Resenhas

segunda-feira, 22 de maio de 2017

:: Resenha 289 :: “O perfume da folha de chá”, Dinah Jefferies





Sinopse: Em 1925, a jovem Gwendolyn Hooper parte de navio da Escócia para se encontrar com seu marido, Laurence no exótico Ceilão, do outro lado do mundo. Recém-casados e apaixonados, eles são a definição do casal aristocrático perfeito: a bela dama britânica e o proprietário de uma das fazendas de chás mais prósperas do império. Mas ao chegar à mansão na paradisíaca propriedade Hooper, nada é como Gwendolyn imaginava: os funcionários parecem rancorosos e calados, e os vizinhos, traiçoeiros. Seu marido, apesar de afetuoso, demonstra guardar segredos sombrios do passado e recusa-se a conversar sobre certos assuntos. Ao descobrir que está grávida, a jovem sente-se feliz pela primeira vez desde que chegou ao Ceilão. Mas, no dia de dar à luz, algo inesperado se revela. Agora, é ela quem se vê obrigada a manter em sigilo algo terrível, sob o preço de ver sua família desfeita.





Olá, pessoal. Tudo tranquilo?
Bom, quando eu pedi esse livro para a nossa parceira Companhia das Letras, foi um tiro totalmente no escuro. Eu não conhecia a autora, eu nunca tinha visto, nem ouvido falar do livro. Nenhuma amiga havia comentado sobre ele. Eu simplesmente não sabia de nada, mas como ele me chamou atenção, eu resolvi pedir. Talvez ele tenha me remetido a um romance de época, vai saber. O importante é que ele me surpreendeu a cada virar de página.

Depois de ler a sinopse e dar início a leitura, eu tinha em mente um monte de ideias e teorias que foram por por água abaixo conforme eu fui lendo. Neste livro, a autora Dinah Jefferies conta a incrível história da bela, delicada e generosa jovem Gwen, que aos dezenove anos conhece o viúvo Laurence Hoope, um dos maiores produtores de chá do Ceilão. Sim, eu fui ao Google pesquisar onde diabos ficava Ceilão (Sri Lanka) e fiquei me perguntando porque não bolei um desafio literário "Leia um livro que se passe por um lugar bisonho que você nunca imaginou que leria", porque, né?!

Pois bem, encantados um pelo outro, eles se casam e a bela Gwen parte para a fazenda de seu marido, partindo também para um lugar e uma vida totalmente diferente e nova.

O livro é muito bem descrito e ambientado, Gwen nos conta cada particularidade do Ceilão e de seus moradores. Ela se deslumbra com tudo aquilo, mas a gente vai notando certas tensões, porque ela é uma mulher ingênua, cheia de ideias e expectativas, com um coração super bondoso que está sempre querendo ajudar a todos, independente das consequência e de quem seja, só que ao passar do tempo a gente vai vendo o quão complicado é tudo isso. Porque naquele tempo há muitos preconceitos e ela é a senhora branca que não deve se misturar com o povo, principalmente com os trabalhadores da fazenda.

Gwen começa a perceber que a vida não vai ser fácil nesse lugar tão exótico e encantador. Laurence está sempre ocupado com o trabalho, ora é atencioso e carinhoso com ela, ora se mostra distante, indiferente, omitindo coisas de seu passado. Até que a incrível notícia de que Gwen está grávida, alegra a todos.

Mas… pois é, sempre tem um mas, a vida nunca é só um mar de rosas. A gravidez que se tornara algo bom, trazendo felicidade para a casa quando anunciada, acaba se tornando, no fim, um grande pesadelo e um tormento para nossa protagonista.

Infelizmente esse é o ponto crucial do livro e eu não posso falar absolutamente nada sobre ele, porque ele desencadeia uma sucessão de acontecimentos que qualquer informação estragaria a leitura de vocês. 

O livro é muito bem escrito, o enredo flui muito bem, você não consegue parar de ler e de imaginar o que de fato aconteceu, o que vai acontecer, o que poderia acontecer, enfim, o que eu por um breve momento pensei que seria um encantador romance de época, se mostrou um drama incrivelmente envolvente, cheio de mistérios que só na reta final serão revelados.

Nós vamos ver, ao passar do tempo, como a ingênua Gwen precisou se tornar uma mulher forte, enfrentando situações dificílimas e dolorosas pelo caminho, tudo em nome do amor e por acreditar que aquilo era o certo a se fazer. 

Laurence também foi um personagem que cresceu e mudou ao longo do livro, antes ele se mostrava distante e a gente vai entendendo os receios dele com a Gwen, receios decorrentes do primeiro casamento dele que aos poucos a gente vai descobrindo o que de fato aconteceu.

Quando você desvenda o X da questão, você fica até meio desorientado, meio perdido sem querer acreditar em tudo o que aconteceu, querendo voltar no tempo pra mexer certos pauzinhos e mudar certas coisas. O perfume da folha de chá é aquele drama intenso, que testa suas emoções e seu coração, cheio de altos e baixos, que traz uma história tocante, que abre um leque imenso pra discussões e reflexões.

Diferente de tudo o que eu vinha lendo, esse livro fala sobre relações familiares, preconceitos, superação, amadurecimento, perdão e miscigenação. Ele me fez refletir muito sobre o medo que a gente tem de falar, de se abrir com quem a gente ama, pelo simples fato de não saber o que esperar da outra pessoa, pelo medo de estragar aquela relação. A insegurança muitas vezes nos paralisa, e o pior é que quando tudo vem a tona, você vê que podia ter falado, que se você tivesse falado, tudo seria mais fácil... só que agora é tarde demais. Puta livro, leiam!!!

Narrado em terceira pessoa, do jeitinho que eu amo, Dinah faz você literalmente viajar por Nuwara Eliya, Colombo e Ceilão. E leitor que se preze não perde por nada uma viagem dessa.

Quem aí ficou interessado nesse livro incrível?

Título: O Perfume da Folha de Chá
ISBN-13: 9788584390465
ISBN-10: 8584390464
Ano: 2017
Páginas: 432
Editora: Paralela
Compre aqui: Saraiva
Classificação:


Sobre a autora:


Dinah Jefferies nasceu em Malacca, Malásia em 1948 e se mudou para a Inglaterra em 1956, aos oito anos de idade. Ela estudou no Birmingham College of Art e mais tarde na Ulster University , onde se formou em Literatura Inglesa . Enquanto na faculdade ela ficou grávida de seu primeiro filho, Jamie, que faleceu em um acidente. A experiência de perder o filho foi a inspiração para o seu romance The Separation.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Oi Diana, o que primeiro me chamou a atenção foi a capa desse livro quando o vi e depois o fato de ser romance de época e desde então tenho acompanhado atentamente as resenhas dele e vejo que é 8 ou 80, uns amam e outros nem tanto, e eu quero ler e ver em qual grupo me encaixo. A resenha destaca pontos importantes, como o fato do drama sobrepor o romance e que a autora trás a tona vários temas durante a história. Gostei da resenha e espero poder ler o livro logo logo ;)

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito desse livro e pelo que estou vendo de resenhas ele vale muito a pena mesmo. A garota se tornando forte, ver isso e tudo que ela passa até chegar lá é bem interessante e me chama atenção. Gosto de ver um crescimento dos personagens quando pego uma leitura, fica tudo mais gostoso e real, acho. A história fica mais especial assim.
    E tem tantas coisas nessa história pra se fazer pensar! Adorei os temas, essas coisas de relação familiar e preconceito e tal. Tem muito pra se aprender com essa leitura pelo visto.

    ResponderExcluir
  3. Oi Diana.
    Eu estou muito ansiosa para ler esse livro e cada resenha que eu leio me deixar ainda mais intrigada Já que todo mundo fala do Ponto X dessa gravidez mas que não pode falar Por que seria spoiler, adorei os personagens de não vejo a hora de ler principalmente nosso mocinho estou muito curiosa para saber quais são os seus receios e qual é realmente esse segredo tão grande.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Olá Bianca ;)
    Você me deixou tão interessada no livro *-*
    Já o vi na livraria algumas vezes e vi no skoob, mas o livro nunca tinha despertado minha atenção, apesar de achar essa capa linda!
    Amo livros que acontecem em lugares exóticos! Já coloquei na lista de leitura!
    Muito obrigada por essa super indicação ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Estou bem curiosa sobre esse livro, quando vi ele no lançamento, também pensei que se tratava de um romance de época, mas lendo a resenha gostei muito da historia, é o tipo de livro que nos surpreendeu trazendo um algo a mais, gostei muito de todo essa trama criada pela autora e principalmente por temos um personagem que diante da situação cresce ao longo da leitura se tornando forte !!

    ResponderExcluir
  6. Olá Bia!!!
    Quero implorar amiga, q nem pense nesses desafios estranhos hein?? Kkkkkkkkkk
    Sobre a resenha, Adoreiiii!!! E fiquei super curiosa pra saber qual é esse "segredo"...Não vou mentir, q a parte de vc diz: "um drama incrivelmente envolvente", me preocupou... só pensei: já sei, vou sofrer pra ca*#!%* e vou Amar Kkkkkkkkkkk
    Sim e Com Certeza, ele vai pra minha imensa lista ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir
  7. Amo esse estilo de drama, pela fluidez da leitura, a forma como a estória e desenvolvida, cheia de mistérios, nos quais vamos acompanhado, e quero logo desvendar o x da questão como você mesma citou. Confesso que não esperava muita coisa desse livro, e me surpreendi e muito em perceber o quanto e tão envolvente, e cativante, já quero logo conhecer essa personagem e sua estória.

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus Bianca! Estou chocada com a sua resenha, amei. Já coloquei ele na lista antes mesmo de começar a comentar kkkkk
    Eu vi esse livro e gostei da capa, do nome, mas sabe aquele pensamento, deixa eu focar nos meus vícios primeiro e acabei nem olhando a sinopse. Aí venho aqui e você me desestabiliza desse jeito rsrsrs
    Estou num momento difícil e esse livro é tudo que preciso, superação, crescimento, aprendizado e a necessidade do diálogo e se abrir, amei também o fato de se passar em um lugar totalmente diferente do comum e já sei que vou amar essa viagem.

    Beijos,
    Anne
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir