “rumo”.


“ – Homens não se casam com mulheres liberais e rebeldes. Apenas flertam com elas.”

Ela está na época de se mostrar para sociedade e para Ernest Stanwell, o Quinto Conde de Clifford, mesmo que  Kathelyn seja de uma nobre e tradicional família e de possuir um excelente dote, não é garantia absoluta de conseguir um bom partido para casar. Seu pai jamais aceitaria que qualquer uma de suas filhas casasse com alguém que não precedesse de uma família tão aristocrática quanto à dele. O que é bem difícil para Kathe aceitar. Ela acredita que casamento tem que ser por amor e não por contrato. E com pensamentos opostos, pai e filha acabam entrando em algumas brigas bem tensas, e uma dessas brigas, acabou rendendo até um castigo (bastante longo por sinal) para Kathe. E gente, esse castigo foi por um motivo muito, mais muito engraçado, que eu não vou contar (é claro!) para não perder a graça. Mas digo que ri muito hahahahaha...

Então, quando a oportunidade de sair do seu cantinho da obediência surge, Kathe tem a permissão do pai para ir ao baile de máscaras na casa da Vicondessa e do Visconde de Whithmore. Para seus pais é uma maneira de Kathe apagar um pouco o mico da sua última tentativa de se mostrar para a sociedade. Já para Kathe é a oportunidade de ouro de ver com seus próprios olhos algumas relíquias da coleção do Visconde, que são guardadas a sete chaves. 

Ah lá ela... toda animadinha para ver as relíquias do tal Visconde....

Bom... E ai minha gente, é nesse baile que a dona Kathe acaba conhecendo Arthur, o nono duque BelmontDeixa eu só deixar claro aqui, que essa parte foi ótima! É um baile de máscaras, a festa tá rolando, tá bombando (sim, naquela época também bombava as festas hahahaha) enfim, ela se destaca pela sua beleza, ficou conhecida como a dama da noite, tava sendo cortejada pelos jovens promissores daquela época, tudo indo de boa e tal...

Até que aparece o CARA!

“Ela ia sorrir de volta com simpatia, quando a sua atenção foi capturada por um cavalheiro que ia todo trajado de negro, dos pés a cabeça. Fraque, gravata, capa e, sim, máscara.
Ele se destacava-se no meio da multidão. Havia algo nele que fazia todos os outros homens da festa parecerem levar  fantasias de pardais, enquanto ele se assemelhava a um falcão. Era algo com o seu porte, talvez, sobrepunha-se diante dos outros.
O falcão sorriu.
Ele olhava-a?”



      Dããã... Como ela pode ligar para pardais, se na parada agora tem a  porra de um falcão!


Bom...enfim...Vamos a apresentação desse falcão!

Arthur é um rapaz arrogante, inteligente, lindo, charmoso, irresistível, que está totalmente determinado a arranjar uma dama respeitável da sociedade, a fim de formar uma família e assim gerar um herdeiro. Ah! Sem dizer que o cara é determinado (como um falcão hahaha), quando quer uma coisa, ninguém o segura!! E quando ele conhece Kathe, ele quer ela...ai, ai... e aí né gente, Kathe é humana, né? Sim, ela é humana e não tem sangue de barata (nossa que exemplo horrível!), mas enfim, a dona Kathe então, cai nas garras desse falcão poderoso, charmoso...ai, ai....

Voltando ao foco, a real é que os dois acabam não resistindo à imensa química que existe entre eles. E o que começa como uma aventura de uma única noite, se transforma em uma avassaladora e ardente paixão entre ambos. E aí preparem seus corações, porque a história desses dois vai arrebatá-los, como arrebatou o meu humilde coração bipolar.

Com reviravoltas que fazem você prender a respiração em algumas partes, para depois trazer o “ar” que você tanto precisava, como se fosse aquele amigo ausente. Você ainda vai presenciar (além da falta de ar) uma história de amor tão intensa que vai fazer seus olhinhos embaçarem várias e várias vezes, para depois você quase morrer afogada com as próprias lágrimas. Ainda mais quando você presenciar as consequências dos atos desses dois amantes. Gente, não tenho nem palavras para descrever o que senti quando cheguei nessa parte!

Deixando a brincadeira de lado, eu quero que vocês saibam que nesse livro, vocês vão rir, vão se emocionar (e muito), vão se desesperar com certeza, vão ficar surpresos com os acontecimentos e o rumo da história. Vão torcer até achar que estão quase entrando para alguma torcida organizada (com carteirinha e tudo) e no fim, vocês, pessoas que adoro, vão ter a certeza que o coração de vocês é tão bipolar quanto o meu, e vão entender o porque disse aquilo no começo dessa resenha.

Definitivamente é uma história emocionante, muito bem escrita que vai fazer você pensar em como a vida dá voltas, cambalhotas e saltos, mas também vai fazer você pensar muito sobre como (muitas vezes) apenas nós, somos culpados desses malabarismos que a vida nos impõe.

Não vou contar os motivos das reviravoltas, pois como sempre falo, acho legal você ler e descobrir. A única parada que vou deixar claro aqui, é que a cena da primeira vez desse casal vai ficar eternamente gravada em minha mente. Foi uma das cenas mais lindas que li até agora, de verdade gente! Babi está de parabéns pela qualidade e pela intensidade daquela cena.

Confira o book trailer: 


Confira as músicas que inspiraram a escrita do romance:



Amei essa capa!


Então é isso... Recomendadíssimo! Virou meu livro favorito e espero que vocês possam dar uma chance de colocar ele na lista de vocês. Tenho certeza que não vão se arrepender.


Título: A Promessa da Rosa
Autora: Babi A. Sette
Gênero: Romance
ISBN-13: 9788542805550
ISBN-10: 8542805550
Ano: 2015 
Páginas: 432
Editora: Novo Século
Compre aqui: Amazon
Skoob
Classificação:

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Já queria ler, depois dessa resenha cheia de amores, EU PRECISO LER!!! Tá na lista da Bienal. <3

    ResponderExcluir
  2. Deu pra perceber Gazi que você amou esse livro. Ele já esta na mina lista de leitura, na verdade os dois livros da autora. Se ele tiver em uma promoção boa na bienal vou compra-lo.
    Não sou muito de ler romances de época, mas esse parece ser muito bom e ainda é nacional.
    Boa resenha :*

    ResponderExcluir
  3. A capa do livro é linda, adorei a quantidade de paginas, gosto de livros com mais de 400 pg rs.
    Sabe quando você está lendo uma historia muito boa, que você até prende o ar em determinados momentos e depois solta um suspiro de pura satisfação? Pois foi isso que aconteceu comigo ao ler a resenha. A capa do livro me chamou a atenção, adorei a sinopse, mas o que me deixou louca pra ler esse livro, foi a resenha. Sério Grazi, a sua resenha foi apaixonante. Amo romances, e esse livro parece ser ótimo, Já coloquei na lista de compras rsrs.

    ResponderExcluir
  4. A capa desse livro é linda, assim que eu a vi já a quis pra mim. Vi algumas entrevista da autora e ela parece ser muito calma e simpática.
    Eu estou encantada com a premissa desse livro, achei tudo muito lindo.
    Amei a sua resenha Gazi!
    Esse livro já esta na minha lista de leitura

    ResponderExcluir
  5. Só pelo tamanho do seu comentario,deu pra percebe que você amo.É chato quando não tem alguém pra comenta do livro,faz um cantinho ai pra comentarios com spoilers.Parece lindo esse.Eu não costumo ler esse genero,devido a linguagem acho dificil e muitas vezes cansativa.Quanto a Orgulho e preconceito,só vi o filme, não sei se é fiel ao livro.Achei lindo mais tinha partes que não entendia nada,muita formalidade kkkk Eu queria vê um beijinho do Sr Darcy kkkk

    ResponderExcluir
  6. Amei a resenha e tb quero conhecer esse amor todo!! Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Amei essa capa, e não imagina a historia ser assim tão... tão... sei lá! Tão ótima! E quase arranquei os dedoas enquanto lia sua resenha, quero mega o livro. Quando soube do lançamento não achei grande coisa e tal, porém essa capa me encantou, mais acabei não dando muita atenção a ele já que havia mais livros ótimos aparecendo.

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Eu já li um outro livro da Babi e amei demais,ela é uma das minhas escritoras favoritas,lembro que fiquei com dor nas costas por finalizar aquele livrão em apenas um dia mas valeu a pena,que história incrível.Estou bem curiosa com esse novo livro dela por que além de eu adorar a narrativa da escritora ,romances de época são um dos meus gêneros favoritos de leitura.E esse livro além de ter um casal maravilhoso ainda tem um enredo gratificante e cheio de reviravoltas sem tornar a história repetitiva.Sem dúvidas um dos livros que pretendo ler o mais breve possível.

    ResponderExcluir
  9. Jesus, Maria, José.... A autora arrasou. Amei!!! Morri várias vezes com esse livro!!! Quase tive um troço com a chegada do final.... Quis matar Arthur e Kathelyn. Um pela cabeça dura e arrogância, a outra pela infantilidade. Temos que entender o contexto histórico e lembrar que ele é um Duque e ela, apenas uma garota extrovertida em um mundo de regras rígidas e etiquetas. Mas enfim, um livro dinâmico, com muitas emoções fortes e verdadeiras, que nos mostram o poder de destruição do orgulho e a força de restauração do amor. Vale a leitura, mesmo que você não seja amante dos livros de época.

    Li esse final de semana e hoje estou sofrendo... ainda de amor, ainda de dor... depressão total!!! Não sei o que vou ler agora para me recuperar

    ResponderExcluir
  10. Graaa!!!
    Vc ficou apaixonada mesmo, bem que vc falou!!! Sempre que leio sobre esse livro, é desse jeito... Todas se apaixonaram e viraram fãs da Babi. Então, já tava na minha lista havia algum tempo e agora só fiquei com mais vontade, claro rsrs. Pena que nunca vejo em promoção kkkkkkk, mas vou investir nele em breve e vou correr pra te contar depois ;)

    ResponderExcluir