Resenhas

quarta-feira, 2 de março de 2016

:: Resenha 144 :: "Belle Époque", Elizabeth Ross

Sinopse: Na Paris da Belle Époque, tudo está à venda — inclusive a beleza. Quando Maude Pichon foge de casa, na provinciana Bretanha, e vai para Paris, seus sonhos românticos evaporam tão rápido quanto suas economias. Desesperada para arrumar um emprego, ela responde a um estranho anúncio de jornal — a Agência Durandeau está em busca de jovens pouco atraentes a fim de fornecer a suas clientes um serviço singular: uma moça sem graça contratada para acompanhar as damas da sociedade e fazê-las parecer mais belas.
A condessa Dubern precisa de uma acompanhante para Isabelle, sua voluntariosa filha, e Maude é considerada o adorno perfeito para tornar a moça mais bonita. Isabelle nem desconfia de que sua nova “amiga” foi contratada pela mãe, e a mera presença de Maude entre a aristocracia depende de que consiga guardar esse segredo. No entanto, quanto mais ela conhece e se afeiçoa a Isabelle — uma jovem determinada a desafiar as expectativas da sociedade e a estudar ciências na universidade —, mais sua lealdade é posta à prova. E, enquanto a farsa persistir, Maude terá muito a perder.
Belle Époque se passa no auge da boemia parisiense, quando a cidade efervescia, homens e mulheres estavam no ápice da elegância e a moral estava em franca decadência.
Esta é uma história de coragem, paixão e desafio que se desenrola sobre o pano de fundo de um dos períodos mais importantes da história da Europa.


A breve opinião de uma mente serelepe:
Nunca ouvi falar dessa autora. Nunca ouvi falar sobre ela ou sobre o livro, mas, de alguma forma, a sinopse me chamou atenção na estante da Bienal do Livro/2015. Havia alguma coisa diferente e fora do padrão dos romances atuais, o que prontamente me deixou animada e sequer me deu tempo de pensar duas vezes na hora de comprar.

Os romances contemporâneos – a título de comentário, apenas, sem críticas – tendem a trazer personagens principais belos, cheios de atributos ou, minimamente, que não compreendem o seu verdadeiro significado naquele contexto, que tende a ser algo incrível e fascinante aos olhos de quem lê. Esse livro, pelo contrário, traz a história de uma jovem, como personagem principal, sem qualquer espécie de atributos físicos expressivos, sem qualquer inteligência fantástica, sem dinheiro, sem poderes especiais, sem algo maravilhosamente sedutor aos homens ou mulheres, mas que, simplesmente, deseja ser feliz. Não havia ânsia por um casamento, por filhos, por dinheiro, poder... era ser feliz.

O que encanta no livro é a sua luta, a perseverança e a necessidade que temos de acreditar naquela personagem, por mais que não estejamos pensando em um “príncipe encantado em um cavalo branco”.

A personagem traz algo muito maior, que é a sua vontade de existir, de ser alguém para ela mesma, alguém que ela se orgulhe; não há a necessidade de mostrar qualquer coisa a alguém ou provar o seu valor. Triste é que, para isso, para inicialmente poder sobreviver à sua fuga de casa, de um casamento arranjado com um homem considerado por ela desprezível, sem dinheiro e o simples fato de ser mulher, terá de se submeter a algo que considera repugnante e ridículo: ter seus atributos físicos feios ressaltados para que uma mulher da alta sociedade pudesse ter a sua beleza exaltada. Dinheiro todos precisamos, não? E ela também.

Maude – até com seu nome apagado e sem qualquer imponência – se viu obrigada a ceder a um trabalho no qual seria humilhada e alugada por sua ausência de beleza, para que pudesse ser capaz de sobreviver, de iniciar algo em sua vida. O trabalho para mulheres era algo complexo no período da Belle Époque, de forma que o que lhes era oferecido era sempre os mais inferiores e com pouco ganho. Aquela chance desprezível, com um lucro considerável, por ela fora visto como uma porta, ainda que não soubesse efetivamente como abri-la.

Mesmo sem saber o que desejava, Maude sabia o que não desejava: ser submetida a um casamento arranjado e não ser plena consigo mesma.

Eu não sou uma pessoa essencialmente feminista, mas posso dizer que essa personagem me tocou de uma forma considerável. Ela é forte e enfrenta a todos, até mesmo a si própria, em prol de algo muito mais grandioso, de sua vitória na vida, mesmo que não seja esta rodeada de joias e de um bom pretendente. É fantástico como ao longo das páginas, a personagem vai moldando os seus pensamentos, aprendendo que não é apenas o seu mundo que é difícil, que não é apenas ela – como mulher sem recursos, sem beleza, sem status – quem tem dificuldades para alcançar os seus objetivos. A proximidade da personagem Isabelle, para a qual Maude fora alugada, fizera com que aprendesse que, apesar de sua beleza indescritível, apesar da fascinação que causava aos homens ao seu redor, apesar do seu dinheiro e status, era uma criatura tão comum quanto ela, que desejava viver a sua vida e ter o seu destino nas próprias mãos e não de outrem.

Esta não é uma história de amor ou uma história sobre amor, mas, sim, uma história de obstáculos, derrotas e conquistas, ainda que sejam estas através de algo repugnante e que, inicialmente, traziam uma impressão ruim. Sempre podemos tirar algo interessante e profundo de uma situação na qual nos vemos prejudicados e Maude, através dessa humilhação, pôde encontrar exatamente o que procurava.

Há uma explicação no livro, sobre as acompanhantes, que considero, particularmente, fantástica, feita por Marie-Josée, uma mulher já considerada velha e medonha, que presta os mesmos serviços que a personagem Maude: olhando um cesto de lindas maçãs – todas belas, vermelhas, intensas e brilhantes –, todas parecerão as mesmas; não farão diferença alguma, não se sobressaem; todavia, quando colocada uma maçã podre ao lado de uma dessas lindas maçãs, esta se torna maravilhosa, fantástica e cobiçada, porque, claro, é feita uma comparação. A COMPARAÇÃO.

E essa é uma crítica fantástica, pois mostra que, até mesmo nos dias de hoje, até mesmo com a emancipação da mulher, das relações sociais do homem de uma forma geral, a comparação é eterna. Nós nos comparamos uns aos outros constantemente, acreditando que “a grama do vizinho é sempre mais verde”, quando, na verdade, se olharmos com atenção ao nosso redor, se observarmos a nós mesmos, poderemos ver como as nossas concepções podem estar equivocadas e, na verdade, temos todos os artifícios necessários para sermos felizes, independente do que acredita a sociedade ou do que finge acreditar.

Título: Belle Époque
Autor: Elizabeth Ross
ISBN-13: 9788576863076
ISBN-10: 8576863073
Ano: 2014
Páginas: 294
Editora: Verus
Compre aqui: Submarino
Classificação:



Sobre a autora:



Elizabeth Ross estudou francês e cinema na Universidade de Glasgow, Escócia, e, entre um semestre e outro, trabalhou em Paris e na Bretanha. Após sua formatura, mudou-se para o Canadá, atuando na edição de filmes, levando tal carreira no cinema a Los Angeles, onde vive atualmente com o marido e o filho. Quando não está escrevendo, edita longa-metragens.

Comente com o Facebook:

28 comentários:

  1. Eu li esse livro no ano passado e gostei bastante da leitura. Sem contar que acho essa capa maravilhosa, quem sabe até uma das mais bonitas da minha estante. Eu espero mesmo ler mais obras dessa autora. Achei sua crítica muito bem desenvolvida e apresenta pontos interessantes sobre a construção do enredo. Concordo com você, é uma história de obstáculos e, mais ainda, superações. Beijos, Fê

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros com personagens femininas fortes, mesmo não sendo a protagonista, talvez porque prefira uma heroína a uma mocinha que precisa ser salva! O livro me parece muito interessante, até pelo fato do foco não ser no romance e sim na amizade, meio que sai do clichê (não que eu não goste de clichês :P). E a capa dele é lindíssima! Já coloquei ele na minha lista, espero poder lê-lo em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Gosto de personagens femininas fortes. Estou louca pra ler e descobrir os ensinamentos do livro!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Oi, Bia.
    Já li esse livro há um tempo. É ótimo poder conhecer a bele époque através dele, só lamento porque não consigo lembrar o fim dele, é, eu tenho esse defeito de esquecer os fins,
    Assim como você a Maude me tocou, principalmente nos momentos em que as pessoas iam escolhê-la para ser acompanhante e ressaltavam sua feiúra.
    Amei as suas reflexões sobre as comparações. E acho que elas são algo de antigamente e de hoje em dia, talvez hoje ainda de forma maior.
    Outra personagem que lembro que me tocou foi a Isabelle, ela só queria aprender as ciências, e por sua classe social não era permitida.

    ResponderExcluir
  5. Adoro histórias que se passam nesta época. São encantadoras e o contexto histórico é gigante! O que acho mais bárbaro ainda.
    Não conhecia o livro nem a autora, mas me parece ser super legal e bem escrito. Adorei! Já coloquei na minha lista.
    E essa capa, o que dizer dela? Linda!
    Bjss

    www.umolhardeestrangeiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Bell,
    Incrível como uma obra que você mesma disse nunca ter ouvido falar e para ser sincera nem eu, tenha tamanha grandiosidade para nossa atualidade, ao ler suas palavras percebi o quanto seria bom que todos lessem e percebessem esses valores e aprendizados que teve com essas páginas. Comparação realmente sempre vai existir, mas a busca pela felicidade sempre vai depender das nossas ações. Fiquei super curiosa com a obra. Belíssima resenha, meus parabéns e minhas palmas de pé a você.

    Beijos
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem?

    Eu nunca ouvi falar da autora, da história ou já tinha visto esta história por aí, mas a sua resenha me deixou super curiosa para ler a obra. Adorei a premissa, em saber que a protagonista não é o ícone de beleza e que ele traz diversos ensinamentos. Sua resenha está incrível, e é impossível não se ver ansiando para ler a obra. Parabéns!

    Beijos,
    Dai | www.cheirodelivronacional.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ola Bell gostei do tema do livro, da protagonista em ir busca dela mesmo, de se orgulhar da pessoa que se tornou, um enredo diferente, mas que aborda um tema profundo como a realização pessoal, da protagonista. Gostei da capa e a dica está mais que anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  9. O livro parece ser realmente muito interessante, com lições e um bom enredo, uma verdadeira obra prima. A capa é bem bonita e fiquei curioso com a sinopse. A resenha está simplesmente incrível, amei, amei! Abraços e até mas.

    ResponderExcluir
  10. Que capa linda !!!! Eu nunca li nada dessa autora.
    Sou fã de histórias que tenham mulheres fortes que enfrentam tudo e todos.
    Sua resenha está lindíssima, fiquei muito afim de ler esse livro.

    :D

    ResponderExcluir
  11. Olá Bell,
    Primeiramente, quero te dizer obrigada. Obrigada por ter me apresentado a esse livro e por ter escrito uma resenha assim, tão completa.
    Gosto quando me dizem que a grama do vizinho é mais verde, de dizer que ela é assim porque é de plástico.
    Voltando, adorei a premissa do livro e fiquei com muita vontade de ler o livro, sua resenha foi bem convincente. Espero ter a oportunidade em breve.
    Beijos.
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ainda não conhecia a autora e nem o livro e achei a capa mega charmosa. Estou bem no momento de ler algo que se passe nessa época e acho que vou apreciar bastante esta leitura.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi *---*

    Já tinha visto o livro, mas nunca me chamou atenção, muito pelo contrario, essa capa sempre me repeliu. Odeio capas com pessoas nela, sempre dão rostos aos personagens e na maioria das vezes nem são parecidos com os personagens. Mas depois da sua resenha, que por sinal está incrível, fiquei curiosa. Eu sei que nada se parecem, mas me lembrou um pouquinho DUFF, a amiga feia que embeleza as outras. Fiquei curiosa pra saber como Maude irá fazer quando descoberta

    Bjos

    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Não conhecia esse livro, fiquei curioso para ler esse romance. Não gostei muito da capa do livro (achei ela um pouco simples), mas o que vale é o conteúdo né?
    Ótima resenha, muito bem escrita.
    Amei seu blog e já estou seguindo. Bjos

    http://carpediemliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá,
    Adoro quando não conheço o livro, leio uma resenha e fico querendo conhecer mais da história.
    Sua resenha está completa, amei amei amei
    Sempre leio romances e quando nele podemos ter vários aprendizados, mostrando os obstáculos que os personagens passam.
    Parabéns
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  16. Oi
    Tão bom quando somos surpreendidos por um livro que nem conhecíamos.
    Gostei muito da premissa dele e ao ler suas considerações entendi o porquê ele se tornou tão bom.
    Gosto de personagens fortes, pois suas vivências sempre transmitem valores.
    Adorei conhecer esse livro.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  17. Olha já faz um bom tempo que comprei esse livro e tenho bastante interesse em fazer a leitura, principalmente por se tratar de um romance de época, mas mesmo assim achei interessante a autora abordar sobre as moças que eram acompanhantes nessa época, porque se você for ver, na maioria dos livros que conhecemos não fala sobre isso e acho até legal abordar sobre o assunto. Eu ainda não conheço a estória e nem sei como é relatado tudo isso, mas pela maneira que tu descreveu a personagem me chamou muita atenção e espero poder fazer a leitura assim que possivel, porque adorei de verdade tudo que tu contou.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/02/resenha-paixao-de-primavera.html

    ResponderExcluir
  18. Oiii!

    Sabia que eu não daria nada para essa capa? Só mais uma história mais do mesmo. Só que ao ler sua resenha, pude perceber que é muito mais do que isso. Eu tbm não sou muito do feminismo, acredito que não conheço bem sabe?
    E saber que há todas essas informações presentes na obra. Enfim, estou devagando. Estou muiiito curiosa para ler agora!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  19. Oii, tudo bem?
    Eu adorei a sua resenha! Está tendo uma feira do livro aqui na cidade, e eu vi esse livro por R$12,00, e confesso que a capa tinha me chama a atenção, assim como a sinopse, porém eu nunca tinha ouvido falar dele do livro e acabei ficando com um pé atrás, mas agora eu estou animada em fazer a compra. Espero poder gostar do livro.

    ResponderExcluir
  20. Oi Bell,
    É a primeira vez que ouço sobre a autora e o próprio livro. Mas o enredo chama a atenção justamente pelo seu levantamento em ter uma história que foge do convencional nas leituras atuais. Não imagino o que a protagonista passou durante a sua caminhada para ser independente, mas com certeza é muito forte. Não são todas as mulheres que estão dispostas a "ridicularizarem" a sua beleza, seja ela de que forma for. Adorei a dica
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  21. Nunca tinha ouvido falar nesse livro também. Essa modelo da capa passa tanta tristeza que bateu uma bad.
    Então, acho que se eu fosse ler esse livro iria me sentir muito revoltada e mal, pois me lembraria do tempo da escola quando as pessoas me zoavam por eu não ser o padrão que é considerado bonito. Só de ler a resenha já senti a raiva bater. Achei repugnante isso de a Maude ser usada para que outras mulheres e sintam bem.
    Eu sinceramente prefiro me manter longe desse livro, iria ficar muito irritada e acabaria desistindo.
    Parabéns pela resenha.

    Blog
    Blog Miih e o Mundo Literário

    ResponderExcluir
  22. Uau, sua resenha me cativou, flor!
    Eu também não tenho essa pegada feminista, mas que mulher não torceria pela protagonista desse romance que nos provoca a pensar sobre como todos merecem escolher o modo como querem viver? Eu gostei muito do modo como você narrou os acontecimentos básicos do livro. Eu me vi querendo acompanhar os obstáculos que a protagonista enfrenta apenas porque quer ter o direito de viver sua vida dignamente, de acordo com suas próprias escolhas. :) Gostei! Anotei a dica, quero ler essa obra o quanto antes.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Olá, tudo bom?

    Como eu nunca vi esse livro antes? Só a capa já me chamaria a atenção e se eu tivesse visto na Bienal, também compraria, ainda mais com essa sinopse. Fiquei feliz ao ler essa resenha e ver que é diferente de outros livros, sabe? Gosto de personagens femininas fortes e fico ainda mais feliz ao ver que ela não é a perfeição em pessoa. Acho que sempre acho estranho isso de os personagens sempre serem tão lindos! hahaha

    Enfim, resenha incrível! Obrigada pela dica ;)

    Beijos.

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Confesso que comecei a ler a resenha com a cara torta. A sinopse não me atraiu muito, a capa também não ajudou... Sabe quando você imagina um monte de coisas sobre um livro e nenhuma delas te atrai? Foi o que aconteceu.

    Mas abri meu coração e fui ler a resenha. Ainda não cheguei ao estágio MEU-DEUS-DO-CÉU-PRECISO-LER-ESSE-LIVRO-AGORA, mas muitos pontos despertaram a minha curiosidade, principalmente por fugir de um tema que estou habituada a ler, que são os romances contemporâneos.

    Apesar de também não ter qualquer empenho em militâncias sobre os direitos da mulher, parece que o livro trata o assunto de uma forma que pode me envolver, já que apresenta uma protagonista exatamente como eu gosto: forte e independente, buscando ser dona de si.

    Curti bastante!!!

    ResponderExcluir
  25. Oiee ^^
    Ainda não conhecia o livro, nem a autora, mas fiquei curiosa para conhecer, principalmente quando você disse que a personagem só quer existir. Quantas protagonistas querem se casar, ficar ricas ou encontrar um amor? Acho que nunca conheci nenhuma que só quisesse ser feliz, e que fosse forte e determinada ao mesmo tempo. Fiquei doida para ler esse livro agora kkkk' Eu quero *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Olá!

    Nunca ouvi falar nesse livro, mas a premissa dele é incrível, sua resenha também, ficou nítido o quanto gostou e o quanto o livro mexeu com você.
    Gosto de livros que abordam temas nem um pouco comuns, e o fato de a protagonista ser uma pessoa comum, coisa que é um pouco difícil de encontrar nos livros atuais, me deu ainda mais vontade de conhecer essa estória. Espero gostar!

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Oiiee,
    Eu ainda não tinha ouvido falar do livro e nem da autora, mas amei a sua resenha, o livro parece ser ótimo, e pelo visto nos faz pensar em muitas coisas, principalmente o papel da mulher na sociedade, e o como ele era antes, tenho certeza de que irei gostar do livro.
    Beijos
    *-*

    ResponderExcluir


  28. Nosssaaaaa,que premissa interessante têm esse livro!!!
    Eu já li quase 500 livros,sendo grande parte históricos e nunca tinho visto uma acompanhante com essa função...quer dizer,pelo menos não uma contratada com essa clara função de pela aparência "desprovida" de atributos,ressaltasse a dita beleza da outra mulher!
    Que coisa triste de se imaginar não?! Realmente é um assunto para se refletir!!

    E concordo quando você menciona que na maioria dos históricos românticos que lemos as mulheres são perfeitas e maravilhosas. Então é mesmo isso sendo bem fantasioso (e a gente amar rs) dá um baque pensar em como poderia ser a realidade rs

    Creio que o livro seja bem isso que você disse,não um romance em si,mas um livro de crítica! Deve ser bem interessante.

    Só fico imaginando se o final seguiu a linha "fantasia" ou foi realista do começo ao fim!

    Ótima resenha,bjos!

    ResponderExcluir