Resenhas

segunda-feira, 30 de maio de 2016

:: Resenha 173 :: "A Indomável Sofia", Georgette Heyer


Sinopse: Sofia Stanton-Lacy é alegre, impulsiva e de uma franqueza desconcertante, características que não combinam com o que se espera de uma mulher em sua posição na sociedade londrina do início do século XIX. Educada durante as viagens de seu pai, órfã de mãe, ela chega à casa de sua tia em Berkeley Square para derrubar as convenções e surpreender a todos com seus modos independentes e sua língua afiada. E Sophy parece ter chegado no momento certo: seus primos estão com muitos problemas.
O tirânico Charles está noivo de uma jovem tão maçante quanto ele, já Cecilia está apaixonada por um poeta, e Hubert tem sérios problemas financeiros. A prima recém-chegada decide então ajudar a todos com sua determinação e impetuosidade, e acaba enfrentando agiotas, roubando os cavalos de seu primo e atirando de raspão em um honrado cavalheiro. Embora sejam sempre mirabolantes e arriscados, seus planos sempre dão certo e tudo parece estar sob seu controle. O que ela não espera, porém, é que seu primo Charles, que aparentemente não vê a hora de arrumar um marido para ela, de repente passa a enxergá-la com outros olhos... 

Creio eu que todo mundo já sentiu aquela vontade de ler algo completamente diferente dos livros anteriores. Não porque eles foram ruins, pelo contrário, eu li uma sequência de livros tão bons, tão incríveis que eu sentia uma DPL chegando e precisava, desesperadamente, mudar o rumo das minhas leituras para impedir isso, coisa que já fiz antes e deu certo, então parei, olhei a lista dos livros que li e a lista sem fim dos que tenho para ler e o livro certo praticamente gritou para mim: A Indomável Sofia de Georgette Heyer. Para começar, é um romance de época escrito em outra época, não tem nada de erotismo (eu li vários eróticos em sequência, então precisava dar uma respirada nisso) e era um livro que eu fiquei com muita vontade de ler desde que coloquei ele nos lançamentos aqui no blog e aí o melhor aconteceu: EU ADOREI! Como diz a Bia, comi o livro com farinha!

Eu vou abrir essa resenha falando uma curiosidade, A Indomável Sofia foi escrito por Georgette Heyer em 1950 e para quem não sabia, assim como eu, Georgette é considerada como a criadora do gênero romance histórico e é muitas vezes comparada a Jane Austen, com o diferencial que a Jane vivei no período de tempo que seus livros passava, enquanto que a Georgette escreve, já no século 20, sobre a Inglaterra do século 19. Para dimensionar a minha surpresa, saibam que eu sou muito fã dos romances de época e históricos que até agora li, sou fã da Julia Quinn e da Mary Balogh, ou seja, ao ler Sofia, eu li o livro da autora que se não fosse por seus livros eu não teria os livros que amei descobrir! Pensa na expectativa? Estava tão alta que algum ET de Plutão, o ex-planeta, deve ter visto!

- O major Quinton só falou a verdade a seu respeito! - declarou. - Já estou até assustado com você.
Ela sorriu.
- Não se assuste, só pretendo ajudá-lo.
- Pois é o que me assusta.

E você acha que eu me decepcionei? NEM UM POUCO! O livro é uma delícia, impossível não passar o tempo todo com um sorriso no rosto a cada página. Confesso que algumas palavras eu precisei dar uma parada e apelar para o Google, não são muito usuais, mas nada que atrapalhou e eu posso falar com franqueza que a história flui muito bem, mesmo a gente percebendo que ele é um livro escrito em outra época. Como eu disse, temos palavras bem diferentes, capítulos longos (são apenas 18 capítulos, onde hoje em dia encontramos livros que facilmente tem uns 40 ou mais capítulos) e parágrafos também extensos (tem parágrafos que são uma página inteira) e por mais que eu visse as diferenças nessa estrutura do livro em si, não atrapalhou a leitura, pelo contrário, o difícil era largar o livro!

Sabe de uma coisa, você é a mulher mais surpreendente que já tive a sorte de conhecer. observe que não disse boa ou má sorte, pois ainda não faço a mínima ideia do que será.

Mas sobre o que é A Indomável Sofia? Um romance de época sem igual e com uma heroína de tirar o folego! Sofia Stanton-Lacy é uma jovem londrina de 20 anos, no limite da idade para casar, mas que passou toda a vida viajando pela Europa com o pai diplomata. Devo acrescentar que Sir Horace Stanton-Lacy, pai da Sophy, aparece poucas vezes (em dois capítulos) mas esses rápidos vislumbres dele já dizem muito sobre a filha que ele criou. Voltando, Sir Horace deve viajar para o Brasil e como é uma viagem muito longa e já está na hora de Sophy casar, ele literalmente enrola a irmã e a convence a cuidar da menina até o seu retorno e nesse meio tempo, apresentar Sophy a sociedade e até mesmo encontrar um marido para a doce menina.

- Que circunstância feliz, não há dúvida! Espero que pretenda contribuir com uma bela coroa de flores às minhas exéquias.
- Certamente! Pela ordem natural das coisas, é provável que você morra antes de mim.
- Se eu sobreviver a esta aventura, pode haver dúvidas sobre isso. Seu destino esta claramente escrito: você será assassinada. Não consigo imaginar como não fizeram isso há mais tempo!
- Que estranho! Charles certa vez me disse o mesmo ou algo parecido.
- não há nada estranho; qualquer homem sensato vai lhe dizer isso.
Ela riu.

Quando Sophy chega na casa da tia, carrega a tiracolo um papagaio com falas dignas de um marinheiro velho (não mostra o papagaio, mas uma das crianças fala que a cuidadora deles teve que esconder o bicho), um mico chamado Jacko, uma cadelinha e um cavalo enorme que não seria uma escolha apropriada para uma dama. Aliás, Sophy não liga muito para essa coisa de se comportar como uma dama, ela quer dirigir sua própria charrete, anda armada, tem ótima mira e se gaba disso além dela mesma movimentar o dinheiro que o pai deixou para ela. Ou seja, Sophy é independente e muito esperta, com o seu jeitinho fora do comum, ela acaba nas graças da família e traz para aquela casa uma coisa que faltava: alegria.

- Sabe, eu não tenho um pingo de sensibilidade. Sir Horace diz que é muito chocante, e principalmente nada feminino. Mas, para ser sincera, achei Goldhanger uma pessoa ridícula. Decididamente fiquei com muito mais medo de El Moro! Um guerrilheiro e um patife horroroso. Certa noite ele e seus homens entraram em nossa casa à força na ausência de Sir Horace... mas isso não tem importância. Pessoas que ficam contando suas aventurasa vida inteiras são as mais tediosas!
- Sophy, ele poderia ter lhe feito alguma maldade...!
- Poderia, mas eu levei minha arma, por isso logo mudou de ideia. - explicou ela.

Principalmente ao atormentar seu primo Charles, os momentos dos dois são ótimos! Charles é noivo de Eugênia, uma moça fina que age sempre visando o decoro, a moral e os bons costumes, ou seja, Eugênia é uma chata! Todos da casa não aguentam ela, mas ela sendo noiva do filho mais velho e o único a ter realmente posses na casa, já que o pai praticamente perdeu todo o dinheiro no jogo, eles aguentam Eugênia. E é óbvio que o comportamento da Sophy choca a noiva do primo o tempo todo e você lendo não para de rir! Como eu falei no começo, esse é um romance de época escrito há muito tempo, apesar disso, a história é perfeita, a narrativa corre de forma fluida e quando você percebe está passando páginas atrás de páginas, querendo saber o que Sophy vai fazer... ou se o Charles vai apertar o pescoço dela!


Título: A Indomável Sofia
Autor: Georgette Heyer
ISBN-13: 9788501401229
ISBN-10: 8501401226
Ano: 2016
Páginas: 406
Editora: Record 
Compre aqui: Saraiva
Classificação: 




Sobre a autora:



Georgette Heyer nasceu em 16 de agosto de 1902, em Wimbledon. Quando morreu, aos 71 anos, tinha publicado mais de cinqüenta obras, traduzidas para dez idiomas, entre elas 11 histórias de detetive. As tiragens de seus livros variavam entre 60 mil e 120 mil exemplares - num período de recessão mundial em que não se podia recorrer a trens, jornais e correio. Apesar de nunca ter cedido à imprensa, suas obram sobrevivem. www.georgette-heyer.com

Comente com o Facebook:

18 comentários:

  1. Olá
    É sempre legal descobrir o criador de um gênero, eu já li dois desses criadores o pai do suspence policial e do capa e espada, não sou fã de romances de época por ser livros de histórias de amor, mas fico muito feliz por sua mudança de ares ter sido tão feliz e proveitosa.
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oiii Talita, tudo bem?
    Achei incrível a sua resenha, mas de alguma maneira não despertou tanto meu interesse como pensei que fosse diante dessa obra, pularei a dica da vez, esses romances de época não estão me agradando muito.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu amo esse livro, especialmente por conta da protagonista. Ela é muito engraçada. Eu sabia que iria gostar do enredo, mas acabei me surpreendendo muito mais. Da ate vontade de reler rs é mesmo um romance de época maravilhoso.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  4. Que delícia de sinopse e, consequentemente, que delícia de livro! Conforme ia lendo a sinopse fui pensando que seria um livro de época "moderno", escrito recentemente e perceber que não é o caso me surpreendeu bastante.

    Gostei dessa coisa de a personagem ser para a frente e se orgulhar disso e estou ansiosa para ler o romance entre ela e o carinha da namorada mala.rs.

    ResponderExcluir
  5. Eu sou louca para ler esse livro e o fato dele ter sido escrito há décadas, só me deixa ainda mais interessada para ler. Acho que vou ficar apaixonada pelo livro. Gostei de ver a sua resenha e a sua opinião sobre a obra, a resenha está bem sincera e mostrando os pontos principais da obra.

    ResponderExcluir
  6. 😊Oi

    Nossa, eu não conhecia esse livro!
    Já de cara adorei a capa❤
    Adorei sabe um pouco msis sobre a autora também, a época em que além viveu pode dizer muito da obra...

    Ótima resenha 😁
    Bjs 💕

    ResponderExcluir
  7. 😊Oi

    Nossa, eu não conhecia esse livro!
    Já de cara adorei a capa❤
    Adorei sabe um pouco msis sobre a autora também, a época em que além viveu pode dizer muito da obra...

    Ótima resenha 😁
    Bjs 💕

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Então, eu nunca li um romance de época, tenho vontade de ler porque sempre vejo pessoas elogiando livros do gênero, mas tenho medo de não gostar e tal. A sua resenha ficou ótima, e eu não conhecia o livro.

    ResponderExcluir
  9. Tali, que delicia de resenha !!! Eu já estava paquerando esse livro, só não sabia que ele tinha sido escrito a tanto tempo, amei saber isso !!!! Vou tentar passar na frente essa leitura. :D

    ResponderExcluir
  10. Oi Ta!
    Minha amiga, Elizane, resenhista lá no blog, leu e amou também o livro. Ela comentou sobre o livro ser antigo, tem uma linguagem diferente do que habitualmente ela lê, mas que mesmo assim, amou cada instante. Gostei principalmente da personagem principal, que parece muito forte e feminista *-* Me chama atenção, mas no momento, romance de época não é minha aposta.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oiee

    Foi bem proveitosa a leitura mesmo!
    Eu gosto muito de romances de época por isso fiquei bem interessada. A única coisa que não me agradou foi os capítulos muito longos, mas se a história valer a pena isso fica secundário.
    Adorei a resenha e vou levar a dica!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Sou apaixonada por esse livro, e já quero ler os outros da Heyer! Eu não era muito de ler romances de época, mas sempre amei a ideia, sempre amei filmes assim, mas nunca li e me dediquei mesmo. Mas, depois de ler os livros da Quinn, depois de ler o livro da Heyer e ler partes dos da Jane, estou apaixonadíssima <3 E creio que jamais irei me afastar! A escrita da Heyer é maravilhosa e seu humor também. E mais: li também os três livros já lançados da Carina Rissi, que é nacional! Tô chocada e amei todos os três livros <3
    Pois bem, parabéns pela resenha e de tão eufórica eu acho que meu comentário pode estar um pouco confuso hahaha Mas, confusão é comigo quando estou tão empolgada sobre determinado assunto rs
    Beeijos

    ResponderExcluir
  13. Oioi! Tudo bem?
    Amo romances de epoca e ao ler A Indomável Sofia me deparei com um livro diferente do que estou acostumada.
    Achei a personagem da Sophy, ela era doidinha, mas amava a sua familia e fez de tudo para ajuda-los.
    Cahrles é um chato hahah, mas era uma boa pessoa.
    Amei demais o casal e tudo que envolver a historia e a familia.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Primeiramente parabéns pela excelente resenha. Eu no entanto não me interessei muito pela obra pois estou meio estagnada de romances de época. Mas a história não deixa de ser interessante e fiquei curiosa para saber mais sobre a protagonista.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Adorei a resenha! Amo romances de época e esse, em especial, chamou minha atenção por você ter dito que é engraçado e foge do erótico, já que esse não é um tipo de leitura que eu goste. Fiquei super interessada na história e já coloquei na minha listinha, era exatamente um livro assim que eu estava procurando! <3
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Eu já li esse livro e gostei bastante da história. Confesso que achei a narrativa da autora bem diferente dos romance de época que já li, mas mesmo assim, eu g ostei do que eu li. Bem interessante.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. Oi
    Tudo bom??
    Eu estou louca para ler esse livro!
    Sua resenha me deixou ainda mais curiosa, adorei!
    Espero que eu também goste da leitura...
    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Oie
    bela resenha e dica para quem curte o gênero, parece ser uma leitura bem gostosa para quem adora romance de época, eu não sou fã então vou deixar a dica passar, mesmo assim, bela dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir