Resenhas

quarta-feira, 27 de abril de 2016

:: Resenha 164 :: “Driven”, K. Bromberg


Sinopse: Rylee Thomas está acostumada a ter sempre o controle. Agora, porém, ela estará frente a frente com o único homem capaz de convencê-la a abrir mão desse privilégio... Em um mundo cheio de mulheres prontas a fazer qualquer coisa em nome do desejo, Rylee sempre foi exceção à regra. Assim, ela apareceu como um desafio na vida do belo Colton Donavan, um piloto profissional habituado a conseguir exatamente o que deseja. Colton é um bad boy impulsivo, sempre testando limites, uma bomba prestes a explodir. Rylee havia construído um mundo seguro, com disciplina e cuidado, longe de homens como ele. Colton não pode dar a segurança que Rylee precisa, e ela também se sente incapaz de satisfazer um homem tão intenso. Mas Colton balançará a vida de Rylee como uma tempestade: tirando-a do controle, testando sua vulnerabilidade e – sem qualquer intenção –atravessando a muralha que protege o coração abalado da garota. O sedutor playboy também esconde segredos obscuros, que pretende revelar a ela antes que seja tarde demais. Após Rylee e Colton descobrirem que possuem em comum uma impressionante química sexual, será que os dois conseguirão superar a necessidade de controle para se entregarem a uma relação? E na colisão entre esses dois mundos tão distintos, será suficiente apenas a atração para uni-los?

Olá, pessoal. Tudo beleza? Hoje eu trago pra vocês a resenha do primeiro livro que pedi pra nossa parceira, a editora Universo dos Livros. Eu já vinha namorando esse livro pela capa, mais do que pela sinopse devo dizer, aí quando pintou a oportunidade por conta da parceria, eu aproveitei. Driven pode até ter aquele casal meio batido que vemos por aí, meio clichê, mas por trás disso tem uma história muito fofa e intensa, tornando a leitura rápida, gostosa e envolvente, por conta disso eu não vejo a hora de ler os outros livros da trilogia. Então, vem que eu vou contar pra vocês um pouquinho sobre Colton e Rylee.


Bom, já no começo nós vamos ver o encontro dessas duas pessoas bem diferentes, mas que carregam um passado bem pesado cada uma. Estamos falando de um leilão organizado por Rylee e sua Corporate Cares, que é um abrigo para crianças onde ela trabalha. Num dado momento ela se vê presa em uma sala e começa a ficar desesperada por conta da claustrofobia – que ao decorrer da história nós vamos saber a razão dela sofrer por isso – até que Colton, um bad boy irresistível, aparece destrancando a porta da sala onde ela está presa.

Chato ser salva por um cara gato e gostoso, né? Como lidar? Como não cair nos braços fortes de Colton e não ficar mais descompensada ainda? Pois é, impossível. O clima esquenta, beijos tórridos são trocados, mão aqui e mão ali, maaasss, nossa mocinha não é dessas, não é bagunça rsrs, então ela manda um "peraí gatinho, deixa eu respirar". Sério, por mais difícil que seja, Rylee se afasta e mostra pra Colton que ela não é uma qualquer e que a parada não é assim fácil. E isso só deixa o cara maluco porque, claro, ele é daqueles que tudo o que quer, consegue.

"O homem sentado à minha frente - aquele que me reduzira a um poço de sensações na noite de sábado - era ninguém menos que Colton Donavan. Aquele Colton Donavan, o sexy e proeminente piloto de corridas, filho do megadiretor de filmes de Hollywood, e um galanteador incorrigível já acostumado a abastecer colunas de fofoca em todo o país.
Aquele Colton Donavan que me deixara com sonhos libidinosos e um desejo carnal reprimido e platônico no último sábado. Ca-ra-lho!"

Depois disso Colton vai fazer de tudo pra ter essa garota difícil, então, ele, um piloto famoso e sua equipe da CD Enterprises vão fazer uma parceria com a Corporate Cares, investindo uma grana preta que vai ajudar Rylee com as novas instalações do Lar e com isso Colton estará sempre por perto.

Só que nem tudo é fácil. Como já deu pra ver, Colton é um cara famoso, um bad boy irresistível que basta estalar os dedos pra ter qualquer mulher aos seus pés, só que Rylee não. Rylee não sabe ter nada casual, ela simplesmente não é dessas.

Ela até tenta embarcar nessa e deixar rolar por ser difícil resistir ao corpão e aos olhos verdes de Colton e por estar muito tempo sozinha depois de perder o noivo de uma maneira bem traumática, mas é muito difícil pra ela ficar nessa coisa de só sexo, e logo ela se vê caidinha por ele. Óbvio!

Daí a gente vai vendo o conflito dos dois ao decorrer de cada encontro. Ela de quatro por ele, ele doido por ela, mas sempre se mostrando firme deixando claro que não é de compromisso sério, mostrando que seu passado - antes de ser adotado - não foi fácil e por isso ele tem essa casca grossa em torno de si. Ao mesmo tempo em que ele é arredio, tem momentos que ele é tão fofo, como nas cenas com os meninos do Lar que te fazem suspirar e sorrir feito bocó que nem a Rylee hahahaha.

"Estou irritada. Estou completamente confusa e desconfortável nessa situação. Entendo que, de acordo com esse arranjo, ambos os lados se aproveitam um do outro. Compreendo isso. Ele consegue companhia e elas o burburinho da mídia que pode ajudá-las em suas carreiras. O que realmente me machuca é que eu não tenho a menor intenção de usá-lo. Não sou modelo, nem busco uma carreira no cinema. Acho que ele só usou a oferta para a Corporate Cares para justificar o fato de me usar, acreditando que eu também o estaria usando."

Então, assim, é um casal batido daqueles com problemas no passado e que por isso são difíceis nos atuais relacionamentos? São! Mas é muito difícil não se envolver e não se pegar sem ar com a química e intensidade da tensão sexual a cada encontro desses dois. Serião! É uma loucura!

Ô caloooooorrr!!!
Colton e Rylee são duas pessoas muito boas, eu gostei bastante de cada um deles. Apesar dos problemas, das inseguranças que cada um tem, da vontade de dar um soco nele, principalmente no final... Ah o final, minha gente... O que é aquilo? Pra quê terminar daquele jeito sem ter o segundo nas mãos? Me diz?! Isso não se faz, Colton, não se faz!!!! Ou melhor, isso não se faz K. Bromberg! (Não deixem de ler o "sobre a autora" no fim da resenha, é uma ótima explicação pra maldade dessa criatura.) 

Não posso deixar de falar que, pra dar aquela raivinha e causar, há um fulaninha na história que chega falando poucas e boas pra Rylee, dando um chega pra lá se achando a dona do Colton. Pffff, coitada, bem aquelas mulheres cegas, sabe como é? Pois então, tem uma dessas e eu sinto cheiro de treta rolando no segundo livro. E eu não vejo a hora de ler!!!

O livro é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da Rylee. A diagramação está perfeita, com direito a detalhes no início de cada capítulo do jeito que eu gosto e como vocês podem ver aí na foto. Se você curte uma história tórrida e explosiva de paixão com cenas de sexo na medida certa, você vai adorar Driven!

Adoro esses detalhes!



Título: Driven
Série: Driven #1
Autora: K. Bromberg
ISBN-13: 9788579309472
ISBN-10: 8579309476
Ano: 2015
Páginas: 400
Compre aqui: Submarino
Classificação: 



Sobre a autora:


K. Bromberg é autora best-seller do The New York Times e do USA Today, e vive no sul da Califórnia com seu marido e três filhos. Bromberg escreve romances bem atuais, que misturam delicadeza e sentimentos com muita sexualidade. Ela gosta de criar heroínas fortes, além de heróis problemáticos - que nós amaremos odiar e odiaremos amar.

Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Oi Bianca, eu nunca tinha ouvido falar desse livro, mas a capa e a sinopse já me conquistaram de cara. Sua resenha não deixou dúvidas de que preciso muito ter esse livro em minha estante. Gosto bastante desse gênero literário e acho que posso encontrar uma boa história. Pelo que pude perceber, existem aquelas cenas já conhecidas, com casais e seus problemas do passado, mas é exatamente dessas problemáticas que eu gosto.
    Beijos, Fer ♥

    ResponderExcluir
  2. Nossa que legal, eu não conhecia sobre o livro mas amei ele, sua resenha, a sinopse, e incrível, parabéns pelo trabalho, irei colocar na lista, pode ter certeza.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oie,
    não sou fã de livros hot. Eles nunca me atraem em nada.
    Mas a Universo por um lado acerta bem nos que lança mesmo sendo clichê pra mim.
    Acredito que o livro tenha uma pegada jovial bem legal e como tu disse deve ser bem chato ser salva por um bonitão hehehe, queria eu ter essa sorte.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?

    Menina, primeira resenha positiva que vejo do livro. Sua descrição foi tão arejada e positiva que apagou os comentários negativos que tive do livro, vou até dar uma chance para essa leitura. Obrigada pela honestidade! ;)

    bjss
    Bel Góes

    ResponderExcluir
  5. Oi Bia!
    Eu já queria esse e agora quero mais!! Adoro um casal problemático e adoro qnd dá treta hahahaha
    Acho que ainda não tem o livro 2 né? Vc tem alguma informação sobre isso? Pq se acaba tenso, eu só vou comprar qnd tiver o novo hahahaha
    Bjo ;)

    ResponderExcluir
  6. Pq eu não tenho a sorte de ser salva por um cara gato, gostoso e com braços fortes heim ? Heim ? Heim ?
    Quero ler, mas vou esperar ser lançado todos os livros.

    ResponderExcluir
  7. Ooi! Não conhecia o livro, mas não é de meu real interesse... Porém, desejo todo sucesso para a autora e para quem quiser ler, que tenham uma ótima leitura.
    Parabéns pela resenha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Ola
    Sua resenha foi bem divertida, mas não consigo me interessar por livros com essa pegada amorosa, não importa se é hot, romance de época eu não consigo gostar.
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas espero fazer isso em breve. É m romance que estou bem curiosa para conferir, e como é uma publicação da universo, com certeza será um livro que vou adorar. Quero muito conhecer essa história.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Olá. Ainda não conhecia esse livro, em comparação com as outras editoras, não leio muitos livros da Universo, não sei qual o motivo, foram poucos livros lidos até agora, então acho que por isso eu nao conhecia esse livro. Achei legal a premissa dele, mas seria uma leitura para fazer daqui a um tempo. Um pouco mais pra frente eu leio ele.

    Beijos.

    ResponderExcluir