Resenhas

quarta-feira, 26 de abril de 2017

:: Resenha 282 :: "O Jogo", Elle Kennedy






Sinopse: Talentoso, inteligente e festeiro, Dean Di Laurentis sempre consegue o que quer. Sexo, notas altas, sexo, reconhecimento, sexo… É sem dúvida um galanteador de primeira, e ainda está para encontrar uma mulher imune ao seu charme descontraído e seu jeito alegre de encarar a vida. Isto é, até ele se envolver com Allie Hayes. Em uma única noite, essa jovem atriz cheia de personalidade virou o mundo de Dean de cabeça para baixo. E agora ela quer que eles sejam apenas amigos? Dean adora um desafio, e não vai medir esforços para convencer essa mulher tão linda quanto teimosa de que uma vez não é suficiente. Mas o que começa como um simples jogo de sedução logo se torna a experiência mais incrível e surpreendente de sua vida. Afinal, quem disse que sexo, amizade e amor não podem andar de mãos dadas?






Depois da nossa maratona de livros da Aliança, nada melhor que pegar livros que você sabe que vai gostar, que pode ler com calma (ai que saudade de fazer isso!) e curtir cada frase, cada personagem, cada momento. Não foi à toa que escolhi voltar ao ritmo normal com dois livros bem queridinhos para mim: The Chosen, da J.R.Ward, cuja resenha só vai rolar quando sair a versão em português pela editora, e O Jogo, da Elle Kennedy, que como vocês sabem pelas minhas resenhas de O Acordo e O Erro, se tornou uma das minhas séries favoritas e ambos os livros entram, facilmente, como as melhores leituras de 2016. E aí vocês podem perguntar se eu gostei do livro do Dean e da Allie, mas honestamente, acho difícil a Elle (íntima) errar comigo, eu realmente escolhi bem para voltar ao ritmo, porque eu voltei com tudo, com dois livros que eu simplesmente amei.

Vamos mudar um pouco aquele ritual clássico de resenha, onde eu vou te contar um pouco sobre o livro e terminar falando sobre o que achei e trocar tudo. Calma, eu vou chegar na parte onde te explico a história, mas preciso falar o que achei desse livro e dessa série porque, amores, não tem como segurar tanto amor assim! Não dá para esperar!

Ao logo desses quase três anos de blog e sei lá quantos anos de leitura, já me deparei com todo o tipo de tramas e autores. Com alguns livros foi amor instantâneo, com outros me peguei pensando como fui gostar desse livro se a trama é fraca e com alguns me peguei pensando como ele fez sucesso? Mas nenhum livro tem um sentimento tão grande de reencontrar amigos quanto os da série Amores Improváveis!

Poucas coisas neste mundo me fazem me borrar de medo, mas a namorada de Garrett definitivamente está entre os três primeiros itens da lista.

Tudo bem, é certo que essa é a intenção da autora, afinal, é uma série onde cada livro tem um dos 4 amigos jogadores de Hockey, mas a grande vantagem é a forma tão maravilhosamente fluída que a autora escreve, cada momento com eles é maravilhoso, seja na alegria, na tristeza, na raiva e na doença. E O Jogo é o melhor da série até agora (se bem que estou desesperada por A Conquista!).

Em um livro relativamente curto, acontecem tantas coisas que é impossível não se envolver com os personagens! É impossível não querer fazer parte dessa jornada de crescimento deles, e enquanto os outros livros trataram de assuntos sérios em meio as brincadeiras e o bom humor inteligente que tem na série, O Jogo também tem seu lado sério, e o melhor, a trama aqui vai além do romance da Allie e do Dean e se trata de ver os dois crescerem como adultos, e acompanhar essa jornada foi mágica! De novo, melhor livro da série, até agora.

"Allie...", começa Hannah, então tosse e, por fim, continua: "Tô interrompendo você, hmm... numa viagem solitária para a capital do orgasmo?"
Os ombros do Dean começam a tremer incontrolavelmente. Seu riso abafado vibra contra o meu clitóris, e o efeito resultandte rivaliza com as boas vibrações de todos os brinquedos sexuais na minha mesinha de cabeceira. (...)

Ok, agora vamos falar um pouco da trama para não perder a viagem, né? O Jogo é todo sobre a Allie, aquela amiga atriz da Hanna, meio rainha do drama e que está sempre terminando e voltando com o Sean, seu eterno namorado de faculdade, e sobre o Dean “mil nomes” Di Laurentis, aquele que nunca leva as transas para o quarto na casa que divide com o Garret, Logan e Tucker e é podre de rico. Começamos a história com a Allie tendo terminado de novo, e dessa vez é definitivo, com Sean e a Hanna tem a ideia da amiga ficar na casa dos rapazes, e assim, Allie evita o Sean, caso ele tente ir atrás dela no alojamento.

“– Você acha que isso acontece na vida real? Feromônios e toda essa baboseira. É uma teoria besta que algum tarado sonhou para que ele pudesse justificar por que ele está atraído por sua mãe, ou alguma merda? Ou há realmente uma razão biológica para que sejamos atraídos por certas pessoas? Como no maldito Crepúsculo. Edward quer ela em um nível biológico, certo? – Você está dissecando a sério Crepúsculo agora? Deus, eu estou. Isto é o que Allie está me reduzido. Um perdedor triste, patético que vai a um bar e obriga seu amigo para participar de um clube do livro sobre Crepúsculo. ”

Depois de vários avisos para o Dean deixar o seu mini Dean longe da Allie, onde os dois terminam? Se você pensou na cama, acertou em cheio! Pois é, os dois acabam tendo uma noite selvagem, com direito a cordas e muitas marcas de arranhão e chupões no Dean (grrr Allie), mas ela acredita que Dean, o pegador Di Laurentis, só quer sexo e como ela vive sempre em um compromisso atrás do outro, os dois não vão combinar e passa a evitar o cara. O problema? Dean não consegue esquecer a noite que eles viveram e joga pesado na conquista da gata. 

Não sei para onde ele está me levando, mas fico feliz em deixá-lo me guiar. Seguiria Dean Di Laurentis até os confins da terra. Para as entranhas de um vulcão, se ele me pedisse para ser a Meg Ryan do seu Tom Hanks. Para Mordor, se ele me pedisse para ser o Sam do seu Frodo. Para...
"Chegamos", anuncia ele.

Não se engane achando que o livro é só sobre o Dean querendo voltar para a cama da Allie. Na verdade o livro consegue falar de vários assuntos, por exemplo, Allie se julga muito por ter dormido como o Dean sem ser namorada dele e vale a reflexão sobre esses julgamentos bizarros de que uma mulher não pode transar casualmente quando e com quem ela quiser sem ser chamada de piranha. Um outro assunto que foi o mais importante e que determina muito o crescimento do Dean acontece mais para o final e eu não vou falar, tem que ler! Garanto que não vai se arrepender.

"Falando sério", continua ele. "Para com essa história de ficar se culpando por causa do sexo. E foda-se a palavra 'piranha'. As pessoas têm o direito de transar quando bem entenderem, com quem elas quiserem e com quantas pessoas tiverem vontade. Ninguém tem que carregar na testa essa merda de rótulo de piranha"

Resumindo, quer um livro gostoso de ler, com personagens que são muito gente como a gente, nada de perfeitinhos e perfeitinhas, a galera tem defeitos, tem problemas e cabe a você, leitor, seguir ele enquanto ele cresce e essa jornada é incrível? Então pode apostar, a série Amores Improváveis é para você e O Jogo ainda mais! Leia! Leia ele agora e fique aqui comigo, morrendo de ansiedade para A Conquista!
Nome: O Jogo
Série: Amores Improváveis
Autora: Elle Kennedy
ISBN-13: 9788584390571
ISBN-10: 858439057X
Ano: 2017
Páginas: 343
Compre aqui: Saraiva
Classificação: 

Sobre a autora: 


Elle Kennedy cresceu nos subúrbios de Toronto, Ontario, e é bacharel em Inglês pela Universidade de York. Desde cedo, ela sabia que queria ser uma escritora, e começou a perseguir ativamente esse sonho, quando ela era adolescente.

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Olá Tali!!!
    Ameiiii a resenha...
    To com os 3 da série aqui pra ler(graças a Deus, a Saraiva me entregou esses), e pela sua classificação, posso até colocá-los no desafio de Maio... Ansiosa pra conhecer e me apaixonar por esses personagens, igual a vc e as meninas do grupo q leram... E com certeza, vou querer A Conquidta tb ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir
  2. Corretor trolando...Quis dizer "A Conquista" ;-) :-*

    ResponderExcluir
  3. Dean mil nomes Di Laurentis hahaha
    Eu gostei muito de ver q o Dean era uma pessoa muito melhor do q todos julgavam. Era mto inteligente e aquela relação dele com as crianças foi maravilhosa. E a cena da banheira? Hahahhaa socorro!
    Eu gostei mto desse livro, mas o primeiro ainda é o meu preferido. Garret, meu lindo!
    Tb tô ansiosa pelo próximo!

    ResponderExcluir