Resenhas

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

:: Resenha 140 :: Dias Perfeitos, Raphael Montes

Sinopse: Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

Este é o meu segundo livro do Raphael Montes. O primeiro foi O Vilarejo, e se você ficou curioso, pode ver a resenha aqui.
Este livro também foi cedido pela nossa parceira Companhia das Letras e o que eu posso dizer além de que sou muito sortuda por ter o privilégio de poder ler esta história incrível e de um jovem autor brasileiro?!
Que esse é mais um livro rápido do Montes,
Que esse é mais um livro intenso do Montes,
E que esse é mais um livro surpreendente do Montes.

Aí vocês me perguntam:

“Mas 280 páginas não é tão pequeno assim pra ser uma leitura rápida....”

Elementar meu caro leitor, mas a história é tão envolvente e tão intensa que te prende do início ao fim, e quando você se der conta, acabou e nem viu a hora passar.

Vamos começar apresentando um pouco dos personagens centrais dessa história.
De um lado temos Téo.
Como podemos ver pela sinopse, Téo é um rapaz introspectivo e desprovido de sentimentos básicos como o amor e a felicidade, por exemplo. É um aluno aplicado, um filho dedicado e completamente aceito pela sociedade. Tudo um teatro, uma farsa para não ser excluído socialmente. Um de seus maiores medos.

"Gertrudes era a única pessoa de quem Téo gostava. Desde o primeiro momento. Ele soube que os encontros com ela seriam inesquecíveis. Os outros alunos não ficavam tão à vontade. Mal entravam na sala, as meninas tapavam o nariz; os rapazes buscavam manter alguma postura, mas o olhar revelava o incômodo. Téo não queria que notassem como se sentia bem ali. Andava de cabeça baixa, passos rápidos até a mesa metálica.Serenamente à sua espera, estava ela. Gertrudes."

Gertrudes é um cadáver utilizado nas aulas de anatomia, uma vez que Téo cursa medicina.
Sentiu a pressão??

Agora vamos falar de Clarice.
Clarice é uma jovem de espírito livre. Disposta a amar a tudo e a todos, vivendo a vida intensamente de maneira feliz e única. Cercada de amigos porém com um relacionamento problemático com os pais, tenta se encontrar através da criação de um Road Movie, um roteiro de um filme que conta a história de três amigas que não são muito diferentes da personalidade dela...

“Este mundo já é muito sem graça. Tenho pais que não me deixam mentir. Meu pai, por exemplo. É engenheiro e vive viajando. São Paulo, Houston, Londres. Minha mãe é advogada. Burocracia correndo nas veias da família. É bom ser diferente por isso. Não ter horários. Ficar bêbada sem medo. Fazer merda, depois nem lembrar. Pintar as unhas, uma de cada cor. Experimentar a vida antes que seja tarde, entende?”

Logo no início do livro, Téo conhece Clarice em um churrasco ao qual nem queria ir, de início. Clarice como sempre, muito dada, se apresenta e de maneira espontânea, bate um papo superficial, porém saudável com Téo.

É o suficiente para Téo ficar obcecado por ela.

Ao decorrer dos dias, Téo tenta ao máximo descobrir o maior número de informações sobre Clarice, e de forma maníaca, começa a persegui-la a todo lugar; até que numa de suas perseguições, acaba vendo Clarice cair bêbada no chã,o após uma de suas várias noites boêmias, e decide ajudar.

E é nesse momento que tudo começa a desandar e Clarice a se arrepender de ter sido legal com aquele rapaz isolado naquele churrasco.

Eu fiquei fascinada pela escrita do Raphael Montes. É incrível como ele consegue dar vida ao personagem de maneira a você temer por ele, temer ele, entender ele, não entender....
A discrição do modo de pensar de Téo é completamente vivaz, tão que quis, eu mesma, por diversas vezes, entrar no livro e matar aquele louco-psicopata-retardado-idiota-maluco!!!

Você sente pena de Clarice e ódio por Téo o tempo todo. O cara é psicótico e sempre consegue, de alguma maneira “controlar” Clarice. É irritante! Fora o fato de Téo viver numa realidade totalmente distorcida... É simplesmente incrível.

E quando você pensa que já aconteceu tanta coisa ruim que nada mais pode ser pior, acontece algo pior, e acontece algo pior, e acontece algo pior.... É desesperador!! Huauhauhauauh

E o final do livro é simplesmente...
LEIAM!!!!!

Huauhauauhauauhauhahuahua
Deu pra notar que achei o livro excelente não é mesmo?!

Não é terror.
Como diz na contracapa, "Dias Perfeitos é um romance que trás suspense, violência, diálogos ágeis e trama vibrante".

Este livro tem o selo Ana de qualidade!!



Título: Dias Perfeitos
ISBN-13: 9788535924015
ISBN-10: 8535924019
Ano: 2014
Páginas: 280
Compre aqui: Saraiva
Classificação:




Sobre o autor:



Raphael Montes de Carvalho é um escritor brasileiro. Estudou no tradicional Colégio de São Bento e formou-se em direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Wooooow que livro, hein?! Esse Téo parece deve ser um protagonista muito perturbado mesmo! Fiquei muito intrigada com a sua resenha, deve ser um livro muito bom mesmo, acho que já está na minha lista de leitura! hahaha

    beijos
    http://infinitudedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha visto uma entrevista com o Rafhael Montes e fiquei muito afim de ler Dias Perfeitos, os comentários de quem leu foram do EU AMEI para QUE LIVRO INDIGESTO, Não teve meio termo.
    Sua resenha está perfeita, claro que vou ler esse livro (ainda mais tendo o selo Ana de qualidade) <3 :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. huauhauhauhaua
      Fran, eu amei e odiei o livro.... Foi uma leitura totalmente louca! Acho muito valido sim ler ele!! com o meu Joinha!! ahuauhauhauhauha

      Excluir
    2. Super joinha !!!! kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  3. Parece ser uma obra adorável, ainda mais com psicopatia e sociopatia, gosto muito de saber sobre pessoas assim, tenho curiosidades com suas ações. Gostei do personagem mesmo sendo meio psicótico, me deu um grande interesse para saber mais, o autor que é nacional "amo", está de parabéns, com uma resenha conseguiu me conquistar com essa obra.
    Obrigada pela resenha, esta foi uma das mais intrigantes e loucas que já li, já quero muito ler esse livro, a curiosidade bateu forte pra saber o fim da história agora.

    ResponderExcluir
  4. Sério, se eu não tivesse lido a sinopse e através dela não ter percebido a mente doentia do Téo a parte "Gertrudes era a única pessoa de quem Téo gostava" teria me convencido sem dúvida nenhuma, e confesso que apesar de gostar e ler thrillers não estou preparada para ler Dias Perfeitos e assim embarcar na mente doentia desse personagem que o Rafael explorou pelo visto com bastante maestria.
    Mas valeu pela indicação, quando eu criar "coragem" vou com certeza ler Dias Perfeitos.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, amei a sinopse não conhecia o escritor é sempre bom conhecer novos escritores, ainda mais brasileiros, o livro parece ser incrivel já coloquei na minha lista de leitura obrigada pela dica, e como sempre sua resenha está maravilhosa bjs.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    O livro pareceu bem interessante e me deixou curiosa para saber o que ira acontecer a Clarice e torcendo para ela conseguir escapar, mas não é o tipo de livro que gosto de ler mas quem sabe não acabo lendo ele !!

    ResponderExcluir
  7. Amei a resenha, já tinha ouvido falar do autor por que sigo ele nas redes sociais, porém ainda não tive o prazer de ler seu livro, ouvir muitos elogios sobre sua escrita, espero em breve poder desfrutar dessa leitura.

    ResponderExcluir
  8. Eu já ouvi falaar do autor, mas ainda não tive chance de ler nada dele...

    Esse livro, em especial, parece ser sensacional. Eu ADORO suspense psicologico, apesar desse tipo em especial me dar um pouco de medo hehehe

    ResponderExcluir