Resenhas

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

:: Resenha 198 :: “O Príncipe dos Canalhas”, Loretta Chase


Sinopse: Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.
Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Olá, pessoal! Quem acompanha o blog sabe que este foi um dos livros que eu coloquei na minha TBR da Maratona Literária de Inverno 2016, e que quando a maratona terminou, eu estava no iniciozinho dele, flopando bonito. Maaaasss, tudo certo, eu pude ler o livro com um pouco mais de calma, sem aquela preocupação de estar numa maratona e pude entender porque falam tão bem dos romances de época da Loretta.


Em O Príncipe dos Canalhas nós vamos conhecer o marquês de Dain, Sebastian Ballister ou Belzebu, como queira chama-lo rs. Dain teve uma infância muito, muito difícil. Rejeitado pelo pai que não suportava olhar para aquela criança esquisita e desengonçada – com um nariz enorme, braços e pernas finas e compridas demais – e abandonado pela mãe, Dain foi mandado para a escola e sofreu todo tipo de humilhação por conta de sua aparência.

Mesmo com todas essas dificuldades e por ter sido sempre visto como cria do diabo por conta das características físicas estranhas, anos mais tarde, já adulto, Dain conquistou o respeito de muitos por ser muito inteligente, perspicaz, e claro, pela imponência de seu tamanho.

Devido a sua “feiura” – vamos dizer assim, ele acaba se acostumando com a rejeição das pessoas, principalmente das mulheres, ficando assim com a forte fama de patife e garanhão, fugindo das damas decentes e se divertindo e se satisfazendo com as prostitutas, sempre muito bem pagas para fazerem tudo e qualquer coisa com aquele homem tão rude e “feio”.

Fato é que eu achei bem exagerada a descrição que Loretta fez de Dain. Ele podia ter sido uma criança desengonçada, até porque meninos ficam desengonçados uma certa época quando estão crescendo. Mas com certeza Dain se tornou um adulto muito, muuuito interessante ao meu ver rsrsrs (não tenho problemas com narigudos). Ele se tornou um homem bem corpulento, um moreno alto, forte com mãos grandes e expressivos olhos escuros. XD

Bom, nós também vamos conhecer Jessica Trent. Jessica vai para Paris tentar salvar o lerdo do irmão dela que é uma toupeira que está torrando todo o dinheiro da família nas loucuras que anda fazendo, tentando acompanhar a vida de farra de Dain.

O lance é que por mais que Dain seja um cara sagaz que herdara todas as posses do pai após este morrer, por mais que ele seja muito inteligente e rico, ele é um canalha, não podemos esquecer. Ele vai estar sempre na companhia das bebidas e das mulheres da vida e ele tem um grupinho de homens que meio que seguem Dain como se eles fossem os aprendizes, os discípulos do Lorde Belzebu. E nesse meio está Bertie Trent que parece mais o cachorrinho de Dain, fazendo tudo pra ele.

E é aí que Dain e Jessica se conhecem. Ela tem plena noção de como o marquês é, a fama que ele tem, mas claro que ela não estava preparada para a reação que ele lhe causaria ao encontra-lo. É muito legal ver que diferente de todas as outras pessoas, Jess se vê encantada por aquele homem rude e sarcástico. E o melhor é que ela também é assim. Jessica é uma mulher muito avançada para a sua época. Adorei ver o quanto ela batia de frente com ele, desafiando-o sem nunca deixa-lo por cima, ele falava algo e ela rebatia na mesma altura, o que intriga e desperta o interesse do marquês também.

O mais legal é que não vemos certos mimimis que vemos em alguns livros e personagens em romances. Jessica se vê mexida pelo Belzebu e conta para a avó, outra mulher tão forte e pra frente quanto a neta. Ela não esconde que se sente atraída e a avó a aconselha a fisgar o marquês, mesmo ele sendo quem ele é, tendo a fama que tem. E é exatamente isso que ela faz, ela parte para essa conquista. Lembrando que Jess já dispensou vários pretendentes pelo simples fato de não se prender muito a essa coisa de casamento apesar de ser um absurdo, naquela época, ela ser uma solteirona. Mais uma prova de que ela é uma mulher a frente de seu tempo, inteligente e confiante.

Quando Jessica compra uma pintura muito valiosa por um preço ridículo, Dain acaba ficando ainda mais intrigado com aquela mulher, até porque ele havia avaliado a mesma pintura antes dela e não percebeu o quanto a obra era valiosa. Por conta disso, começa uma espécie de batalha entre os dois, uma disputa pra saber quem é mais irritante e sarcástico rsrs.

O Príncipe dos Canalhas é um romance diferente dos que eu estava acostumada a ler. Loretta cria diálogos e personagens inteligentíssimos, interessantes e fortes. Dain é um canalha, mas é uma pessoa boa e um homem encantador, apesar de todos os problemas que teve e que o tornaram o homem rude e duro que ele é. Jessica é uma dama diferente das outras. Nada de ser uma mulher submissa a sociedade, nada de ser frágil e delicada. Ela é firme, inteligente, que sabe o que quer. Mas é claro que eles têm as suas fraquezas. Justamente por conta da infância difícil e por conta da aparência “assustadora” que sempre teve, Dain se fecha a possíveis sentimentos verdadeiros. Ele meio que se acostuma a ver as mulheres se afastando dele, então é muito difícil para ele entender o porque daquela mulher linda que é Jessica, estar sempre por perto sem medo algum. Assim como Jessica, em um determinado momento do livro que eu não vou me aprofundar para não estragar a leitura de vocês, se vê preocupada com a sua reputação.

São apenas 288 páginas, mas muito bem desenvolvidas, com seus personagens bem construídos e sua trama envolvente. Vamos ter passagens densas e tristes, vamos ter sarcasmo e humor, vamos ter brigas, intrigas, tiro, porrada e bomba (mentira, bomba não tem, não), sangue, beijos ardentes e um romance entre duas pessoas fortes que sabem o que querem e não têm papas na língua.

Livro delicioso que eu super recomendo e fico me perguntando porque diabos demorei tanto para ler!

"Qualquer mulher com um mínimo de bom senso ergueria a barra das saias e fugiria.
O problema era que Jessica não conseguia chegar àquele nível de sensatez. Uma corrente magnética percorria seus nervos. Contorcia-se e esgueirava-se pelo seu organismo, criando um calor estranho e entorpecente que derretia seu cérebro de maneira impiedosa.
Queria arrancar os sapatos e deslizar o pé coberto pela meia de seda por aquela bota, de cima a baixo. Queria deslizar seus dedos por baixo da camisa engomada que ele usava e acompanhar os contornos das veias e os músculos do seu pulso e sentir-lhe a pulsação. Acima de tudo, queria pressionar seus lábios naquela boca dura e depravada e beijá-la até perder os sentidos."

"Você me fez desejá-la, disse ele na língua de sua mãe. Você fez com que eu me sentisse solitário, apaixonado. Você me fez desejar o que eu jurei que nunca precisaria, que nunca procuraria."

"Fez uma anotação onde indicava que ela não o achava repugnante e propôs várias explicações: (a) visão e audição prejudicadas, (b) um pequeno defeito em seu intelecto, que, em todos os outros assuntos, era impecável, (c) uma excentricidade da família Trent ou (d) um ato de Deus. Como o Todo-Poderoso nunca havia lhe concedido a dádiva de um único ato de gentileza em pelo menos 25 anos, Dain pensou que já não era sem tempo..."

"Dain cobriu a boca de Jessica para calar aquelas palavras fatais, mas elas estavam penetrando em seu coração ressecado, até mesmo enquanto a preenchia com sua essência. Não conseguia impedir que seu coração bebesse aquelas palavras, não conseguia impedi-lo de acreditar nelas. Tentara mantê-la a distância, assim como tentara não precisar mais dela. Um esforço inútil.
Ele nunca estivera, e nunca estaria, a salvo de Jessica.
Femme fatale.
Ainda assim, havia maneiras piores de morrer.
E Carpe diem, disse ele a si mesmo, quando desmoronou sobre ela."

Título: O Príncipe dos Canalhas
Título original: Lord of Scoundrels
Série: Canalhas # 1
Autora: Loretta Chase
ISBN-13: 9788580413991
ISBN-10: 8580413990
Ano: 2015
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Compre aqui: Shoptime, Submarino
Classificação: 


Sobre a autora:


Loretta Lynda Chekani nasceu em 1949 numa família albanesa. Assim que aprendeu a escrever, passou a pôr no papel as histórias que inventava. Formou-se em inglês pela Clark University, onde trabalhou meio período como professora, ao mesmo tempo que escrevia roteiros.
Foi quando conheceu um produtos que a inspirou a publicar suas histórias. Os dois acabam se casando. Com o sobrenome do marido, Loretta Chase vem publicando romances históricos desde 1987, pelos quais ganhou vários prêmios, inclusive o RITA, da Associação Americana de Escritores de Romances, por O Príncipe dos Canalhas.

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Ainda não li. Tenho certa resistência a romances de época,mas são tantas indicações positivas que estou pensando seriamente em mudar de opinião

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto muito de romance de época e esse livro está na minha lista de leitura faz tempo. Só li coisas maravilhosas sobre ele e a sua resenha é mais um exemplo disso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Com tanta resenhas maravilhosas, também fico me perguntando porque diabos ainda não iniciei a leitura desse livro. Gosto muito da forma como Jess se vê no mundo, isso da um parâmetro direfente a leitura, até mesmo pela maneira que a autora a descreve. Sou muito curiosa para saber como as relação dos dois segue até realmente aceitarem os sentimentos. Enfim, pretendo ler, com certeza.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  4. Tenho uma amiga louca por esse livro que só quer que eu leia,mas não acho muito meu tipo pelo que ela falou.Ai li a resenha e tive certeza kkkk Não curto muito romances e muito menos de época

    Beijos
    http://dreamydepernasproar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Sou totalmente suspeita para falar dos livros da Loretta. Gostei muito desse livro, mas pra mim O Último dos Canalhas foi muito melhor. Apesar de ter amado a relação do Dain e da Jess, não gostei muito da forma como ela e o marquês tratavam o Bertie, mas todo o desenrolar é maravilhoso. Mas como disse, sou suspeita em falar... kkkk

    Raissa Nantes

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Há tempos ando querendo ler algum romance de época (me corrija caso este não seja um deles), achei a sinopse bem interessante, boa resenha!

    Abraços, Heitor Botti
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oie
    não sou fã de livros do gênero mas acho essa capa uma graça e talvez um dia eu até leia se for dar chance para o gênero pois esse enredo é bem legal, ótima resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem.

    eu só ouço elogios sobre este livro. Fui ao evento de romances de época e as meninas falaram tão bem que fiquei super curiosa, agora lendo sua resenha aguçou mais minha curiosidade. Gosto de romance, onde a personagem não é muito boba e toma atitudes sensatas. Este parece ter a personagem feminina que curto.

    beijos
    http://chalecult.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu amo a Editora Arqueira porque ela sempre trás as melhores séries de Romance de Época, graças a ela que e envolvi nesse mundo e estou adorando.

    Abçs

    ResponderExcluir
  10. A resenha está linda !!!! Esse livro é uma graça, eu AMEI !!!!

    ResponderExcluir
  11. Eu ando completamente apaixonada pelos enredos da Loretta Chase, ela realmente sabe como escrever um bom romance de época, não tem como negar. Recomendo muito que leia a série das Modistas. É ótima também.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir