Resenhas

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

:: Resenha 256 :: "Soul Rebel", Kimberly Mascarenhas


Sinopse: Reviravolta é o primeiro volume da série "Soul Rebel", grande fenômeno da internet. Cassidy, a protagonista desta história, é uma jovem tímida, mas muito forte e decidida. A certa altura, depois de alguns acontecimentos inesperados em sua vida, Caissy conhecerá Mason, um cara lindo e sexy, mas com fama de perigoso. E uma atração inevitável entre eles vira o combustível de uma paixão conturbada. Cheia de dúvidas e conflitos internos, ela decide se entregar à paixão e correr todos os riscos, sem saber que se relacionar com ele talvez signifique colocar a própria vida em jogo. Com muita emoção, desejo e ação, Reviravolta conquista o leitor de imediato e o deixa contando as horas para ler toda a trilogia.

Favor ler o trecho a seguir em ritmo de Kuduro: Oi Oi Oi… Eu não sei escrever essa resenha …. Oi Oi Oi!
Pode parar de cantar! Obrigado pela compreensão :)
Piadinhas a tarde, essa é a mais pura e honesta verdade de Deus, eu não sei o que falar desse livro! Eu não sei dizer nem se gostei, porque estou confusa e espero de coração que até o fim dessa resenha eu já tenha uma resposta para quantos bolinhos dar para esse livro!
O livro mexe com você, nem sempre no bom sentido, a verdade é que a história te evolve e te prende, apertado e muitas vezes rola um desespero para seguir em frente e ver como tudo vai acontecer, mas, por outro lado, eu tive zero envolvimento com os personagens principais, e isso é muito raro para mim. Eu geralmente me apego a pelo menos um deles, mas nesse livro eu tive problemas com a personalidade dos dois (vou explicar mais para frente) e mesmo a história, que vou repetir, é muito boa, tem alguns furos que eu me peguei pensando se não teve alguém para dizer, olha… Enfim, vem conferir essa resenha que o babado tá forte hoje!

Vamos começar a resenha pelo básico: explicar a história, mas note que eu vou explicar bem pouco, já que tem muita coisa rolando e se eu falar muito corre o risco de spoiler e não queremos isso, não é coleguinhas? Soul Rebel é a angustiante história de amor (?) de Cassidy e Mason, dois jovens com sérios problemas de personalidade... ops! Voltando, dois jovens que se odeiam a primeira vista, mas logo se entregam a uma paixão avassaladora. Cassie tem 17 anos e mora desde os 9 em um colégio interno administrado por freiras, já que seu pai sumiu no mundo e sua mãe foi internada em um manicômio (eu acho que ela tinha depressão, mas não foi falado isso com todas as letras). Uma bela noite, Cassie e sua amiga Claire, como toda adolescente de 17 anos, decide dar uma escapada do internato e curtir a noite de Atlanta, coisa que as duas fazem sempre, e nessa noite ela esbarra em um homem lindo, mas rola uma confusão e ela joga água com limão na cara dele e as duas acabam a noite correndo para o internato.
Princesa na balada! 
Quando chegam lá, Cassie tem uma notícia avassaladora, sua mãe foi encontrada morta e uma amiga de longa data dela, que Cassie não conhece, conseguiu autorização para levar a menina do internato por umas semanas, na esperança que ao lado de conhecidos, ela poderia superar o luto. E vamos a um dos meus problemas com esse livro: Cassie perdeu a mãe, está destruída, arrasada, em pedaços e tudo isso é mostrado no livro e o principal, isso é esperado dela, certo? Certo! Mas aí lá na casa da Deborah (a amiga da mãe dela), ela encontra quem? Mason! E adivinha só? Ele é o cara da confusão na boate (isso não é um spoiler, se você ler a sinopse e a página um, você descobre isso)! E o que a Cassie faz? Desgraça! Porque a vida da Cassie se resume em uma palavra: desgraça! Mas acontece tanta coisa em tão pouco tempo que as desgraças anteriores ficam esquecidas e no MESMO DIA que ela descobre que a mãe morreu ela decide perder a virgindade com o Mason! SUPER NORMAL!!! (Eu to gritando aqui gente!)

Não ligo para FastLove, mas tem horas que o povo exagera!
Antes de falar do Mason, deixa eu falar outro detalhe que eu mandei áudio para a Crika (beijos), assim que terminei de ler, porque foi uma das coisas mais bizarras que estavam me matando, sério, eu precisava desabafar sobre isso! Mason e a mãe, Deborah, moram em uma super mansão. Quando a Cassie chega, repara no portão enorme, nos seguranças rondando o jardim, mega esquema tipo Casa Branca... Só que não! Mason tem a pior equipe de segurança da história! Na moral, a casa dele foi SPOILER SPOILER e teve uma hora que SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER e assim que a Cassie chega ela consegue sair de lá correndo a pé! Eu disse correndo a pé! Nenhum segurança segurou uma menina de 17 correndo a pé! Gente, sério… Demite todo mundo amigo!

Esse é o Mason olhando a sua equipe de segurnaça que só fez m*rd@!
Mas vamos falar de coisa boa? Vamos falar de TecPix! Mentira! Vamos falar de Mason mesmo!! Como eu já falei, ele é filho da Deborah e quando acham a pequena mestre das fugas, Cassie (já que enganou todos os seguranças da casa super segura -_-), eles dois passam a viver sob o mesmo teto e trocando muitas farpas e insultos. A Cassie é muito plana em relações a sentimentos, não existe profundidade na personalidade dela, mas o Mason consegue ser mais! É quase impossível criar uma simpatia por ele, existe coisas que rolaram no passado dele que foram barra pesada? Sim, mas nenhuma delas justificou o que ele fez e mesmo as explicações que ele dá ao longo do livro foram boas. Ele não chega a ser plano, o Mason é um personagem quase infantil que não encaixa nas atitudes dele, ele é descrito como "O Cara", mas em nenhum momento ele foi "O Cara"! Eu fiquei bem frustada com o personagem e não vou dar muitos detalhes dele porque a graça é ir descascando o infeliz, digo, o Mason, e ir desvendando aos poucos as tretas.

Diferentão, rebelde, do contra, no rules, Reizão dos Bad Boy tudo!
Mas Tali, quer dizer então que você não gostou? Gostei! E é aí que vem a confusão toda, porque eu gostei do livro, eu não conseguia largar o livro (a únicas exceções foram para trabalhar e escrever) e a trama prende, você odeia os personagens, odeias as atitudes, reconhece alguns furos na narrativa e mesmo assim fica presa lendo o livro, o que a Kimberly faz e faz muito bem, é criar tantas reviravoltas que você fica lendo para acompanhar o que está acontecendo e não pelos personagens, que eu realmente não gostei deles. A trama é muito rápida, isso às vezes sai como um tiro no pé, porque tem muitas coisas em pouco tempo e fica meio falso alguns momentos (lembro o que eu falei sobre a reação da Cassie sobre a morte da mãe dela? bem isso) mas ao mesmo tempo, como acontecem muitas coisas, não existe espaço para você pensar nos problemas, porque piscou, tem treta, tem confusão, tem babado e você fica no meio do tiro, da porrada e da bomba e sua reação é de seguir lendo.
Quanto mais treta, mais a gente gosta! Masoquismo puro!
Fazendo um saldo, temos uma trama absurdamente ágil, viciante, com muitos ganchos para o próximo livro e um final que no mínimo vai te deixar louca de raiva e ansiosa pela continuação. Tem tanta coisa rolando nesse livro, que eu não coloquei os trechos que separei, porque honestamente, ficaram com cara de spoiler! O livro é babadeiro! Agora, infelizmente, temos personagens que são difíceis de se relacionar, existe um brilho de esperança na Cassie, que termina o livro no modo #SangueNosZoio e menos mosca morta, vamos ver como o Mason vai vir no segundo livro, que eu vou ler. Se ele fosse lançado hoje, eu provavelmente não teria paciência para esperar o carteiro e compraria em loja para começar a ler já, então no fim, o livro vale a pena! Muito! Leiam e fiquem confusos amando e odiando como eu! 


Nome: Soul Rebel – Reviravolta
Série: Soul Rebel #1
Autora: Kimberly Mascarenhas 
ISBN-13: 9788544103838
ISBN-10: 8544103839
Ano: 2016
Páginas: 400
Editora: LeYa
Compre aqui: Saraiva | Amazon
Classificação: 



Sobre a autora:

Kimberly Mascarenhas tem 21 anos, nasceu em Santo André, São Paulo, e mora com os pais e dois irmãos. Ela faz graduação em direito e tem duas grandes paixões: a área jurídica e escrever. Desde os 15 anos, Kimberly cria histórias. Reviravolta é seu primeiro romance.

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Até o momento estou dando risadas com as piadinhas feitas durante a resenha, gostei muito, colaborou com que eu continuasse lendo a resenha. Eu achei um pouco complicada a sinopse, não sei se é pelo fato de está lendo muito e meu cérebro está pedindo descanso, mas eu não consegui me sentir muito atraído pelo o que ela me apresentou. Eu te entendo perfeitamente como é resenha um livro que você não se apega nos personagens. Tive esse problema com Diário de uma Escrava da Rosana Mierling e não soube resenhar muito bem, para não desvalorizar ou desrespeitar o trabalho da autora, tive muito medo de tocar nos sentimentos dela, mas acabei tocando. Enfim, a resenha ficou clara e eu consegui perceber a pequena dificuldade que você teve ao escrevê-la, só que eu não sei se leria o livro, vou pesquisar mais opiniões sobre ele.

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  2. Ola Tali!!!
    Me acabei de rir com sua resenha...Ameiii <3
    Bom,quero dizer q esse livro tá na minha imensa lista, pois vi vc e as meninas surtando no grupo e tô morrendo de curiosidade...
    Por seus comentários, já vi q vou passar raiva com esse casal e essas partes corridas...Mas a curiosidade não permite, não desejar o livro.... e quero saber tudinho o q acontece e pq vcs surtaram desse jeito...espero q qdo eu conseguir o livro, já tenha continuação ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir
  3. Cheguei!!! \o/

    "Pequena mestre das fugas" hahahahahahahhahahahaha adorei!!!
    Fico feliz por vc ter ficado louca com esse livro, de nada! De jeito nenhum, eu ia entrar nessa sozinha hahaha. Cara, eu concordo 100% em não ter tido envolvimento com os personagens pq eu tb não tive nenhum, mas adorei o livro mesmo assim. Como pode né? A trama é mt boa e o livro me prendeu loucamente.

    Já queremos a continuação pra ontem e além do livro ainda temos mesa redonda na pós leitura hahahah <3

    Beijossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O melhor do livro é a mesa redonda, acho que quando acabei e te chamei eu precisava de uma bebida forte, tipo personagem de livro! Porque foi tenso, precisava desabafar... Que venha o próximo e a próxima mesa redonda!

      Excluir
  4. Gente... mas quantas emoções esse livro pode provocar! Meu Deus! Eu adoro romances com toques de drama, mas estou quase dizendo que esse é um drama com toques de romance! Kkkkkkk! Amo histórias que mexem com o leitor a esse nível de não sabermos se gostamos dela ou não. Mas que bom que prende o leitor até o final! Essa parte de acabar de perder a mãe, ir para a casa de uma amiga (desconhecida) da mãe, encontrar o carinha da balada e perder a virgindade eu achei um pouco forçada (bem como a falta de segurança da mansão), mas mesmo assim quero me aventurar nessa leitura.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir