Resenhas

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

:: Resenha 240 :: "Um amor para Lady Johanna", Julie Garwood


Sinopse: Uma jovem viúva. Um guerreiro escocês fascinante. Duas vidas transformadas pelo amor e por uma paixão avassaladora. Quando Lady Johanna soube que estava viúva, ela prometeu que jamais se casaria novamente. Com apenas dezesseis anos, ela já possuía uma força de vontade que impressionava a todos que enxergavam além de sua beleza avassaladora. Contudo, quando o Rei John ordenou que ela se casasse outra vez – e selecionou um noivo para ela – pareceu que a moça deveria se conformar com esse destino. Seu irmão, no entanto, sugere ao Rei um novo pretendente:o belo guerreiro escocês Gabriel MacBain. No início, Johanna estava tímida, mas, conforme Gabriel revelou com ternura os prazeres magníficos a serem compartilhados, ela começou a suspeitar que estava se apaixonando por seu novo e rude marido. Logo ficou claro para todo o clã das Terras Altas, portanto, que o ríspido e galante lorde rendera completamente seu coração. Porém, a iminência de uma intriga da realeza ameaça separar o casal e destruir o homem que ensinou a Johanna o significado do verdadeiro amor, que a transportou além de seus sonhos mais selvagens.

Apesar de essa não ser a minha primeira resenha publicada no blog em 2017, esse livro é o primeiro que começo e termino em 2017. Para ser mais exata, eu comecei ele no primeiro dia do ano e acabei em três dias porque o livro foi maravilhoso de ler! Basicamente eu comecei o ano de forma espetacular, em grande estilo! Lady Johanna é aquele tipo de livro que apesar de ser longo (são 400 páginas), a história corre tão bem que você não sente que as páginas estão passando e quando falta pouco para acabar, bate um desespero porque você sabe que vai sentir falta dos personagens para sempre! Só posso dizer, Deus abençoe a releitura!

Um amor para Lady Johanna se passa em 1206 o que já é um começo interessante pois os romances de época que li até agora se passavam na era Vitoriana (meados do século XIX). Para entender a diferença, estamos falando da época medieval aqui, de conhecimento restrito, onde a igreja dominava o conhecimento e as regras sociais, estamos falando de reis, cavalheiros de armadura e castelos! Ou seja, Lady Johanna retrata uma época que foge totalmente dos outros livros de época que são bem comuns para gente e acabou que esses fatores foram determinantes para o livro ser diferente e maravilhoso! E que tivesse uma protagonista feminista que você, leitor, vai se apaixonar perdidamente por ela.

— O que acontece quando você está descontente?
Ele deu de ombros.
— Normalmente mato alguém.
Certa de que oisso era uma brincadeira, ela sorriu..
— Eu não permitirei lutas em minha casa, meu marido. Terá que praticar seus assassinatos em outro lugar.

Johanna casou ainda muito menina com um barão inglês, Raulf, na tradução em português não fala a idade, mas andei pesquisando e parece que na versão americana é falado que ela casa com 15 anos. Antes que fiquem chocados, esse era um comportamento comum na época, as meninas casavam cedo com barões bem mais velhos do que elas. Voltando ao livro, conhecemos Johanna quando um padre escocês visitante e o seu mordomo, vão lhe dar a notícia que após três anos de casamento, a jovem agora é viúva e ela vai rezar agradecendo a Deus por isso. Ao longo do livro vamos percebendo que o casamento dela foi um verdadeiro inferno, Johanna sofreu abusos verbais e físicos sem limites e agora, com a morte de Raulf, ela finalmente está livre.

Mulheres carregam uma cruz pesada nesta vida. Ainda assim, elas sobrevivem e, na verdade, encontram formas de florescer em um  ambiente tão restritivo. Elas, certamente, precisam ser mais espertas que os homens, moça, para serem ouvidas.

Ou assim ela pensou. Acontece que Raulf escondia alguns segredos do Rei John, segredos esses que tem base histórica e o Rei acha que a Johanna representa uma ameaça para o seu reinado e exige que ela se case novamente com outro barão, tão cruel quanto o falecido e ela consegue ganhar algum tempo e fica praticamente presa no castelo. Cabe a seu irmão, Nicholas, encontrar uma solução para ajudar a sua irmã, que é casar ela com o guerreiro das Terras Altas, Gabriel MacBain! Os dois se conheceram em uma batalha pelas terras que Raulf, ex marido de Johanna, possui, mas era administrada por um tipinho tão cruel quanto o falecido. Nicholas sabe que MacBain, que é o Lorde de seu clã, é forte o suficiente para proteger a sua irmã e o fato das Terras Altas serem distantes do reino do John são fatores determinantes para que a sua irmã deva casar com Gabriel.

Ele não parecia capaz de deixá-la. Observou-a por longos minutos. Ela era linda, ainda que a aparência dela não tenha sido a razão pela qual perdera a cabeça e se apaixonara., Deus era testemunha. Não, fora o caráter que o conquistara e o desarmara de suas defesas. A aparência se desgasta com a idade, mas a beleza do coração e da alma de Johanna pareciam se tornar mais radiantes a cada novo dia.

Johanna é relutante em aceitar, mas ela sabe que precisa da proteção de Gabriel e ele se encanta rapidamente com a sua beleza e com o seu bom coração, que ela demonstra ao conhecer Alex, o filho dele no dia do casamento. O romance dos dois é construído pouco a pouco, Johanna tem muita bagagem negativa, resultado do seu casamento anterior e Gabriel é um guerreiro, que sabe lidar com espadas e não damas, e acha Johanna muito fraca para o frio do lugar, mas quer protege-la de tudo. A insistência dele em fazer ela descansar é hilária!

Eu não acredito que uma mulher deva ser sacrificada pela outra. Eu acredito que toda mulher tem a responsabilidade de cuidar das outras. Quando uma está em cárcere ou em sofrimento, então não estamos todas sofrendo? (...) Mulheres são subestimadas por alguns homens . Há membros da nossa Igreja que nos consideram inferiores,  mas Deus não concorda. Lembre-se desse fato importante, Clare que levei muito tempo para entender : os homens fazem as regras, não as mulheres. (...) Como mulheres, nós devemos tentar nos unir... como irmãs, e quando virmos uma injustiça devemos com certeza tentar interferir. Juntas... se houver mulheres suficientes unidas, nós podemos ajudar. Atitudes podem ser mudadas.

O livro tem uma mistura de temas diversos e ao mesmo tempo é leve e divertido. Sabemos o quanto a Johanna sofreu e a chegada da Claire deixa o nosso coração em pedaços, mas ao mesmo tempo mostra como a Johanna ficou mais corajosa e como MacBain respeita sua mulher, mesmo ela sendo mulher, o que para a época era absurdo! Tem muito humor, muita emoção, muito romance, e até mesmo lições de vida poderosas e tudo bem equilibrado e fluido. É impossível não se envolver com a história, não torcer para o casal se declarar porque você sabe que eles estão apaixonados um pelo outro. Enfim, é um livro imperdível, a Universo acertou em cheio ao trazer esse e outros três romances da Julie ao Brasil, e só posso encerrar essa resenha com uma única palavra: LEIA!


Nome: Um Amor para Lady Johanna
Nome original: Saving Grace
Autora: Julie Garwood
ISBN: 9788550300818
Ano: 2016
Páginas: 400
Compre aqui: Saraiva, Amazon
Classificação:

Sobre a autora: 

A obra de Julie Garwood está traduzida em cerca de trinta países. No conjunto são mais de trinta milhões de livros vendidos e dezessete títulos entre os mais vendidos do New York Times. É uma das escritoras que os Norte-Americanos mais apreciam e acarinham. A sua reputação de excelente contadora de histórias baseia-se na capacidade para criar narrativas com personagens cativantes, emoções fortes e enredos com reviravoltas surpreendentes. Os seus leitores dizem que é o humor, bem como a força das suas histórias, que os entretém e os faz rir e chorar.Tem três filhos e vive com o marido em Lenwood, Kansas.

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Que livro bacana, eu já gostei dele e me deu vontade de ler, ainda mais por você ter dito que ele é divertido! A capa é incrível também né?! Atiça ainda mais a vontade de ler!

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Uia, achei que ia ser mais um romance de época anocônico, só no fato de acertarem a idade da mocinha já me ganhou, normalmente se casava com 13 anos, em algumas culturas até com 9, gostei bastante dessa pegada histórica.
    Dica anotada

    ResponderExcluir
  3. Ola
    Muito bom esse livro.
    Gostei bastante da sua resenha.
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Gente, para tudo que apaixonei na história! Gostei de ele passar no período medieval, é bem diferente da maioria dos de época e como amo Outlander, esse fator acaba contando como bastante positivo. Gostei também dessa questão dos jogos de interesses, problemas e vantagens dos casamentos arranjados. Irei procurar para ler em breve.

    ResponderExcluir
  5. Oie, a sua resenha confirmou a minha suspeita de que o Lady Johanna lembraria o melhor dos romances históricos que já li. Ainda não consegui encontrá-lo na livraria, mas continuo na busca! Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oiii!!!

    Eu não li esse livro ainda, solicitei esse ano passado mas acabei não recebendo 😢
    E agora já percebi que preciso ler. A capa está linda demais e saber que o enredo é bom também é ótimo!
    Gostei!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Nossa, é o tipo de livro que eu com certeza leria já que é uma época que gosto pela questão do cenário e também pela trama que você descreveu. Eu ainda não tinha visto este livro ou alguma resenha sobre ele e a sua ficou bem completinha!

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Eu li esse livro e adorei esse romance.
    Foi o primeiro livro que li da autora e fiquei bem empolgada com essa narrativa, tanto que não vejo a hora de ler mais livros da autora. Gostei muito dessa história!
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  9. Oi Talita, sua linda, todo bem?
    Não conhecia esse livro, mas fiquei totalmente apaixonada por ele!!! Deve ser muito fofo ele tentando protegê-la, gostei de saber que termos cenas divertidas entre eles. Tomara que ele consiga de fato mantê-la a salvo. Não vejo a hora de ler!!! Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie, Talita! Como boa apaixonada por Rom de época eu fiquei encanta por esse livro. Já adicionei a minha lista. Johanna parece uma mulher forte e maravilhosa, não é comum a damas da idade média, então estou ainda mais curiosa.
    Beijinhos
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
  11. Tali eu adorei a resenha!!! É romance de época né? Então não tem como não gostar e se apaixonar pelas histórias e pelos cenários descritos!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Eu ameeeeeeeei loucamente esse livro! Foi uma das minhas experiências com romances de época e fiquei muito feliz com o que eu encontrei. Johanna é aquela mocinha que a gente tem prazer em amar. E Gabriel é outro que temos o prazer de amar, ogro fofo. E o que é o Alex? Quis entrar no livro e roubar ele. Fora que amei os generais dos clãs. Me acabei de rir com eles.

    ResponderExcluir