Resenhas

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

:: Resenha 98 :: O Vilarejo, Raphael Montes


Sinopse: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.
As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

Primeira resenha de parceria é sempre uma emoção! E quando é terror? Nem se fala! Ainda mais nesse mês maravilhoso de halloween.
Não é novidade pra ninguém que não curto muito livros nacionais, porque tive algumas péssimas experiência. Acho, na verdade, que não procurei direito, com mais carinho e atenção. Tá aí uma ideia de coluna. Ana se aventurando na leitura pop nacional! Quem sabe?! huauhauha

É obvio que temos clássicos da literatura brasileira que já tive o privilégio de ler durante minha adolescência, mas essas leituras mais atuais, não obtive muita sorte mesmo. Não até receber esse livro totalmente enigmático de Raphael Montes.

Esse livro é pra ler numa porrada só! São 98 páginas divididas em 7 partes. Cada parte tem como título o nome de um demônio. Péra, calma que vou explicar direito.

No prefácio do livro, Raphael explica que foi contatado por um dono de sebo em Copacabana, no qual recebeu uma grande doação da neta de uma senhora que faleceu aos seus cento e dois anos. Mais de sete mil livros. E dentre esses, 3 cadernos, muito finos com capa de couro,  em um idioma conhecido como cimério, uma língua morta pertencente ao ramo botno-úgrico.
Nesses cadernos, foi percebido o nome “Peter Binsfeld” citado diversas vezes, e em pesquisa, Montes descobriu que Binsfeld era um padre, teólogo e demonologista que viveu em Trier, na Alemanha, no século XVI.

"O velho estava certo. O vilarejo vem sendo dizimado dia após dia. O luto sentou-se à mesa. Ninguém chora os mortos. Não podem desperdiçar energia lamentando a partida dos que não suportaram o frio e a fome. Há duas semanas, Irina, a vizinha da direita, gritou durante toda a madrugada a morte de seu bebê. No dia seguinte, estava morta. Foi burra. Felika não é burra e não se permite sentir pena de ninguém."

Segundo as informações contidas no livro, O legado mais famoso do padre Binsfeld é a classificação dos demônios, escrita em 1589. De acordo com seu trabalho, cada um dos demônios, os Sete Reis do Inferno, era responsável por invocar um pecado capital nos seres humanos: Asmodeus (luxúria), Belzebu (gula), Mammon (ganância), Belphegor (preguiça), Satan (ira), Leviathan (inveja) e Lúcifer (soberba).

Viu?! Expliquei! :P

"Os devaneios se misturam à realidade. Na ficção, a irmã mais velha é uma solteirona solitária. Na vida real, ela é estupidamente feliz e lhe causa uma sensação estranha, algo esfumaçado, uma nostalgia de querer voltar ao antes, de ter Vália brincando com elas, em vez de tê-la a metros de distância com toda a atenção no namorado."

Então, voltando, cada parte tem como título um desses demônios, e não é por acaso. Pois em cada uma dessas parte, conhecemos a história de um habitante do vilarejo, e nessas histórias, podemos ver a sutil menção aos pecados capitais.

Ao final do livro, descobrimos como todos esses sete pecados se unem de forma surpreendente. Como esses sete demônios se tornam um. E como o desfecho do livro vai te deixar surpreendido e chocado ao mesmo tempo.

Essa foi a minha reação ao término de cada parte do livro. Choque! Não um choque ruim, mas um choque do tipo: “Sério cara?! Não acredito!! Como assim?! Que livro MotherFucker! Que historia foda!“.

Não imaginava que a história seria assim, rápida e avassaladora. Estou chocada! Eu já disse isso né?! Estou chocada!!

"Ele dá um passo e tonteia. A dor é lancinante. Tenta avançar na ponta dos pés. Os garfos nos calcanhares entortam sob seu peso, mas continuam fincados na carne. Ele sente que não vai aguentar. Sente que vai cair e tenta se apoiar na sra. Helga. Ela o despreza, tem repulsa dele. Tenta empurrá-lo para longe, mas o negro revida."

E antes que eu esqueça, ao final do livro, no posfácio, tem uma revelação, digamos assim, surpreendente! Vale muito a pena!!

Eu estou muito feliz de ter escolhido essa leitura, de ter conhecido a escrita do Raphael Montes, de ter tido a felicidade de ter uma maravilhosa primeira impressão com esse autor e estou catando todos os livros dele pra ler, porque se todos forem nesse ritmo... Vai entrar para o grupinho dos meus autores de terror preferidos! Mais um livro para o meu hall de favoritos.


Título: O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
ISBN-13: 9788581053042
ISBN-10: 8581053041
Ano: 2015 
Páginas: 96
Editora: Suma de Letras (selo Companhia das Letras)
Compre aqui: Amazon
Classificação:

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Morro de curiosidade de ler os livros do Raphael Montes. Depois de ler sua resenha, fiquei mais instigado ainda.
    Assim que abrir mais espaço na minha leitura, devo procurar os livros dele.
    Abraços

    Blog do Ben Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim! leitura de uma tarde! vale muito a pena!

      Excluir
  2. Eu estava com vontade de ler este livro e, pela sua resenha, acho que está bem alinhado com as minhas expectativas.
    Parece ser bastante interessante, além disso, precisamos valorizar os escritores brasileiros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isso aí! o livro é ótimo, leitura rápida e com ótima escrita! você vai gostar!

      Excluir
  3. Estou muito animado para essa leitura, e depois de ler a resenha minha animação só aumentou.
    Acho que o livro poderia ser maior, acho que só 98 paginas é muito pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tá animado?! e agora que ganhou ele? tá mais animado ainda?! hum? hum? uhahuahuahuauhauha

      Excluir