Resenhas

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

:: Resenha 191 :: "O Ar Que Ele Respira", Brittainy C. Cherry


Sinopse: TODOS ME ALERTARAM
SOBRE TRISTAN COLE.

“Fique longe dele”, diziam.
“Ele é cruel.”
“Ele é frio.”
“Ele é perigoso.”

É fácil julgar um homem por causa de seu passado. Olhar para Tristan e ver um monstro.
Mas eu não podia fazer isso. Eu precisava aceitar a dor que vivia dentro dele, porque era a mesma que  vivia dentro de mim.
Nós dois estávamos vazios.
Nós dois estávamos procurando por algo mais.
Nós dois queríamos juntar os cacos dos nossos passados.

Só assim, talvez, conseguíssemos finalmente nos lembrar de como respirar.



Owin... Bora começar a resenha.  

Vamos começar do início...

Tudo começou quando a linda da escritora (e nossa parceira) Cinthia Freire (quem quiser conhecê-la é só clicar aqui e para quem quiser conhecer o maravilhoso livro que ela escreveu, é só clicar aqui na resenha da Bia).

Certo, então, como estava falando, a dona Cinthia acabou postando a divulgação da prova de capa do mais novo livro do Grupo Editorial Record, O Ar que Ele Respira da Brittainy C. Cherry, autora do livro Sr. Daniels. Nessa postagem não tinha data definida ainda, apenas que seria lançado pelo selo Record. Ok... Cinthia, então, tava toda trabalhada em soltar corações pela boca em relação a esse livro, uma vez que ela já conhecia a história. Sendo assim, o radar da titia Grá detectou o sinal dos corações e foi ao seu encontro e quando deparou com um barbudo maravilhoso na capa, com cara de bravo/sofrido, titia Grá surtou, simmm surtou, pois titia Grá adoraaa personagens quebrados, com histórias intensas que fazem você querer pegar eles, abraçar e dizer enquanto os conforta: 

Tá tudo bem...Eu tô aqui agora! Vai ficar tudo bem...

Enfim... voltando ao foco mais uma vez. Eu peguei a Cinthia e despejei milhões de perguntas sobre o tal livro do barbudo gostoso/bravo/sofrido, e as respostas me deixaram cada vez mais ansiosa para ler. Aí comecei a minha peregrinação e comecei a arrecadar fiéis para essa nova jornada de devoção ao barbudo gostoso/bravo/sofrido. Comprei o livro para a minhas novas peregrinas (Crika, Marli e dona Bia), atrapalhei a Maratona Literária de Inverno de todo mundo, pois se eu ia ler o tal livro, o restante também leria. Montamos um grupo exclusivo para surto do barbudo, onde arrecadamos mais uma peregrina (a dona Fran). 


É isso aí... Se eu vou ler, vocês também vão ler e pronto! Tá pensando o que? Aqui é casa da mãe Joana, sim! Vou bagunçar suas vidas, seus sentimentos, e até a ML2016 de vocês... Sou dessas! Me julguem... 

Então cá estou, para contar para vocês, coleguinhas, como foi o resultado dessa jornada sagrada, até chegar ao final de um dos livros que virou um dos meus favoritos desse ano. Onde vou guarda-lo em um lugar muito, mas muito especial.  


O Ar que Ele Respira vai contar a história de Elizabeth (Liz, para os íntimos), uma recém-viúva de 28 anos que está tentando seguir em frente, com a sua filha Emma de 5 anos. Mesmo com a dor da perda ainda a consumindo dia após dia, Elizabeth está tentando criar forças, até porque, Emma (uma fofa, por sinal) está viva e precisa da mãe mais do que tudo nesse momento. 

Quando seu marido Steven morreu, Elizabeth se refugiou na casa da mãe problemática, deixando para trás, sua casa e as lembranças de uma vida feliz. Um ano depois, ela decide voltar e recomeçar, mas ao retornar à pequena Meadows Creek, percebe que além da cidade continuar igual em relação as fofocas e antigos amigos, ela também abriga um novo vizinho. 

E que vizinho...

Já vou avisando que quem criou esse vizinho aí, foi a dona Brittainy C. Cherry, sendo assim, eu só vim mostrar quem é o vizinho. 


Esperando discretamente, o vizinho passar....

Ok... Voltando ao foco mais uma vez hahahaha, então... o tal vizinho é Tristan Cole, um cara de 33 anos que tem a reputação de ser o mais grosseiro, solitário e bastante perturbado que a face da terra já conheceu. Ahhh e para completar ele até "matou" um gato que não parava de miar (sentiu o grau do quanto o cara tá mal visto aos olhos das fofoqueiras maldosas de plantão?), sendo assim, além de ser o cara mais mal falado da cidade, ele também é o mais evitado.

Como assim, essa delíci...quer dizer... vizinho, é evitado???

Então, com um currículo desses, era de se esperar que a dona Elizabeth ficasse bem longe dele, certo? Errado... Depois de alguns acontecimentos (que claro, não vou contar), ela é atraída cada vez mais por Tristan. A parada é que ela sabe que por trás do ser intratável, há um homem que foi devastado pela perda também. E para Elizabeth, isso é praticamente um reconhecimento de sentimentos. Mesmo Tristan se fechando, pois é extremamente excruciante para ele falar sobre sua dor, Elizabeth acredita que ambos podem se ajudar, mesmo ele tentando eliminar qualquer tipo de contato.

"Nós dois estávamos em mundos separados, feitos de nossas pequenas recordações, e, ainda assim, conseguíamos sentir a dor do outro. A solidão reconhecia a solidão."

São momentos de uma intensidade inexplicável, onde pequenos atos acabam modificando os rumos dos envolvidos. E você acaba presenciando o medo e a esperança de ambos, de se deixar levar em uma realidade completamente desconhecida. Sim, pois quando estamos de luto, aniquilamos qualquer possibilidade de continuidade de uma perspectiva positiva. Sentimos saudade e lutamos contra o encerramento da história que vivemos. A dor é uma violência para a alma e tanto Tristan quanto Elizabeth sabem disso. Quando se perde alguém violentamente, de modo repentino ou inesperado, quem fica continua praticamente sobrevivendo e não vivendo. 

Sendo assim, as pessoas que estão presentes na vida de Tristan e Elizabeth (tirando as fofoqueiras de plantão), tentam de todas as maneiras trazer um pouco de conforto para esses corações dilacerados. Na maioria das vezes, eles estão praticamente pisando em ovos, sem saber como ajudar. Até porque, mesmo a morte estando presente na vida de todos nós, a morte é vista como algo a ser evitado, deixado para trás. A gente não quer pensar nela, ela existe e isso é um fato, mas é um fato que não queremos. A superação é um caminho longo, e vários estudos indicam que diante da morte, qualquer ser humano passa por cinco estágios: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. E esses estágios não são necessariamente seguidos por essa ordem, eles podem se misturar ou até serem vividos ao mesmo tempo. E é aí que a autora se destaca, e é interessante, pois Brittainy consegue mostrar  muito bem esses estágios durante os momentos de cada personagem. Sem deixar o livro com uma carga exagerada de drama sem necessidade. Conforme você vai lendo, você percebe que esses momentos são necessários sim, pois mostram de uma maneira realista a devastação que a morte causou para ambos. E você é capaz de entender as ações e as consequências de Tristan e de Elizabeth, uma vez que o livro é narrado pelo ponto de vista dos dois.

E antes que vocês achem que o livro é só dor e dor, titia Grá já adianta que não é só isso não! 

Aqui a parada também é outra, aqui vocês vão sim se emocionar, pois o caminho para a superação é arrebatadora e não tem como não chorar, mas vocês também vão rir bastante e a responsável por isso é a dona Faye (que em minha opinião é a cereja do bolo nesse livro hahahahaha), amiga da Elizabeth. Gostaria muito de colocar um trecho da Faye, mas prefiro que vocês tenham o prazer de descobrir a peça rara que ela é enquanto estiverem lendo. Eu a amei de cara e confesso que adoraria ler um livro só dela hahahahaha. Também vão soltar vários e vários coraçõezinhos pela boca, quando a pequena Emma entrar em cena. Sério, gente! Eu queria entrar no livro e apertar ela, até virar purê! Ela é simplesmente encantadora e porra, ela é uma criança que ama zumbis! hahahaaha Uma filha perfeita p/ mim.   

Ahhh e vocês também vão sentir raiva (porque ninguém tem sangue de barata). E quando vocês acharem que já sabem de tudo, que o caminho já é certo nessa história, vem a dona Brittany e dá um oléééé, mostrando que o buraco é mais fundo, irmão!  

Não acredito nisso! Sério?

Enfim, eu devorei esse livro. Ele simplesmente conquistou o meu coração bipolar e fez com que eu ficasse levando o livro para tudo que é lugar, mesmo depois te terminá-lo. Louco né? Mas a real foi que depois que terminei de lê-lo, eu simplesmente não queria  me separar dele. Gostaria que a história continuasse, pois é um livro que me marcou demais e me fez questionar em vários momentos, de como somos quando a dor chega. Pois dor é dor, e requer muita força, paciência e aceitação para tentar voltar aos eixos. É uma trajetória complicada, que tira a nossa compreensão de tudo e de todos. É uma violência para a alma e nos faz questionar se ainda vale a pena viver. E quando encontramos o que poderia ser um ponto de esperança, o medo chega trazendo questionamentos e aí a gente trava e pensa demais. Esse livro a meu ver é uma boa lição para se levar adiante.  

"As pessoas falam muito e se atrevem a dar conselhos sobre como superar o luto. Elas dizem que você não deve namorar por anos, que deve esperar o tempo passar, mas a verdade é que não existe tempo para o amor. A única coisa que importa para o amor é a batida do seu coração. Se você ama, não deixe isso te atrapalhar. Apenas se permita sentir novamente."






"Todo mundo merece ter pelo menos um amigo em quem possa confiar seus medos e segredos. Suas culpas e alegrias. Todos merecem ter uma pessoa que vai olhar em seus olhos e dizer: "Você é autossuficiente, você é perfeito, mesmo com todos os seus problemas."



"Ele era um trovão, eu era relâmpago e nós estávamos há segundos de distância de criar a tempestade perfeita."


"(...) - Você já pensou em mim como algo mais do que sua amiga?

Elizabeth viu a resposta em meus olhos. Senti a alma dela tocando a minha, seu olhar repleto de surpresa e curiosidade, sua beleza envolta em uma aura de mistério.
Eu pisquei.
- A cada segundo.Cada minuto.Todos os dias."

Sabe aquele lugar entre os sonhos e os pesadelos?Aquele lugar onde o amanhã não chega e o passado não dói mais?O lugar onde seu coração bate em sintonia com o meu?Aquele lugar onde o tempo não existe e é mais fácil respirar?Quero viver nesse lugar com você. - TC

 “Ela era simplesmente o ar que eu respirava.”


Entendedores, entenderão... 

Bom, é isso coleguinhas... Recomendadíssimo! Espero realmente que vocês possam dar uma chance de colocar ele em suas listas. Certeza que não vão se arrepender! Esse livro virou um dos meus favoritos até agora e a narrativa fluida e cativante da Brittainy é um dos pontos positivos. E é como falei antes, ela tem a total capacidade de relacionar os momentos intensos sem cansar ou se perder na história, resumindo, ela consegue um contexto perfeito.

Título: O Ar Que Ele Respira
Título original: The Air He Breathes
Autora: Brittainy C. Cherry
ISBN: B01IND9TES
Ano: 2016
Páginas: 308
Editora: Record
Compre aqui: Saraiva
Classificação: 


Sobre a autora:


Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin.

Comente com o Facebook:

20 comentários:

  1. Que resenha linda Grazi, adorei a intensidade de seus sentimentos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Que resenha linda Grazi, adorei a intensidade de seus sentimentos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. O que dizer... fiquei, e ficamos querendo o Ar desde barbudo. Resenha perfeita! Apaixonadas pelo Barbudo rsss uma dica ótima com história super envolvente e emocionante.

    ResponderExcluir
  4. Como eu presenciei "de perto" toda sua emoção eu consegui sentir tudinho aqui nessa resenha MARAVILHOSA !!!! Amei surtar, enlouquecer com vcs, esse livro vai ficar na nossa história literária de 2016.
    Os gifs estão perfeitos como sempre: Esperando discretamente, o vizinho passar.... kkkkkkkkkkkkkk top !!!!
    Eu amei cada linha desse livro, obrigada por me incluir nessa peregrinação, AMEI !!! AMEI !!! AMEI !!!

    ResponderExcluir
  5. Ola
    Adoro suas resenhas, até os dramas mais chorosos ficam divertidos com você. Mas pera aí como assim matou um gato *gospe fogo*
    Eu não sou muito o publico do livro e não gosto dos barbudos, mas o carinha até que é bonitão mesmo XD

    ResponderExcluir
  6. Oi.

    Preciso desse livro pra ontem, não posso mais esperar para ler. Depois que li Sr. Daniels fiquei apaixonada pela escrita da autora, tanto que quando vi o lançamento desse livro quase surtei (louca, eu sei!). Acho que desse mês não passa, vai ser minha próxima compra e uma das leituras de agosto. Sua resenha está maravilhosa como sempre, me divirto muito lendo ela.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Que maravilha de resenha, Gra!
    Fiquei olhando pra última montagem e vendo a Emma, o dog e a pluma e veio uma vontade de ler outra vez, hahahaha. Certeza que daqui a um tempinho vou repetir. Lindo demais!!
    PS: Quer dizer que sou uma peregrina? hahahaha
    PS2: Bagunçou a MLI de todo mundo mesmo, mas valeu a pena! rsrs <3

    ResponderExcluir
  8. me diverti lendo a resenha, cada vez mais tenho vontade de ler o livro. O título tem tudo a ver, mas quem fica sem ar somos nós. Mais uma paixonite literária ai ai

    ResponderExcluir
  9. Esse livro é realmente a cara da Cinthia Freire.
    Eu estou maluquinha para ler esse livro e espero ter essa oportunidade em breve, pois estou muuuuuuuuuito curiosa, a premissa é simplesmente maravilhosa assim como a capa do livro. Eu tenho certeza que assim como você eu não desgrudaria do livro e o carregaria para todos os lugares. Espero me emocionar também.
    ótima resenha e adores os quotes que vc escolheu.

    ResponderExcluir
  10. Olá, essa capa tem um negócio que atrai a gente, né? rsrs
    Só por ela eu já estava interessada em ler o livro, mas pela sua resenha, parece que a história é boa também. Certamente lerei quando puder.

    ResponderExcluir
  11. Oii
    Tudo bom??
    Eu estou louca pra ler esse livro!
    Só li coisas positivas a respeito, e sua resenha só fez me deixar ainda mais ansiosa para ler!
    Adorei!
    Bjos

    Every Little Book

    ResponderExcluir
  12. Olá! Vi a Editora Record fazendo a divulgação desse livro e te confesso que a capa me chamou atenção, pois passa a sensação que ele realmente está sofrendo. Gostei bastante da premissa, gosto de histórias assim, onde tem bastante drama e reviravoltas. Beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  13. Oiee

    Adorei sua resenha!
    Apesar de já ter visto outras super positivas também do livro eu não consigo sentir vontade de ler. Eu sei, pode jogar pedras kkkkkkk, me sinto até um peixe fora d'água. Mas quem sabe uma hora desperta.
    Gostei muito da sua resenha e das imagens!!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Hello! Tudo bem?
    Eu nao gostei mto de Sr. Daniels, mas amei a escrita da Brittainy C. Cherry.
    Por isso eu pedi para ler O Ar Que Ele Respira e achei essa capa tao linda.
    Estou animada a ler e é a primeira resenha que leio, gostei mto de saber a sua opinião.
    Tenho certeza q vou me emocionar mto e ficar com o coração na mao.
    Vou ler esse mes.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  15. Que história bonita! Fiquei com pena de Liz, viúva tão jovem e com uma filha pequena. Estou muito curiosa para saber como se desenrolará a história de Liz e Tristan. Não sei se eu arriscaria um envolvimento no lugar dela, afinal, o maluco até matou um gato. Já coloquei na minha lista.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Eu estou com esse livro na pilha para leitura, e espero logo começar a leitura. Eu já li o outro livro da autora publicado no Brasil, e gostei muito da narrativa. Espero gostar desse romance, e esse barbudo na capa já é mania de todas kkkkkk
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. Eu amo essa autora, mas não gostei do livro. Achei o enredo muito pesado e cansativo. Fiquei dias indo e voltando dessa leitura. Os personagens não me conquistaram também.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi!!
    Que resenha empolgante rsrs, eu ainda não tinha lido nenhuma sobre esse livro e agora entendo o porque de alguns leitores estarem amando a história.
    Você me convenceu a procurar o livro, com certeza vou ler ele ainda esse ano.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  19. fizeram um hype tão louco nesse livro que não tive menor animo em ler ele.

    ResponderExcluir
  20. Eu estava contando os dias para o meu exemplar chegar e desde que ele chegou eu estou enrolando para começar a ler... É que eu me apaixonei pelo Sr Daniels e a escrita da autora e tenho a sensação de que irei me apaixonar ainda mais por esse livro. Mas me parece que vai ser aquele tipo de paixão de não querer ler mais nada por um tempo depois, sabe? Porque me parece que esse livro tem tudo para ser perfeito.
    E essa citação sobre tempestade???? Perfeita demais!!!!!
    E não vou nem comentar sobre as imagens do vizinho barbudo perfeito! Ah um desses aqui por perto!!!!!!
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir