Pular para o conteúdo principal

[Filme] A Vida Secreta das Abelhas (2009)




Sinopse: Carolina do Sul, 1964. Lily Owens (Dakota Fanning) é uma garota de 14 anos atormentada pelas poucas lembranças que tem da mãe falecida em um trágico acidente causado por ela. Decidida a fugir da solidão e do relacionamento complicado com o pai, T. Ray (Paul Bettany), Lily foge de casa com sua empregada Rosaleen (Jennifer Hudson) e segue a única pista que pode levar ao passado de sua mãe numa pequena cidade do interior. Lá ela conhece August (Queen Latifah), a mais velha das irmãs Boatwright, dona de um tradicional apiário da cidade e que também conhece alguns segredos do passado de sua mãe.

Já tem um tempo que eu queria vir aqui falar sobre esse filme e indica-lo para vocês. Talvez alguns até conheçam pelo livro, que eu confesso, nem sabia da existência! Eu simplesmente vi o filme na Netflix, achei a sinopse bacana, o título curioso e me surpreendi com o filme que eu gostei bastante.




"Às vezes, não sentir é o único jeito de sobreviver."

Vocês sabem que eu gosto de uma sofrência, então eu sempre gostei muito de filmes que retratam o racismo americano nos anos 60, e A Vida Secreta das Abelhas vai nos mostrar um pouco daquela triste realidade.

Imaginem o quão complicada e difícil é a vida da jovem Lilly (interpretada pela bonitinha Dakota Fanning), que tem lembranças vagas sobre a morte da mãe e ainda por cima ser vítima de um pai violento (interpretado pelo Paul Bettany, ator que eu acho fantástico) que demonstra ter ressentimento dela pelo que aconteceu.


Um dia, Lilly resolve fugir de casa com Rosaleem (interpretada pela bela Jennifer Hudson), a empregada negra de seu pai e única amiga de verdade que Lilly tem. Através da única pista e lembrança que tem da mãe, ela segue até Tiburon, na Carolina do Sul, com o objetivo de encontrar algumas respostas sobre a vida da mãe. É lá que elas conhecem e são abrigadas pelas irmãs August (interpretada pela Queen Latifah, que eu adoro!), June (Alicia Keys) e May (Sophie Okonedo).

Mesmo com todo o racismo daquela época, as irmãs são apicultoras respeitadas, livres e independentes, que se sustentam através do mel que produzem.

June, é a mais séria, rabugenta e chata que não aceita muito bem as duas, acha que aquela garota branca vai trazer problemas para elas, mas August e May são super atenciosas e carinhosas, acolhendo ambas. Queen Latifah com todo aquele seu tamanhão, interpreta muito bem August, que é praticamente a responsável, como se fosse a mãe de June e principalmente da frágil May. E eu preciso falar, nossa senhora, que trabalho lindo o da Sophie Okonedo! Vocês têm de ver! May tem problemas, é visível, e é um personagem ao mesmo tempo tão doce e tão perturbado, que eu já aviso logo: preparem os lencinhos!


É claro que além de ir atrás de descobertas sobre a mãe, Lilly vai passando os dias, vivendo uma vida nova, descobrindo coisas e sensações como, por exemplo, a sensação gostosa do primeiro beijo, do primeiro amor, assim como é conviver com aquelas mulheres negras, onde cada uma tem seus problemas e peculiaridades, e ver todas as injustiças de um EUA dominado pelo preconceito racial.

"Sinto que estou no lugar certo." Lilly Owens


A Vida Secreta das Abelhas é um filme muito bonito sobre amor, amizade e recomeço. É gostoso de assistir, tem uma boa carga de drama na medida certa, tem várias mensagens bonitas e importantes, e é bacana descobrir, junto a Lilly, que passado e futuro não estão tão distantes assim.

"A verdade é só metade do caminho. O que importa é o que você vai fazer com ela". Zachary Taylor


Título: A Vida Secreta das Abelhas
Título original:  The Secret Life of Bees
Direção: Gina Prince-Bythewood
Elenco: Dakota Fanning, Jennifer Hudson, Queen Latifah, Sophie Okonedo, Alicia Keys, Paul Bettany, Hilarie Burton
Gênero: Drama
Ano: 2009
Duração: 1h50
Classificação:


Assista ao trailer:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei