Resenhas

quinta-feira, 24 de março de 2016

Ler ou não ler PDFs? Eis a questão!


Não, eu não vou te julgar se você faz uso dos danados dos PDFs. Eu não vou julgar, não vou culpar, apontar dedos ou fazer um muro da vergonha. Eu só vim aqui deixar a minha opinião sincera sobre um tema bem polêmico, que vira e mexe entra em moda e todo mundo tem algo a dizer, pensando ou não nas palavras ditas. Devo deixar bem claro que essa coluna refleta a minha opinião (#Tali) e não do blog Viciados em Leituras, que como vocês sabem é composto por muitas e cada um deve e tem suas próprias opiniões. Ok? Vamos lá? 

Na minha coluna anterior, também conhecida como A Primeirona, eu comentei que eu estou escrevendo um livro tendo já concluído um no Wattpad! Yay, uhuuu, maravilha... só que não! Escrever exige muito da pessoa, não é balela de escritor querendo falar “ai que vida tirana!” É a verdade, vou falar aqui por mim. Quando eu comecei, quis apenas tirar um sonho estranho da minha cabeça, desse sonho foi saindo um personagem e depois outro e outro, quando vi tinha pano para manga, mas como sou assumidamente uma escritora amadora, já deixo claro que o meu livro não é essa coca-cola toda, longe disso!

Muitos escritores fazem pesquisas, entrevistas, buscam fotos, imagens, fatos, estudam o que vão contar através das suas histórias. Eu apenas escrevo o que eu acho que aquele personagem sentiria, e já não é fácil, afinal, eu sou professora e não escritora. Eu tenho obrigatoriamente que cumprir uma carga horária presencial de 16 horas semanais no meu trabalho, fora as horas de trabalho em casa, com correção, planejamento, organizar a melhor forma de passar tal conteúdo, enfim, já deu para notar que eu tenho um trabalho que demanda certo tempo meu; no trabalho e fora dele, portanto, nesse tempo eu não posso escrever. Nada. Neca. Nem uma linha.




Fora o trabalho, temos o blog. Eu AMO o Viciados em Leitura, tanto quanto amo ler, logo, eu vou ler um pouco todos os dias, vou escrever resenhas, colunas, Tops, TAGs, pesquisar assuntos, bolar ideias, pesquisar códigos html para deixar o blog mais pimpão, tudo isso demanda tempo. Até aqui, o meu tempo está dividido entre trabalhar, blog e enfim, escrever. Sem esquecer é claro que devemos passar um tempo com aqueles estranhos que moram na minha casa e certo cachorro ciumento e carente que me persegue, literalmente, pela casa se ficar muito tempo afastado da dona. Um detalhe, ele pesa cerca de 35 kg e adora brincar e não tem noção do seu peso e tamanho, mas eu amo essa peste. 

Juntando tudo isso, ano passado eu escrevi um livro entre um tempo e outro e escrevi sem pretensão de ganhar dinheiro com ele, porque eu faço parte daquele grupo de pessoas estranhas que acham que não vão ganhar dinheiro e ninguém vai gostar do seu trabalho. Resumindo, eu sou insegura.

Então, temos uma escritora profissional, aquela que deixou a carreira de lado e decidiu que vai viver dos seus livros e dos seus personagens, aquela cujo sonho de menina era ser escritora. Repito, esse não é o meu caso, eu comecei a escrever por acaso. Agora, o que essa escritora, que abriu mão da estabilidade para viver o seu sonho, sente ao encontrar o seu sonho sendo distribuído pelos cantos remotos da web... ok, eu entendo a dor delas. 



Entretanto, eu também sei que o preço dos livros no Brasil é absurdo, na realidade, o preço de qualquer coisa no Brasil é absurdo, de livro, a roupa, a eletrônico e até mesmo comida, ainda mais artigos que fogem da linha "popular", o que dá aquele status bizarro de cult e por isso ficam caros, como por exemplo, livros. Há ainda quem pense que ler é algo de outro mundo, para a elite, que os preços são caros por ser dessa elite, mas isso escapa da minha compreensão e nem vou entrar no mérito. Vamos focar no assunto, Talita!

Como eu dizia antes, livros são caros, é verdade, ainda mais para quem curte folhear, cheirar, manusear. Livros impressos são um artigo que muitas vezes ficam caros, e os livros digitais, que eu não vou folhear, cheirar, manusear e abraçar, ainda estão com um preço absurdo, e sim, eu compro muitos livros online e pago valores relativamente baratos por eles. Como? Promoção. Eu não tenho vergonha nenhuma em assumir que espero o livro ficar acessível para poder ler, assim, consegui bons livros por preços bem amigáveis, exemplo: Para todos os garotos que amei (R$ 5,99), Obsidiana (R$10,50), Como se apaixonar (R$3,75), Meu Romeu (R$9,90), Minha Julieta (R$11,80), Half Bad (R$3,75) e A Rainha Vermelha (R$ 8,90), e alguns até mesmo encontrei de graça como Redenção e Submissão, A Tentação de Lila e Ethan, Despedida de Solteiro e outros. 



Eu tive paciência para encontrar um preço que poderia pagar, sem apelar para o PDF. Claro que cada um sabe de si, já dizia a minha avó: cada cabeça, um guia! Mas eu teria muito medo de largar o meu emprego para virar escritora, sabe por quê? Eu sei que culturalmente no Brasil temos a mania do "querer se dar bem" e isso significa que enquanto o meu livro estiver na Amazon vendendo a modestos R$4,90 se não menos (detalhe, ele não está!) eu sempre vou ter medo de que alguém vá pegar o meu livro, comprar e repassar para várias pessoas, mesmo esse preço não sendo absurdo, mas ainda assim, é um preço pelo meu tempo gasto, meu rendimento pelo que criei. 

Escritores querem sim tocar o seu coração com a sua história, mas não se vive apenas das emoções alheias. Há de se pagar contas e sobreviver num mundo cada vez mais capitalista e caro, há de se ter estimulo, mesmo que financeiro, para que se dedique a tempo integral a essa profissão. E infelizmente, enquanto houver essa cultura do “jeitinho”, isso não vai ser nunca pleno. Então, Talita, você vai deixar de ser professora para poder virar escritora? Nesse momento, não! A não ser que alguém venha com um contrato fixo e maravilhoso onde eu possa ganhar 4,5... 10 vezes mais que hoje, até lá, eu sou uma professora que escreve às vezes. Isso se chama instinto de sobrevivência. 



Enfim... repense. Quando você ver essas campanhas para não ler nacional porque as autoras reclamaram do PDF, quando você ver um livro nacional sendo distribuído por aí, pense, será que essa autora vai se sentir bem em continuar escrevendo? Será que não é melhor eu gastar menos de 10 reais e comprar o livro oficial como uma forma de carinho para a autora seguir no ramo? Essa decisão é sua, pense e repense. 


Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Hey, Talita! Eu realmente concordo com tudo o que você falou. Tantas histórias já morreram por conta disso, me da uma dor imensa no coração. Mas, como você disse: cada cabeça, um guia. Adorei o post, esse assunto é realmente polêmico, mas eu também não julgo ninguém por isso, até porquê não podemos prever o que acontece com cada pessoa.
    Beijinhos da Mady.

    ResponderExcluir
  2. Olá linda,

    Não sei muito bem o que pensar sobre isso. Ser contra a leitura nacional é o mesmo que negar que somos brasileiros e acho que quem apoia essa campanhas não tem o que fazer e precisa urgentemente rever seus conceitos.
    Perguntei à um amigo advogado se era crime baixar PDF, ele disse que não...é crime vender o mesmo.
    Os livros nacionais só compro físico ou ebooks...os estrangeiros eu baixo alguns que acho em pdf e não me sinto mal por isso.

    Beijos,
    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, eu concordo plenamente com você. Eu confesso que leio muitos livros em PDF, porém, são mais livros de fora, os nacionais eu leio de parcerias cedidas pelo autor, ou quando "ganho" o e-book direto do autor. Mas, acho que deveriamos valorizar mais o autor nacional e não faria mal nenhum comprar o livro ou e-book, e assim, valorizando e dando estimulos para os autores continuarem a escrever.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Talita,

    bom eu não faço campanha contra escritores nacionais, aliás eu sou daqueles que a pessoa deve ler o que quer. Sobre o pdf eu sou contra, pois temos livros físicos e em versão digital, sendo vendidos em preços menores em lojas online do que em lojas físicas, além disso temos sebos, bibliotecas ou amigos para pegar e trocar livros para podermos ler. Além disso tudo que mostrei, eu abro apenas uma exceção para o pdf, como por exemplo o livro Matadouro 5 de Kurt Vonnegut, não acha ele para vender, deixou de ser publicado tem tempos, apenas na estante virtual consegue achar e mesmo assim por mais de 100,00 em um livro usado e com mais ou menos 200 páginas, ai é apelação, nesse caso apenas, quando o livro é raro, que fico do lado do pdf. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oiee

    Muito bom o seu post e eu concordo plenamente com tudo que falou.
    Uma pena essas campanhas contra escritores nacionais. Bem triste pra falar a verdade.
    Eu não costumo ler em pdf. Prefiro mesmo o físico ou digital, sendo que muitos são tão em contas né.
    De mais, devemos e muito valorizar nossos autores.

    Bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu já tentei ler livros em PDF, mas nunca consigo, me perco na leitura e também sou limitado as vezes, mas de qualquer forma eu prefiro os físicos, pois acho bem mais práticos para mim, ebooks (formato digital) eu leio somente as vezes já que meu celular é um Windows Phone os apps pra ele são meio "precários", mas por sorte a Livraria Cultura tem o App Kobo que é meu amorzinho quando quero ler livros nesse formato (o que é bem raro).
    Gostei do seu tipo de post, quando eu li um pdf era de autor estrangeiro, mas ainda assim achei a leitura um pouco chata e forçada, sei lá por que me senti assim, mas pdfs não mais leio.

    Abraços,
    Gabriel
    Frases, Trechos e Pensamentos

    ResponderExcluir
  7. Esse é realmente um assunto bem polemico né ? Eu nunca li livros em PDF e livro digital raramente, meu negócio são os livros físicos.

    Temos excelentes autores nacionais, inclusive aqui no blog tem parcerias incríveis !!! As pessoas as vezes torcem o nariz muitas vezes sem dar oportunidade de conhecer o trabalho.

    ResponderExcluir
  8. Oiiie,ótima questão levantada,concordo super com sua opinião,e também vou dar minha opinião com algumas ressalvas: Eu já li muito pdf,nossa,eu comecei a ler com 15 á 16 anos e na Época eu nem trabalhava nem nada,e morava lá no interior,onde o judas perdeu as botas,então nem em sonho eu conseguiria comprar livro rs No começo as minhas opções eram: ou lia em pdf ou nÃo lia nada rs então por isso,não sou totalmente contra á alguns tipos de livros em pdfs como é o caso de livros muito antigos,que foram publicados no Brasil e não se encontra mais para comprar...então me diz se têm uma pessoa que está doida para ler o livro,e até comprar mas não vende mais,se tiver o pdf do livro não vai ler?!

    Como eu disse,eu sou a favor do pdf em alguns casos,pois realmente têm livros que nÃo são mais publicados e você nÃo acha em lugar nenhum para comprar,e não é só por isso que você vai deixar de ler. Outra coisa, quando se fala em pdf de livros internacionais eu nÃo sou totalmente contra por dois motivos: primeiro que,se o livro não fosse traduzido,nós em sua grande maioria não iria comprar da mesma forma,pois não temos fluência no inglês e dificilmente alguém arriscaria a comprar um livro de uma autora estrangeira desconhecida...então no fim,sai quase elas por elas...sem falar,que 90% dos livros estrangeiros que vêm sendo publicado no Brasil atualmente,fizeram um sucesso estrondoso depois de ser traduzidos por algum grupo de tradução. Isso é FATO incontestável,diga-se de passagem os históricos,e muitas séries New Adults...entÃo na minha opinião é hipocrisia condenar totalmente isso,sendo que as publicações seguem o apelo dos leitores,e o que os leitores vÃo pedir? Livros que leram de grupos de traduções e amaram e esses mesmos leitores vÃo comprar a versão fisica com o maior prazer. Eu sou esse caso,o tanto de emails e pedidos nas redes sociais que faço de livros maravilhosos que li em pdf para eles publicarem,que eu adoraria ter a ediçÃo física na estante! Depois que eu comecei a trabalhar,eu sempre compro os livros físicos,sendo dos que eu já li em pdf ou não.

    Em contrapartida,eu sou totalmente contra a alguns grupos que sabem que a editora já comprou os direitos de alguma série e continuam traduzindo ela,ou traduzem algum livro publicado no Brasil! Hipocrisia e falta de respeito rola dos dois lados infelizmente.

    Já quando se fala em autora nacional eu concordo com sua opinião,pois temos acesso á esses livros sem precisar de grupo de tradução,e principalmente os ebooks são bemmm mais em conta,então só não compra mesmo quem nÃo quer,ou nÃo valoriza a literatura nacional,ou no meu caso nÃo têm cartão de crédito rs Eu não vou ser hipócrita,já li sim alguns nacionais em pdf,pelo fato de que estes não estavam disponíveis em versão física,e como eu não tenho cartão de crédito para comprar ebooks na Amazon,tive que recorrer á isso,mas por um lado isso foi bom,pois se eu não tivesse lido em pdf eu não conheceria duas autoras maravilhosas que amo,e quando elas publicaram seus livros em físicos eu já comprei na pré-venda,e agora compro todos os físicos delas que forem sendo lançados,mesmo sem ter lido antes. Então,para mim quando se fala em literatura nacional,eu fico restrita aos físicos,então imagina o tanto que sofro esperando serem publicados em papel :/

    Enfim,o que eu espero é que as pessoas usem o bom senso em tudo,pois eu não acho crime ler em pdf,mais sim ter o livro disponível para comprar em físico e não comprar,ou até em ebook para quem pode,e nÃo comprar também!

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oii... Concordo com você, apesar de eu não gostar de ler muito pdf, eu não critico e nem muito menos julgo quem gosta de ler, pois cada um tem o seu gosto. Já vi muitas pessoas discutindo, briga feia mesmo por causa desse assunto e acho isso bastante desnecessário, tanto para quem começa a briga quanto para quem da continuidade a ela. O tempo que essas pessoas perdem brigando poderiam está lendo um livro em pdf ou em livro físico. Como já disse, não curto muito pdf, gosto da sensação de sentir o cheirinho do livro novo, gosto de folhear, isso é o que me da prazer na leitura. E em pdf me da um certa preguicinha de ler. Confesso que se não fosse esse meu "probleminha" com Pdf eu não compraria livro físico, pois os preços são muito mais acessível do q livro físico.

    Talita, eu estou terminando seu livro, estou adorando LC. Os personagens, a história é muito legal, tem hora que me da vontade de esganar o Rafael por tanta maldade que ele faz. kkk
    Espero poder ler o outro livro que você está escrevendo, você leva jeito pra coisa. parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Não curto ler PDF, mas já li alguns (seis para ser mais exata). Por motivos diversos: livro mega bem falado e que ainda não tinha sido lançado no Brasil (aquela porcaria de Acesso aos Bastidores. Aliás, li os cinco em pdf); e livro que eu li o primeiro e precisava da continuação que ainda não tinha chegado aqui (PS: Ainda Amo Você). E, ainda assim, logo que foi lançado PS: Ainda Amo Você, comprei. Só não comprei Acesso porque odeio muito aquele livro. Acho que nunca vou comprar. Os outros quatro são bons e eu vou querer. rsrsrs

    Voltando... concordo que o escritor merece ser valorizado. E a valorização vem através da compra dos seus livros físicos ou ebooks. A leitura é um passatempo para mim, mas é o ganha pão de muita gente e me sinto na obrigação de respeitar isso.

    Sobre autores nacionais eu nem falo nada, porque a cada dia que passa me apaixono por um autor novo. Não entendo esse preconceito e essa tentativa de boicote com a literatura nacional. Temos autores tão bons, dos mais diversos gêneros, que é um pecado menosprezar o trabalho deles.

    Como diz a sua avó - e as minhas também: cada cabeça, um guia. Mas euzinha prefiro o bom e velho livro físico. Gosto de sentir o cheiro, de tocar as folhas... Tanto que nem cogito comprar um kindle tão cedo e sofro pra ler no Wattpad (inclusive seu livro está aqui na fila). rsrs

    ResponderExcluir
  11. Concordo com o que vc disse, Talita.
    Mas, infelizmente, não temos outra maneira de nos lançarmos ao mar que não seja nos expondo...
    Boa parte das maravilhosas autoras nacionais que eu leio e amo vieram de publicações neste formato e conseguiram um contrato com editoras por estar vendendo super bem...
    Tb acredito que cada um sabe de si e não julgo o tal do "jeitinho", mas é mesm um caso para se pensar...
    Ótimo tema para debate... Parabéns!!!

    Bjo
    Coordenadas Literárias

    ResponderExcluir
  12. Oiie, tudo bom?
    Amei o tema escolhido para o post, realmente é uma coisa complicada isso, e fico imaginando o quanto um autor não perde por causa dos pdfs, eu não leio nesse formato, confesso tenho sim livros no meu celular acho que uns 4, mas não os li, porque sinto dificuldade, para mim tem que pegar o livro, e temos que pensar nos autores que vivem de seus livros.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir