Resenhas

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

:: Resenha 111 :: Peter Pan Tem que Morrer, John Verdon

Sinopse: Peter Pan tem que morrer traz de volta o detetive Dave Gurney, protagonista de Eu sei o que você está pensando, Feche bem os olhos e Não brinque com fogo. “Uma sofisticada trama de suspense que os aficionados por mistério adorarão tentar resolver. Com um enredo tenso, cheio de intrigas inimagináveis, Peter Pan tem que morrer desafia a inteligência do leitor até sua dramática e espantosa conclusão.” – Library Journal No mais tortuoso romance policial escrito por John Verdon, o especialista em mistérios David Gurney dedica sua mente brilhante à análise de um assassinato terrível que não pode ter sido cometido da forma como os investigadores responsáveis pelo caso afirmam que foi. Detetive aposentado do Departamento de Polícia de Nova York, ele precisa cumprir uma espinhosa tarefa: determinar a culpa ou a inocência de uma mulher condenada pela morte do próprio marido. Ao descascar as diversas camadas do caso, Dave logo se vê travando uma perigosa guerra de inteligência contra um investigador corrupto, um cordial e desconcertante chefe da máfia, uma jovem linda e sedutora e um assassino bizarro que tem a altura e os traços de uma criança – aparência que lhe rendeu o apelido de Peter Pan. A uma velocidade assombrosa, reviravoltas assustadoras começam a ocorrer e Dave é sugado com força cada vez maior para dentro de um dos casos mais sombrios de sua carreira. 

Lá vem a Talita mais uma vez falar de um livro do Verdon! Vou tentar não repetir que eu adoro os livros do Verdon, que ele foi o responsável pelo meu retorno ao mundo do suspense policial, que eu adoro a escrita e toda a minha história chata de como eu descobri ele por acaso e acabei comprando primeiro o livro dois. Tudo isso eu já falei nas resenhas de Eu sei o que você está pensando, Feche bem os olhos e o meu favorito, Não Brinque com fogo. Entretanto, antes de começar a resenha em si, eu preciso voltar na resenha do livro anterior a esse, e relaxe, não é spoiler!

Bom, em Não brinque com fogo eu disse para vocês que o Bom Pastor era o meu vilão de suspense favorito, ele é a personificação do mal, uma demonstração de crueldade. É óbvio que exitem outros vilões literários talvez ainda mais cruéis que o Bom Pastor, eu não li muitos livros no gênero para ser taxativa, mas entre os que eu li, até então, o Bom Pastor era cruel. E então eu conheci, graças ao Verdon, Peter Pan! Peter Pan é maníaco, é sanguinário, é mau com todas as letras! E faltou muito pouco, mas muito pouco mesmo para que Peter Pan tem que Morrer ganhasse o posto de meu livro favorito do Verdon, e sim, o posto ainda é ocupado por Não Brinque com Fogo.

Muito pouco além da natureza implacável do inimigo, sua comprovada disposição de fazer qualquer coisa para alcançar um objetivo ou provar um argumento. Se – como costumava insistir um professor de filosofia de Gurney – “o mal era o intelecto a serviço da vontade sem ser restringido pela empatia”, Peter Pan era o mal encarnado.

E deixa eu explicar por quê. Uma das coisas que eu mais gosto nos livros do Verdon é o fato dos seus livrs serem mais suspense que um livro de ação policial. Sim, há o fator perseguição, há o confronto, mortes e até mesmo brigas tensas, mas um livro do Verdon é um livro psicológico. O que eu quero dizer é que, ao longo do livro entramos na cabeça do Dave, sentimos sua inquietação, seus temores, as suas dúvidas e suas diferenças entre o seu modo de levar a vida e o de Madeleine, e isso foi assim em todos os quatro livros do Verdon, incluindo Peter Pan. O problema é que dessa vez Dave estava muito confuso, ele entrou de cabeça para solucionar o mistério, dizendo ser por uma razão e até ele perceber o real motivo, lá se foram mais de 300 páginas de livro do Dave divagando, negando, analisando. Resultado, esse livro ficou bem lento, bem pesado mesmo na narrativa, por isso eu preciso fazer um alerta: se você vai ler Verdon pela primeira vez, pelo amor de Deus SIGA A ORDEM! 

Sua arrogância é ultrajante. Sua desconsideração pelas pessoas que o amam é ultrajante. David, escute. Você não deve causar dor às pessoas que o amam. Se seu grande pecado foi a incapacidade de prestar atenção, então preste atenção agora. Você tem uma esposa. Que direito você tem de arriscar a vida do marido dela? Você tem um filho. Que direito você tem de arriscar a vida do pai dele?

Peter Pan é o quarto livro, e sim, nessa altura eu sei que vou encontrar essa narrativa mais reativa que ativa, então não foi ruim, pelo contrário, foi angustiante de um jeito bom. O Dave ficou tão confuso e em dúvida que você fica confuso e em dúvida com ele, no final, eu cheguei a temer pelo plano dele, porque era muito desesperador! Então, Peter Pan tem que morrer tem todos os elementos de um livro do Verdon. Tem um suspense denso, tem o nosso herói mais confuso que nunca e tem Madeleine sendo a voz da razão e a luz na escuridão para o Gurney e para os leitores, por que não?

Às vezes, quando falamos de como você se envolve num caso, acabamos discutindo, talvez porque você sinta que estou tentando transformá-lo de detetive num andarilho, ciclista, remador de caiaque. Talvez essa tenha sido uma esperança ou fantasia minha quando nos mudamos para as montanhas, mas não é mais. Entendo quem você é e estou contente com isso. Mais do que contente. Sei que às vezes não parece. Parece que estou pressionando, forçando, tentando mudar você. Mas não é isso.
(...)
Não estou tentando transformá-lo em algo que você não é. Só acho que você ficaria mais feliz se deixasse um pouco de luz, alguma coisa diferente, entrar na sua vida. Parece que está sempre rolando a mesma pedra morro acima, sem nenhum alívio duradouro nem recompensa no final. A impressão é que você só quer continuar empurrando, lutando, colocando-se em perigo. Quanto mais perigo, melhor.

Enfim, vamos falar da história de Peter Pan tem que morrer! Se vocês leram o livro anterior, sabem que o amigo do Dave, Jack Hardwick quebrou várias regras para poder ajudar o nosso herói. Claro que o Jack não fez isso pela primeira vez e fazia isso com gosto, já que é da natureza dele quebrar regras, porém, dessa vez ele acabou sofrendo as consequências de seus atos e já não faz parte mais da força policial. Agindo como Investigador Particular, ele procura Dave com um pedido, ajudar a provar que Kay Spalter não matou o seu marido, crime pelo qual ela alega ser inocente, mas foi condenada. Dave logo percebe que o objetivo de Jack é mais do que provar a inocência, mas embarcar em uma vingança contra toda e qualquer instituição policial, devido a sua  retirada forçada do cargo.

Às vezes Gurney ficava pasmo ao pensar que o sujeito tinha sobrevivido tanto tempo na rígida cultura da polícia do estado de Nova York. Ele apresentava um amálgama de características irritantes demais. A mente afiada e os excelentes instintos investigativos acabavam ficando ocultos por uma implacável ânsia de ofender. Sua carreira problemática na polícia fora por água abaixo, como muitos casamentos, devido a diferenças irreconciliáveis e a falta de respeito mútuo. Ele fora um iconoclasta ousado numa organização que reverencia a conformidade e o respeito pelas patentes. Agora esse temperamento formidável, porém abrasivo, estava totalmente decidido a envergonhar a organização que se divorciara dele.

Sentindo-se em dívida com Jack, Dave decide ajudar na busca, mas logo ele descobre uma trama ainda mais densa que poderia ter imaginado. Com personagens cada vez mais bizarros entrando no verdadeiro quebra-cabeça que Dave tem que montar, seu esforço em resolver esse mistério se intensifica, e mais uma vez ele se vê envolvido numa disputa mortal contra um personagem cruel na essência: o tal Peter Pan do título. E é aí também que seus reais motivos para entrar nessa disputa começam a ser questionados e o livro se divide entre tentar entender o crime e seus personagens únicos e entender o que se passa na cabeça do Dave. O que vai acontecer? Não conto! Mas o final desse livro ainda me deixa arrepiada! Alucinante, chocante, aterrorizante! Melhor final que eu já li em um livro do Verdon! 

Tudo bem. Sem problema. Vou pegar as coisas no carro. Pode ficar com elas o tempo que quiser. Veja o que acha. – Na saída, ele parou e se virou de volta. – Você não vai se arrepender, Davey. O caso Spalter tem tudo: horror, ódio, gângsteres, política, muita grana, muita mentira e talvez até um pouquinho de incesto. Você vai adorar essa porra!
E assim chegamos ao último livro, lançado, do John Verdon! Só vamos ter mais do Dave em 2016 com Wolf Lake que ainda nem tem expectativa para sair no Brasil, resumindo, está aberta a temporada de “O que fazer enquanto a sua série favorita ainda está sendo escrita?” Ok, ok, eu sei o que o vocês estão pensando (piadinha! rs). Tenho muitos livros para ler, muitos mesmo, então a espera não vai ser sofrida, mas a dor fica lá, adormecida esperando o livro sair. Então... até breve Dave Gurney, nos vemos em 2016!

Título: Peter Pan tem que morrer
Série: Dave gurney #4
Autor: John Verdon
ISBN-13: 9788580414387

ISBN-10: 8580414385
Ano: 2015

Páginas: 400 
Editora: Arqueiro

Compre aqui: Americanas.com
Classificação: 

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Fiquei com muita vontade de ler essa livro após ler sua resenha, eu adoro suspense policiais ainda mais tendo um assassino cruel. Dos 4 livros eu achei a capa desse mais bonita e não se parece com os outros três.
    Eu tinha comprado o Não brinque Com Fogo mas pelo o que você disse é melhor seguir na ordem ne?
    Vou procurar o primeiro livro parar ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thiago! Eu tenho que falar algo que acabei esquecendo de por na resenha, os livros do Dave podem ser lidos fora de ordem, mas quando eu falo para seguir a ordem é porque o estilo dele não é o tradicional ação, é muito lento, denso, mas essa é uma característica que fica mais evidente nos últimos, pq cada livro vai dando um pedaço da cabeça do Dave.
      Resumindo: dá para ler fora de ordem? Sim
      Fica muito melhor ler na ordem? Fato

      AH, eu vi o Eu Sei o Que Você Está Pensando bem baratinho esses dias! Fica de olho ;)

      Excluir
    2. To de olho mesmo porque essa Black friday levou todo o meu dinheiro embora.
      E se você ver em promoção me avisa.

      Excluir
  2. Tenho muita vontade de ler os livros do autor, mas não sei porquê ainda não li. Adoro o gênero, é um dos meus preferidos. Achei a capa do livro instigante e a premissa, incrível. Sua resenha só fez aumentar minha vontade de conhecer as histórias do detetive Dave Gurney. A trama parece bem envolvente e recheada de suspense, daquelas que te viciam desde a primeira página, o título também é bem chamativo. Quero muito ler, sem dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo que me viu lendo esse livro, quando lia o título e via a capa ficava interessado. è um grande e denso suspense, para ser apreciado com calma, depois de ler os anteriores, pode não interferir na trama principal, mas ajuda a entender os personagens.

      Excluir
    2. Entendi, Talita. Então vou comprar todos os livros, vai ser melhor. Eu procurei mas to um pouco confusa dos outros livros. São 3, fora o Peter pan tem que morrer?

      Excluir
    3. Isso, são três livros, todos eles eu já fiz resenha aqui no blog. Temos, na ordem:
      Eu sei o que você está pensando
      Feche bem os olhos
      Não brinque com fogo
      Peter Pan tem que morrer.

      Excluir
    4. Ah sim, obrigada pela ajuda! bjs ;)

      Excluir
  3. Oi, Talita. Não conhecia nada sobre o autor, mas quando resolvi buscar um pouco mais sobre ele, e o resultado foi ótimo. Sobre este livro, achei o título bem chamativo envolvendo um conto infantil e tornando-o em um caso policia. Incrível! Eu não imaginava que haveria livros publicados pelo autor antes deste, voltando para a história, é sensacional a forma de reformulação que o autor trata na história, sempre arrancando o pavor dos leitores e a curiosidade para as próximas páginas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdon é meu favorito nesse gênero justamente porque ele é tenso, quase pesado. Você se vê envolvido numa trama sufocante, mas tem um prazer mórbido de seguir lendo! Super indico!

      Excluir
  4. Extremamente chato e angustiante ter que esperar uma coisa ser lançada, ainda mais quando é continuação!! Nunca li nada desse autor, mas gostei bastante do que li na sua resenha. As vezes quero ler alguns livros assim, então bom saber dessa dica! Gosto muito desse gênero também.
    xx owamandab@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Conheci o autor recentemente e cometi a gafe de achar que John Verdon era uma brincadeira com o nome do John Green :x Que vergonha Bruno! kkkk
    Porém, no post em que descobri o autor, a menina que escreveu não falou da história. Apenas citou.
    Achei interessante que seja romance policial.
    Ultimamente tenho lido alguns que me deixaram bastante frustrado. :/
    Espero ser surpreendido...

    http://caixasdsapato.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir