Resenhas

quarta-feira, 13 de julho de 2016

:: Resenha 186 :: “Butterfly”, Kathryn Harvey


Sinopse: No andar de cima de uma loja exclusivamente masculina na Rodeo Drive existe um clube privado chamado Butterfly, um espaço em que as mulheres são livres para expressar suas fantasias eróticas mais secretas.
Somente as mulheres mais belas e poderosas de Beverly Hills são convidadas a entrar: Jessica, uma advogada que suspira pela época em que os homens eram machos e as mulheres satisfaziam seus prazeres; Trudie, uma construtora que quer um homem que a desafie, em todos os sentidos e sem tabus; e Linda, uma cirurgiã que usa máscaras para desmascarar os desejos que esconde até de si mesma.
Contudo, a mais misteriosa de todas as mulheres é a que criou o Butterfly. Ela mudou o nome, o sotaque, até mesmo o rosto para esconder sua verdadeira identidade. E agora está prestes a revelar seu passado para concretizar a obsessão secreta que a levará além do êxtase...

Não, pode esquecer esse pensamento aí que você teve ao bater os olhos na capa e ler a sinopse. Esse livro não é mais um livro erótico, não é. Esse livro com cara e sinopse de livro erótico, na real mesmo, é um livro sobre vingança e superação. Acredite se quiser.


"Depois daquela revelação, os livros aplacaram a dor e o desapontamento de Rachel; eles sempre faziam isso. Os livros fechavam as portas ruins e abriam as boas."

Este foi o meu primeiro livro da Maratona Literária de Inverno 2016, da semana dos livros encalhados. E sabe o que é mais engraçado? É que quando eu postei no Facebook que eu escolhi ele pra essa semana e que eu comprei ele na Bienal de 2013, um moooonte de gente comentou que tem esse livro há um tempão também e ainda não tinha lido, ou que tinha começado há um tempo e parou. Olha que loucura! Eu não consigo nem pensar num motivo pra isso acontecer com tantas pessoas, inclusive comigo. Eu acho que talvez possa ser pelo simples fato dele aparentar ser um livro erótico e ter saído na época do boom Cinquenta Tons de Cinza, e as pessoas verem que ele não era realmente um livro erótico e romântico como vários que saíram naquela época. Ou as pessoas que começaram e pararam, não aguentaram a leitura que realmente é densa e mais lenta por ele não conter muitos diálogos. Ou sei lá, eu imaginei que ele era sim um livro erótico e me surpreendi positivamente com uma história incrível e não sei porque diabos eu deixei ele lá na minha prateleira esperando tanto tempo pela minha boa vontade de ler. Enfim...


Logo de cara ele me ganhou por dois fatores: ele é narrado em terceira pessoa e as mulheres são mais velhas. Nada de menininhas beirando os 20 anos.

Divorciada duas vezes e frustrada sexualmente, Linda Markus é uma ótima médica que praticamente vive para o trabalho. Na verdade, ela se entope de trabalho como uma fuga, para não pensar num problema que ela tem e que ela acredita ter sido o motivo de seus dois divórcios. E é indo ao Butterfly que ela tenta solucionar esse tal problema.

Trudie Stein é uma mulher muito bem resolvida. Fazer sexo com desconhecidos não era novidade, nem um problema para ela. Construtora, ela trabalha com construção de piscinas, então está sempre cercada de homens e é respeitada por eles. Só que mesmo sendo tranquila e resolvida, tendo seus casos sem se preocupar, Trudie ainda assim busca aquele algo a mais, aquela pessoa para aquietar.

Jessica Franklin é uma advogada de sucesso e é a única delas que é casada. Mas pelo amor de Deus, que criatura irritante e desagradável é John, o marido. Gente do céu, eu queria bater nele em vários momentos do livro e até nela também, por deixar que ele a tratasse do jeito que a tratava. Sério, o cara responde por ela, o cara escolhia o que ela devia comer ou não, o que devia vestir, tudo! Ela não tinha escolha de absolutamente nada! Conclusão?... Não sei se falo... é um spoilerzinho de leve, maroto, ok? Mas, John pediu, ah pediu um belo par de chifres! Butterfly é tudo, minha gente! Ele tá aí pra resolver os problemas!

Todas elas têm muitas coisas em comum. Elas são bonitas, elas têm grana, elas são realizadas profissionalmente, porém, a vida não está plena e feliz. Linda tem um problema que ao decorrer da história a gente descobre, Trudie apesar de ter tudo sem problema, ainda assim quer algo sério, e Jéssica sofre com um casamento infeliz. Uma solidão gélida está presente na vida de cada uma delas. E é por isso que todas elas são associadas do Butterfly.

Pode parecer estranho, errado, polêmico, mas por que uma mulher não compraria a companhia de um homem? Por que não receber um pouco de atenção e carinho que o marido ou o namorado não lhe dão? Por que não comprar a companhia de um homem para afastar uma insuportável solidão? Para buscar algum significado em sua vida? Para acreditar, ainda que, apenas por uma hora, que ela é bonita e desejável? Ou simplesmente para se divertir?

Uma particularidade do Butterfly que eu achei legal, é que tem associadas que vão lá simplesmente a procura de sexo, enquanto outras criam toda uma cena, um cenário, com músicas e roupas caracterizando a fantasia que ela que realizar. Com a Linda a gente vê umas cenas ótimas desse tipo.

Mas, isso tudo é só um pano de fundo que a gente vai conhecendo aos poucos, algo que vemos paralelamente à história principal, a história da nossa protagonista, Rachel Dwyer. Nesse momento do livro, quando vemos a história de Rachel, nós temos desde o passado, quando ela era só uma garotinha do Novo México em 1952. Então o livro vai mesclando presente com passado de uma maneira muito fluida.

Agora pense numa criatura que sofreu. Gente, essa menina passa por cada coisa que a minha aflição ia aumentando a cada fase da vida dela. Rachel vivia com um pai que era praticamente um estranho para ela, uma mãe daquele tipo, cega, que mesmo sofrendo na mão de um monstro de um marido, nada faz. Então vocês imaginem o que é uma menina aos 14 anos ter de fugir de casa após ser abusada pelo próprio pai. Ela que já se sentia sozinha no mundo, tendo os livros e suas histórias como o seu mundinho particular e a única coisa boa na sua vida, agora se vê mais perdida e sozinha ainda. O pior? Ela parte rumo à Califórnia, mas pega o ônibus errado, parando em El Paso, Oeste do Texas, e pra completar ainda roubam a única bolsa que ela tinha, com todo o seu dinheiro.

Danny aparece e tira Rachel de um perrengue danado e a menina que nunca teve ninguém fazendo nada por ela, logo se vê apaixonada por aquele bonito rapaz de sorriso sedutor. Danny, que de salvador não tem nada, a leva para San Antonio, no Texas, para a casa de Hazel, onde Rachel trabalhará para ela junto a várias outras meninas. Acho que não preciso dizer o que elas fazem, certo? Pois é... falei que a vida da menina não foi fácil...

Danny simplesmente acaba com a vida de Rachel, mas... o que é dele está guardado e eu só digo uma coisa, é liiiindo ver essa criatura tendo o que merece.

Infelizmente eu não posso contar mais nada. Esse livro tem umas descobertas, umas sacadas e umas revelações que você se pega embasbacada, de boca aberta literalmente, e se eu fizer menção a alguma delas, vai perder toda a graça e a surpresa. É sensacional!

Como eu falei no início, ele é um livro denso, é muita história. E o interessante é que mesmo ele vindo desde a década de 50, ele aborda assuntos que estão aí no nosso dia-a-dia. Ele vai falar sobre prostituição, abuso infantil, abuso sexual, violência e fanatismo religioso de uma maneira revoltante. E o sexo é muito pouco, quase não tem cenas de sexo e as que tem são muito bem escritas, nada explícitas.

Se você ficou curiosa(o) pra saber qual o problema da Linda e se ela consegue resolver, se a Trudie se ajeita e se a Jéssica toma um jeito naquele casamento, leia!! Se você quer saber como a sofrida vida de Rachel segue, leia!! Se você quer saber mais sobre o Butterfly e sobre quem teve a grande ideia de abrir um lugar como esse, leia!!! Sério, eu ainda me pergunto porque demorei tanto pra ler esse livro.


Mais que recomendado. Butterfly é uma incrível história de vingança, de luta e de superação. E eu não vejo a hora de ler o Stars (2) e o Vip (3). (Prometo não levar mais três anos!)

"Era tudo tão opressivo - a história estranha e sórdida de uma garota fugitiva no Texas, a sua transformação em Hollywood, a cirurgia, a mudança de nome e os anos subsequentes de uma vingança planejada contra o homem que fizera tudo aquilo com ela..."

Título: Butterfly
Série: Butterfly #1
Autora: Kathryn Harvey (Barbara Woods)
ISBN-13: 9788579303494
ISBN-10: 8579303494
Ano: 2012
Páginas: 520
Compre aqui:
Classificação:


Sobre a autora:


Barbara Wood teve diversos empregos antes de se aventurar no mundo dos escritores em 1976. Adotando o pseudônimo de Kathryn Harvey, a autora lançou o primeiro livro da trilogia Butterfly, publicado em 1988, que seria responsável pelo início de sua carreira de sucesso. Atualmente, ela possui vinte e dois livros escritos que foram traduzidos para mais de trinta idiomas.

Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Comecei a ler esse livro por ver a Bia,comentando ele no nosso grupo no whatsaap.Então me peguei curiosa por saber mais sobre ele.Realmente é maravilhoso,é tudo isso que você fala mesmo Bia,estou adorando. E cá pra nós,também tinha ele a algum tempo guardado.kkkk

    ResponderExcluir
  2. E esse livro na minha estante ...

    ResponderExcluir
  3. Oi. Bom saber que esse livro não é como eu pensei que fosse. Sempre tive muita curiosidade em relação a ele. Sempre pé sei em comprar, mas desistia por pensar que seria uma leitura ruim. Vi agora que estou perdendo uma ótima leitura. Obrigada pela resenha, fez mudar minha opinião!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. Adorei! Vai na lista de desejados, adoro livros tem de tudo um pouco e esse pelo visto é tudo na dosagem certa pra não ser um livro bem cansativo. Sem contar a capa que achei muito bonita.

    ResponderExcluir
  5. Oiee

    Eu confesso que não pensei que o livro fosse assim, nem de longe. Achei que era mais um erótico.
    Claro que interessou, fiquei curiosa e quero ler. Adoro histórias fortes, com assuntos polêmicos e reais, e fiquei curiosa pelo Butterfly e suas associadas!!
    A capa é linda!!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. O livro é maravilhoso, confesso que quando comecei pensava ser um daqueles livros hots mal escritos que fazem sucesso só pelas cenas picantes e tive uma adorável surpresa com a história e as reviravoltas do caso. Concordo com você, é um livro denso com muitas histórias, na minha opinião ele merecia umas 500 páginas pelo menos, sim eu não tenho medo de ler livros gigantes.

    Ótima resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Olá, achei esse livro genial, a ídeia da autora de sexualizar a imagem do homem foi maravilhosa, já que fizeram isso com as mulheres por tanto tempo, por que não dar o troco agora né ?
    ótima resenha
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Oie
    não conhecia o livro ainda mas bem legal o enredo e sua resenha ficou ótima, quantos elogios, parece ser realmente bom, não leio muito o gênero mas é bom dar uma variada as vezes

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi

    Sabe que eu não conhecia? É que eu não leio erótico e esse me pareceu ser. Porém sua resenha mostro não ser esse o foco...Enfim. ...essa obra me deixou confusa...

    Porém. ...Amei a sua resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi

    Sabe que eu não conhecia? É que eu não leio erótico e esse me pareceu ser. Porém sua resenha mostro não ser esse o foco...Enfim. ...essa obra me deixou confusa...

    Porém. ...Amei a sua resenha!

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Bia,
    Preciso fazer isso eu minha vida,na minha estante rsrs tenho tantos livros encalhados. Quem sabe uma maratona resolveria o meu problema rsrs
    Gostei da premissa do livro e ainda que não são garotinhas
    Como sempre arrandao

    ResponderExcluir
  12. Oioi! Tudo bem?
    Sou doida para conhecer a trilogia escrita pela Kathryn Harvey.
    As capas sao lindas e mta gente fala tao bem, pena q ta caro ainda e nao comprei.
    Adorei o seu post, nao sabia direito do que se tratava os livros e agora ja tenho uma noçao maior pelo menos de Butterfly.
    Com certeza vou ler, ainda mais sabendo que tem uma história de vingança, de luta e de superação.
    Aadorooo!
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  13. Olá Bia, tudo bem?

    Pela sinopse e por sua resenha realmente ficou claro que “Butterfly” realmente não é um livro erótico, mesmo tendo os seus momentos eróticos. Ele realmente é um suspense pra saber o

    que levou a dona do lugar a fazer o que faz. Mas, mesmo assim ainda sinto um romance envolvido em toda essa trama. Bom, não sei se lerei esse livro, mas conte com indicações!

    Bjus,

    Gabriel Albuquerque

    ResponderExcluir
  14. Achei a resenha ótima. Nunca li nada dessa autora. Vou marcar na minha lista infinita

    ResponderExcluir