Resenhas

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

:: Resenha 251 :: “Amante Desperto”, J.R. Ward




Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Dentre eles, Zsadist é o membro mais assustador da Irmandade da Adaga Negra. 
Tendo sido por muito tempo um escravo de sangue, Zsadist ainda carrega as cicatrizes de um passado repleto de sofrimento e humilhação. Conhecido por uma fúria que não acaba e por atos sinistros, ele é um selvagem, temido igualmente por humanos e vampiros. A raiva é sua única companheira e o terror, sua única paixão... Até que resgata uma bela vampira das garras da maligna Sociedade Redutora. Bella sente-se imediatamente enfeitiçada pela ardente força que emana de Zsadist. Entretanto, mesmo quando o desejo de ambos começa a consumi-los, a sede de vingança de Zsadist contra os torturadores de Bella o leva à beira da loucura. Agora, Bella deve ajudar seu amante a superar as feridas de seu atormentado passado e vislumbrar um futuro ao lado dela...




Olá, pessoal! Finalmente, depois de comentarmos tantas e tantas vezes que o Viciados em Leitura surgiu por causa da Irmandade da Adaga Negra, nós começamos a resenha-la. A Bell apresentou pra vocês o início dessa série maravilhosa que tem uma legião de fãs, resenhando Amante Sombrio e Amante Eterno, e hoje eu venho contar pra vocês um pouquinho de Amante Desperto, o terceiro livro e um dos meus preferidos.

Ao lado de Wrath, o Rei Cego, Zsadist, ou Z, é o meu personagem favorito. E não digo isso só por causa do jeitão dele, não. É porque Amante Desperto é, com certeza, um dos livros mais ricos, mais intensos, com uma carga dramática e um teor psicológico gigantescos, e Z é o responsável por tudo isso.

Tirado de sua família quando ainda era uma criança, Z viveu 100 anos como escravo de sangue de uma vampira, que além de usá-lo como escravo de sangue (por ela e por vários outros vampiros que ela levava para a cela onde ele vivia trancado) ela o usava também para o sexo. Com isso, Z se tornou um macho completamente quebrado, destruído de corpo e alma.

No glossário de termos e nomes próprios que vem no começo de todo livro da Irmandade, vocês vão ver o seguinte nome:
Exhile Dhoble (pr. n.) O gêmeo malvado ou amaldiçoado, aquele que nasce em segundo lugar.

Os vampiros acreditam que o nascimento de um filho saudável é uma benção, já que a gravidez de toda vampira é cheia de complicações e de riscos de morte. Mas a família Ahgony não esperava, depois de celebrar o nascimento de Z e de ficar apreensiva quando Phury também nasceu, que logo o primogênito seria roubado no meio da noite pela babá.

A família de Z nunca se recuperou e por conta do Exhile Dhoble, Phury, que ainda por cima era idêntico ao irmão, se tornou também um macho solitário, deixado de lado pelos pais, e assim que passou pela transição, ele resolveu se tornar celibatário, em honra ao gêmeo perdido. Tenho pra mim que Phury carregava um peso e uma culpa imensa por ter sido o segundo a nascer, achando que tudo de errado que acontecia era por culpa dele, por conta dessa maldição de ter sido o segundo dos gêmeos a nascer.

A parte que J.R. Ward narra a saída de Phury de casa, para ir atrás do irmão, é uma das coisas mais emocionantes que eu já li. Eu lia e chorava horrores!!! É uma parte tão emocionante, tensa, rica em detalhes, que você não consegue parar de ler. Escapar da Ama, a vampira que tinha Z como escravo, não foi nada fácil e pra piorar, já era quase manhã quando eles conseguem e nessa parte Phury se fere gravemente, tudo pra salvar o irmão. Ai, gente… deu até vontade de reler! 

Bom, o tempo passa, Phury e Z agora fazem parte da Irmandade da Adaga Negra (grupo de vampiros altamente treinados que protegem a sua espécie contra a Sociedade Redutora, que são humanos sem alma que se dedicam a exterminar os vampiros). E Phury é fundamental na relação do Z com os demais membros da Irmandade, assim como com qualquer outro ser ou pessoa. Digo isso porque a comunicação com Z é uma tarefa muito difícil. Por conta de tudo o que ele passou no século que foi escravizado, ele se tornou praticamente um bicho, às vezes acuado e ao mesmo tempo super agressivo, sério, instável, imprevisível, com sua aparência ameaçadora, então, só Phury pra lidar com ele.

Claro que o romance vai surgir e isso a gente já vai percebendo lá em Amante Eterno. No segundo livro, nós conhecemos Bella, uma vampira civil, que vive sob as rígidas regras impostas pela glymera, mas que depois de passar por sua transição, decide morar sozinha e acaba se tornando vizinha de Mary, e, consequentemente, acaba conhecendo o franzino vampiro em pré transição, John. Quando a Bella decide entrar em contato com a Irmandade, pra falar sobre John, é que ela conhece Z.

Só que ainda em Amante Eterno, Bella é sequestrada e mantida por meses por um Redutor completamente louco que fica fissurado por ela, por ela parecer a sua falecida esposa. Z, com todo aquele jeito frio que não se importa com nada e nem ninguém, mas que ao mesmo tempo rejeita qualquer tipo de abuso e crueldade, faz de tudo pra encontrar e salvar Bella. Mas claro, ele já estava mexido por ela, a gente sabe.

Quando Z finalmente encontra e salva Bella, minha nossa senhora, é a parte de cair de amores por esse macho brabo. Ele fica louco quando vê o que o Redutor fez a ela. Ela então é levada para o complexo da Irmandade e Z é suuuuuper protetor com ela, querendo ele mesmo cuidar de suas feridas. Aí imagina, se lá em Amante Eterno a fêmea já ficou balançada, com todo esse cuidado então, após salvá-la e ainda todo o cuidado, a atração que ela sente por ele só aumenta. E claro, tudo isso mexe muito com Z, fazendo-o sentir milhares de coisas novas, coisas que ele nunca imaginou serem possíveis depois da vida que teve.

Só que muuuuuita coisa acontece. Phury também se vê mexido por Bella. E pra complicar toda a situação, Z não tolera a aproximação de Bella, acha que seu sangue é impuro, que ele não é digno de uma fêmea como ela, então ele começa a meio que empurrar Bella pro irmão. Confesso que essa parte do triângulo amoroso é beeeeemmm irritante, mas passa.

Bom, mas estamos falando aqui de Irmandade da Adaga Negra, e o livro nunca foca somente no casal principal. Há histórias paralelas acontecendo e uma delas é a que John agora começa uma nova vida com o irmão Tohrment (um outro macho que eu adoro) e sua shellan, Welsie. Mas eu não vou entrar em detalhes nessa parte por motivos de... #aindanãosupereioqueaconteceu ...e porque a resenha já está se alongando demais.

Pra concluir eu preciso dizer que a escrita da Ward é maravilhosa, é viciante! Eu fui lendo um livro atrás do outro porque era impossível parar. Sorte que quando eu conheci a Irmandade, já tinha até o livro 10, Amante Renascido

Narrado em 3ª pessoa, o livro mescla passado e presente, mostrando a busca de Phury pelo irmão e os dias atuais. Vale avisar que há cenas eróticas muito bem descritas, mas o livro não é só isso. É incrível como esses guerreiros são unidos, como a amizade e o amor que eles sentem são tão fortes e é algo tão lindo de se ver. O epílogo é um caso à parte, e eu aposto que ele faz até os mais durões, suarem pelos olhos rsrs. Ah, só mais uma coisa, o amor entre essa bela vampira civil e esse vampiro assustador dará um fruto que é coisa mais linda desse mundo vampiresco (que PW não me leia ).

E vocês, são fãs desses vampiros encantadores? 

Título: Amante Desperto (Irmandade da Adaga Negra # 03)
Título Original: Lover Awakened
Autora: J.R. Ward
ISBN-13: 9788579301179
ISBN-10: 8579301173
Ano: 2010
Páginas: 464
Compre aqui: Livraria Cultura
Classificação:



Sobre a autora:


J. R. Ward vive no Sul dos Estados Unidos com o seu marido incrivelmente generoso e o seu amado golden retriever. Depois de se ter formado em Direito, começou a sua vida profissional na área da saúde, em Boston, tendo passado muitos anos como chefe de equipe de um dos centros clínicos do país. A escrita foi sempre a sua paixão, e a sua ideia de Céu é um dia inteiro com mais nada além do seu computador, o seu cão, e a caneca de café.

Comente com o Facebook:

17 comentários:

  1. Biaaaa que resenha heim... mas quando se fala de Ward não tem como ser diferente, né? Apesar de não acompanhar a série, eu sei que sou louca, mas acompanho tudo que vejo sobre a série, a história é muito intensa e o fato de não acompanhar é que é muito grande, e eu fico apavoradaaaa...
    Mas continue nas resenhas que acompanharei todas!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Biaaaa,que resenha linda e fantástica!
    Me emocionei só de lê-la e relembrar cada detalhe dessa história. Realmente me deu vontade de parar tudo e reler novamente. Parabéns! Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Olá Bia Lindona!!!
    Só conheço essa série, por vcs falarem dela no grupo...Não é meu genero de leitura...na verdade, nunca li um livro de vampiros... Voltei nas outras 2 resenhas, antes de ler a sua, pra poder me atualizar...e pode apostar q qdo começar nesse genero, vai ser por essa série, pq as resenhas da Bel e a sua me deixaram bem curiosa... Adorei!!!
    Vamos aguardar então kkkkkkk ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem??

    Demais sua resenha, mas meu coração é do Eric, não tem como. Se bem que o Sam tb mora por lá. Ter uma conversa de um mês com Magnus e ser amante de Lestat por seis meses está em meus planos também, então a irmandade da adaga não me pegou. Claro que preciso encontrar os Darkyn, pq vampiros templários são o que de mais original poderia se pensar na última década.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro e apesar de a capa ser linda demais eu não me identifiquei, sei la, não gosto mais de livros sobre vampiros, pra mim todos parecem muito iguais! Mas sua resenha ficou ótima e muito completa!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  6. Oii!

    Eu acompanhei as primeiras resenhas sobre essa série e fico feliz que seja inspiração para o blog. Eu confesso que não tinha muita vontade de ler, mas hoje eu não descarto, quem sabe um dia desses...
    A resenha está ótima!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  7. Oie, a sua resenha está ótima. Todo o meu conhecimento de IAN para em Amante Desperto. Como tenho dificuldade com livros sobrenaturais, estou com toda a paciência do mundo pra não desistir da série, que é ótima. Também não superei o que aconteceu neste livro. E gostei de como ela desenvolve a amizade e os laços entre os irmãos e quem passa a fazer parte da família. Abraços!

    ps.: E nunca reparei como a JR Ward parece a atriz Tilda Swinton!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Tenha uma vontade enorme de ler essa série! Aborda uma historia com vampiros de uma maneira bem interessante. Dá para perceber que tem um enredo maravilhoso que arrebata o leitor...E as capas...Maravilhosas! Beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  9. Hi baby, tudo bem? venho me distanciando desse genero de livro ultimamente, parece que estou meio saturada deles, porém assim como você escreveu na resenha e como vi em outras também a escrita dessa autora é muito viciante, estou quase dando uma segunda chance hehe ótima resenha

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Bianca.
    Estou sempre ensaiando para ler essa série, mas nunca consigo!
    Bom saber que você indica!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  11. Oii Bia tudo bem?
    Ótima resenha, pena que não gosto da temática, vampiros me dão preguiça.
    E a capa infelizmente não me cativou. :(
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  12. Oii, infelizmente esse tema tá ficando saturando e sem criatividade... quem sabe daki uns anos após um tempo sem tantos livros de vampiros o gênero volte melhor

    ResponderExcluir
  13. Não sou fã de vampiros e por isso não tenho vontade de nenhuma de conhecer essa série, esse livro me interessou menos ainda por ainda ter a presença de um triângulo amoroso, que passa, mas ainda assim existe. Fora que tem essa parte erótica que não curto de jeito nenhum. Que bom que gosta tanto, mas não é pra mim.

    ResponderExcluir
  14. Não curto muito esse tipo de gênero :/
    Sua resenha está ótima, só senti falta de algumas citações do livro, beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oiee Bianca ^^
    Mesmo não gostando muito de histórias com vampiros, e menos ainda de histórias com um quê erótico, eu morro de curiosidade de ler essa série, pois nunca vi UMA pessoa que fosse falar algo negativo sobre. Fico feliz em saber que gostou tanto deste volume. Dez livros... não é fácil, né?
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Só vejo elogios em relação a essa história, e tenho muita vontade de conferir, mas é uma série tão grande que chega a me dar até medo hahahaa Mas adorei poder conferir a sua resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Oi Bianca, sua linda, tudo bem?
    Já fiquei com o meu coração quebrado por ele, nossa que mulher cruel!!!! Como fez isso com ele? Destruiu o físico e o psicológico dele de várias formas. Acho que vou me apaixonar por ele e querer dar colo a ele, risos... Sou louca para ler essa série e sua resenha só me deixou mais empolgada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir