Resenhas

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

:: Resenha 93 :: O Demonologista, Andrew Pyper

Sinopse: "A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe", escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de O Demonologista (DarkSide® Books, 2015), é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados.
O personagem que dá título ao best-seller internacional é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo - principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma.
Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.
Este é um daqueles livros que você não consegue largar até acabar a última página, ainda que vá precisar de muita coragem para seguir em frente. O Demonologista ganhou o Prêmio de Melhor Romance do International Thriller Writers Award (2014), concorrendo com autores como Stephen King. Entrou em diversas listas de melhores livros de 2013, foi finalista do Shirley Jackson Award (2013) e do Sunburst Award (2014), chegou ao topo da lista dos mais vendidos do jornal canadense Globe and Mail e foi publicado em mais de uma dezena de países.

Primeiramente, bom dia!
Segundamente, que capa de livro é essa?
Terceiramente, que história é essa?
Quartamente, por que a Darkside tem que mandar sempre tão bem?!
Acho que pela primeira vez na minha vida, eu posso dizer que, se a história fosse uma merda (coisa que definitivamente não é), eu nem ligaria só por essa capa maravilhosa, com acabamento perfeito e lindas ilustrações.
Eu acho que a meta da Darkside é deixar a gente tão apaixonada a ponto de ficar totalmente pobre pela pura necessidade de ter todos os livros! É de um cuidado, gente, uma qualidade, que dá gosto gastar com eles.

Parando de babar o ovo da Darkside e falando agora do livro; surfando pelas internets da vida, percebi que muitas pessoas não gostaram de O Demonologista. Acharam que o final foi ruim, história fraca, blá blá blá, whiskas sachê, blá blá blá.... todo aquele mimimi de sempre.

Fiquei preocupada porque sabe como é, né?! Você coloca uma mega expectativa em cima de algo esperando uma Brastemp, mas depois acaba aparecendo uma Dako?! É meio revoltante né?! Mas não tinha jeito. Pra descobrir, só lendo mesmo, e foi o que eu fiz.

“Meu nome é David Ullman. Sou professor do Departamento de Inglês da Universidade de Columbia em Manhattan, um especialista em mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã, apesar de meu verdadeiro ganha-pão, o texto cujo estudo crítico garantiu minha posição da Ivy League e convites para várias inutilidades acadêmicas em todo mundo, ser ‘Paraíso Perdido’, de Milton. Anjos Caídos, a tentação da serpente, Adão e Eva, pecado original. Um poema épico do século XVII que reconta eventos bíblicos, mas com uma visão maliciosa, uma perspectiva que indiscutivelmente confere simpatia e Satã, o líder dos anjos rebeldes que se cansou de aturar um Deus mal-humorado e autoritário, escapando para criar uma carreira própria em criar problemas para os seres humanos.”

David Ulman é um professor de uma universidade renomada, casado e pai da pequena Tess. David tem um casamento fracassado, em pé de divorcio, mas mesmo ciente disso, vai levando com a barriga pois é uma pessoa meio passiva. Tranquila demais por assim dizer.

David teve uma infância triste, mas mesmo assim, conseguiu vencer na vida. Conseguiu estabilidade, um bom emprego e sucesso em sua carreira. Conseguiu tudo isso, menos se desligar desse lado sombrio e introspectivo que sempre o cercou. Lado esse que acabou ajudando bastante com o fim de seu casamento, e que por fim, terminou dando involuntariamente de herança a sua pequena Tess. Ele pode sentir que ela compartilha dessa mesma escuridão que ele.

“Meu mal é mais uma presença indefinível que uma ausência que esgota todo o prazer. A sensação de que tenho um companheiro invisível me seguindo diariamente, esperando por uma oportunidade, para seguir um relacionamento mais próximo que aquele do qual já desfruta. Quando criança, tentei em vão imputar-lhe uma personalidade, como se fosse um amigo imaginário do tipo que as outras crianças diziam ter. mas meu seguidor apenas me seguia – ele não brincava, nem me protegia ou consolava. Seu único interesse consistia – e ainda consiste – em ser uma companhia melancólica, maligna em seu silencio.”

Mas Tess é seu grande amor e ele fará de tudo para que seu relacionamento com ela jamais esmoreça como o seu casamento ou que ela afunde nesse lado escuro como ele está afundando cada vez mais. 
A especialidade de David é a mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã, e seu estudo critico em ‘Paraíso Perdido’, de Milton, lhe fez ser procurado como um Demonologista, para resolver um caso.

“Tem sido uma maneira engraçada(os devotos podem até chamar de hipócrita) de ganhar a vida: passei minha carreira dando aulas sobre coisas nas quais não acredito. Um ateu estudioso da Bíblia. Um especialista em demônios que acredita que o mal é uma invenção humana. Escrevi ensaios sobre milagres – leprosos curados, água transformada em vinho, exorcismos –, mas nunca vi um truque de mágica que não conseguisse decifrar. Minha justificativa para essas evidentes contradições é que há coisas que tem um significado, cultural, mesmo sem existir. O Diabo, anjos. Paraíso. Inferno. Eles são parte de nossas vidas mesmo que nunca tenhamos visto, e nunca vejamos, ou tocado nelas, provando que elas são reais. Coisas que nos questionamos.”

Com passagens e todas as despesas pagas pelo seu novo empregador, David resolve levar Tess para que possam viajar e estreitar mais os laços entre si. Porém, nesse cenário romântico e encantador de Veneza que David presencia atividades sobrenaturais, as quais tiram sua jovem filha de si. Tess some por entre os lindos canais de Veneza, levando junto consigo, a sanidade de David.

“ ’A mente é onde eles habitam, e nela
Podemos fazer do inferno um paraíso, do paraíso um inferno.’
Este é John Milton, falando por meio de Satã, sua ficção mais brilhante. E por acaso eu acredito que o velho companheiro – os dois velhos companheiros acertaram. ”

Para quem gosta das aventuras de Robert Langdon (O Código Da Vinci, Anjos e demônios, O Símbolo Perdido e Inferno) do autor Dan Brown, vai simplesmente adorar O Demonologista.
Ele tem essa mesma pegada de correr atrás de pistas, corrida contra o tempo e envolvimentos com o “oculto”. No caso de O Demonologista, o assunto é o demônio e seus anjos caídos.

Para trazer mais veracidade a história, podemos ver varias citações da Bíblia, com N notas de rodapé explicando além de versículos da Bíblia aos quais as passagens citadas foram tiradas, como várias informações sobre ‘Paraíso perdido’ e outras mais.

Como ‘Paraíso perdido’ de Milton é muito citado, ao final do livro existem algumas paginas explicando sobre o texto e sobre o autor do mesmo. O que eu achei muito legal, uma vez que assim, podemos entender melhor toda a história.

Em resumo, como diz Caetano, é tudo muito lindo! Capa linda, acabamento lindo, história linda! Tudo lindo!!!

Título: O Demonologista
Autor: Andrew Pyper
ISBN-13: 9788566636406
ISBN-10: 8566636406
Ano: 2015
Páginas: 320
Editora: DarkSide
Compre aqui: 
Classificação:


Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Ana estou querendo muito ler esse livro, já tinha até separado ele como leitura para esse mês. A premissa é muito boa, ótima indicação de leitura.
    Essa edição esta realmente ótima, foi muito bem feito eu realmente gostei dos detalhes dessa capa.
    Beijos Ana

    ResponderExcluir
  2. Thiago! sério! é lindo d + da conta!! huahuahuahua
    Eu amei a história e achei ele muito parecido com os livros do Dan Brown, só que melhores! Eu adoro o Dan, logo... #Xonei! huahuahu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim que eu ler Caixa de Pássaros começarei essa leitura. Saber que faz lembrar os livros de Dan Brown só me anima mais a querer ler esse livro.

      Excluir
  3. Já li este livro e detestei. É muito zzz, poucas partes interessantes, esperava mais.
    Abçs,
    Arthur.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é arthur, como eu sempre disse,impossível agradar gregos e troianos. eu adorei! ainda mais porque ele tem uma pegada de Dan Brown que eu amo também... enfim... não aguento mais babar o ovo do livro.. huahuhua... uma pena que você não gostou.

      Excluir
  4. Quero demais ler este livro. Antes eu não sabia sobre o que falava (fora o demônio rsrs). Fiquei com muito mais vontade de ler dps de sua resenha. DarkSide arrasa né.
    Adoro esses livros que fazem a gente parar pra respirar, de tão tenso que está a história. Morro de medo, mas adoro haha
    Bjos

    ResponderExcluir