Resenhas

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

:: Resenha 199 :: "Qualquer Outro Lugar Série", A.G. Howard


Sinopse: Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo.
Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha.
Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração.
E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre.

Alice no País das Maravilhas é um daqueles livros que todo mundo já ouviu falar, seja o livro, o filme animado da Disney ou o filme live action também da Disney que ganhou toques pop e sombrios com o Tim Burton. De todo caso, todo mundo sabe algo sobre a história da menina curiosa que segue o coelho branco, cai em um buraco e vai parar em outro mundo, repleto de loucura e aventuras. Talvez por isso essa história já ganhou tantas releituras ao longo da vida. Temos a história clássica do Lewis Carroll (que na realidade são dois livros, Alice no País das Maravilhas e Alice através do Espelho), temos histórias voltadas a Rainha de Copas, temos jogos com uma Alice abraçando a loucura (que eu sou louca – trocadilho – para jogar!!) e temos a série O Lado mais Sombrio que eu venho falar com vocês sobre o terceiro (e último) livro dessa série! 

Nunca canso de repetir que falar de um terceiro livro nunca é fácil, ainda mais quando ele é a conclusão de uma série, sempre rola aquele medinho de soltar spoiler! Eu vou começar dizendo que os livros são extremamente ligados entre si, ou seja, é impossível ler o Qualquer Outro Lugar sem ter lido antes O Lado mas Sombrio e Através do Espelho, tem que ler os anteriores para entender quem são os personagens e como a Howard trabalhou essa versão, então esse é o ponto principal, tem que ler os anteriores, não adianta dar jeitinho, não adianta tentar ler as resenhas, precisa ler os livros!


Mas nem por isso eu vou deixar de pincelar o que é essa série. Sabe a Alice que caiu na toca do coelho? Ela realmente existiu. Alice Liddel era filha de amigos do Lewis Carroll e foi inventando histórias para ela que o autor fez os livros originais. O que a A.G.Howard faz? Ela cria uma linhagem alternativa dos Liddel que em algum momento foram parar no Texas, EUA e são marcados por mulheres conhecidas por sua loucura, incluindo a própria Alice que é dita ser louca nesse universo alternativo da Howard. Anos se passam entre Alice e nossa Alyssa, ela é descendente dos Liddel, e para piorar, no começo do primeiro livro sua mãe está internada em um manicômio e a nossa Alyssa sabe que o seu destino é a loucura já que ela escuta os insetos e flores falarem com ela.

"Mas não existe uma “poção do esquecimento” que eu possa tomar. E, mesmo que houvesse, não a tomaria. Nada pode ser apagado se quero consertar as coisas para todo mundo. E vou fazer isso, não importa quanto me custe no fim."

Muita coisa acontece entre os livros um e dois e descobrimos a verdade sobre a loucura que afeta a família da Alyssa. Conhecemos o Reino Intraterreno, que a Alice conheceu ao cair no buraco do coelho e as criaturas que lá habitam, e descobrimos que na realidade nossa Alyssa não é descendente da Alice, e sim da Rainha Vermelha que viveu no reino humano no lugar da Alice e teve filhos. Suas descendentes mulheres, herdam seus poderes e por isso são confundidas com loucas e também conhecemos o Morpheu. Lembra da lagarta que está sempre com um narguilé? Ela se transformou em um belo homem, com asas e cabelo azul, homem esse que se transformou em criança e vivia nos sonhos da nossa Alyssa criança, homem agora que ama a Alyssa de 16/17 anos.

"Jeb vem à minha cabeça. Ele é como papai em muitos aspectos. Protetor, moralista e gentil. Será que perdeu seu sentido estrito de preto e branco, de certo e errado, para se adaptar a um mundo de criminosos intraterrenos? Ele deve ter precisado fazer isso. É um sobrevivente. Sua infância é a prova. Espero apenas que ele não tenha esquecido como perdoar. E espero que Morfeu me perdoe também."

Pausa para uma explicação porque eu não me aguento! Muita gente confunde a Rainha Vermelha com a Rainha de Copas! Em parte, grande parte do público atual conhece a história de Alice graças a sua mais recente adaptação cinematográfica, onde ele fundiu as duas rainhas em uma só, chamando-a de Vermelha para antagonizar com a Rainha Branca. Na história original temos a Rainha de Copas (a que corta cabeças e tem mania por tortas, dona do exército de baralho de cartas) e a Rainha Vermelha (a do julgamento e que se parece com uma peça de xadrez). Copas é a rainha do primeiro livro País das Maravilhas e a Vermelha, do segundo livro, Através do Espelho. #ViciadosEmLeituraTambémEhCultura



Voltando a nossa história, Alyssa é apaixonada por Jeb, seu amigo de infância e (depois dos eventos do primeiro livro) seu namorado, e quando Alyssa descobre ser uma mestiça, meio humana, meio intraterrena, ela percebe que seus dois lados estão divididos em relação ao amor, enquanto seu lado humana ama Jeb, seu lado intraterreno ama Morpheu. E essa divisão é o grande motor do livro, não pelo triângulo amoroso, mas porque cada um deles representa um lado da Alyssa. Ela deve ignorar o País das Maravilhas e ser humana ao lado de Jeb ou deve abraçar seu lado louco e cruel e, como é descendente da Rainha Vermelha e portanto uma rainha, ser coroada Rainha e viver ao lado de Morpheu? Mais do que uma dúvida amorosa, escolher um dos dois e, para Alyssa, escolher quem ela vai ser!

"Porque as coisas que eu abomino nele são as coisas que ela adora: o sarcasmo, a condescendência irritante. Seu domínio ameaçador das meias verdades e dos enigmas. O modo como ele me empurra para o perigo, me força a olhar para além dos meus medos e a alcançar meu potencial completo. Acima de tudo, porque me encoraja a acreditar na loucura... nela... meu lado mais obscuro: a rainha que nasceu para reinar no reino Vermelho e dar ao País das Maravilhas um legado de sonhos e imaginação."

E se você está pensando que essa escolha é fácil, pense de novo! Jeb é sólido, seguro, um verdadeiro cavalheiro cujo passado sombrio e repleto de cicatrizes, combina e entende o da Alyssa. Morpheu é a loucura em forma de ser, manipulados, às vezes cruel, às vezes louco, e como eu tenho um fraco por bad boys com sotaque inglês que falam “amor”, eu sou completa e perdidamente apaixonada por ele! Quem a Alyssa vai escolher? Como a Alyssa vai dar fim a loucura? Ou será que ela vai abraçar a sua loucura? A Rainha Vermelha não quer ser esquecida e vai infernizar a vida da sua descendente, como? Por que? O que vai acontecer? Só posso falar que para descobri tem que ler essa série!

"Sentir... uma palavra tão simples, exceto a uma rainha intraterrena mestiça para quem não só a vida está se desfazendo, mas o coração também."

No geral, falando nos três livros (os dois primeiros eu li super-rápido para poder ler o que a Novo Conceito cedeu), essa releitura gótica, livremente inspirada no filme do Tim Burton me agradou muito! Tem momentos que é impossível largar o livro. Os acontecimentos, as maquinações do Morpheus, a eterna luta da Alyssa para aceitar seus dois lados, são muitas coisas acontecendo que te prendem do começo ao fim. E para completar, Howard cria um universo ao mesmo tempo gótico e louco, assustador e sedutor. Poderia cair no terror, mas existe uma fascinação, uma certa dose de loucura em que emergimos que o livro não se torna assustador, e sim, fascinante. É uma série no melhor estilo YA fantástico, ela é imperdível, mas, deixou alguns furos no final, senti falta de, pelo menos, mais um ou dois capítulos. Não compromete, mas tira um pouco o brilho que essa série teria. Foi muito bom, mas tinha potencial para ter sido excelente se não tivesse corrido tanto no fim, e só por isso não leva o bolinho do favorito.



Título: Qualquer Outro Lugar
Série: O Lado mais Sombrio #3
Autor: A. G. Howard
ISBN-13: 9788581638300
ISBN-10: 8581638309
Ano: 2016
Páginas: 416 
Compre aqui: Saraiva; Amazon
Classificação:

Sobre a autora:

A. G. Howard escreveu seu primeiro livro, O Lado Mais Sombrio , enquanto trabalhava em uma biblioteca escolar. A autora espera que o seu intrigante e psicodélico tributo a Lewis Carroll inspire os leitores a se interessarem pelas histórias que ela aprendeu a amar na infância. A. G. Howard vive em Amarillo, no Texas.

Comente com o Facebook:

15 comentários:

  1. Eu sou apaixonada nas capas desses livros, eles estão na minha lista de desejos e quero ler LOGO !!!

    ResponderExcluir
  2. Essa série parece ser bem interessante, além de fazer uma abordagem interessante da história da Alice

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Sou uma fã da obra original e de Alice no geral, mas acabei não gostando do filme do Tim Burton, e olha que amo ele também, mas Alice e Burton não casaram para mim.
    Nossa acho muito legal esse clima caotico de loucura, seder a ela ou não é um dos meus conflitos favoritos, é uma pena que o final tenha corrido, mas ja me decidi que irei ler a série quando li a resenha do segundo livro aqui mesmo no seu blog, espero gostar muito.

    ResponderExcluir
  4. Ola Talita lindona ainda não li nenhum livro da série, mas se tratando de releitura de um grande clássico como esse preciso ler, a premissa do livro é bem interessante e abre espaço para a família de Alice, a capa desse livro é linda, entre as loucuras do mundo de Alice acredito que nessa série tenha uma dose de normalidade que prende o leitor. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Vi que gostou muito dos livros e isso me deixa bastante animada, pois pretendo ler a série assim que possível!
    As capas são incríveis e a trama parece ser bem envolvente. Por ser uma leitura gótica do clássico me chama mais ainda a atenção e o fato da mãe da personagem estar no manicômio e Allysa achar que seguirá por esse mesmo caminho é intrigante.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi.

    Tenho muita vontade de ler essa série, tentei comprar os o primeiro livro e ler, mas não pude, então, tive que esperar para ler depois. Quando conseguir, vou comprar logo os três e ler um após o outro.

    ResponderExcluir
  7. Oie tudo bom?
    Então eu tenho muita vontade de fazer a leitura dessa serie porém só tenho o primeiro livro e quero completar antes de começar mais elogios não faltam para ela e que capas lindas não vejo a hora de ter todas.
    Adorei sua resenha pulei uns pedacinhos fugindo de alguns spoilers mais ficou muito bacana
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  8. Oi Talita..
    Sempre me interessei por essa saga, entretanto, não tive a oportunidade ainda de ler, o Z, um dos colunistas do blog é alucinado por essa série, assim como o Júlio, também do blog. Gosttei da sua resenha e espero conseguir ler esse livro em breve.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  9. Ooi! Eu já conhecia esses livros, mas não me chamaram a atenção, e saber que tem um triângulo amoroso, eu não sei se a leitura fluiria da forma como eu gostaria que fluísse rs mas, parabéns pela resenha!
    Beeijos

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Estou morrendo de vontade de ler essa série, ainda não tive a oportunidade, infelizmente. Mas o terceiro livro é sempre o com maior pressão não é? Fiquei muito curiosa para saber como essa saga vai ser concluída, mal posso esperar para começar a leitura.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  11. Heey, tudo bem? Que bom que gostou tanto desse livro! Tenho muita curiosidade em ler essa trilogia, mas infelizmente ainda não tive a oportunidade. Acho a premissa super interessante, apesar de não gostar muito da história original.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi Talita, sua linda, tudo bem?
    Eu adoro a história original e sempre que vejo uma versão ou um livro baseado nela quero ler. Acho as capas dessa trilogia linda, diferentes de tudo o que já vi, com cores fortes, vivas. E gostei muito da trama dessa livro, concordo com você, aqui não se trata de uma triângulo amoroso. Nossa, não consigo imaginar alguém sendo duas pessoas ao mesmo tempo, porque é como se fosse. Escolher apenas um lado, é se perder.Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá! Já tinha lido outras resenhas dessa série e fiquei encantando com a premissa, editora novo conceito sempre mandando bem em suas publicações, vou querer ler com toda certeza! Apesar que muito antes de ler resenhas da trilogia, já fiquei maravilhado com as capas.

    ResponderExcluir
  14. Oie
    eu já conhecia a série e sempre ouvi falar muito bem e parece realmente ser bom principalmente para os fãs de Alice, gostei da sua resenha e do enredo, fiquei bem curiosa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. É muito difícil, realmente, falar do livro que encerra uma trilogia. Mas achei que você se saiu muito bem. Eu sou super apaixonada por Alice no país das maravilhas e Alice através do espelho e, por isso, sempre fico interessada quando surge alguma obra literária ou de cinema baseada nesses livros. Eu estou interessada na leitura dessa série desde a primeira resenha que li, mas ainda não tive oportunidade de aplacar a minha curiosidade. Adorei a sua resenha!

    Tatiana

    ResponderExcluir