Resenhas

quarta-feira, 27 de julho de 2016

:: Resenha 190 :: "Na Estrada Jellicoe", Melina Marchetta


Sinopse: A pequena cidade de Jellicoe, na Austrália, vive uma guerra territorial travada entre três grupos: os estudantes do internato, os adolescentes da cidade e os alunos de uma escola militar que acampa na região uma vez por ano. Taylor é líder de um dos dormitórios do internato e foi escolhida para representar seus colegas nessa disputa.
Mas a garota não precisa apenas liderar negociações: ela vai ter que enfrentar seu passado misterioso e criar coragem para finalmente tentar compreender por que foi abandonada pela mãe na estrada Jellicoe quando era criança. Hannah, a única adulta em quem Taylor confia e que poderia ajudar, desaparece repentinamente e a pista sobre seu paradeiro é um manuscrito que narra a história de cinco crianças que viveram em Jellicoe dezoito anos atrás

Uma poesia em forma de prosa, uma história lírica, poética, com personagens tão viscerais que você fica à flor da pele. Suas emoções ficam em frangalhos, dilacerados e ao mesmo tempo você fica alegre por ter tido a oportunidade de ler um livro assim. Ok, não se assuste! Não tenha medo, Na Estrada Jellicoe não é para te assustar. Ele é uma leitura tão intensa, tão linda que você precisa ler. Sabe aquela história que todo livro é uma viagem? Jellicoe não é uma viagem, é uma jornada, é uma leitura que te muda. Intenso não é suficiente, talvez perfeito, mas mesmo perfeito não faz jus, enfim, eu amei, se ainda não deu para notar! PS: Castro Alves curtiu minha introdução!


Na Estrada Jellicoe é um YA, gênero que tenho me rendido cada vez mais nos últimos tempos. Eles têm uma narrativa mais delicada que me encantam e esse livro em especial possui uma das mais belas que já li. O livro conta a história de Taylor, uma adolescente de 17 anos cheia de nuances e também conhecemos a história de cinco amigos que tiveram seus destinos cruzados na Estrada Jellicoe, uma cidade fictícia na Austrália, há mais de 20 anos e que ficamos sabendo através dos manuscritos de Hannah, tutora da Taylor, deixou para trás em sua cabana e que estão totalmente fora de ordem e de certa forma, as duas tramas tão distantes no tempo (Taylor no tempo atual e os cinco amigos nos anos 90), se ligam formando um todo, e por mais que o livro tenha só 296 páginas, Melina não deixa pontas soltas!

"Lembro de perguntar: "Qual é a diferença entre viagem e jornada?", e de meu pai responder: "Narnie, meu amor, quando chegarmos lá, você vai entender". Essa foi a última coisa que ele disse."

Taylor tem apenas 17 anos, mas já tem muita bagagem emocional nas costas. Abandonada pela mãe viciada aos 11 anos em uma loja de conveniência e com apenas uma leve memória de ter estado nos ombros de um gigante, que ela acredita ser seu pai, Taylor vive no Internato Jellicoe, onde a sua responsável legal, Hannah, trabalha como a responsável por uma das casas (os alojamentos) e mora em uma casa na beira de um rio, perto da escola. E apesar de Hannah ser amável com todos, Taylor acredita que ela está sempre distante dela. Uma coisa que me chamou muito a atenção na Taylor é como a menina ficou marcada pelo que a mãe dela fez. Ela tem um problema muito gritante de se relacionar com o outro. Ela mora no internato há pelo menos 6 anos e mesmo assim não fez amizade com nenhuma das meninas, ou até mesmo deixou alguma se aproximar dela.

"Não sei onde me encaixo. Um dia, quando tinha onze anos minha mãe me tirou de casa. Enquanto eu estava no banheiro de uma loja de conveniência, ela foi embora e me largou lá. Quando a mãe da gente faz uma coisa dessas, esse vira um momento marcante na vida."

Existe uma tradição em Jellicoe. Durante algumas semanas, alunos de uma escola militar de Sydney, acampam na cidade e com a chegada deles dá-se início a uma guerra de território entre os Cadetes (alunos da escola militar), os citadinhos (moradores de Jellicoe que não estudam no internato) e os alunos do Internato Jellicoe. E nessa guerra cada um dos grupos deve ter um líder. Esse ano, Taylor foi escolhida como líder logo quando o líder dos Cadetes é o mesmo menino com quem ela fugiu junto há uns anos, Jonah Griggs. Os momentos entre eles são intensos, tanto Jonah quanto a Taylor tem passados familiares pesados e são pessoas marcadas pelas escolhas que outros fizeram. E sim, existe um clima entre eles, os momentos românticos são fofos, mas o foco do livro não é esse.

"Respiro fundo, observando a cidade diante de mim. Quando viro, ele coloca as mãos no meu rosto e me beija tão intensamente que não sei quem está respirando por quem, e a boca e a língua dele têm gosto de mel quente. Não sei quanto tempo o beijo dura, mas, quando recuo, sinto saudades na mesma hora."

Junto a história da Taylor, vamos lendo a trágica história de Narnie, Webb, Fritz, Jude e Tate. Cinco amigos que se conheceram sob circunstâncias traumáticas. Em um acidente de carro brutal, Tate perdeu seus pais e sua irmã, enquanto que Webb e Narnie perderam os pais nessa mesma batida de carros. Fritz encontra os três na estrada Jellicoe e os salva e os quatro criam um laço, que posteriormente é estendido ao Jude. A história deles é contada fora de ordem, às vezes temos eles um pouco depois do acidente, às vezes já mais velhos, mas uma coisa temos certeza, eles vão passar por mais uma tragédia e só não sabemos como a história deles vai, se é que vai, se ligar a da Taylor.

"Quando você vê seus pais enfiados em sacos pretos na estrada Jellicoe como se fossem lixo... sabe o que acontece? A curiosidade morre."

Na Estrada Jellicoe é um dos poucos livros que li, ultimamente, que trabalha emoções tão profundas para um público tão jovem. Taylor é profundamente marcada pelo abandono da mãe. Apesar de ter apenas 17 anos, sua alma é de velha. Assim como o Jonah, que sofreu anos de abuso do pai até que um dia, ao se defender, acabou matando o pai. São crianças que passaram por barras muito pesadas, e mesmo o livro tendo essa carga, e um pano de fundo que ora é uma guerra não tão inocente assim e ora é uma tragédia anunciada de 5 jovens nos anos 80/90, não conseguimos deixar de ler. É um livro muito intenso, que flerta com o sobrenatural de uma maneira delicada, que brinca com o romance, que nos derrete com a tragédia e nos faz ofegar com a necessidade de proteger a Taylor desesperadamente!

"Ou talvez tenha se cansado. Como ela. Ela se cansava de ser boazinha. Ela se cansava de tentar ficar limpa. Ela se cansou de ser mãe. Eu queria perguntar o porquê para ela, mas você desistiu e ligou pro brigadeiro vir pegar você quando eu estava muito perto de onde eu queria estar."

Se eu recomendo esse livro? Sim, muito. Apesar de intenso, ele é extremamente bem escrito. Melina é uma autora fenomenal que pegou esses elementos pesados e conseguiu dosar em um livro que, de verdade, mexeu com as minhas emoções. Essa foi a primeira coisa que falei para as meninas no Whatsapp, que o livro mexeu comigo ao ponto que eu não sabia como resenhar ele. Essa resenha não faz justiça a força desse livro. Eu sei que termino muito das minhas resenhas dizendo "leia", pedindo para você ler, mas eu vou mudar um pouco e dizer que esse livro você não tem que ler, você precisa se permitir a ser tocado por essa história. Você precisa ler Na Estrada Jellicoe.


Título: Na Estrada Jellicoe
Autor: Melina Marchetta
ISBN-13: 9788555340017
ISBN-10: 8555340012
Ano: 2016
Páginas: 296
Editora: Seguinte
Compre aqui: Submarino
Skoob | Goodreads
Classificação: 




Sobre a autora:

Vive em Sydney, na Austrália, e começou sua carreira literária em 1992, quando publicou Looking for Alibrandi. Foi professora de inglês e história até 2006, quando resolveu se dedicar exclusivamente à escrita. Em 2009, Na estrada Jellicoe recebeu o Michael L. Printz Award, o principal prêmio de literatura jovem adulta dos Estados Unidos.

Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Achei essa capa muito fofo. Só tenho lido elogios desse livro. Esta na minha lista

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Vi essa obra recentemente na amazon e me interesse muito pelo enredo, não sabia que se tratava de sentimentos tão profundos. Espero um dia poder ler essa obra.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  3. Olá.
    Não conheci o livro ainda. Essa deve ser a primeira resenha que leio sobre ele e curti saber que é um livro que mexe com os sentimentos dos leitores, realmente gosto de livros assim. Simplesmente amo livros intensos, então vou curti a leitura, adorei a premissa e anotei a dica aqui.

    ResponderExcluir
  4. Parece ser uma leitura bastante intensa, gosto de histórias que mexem com nossos sentimentos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Talita
    Que linda resenha. Eu já tinha ouvido falar muito bem desse livro e gostei de saber que também gostou.
    Gosto de livros que são profundos assim, e que me emocionam. Se pudesse ler esse livro ficaria na expectativa de me emocionar como você, apesar de ser um livro jovem.

    ResponderExcluir
  6. Oi, achei a premissa do livro bem interessante, uma distopia, YA e uma história lírica, que como vc diz trabalha com emoções bem profundas para um público tão jovem.
    Ficou na lista de leitura.
    Um abç,

    ResponderExcluir
  7. Oie
    muito legal sua resenha, falam muito bem da leitura desde que lançou mas por enquanto ando tão sem tempo que vou deixar a dica passar, mesmo assim curti o enredo

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oii,

    Estou bem curiosa com esse livro, desde que vi um vídeo da editora apresentando o livro.
    A história parece ser bem interessante e com a sua resenha fiquei mais interessada ainda.

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Oiii!!

    Eu não li esse livro e descobri há pouco tempo e já fiquei curiosa. Mesmo sendo uma obra mais densa acredito que seja ótimo acompanhar o crescimento dos personagens e aprender com eles.
    Adorei a resenha.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Confesso que só vim ver a resenha porque achei a capa lindíssima. Adorei ♥
    Entre cartas

    ResponderExcluir
  11. Ooi!
    Já vi algumas resenhas desse livro, todas positivas, infelizmente ele não chama minha atenção, nem sei bem o porque. Mas fico feliz que ele tem sido uma boa para os leitores. :)
    Beijoos!
    http://estantemineira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Esta na minha lista de leitura, sério. Achei o enredo desse livro a minha cara e essa capa é simplesmente maravilhosa.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Venho lendo ótimas criticas El relação a esse livro, então minhas espectativa tão lá em cima, fico um pouco receosa quando isso acontece, porque acabo me decepcionando um pouco, mas vou deixar esse receio um pouco de lado e dar uma oportunidade para o livro o mais rápido possível

    ResponderExcluir