Resenhas

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

:: Resenha 315 :: "Amor Imenso", Penelope Ward


Sinopse: Desde garoto, Justin amava Amelia, que odiava Justin desde que ele se mudou para a casa vizinha à da sua avó, em Rhode Island. Não, nada disso. Amelia também amava Justin, mas um mal-entendido o fez pensar que a garota mais incrível do mundo não correspondia ao seu amor e, pior, o odiava.
Os anos se seguiram, e os dois tomaram caminhos distintos até que o destino – e um empurrãozinho de Nana, avó de Amelia – os reuniu novamente na casa onde se conheceram quando eram adolescentes. Obrigados a compartilhar o mesmo espaço, Justin – que aparece na casa de praia de Nana com a namorada – e Amelia vivem como cão e gato. Orgulhosa, a princípio ela não dá o braço a torcer ao amor que sempre sentiu pelo vizinho e reluta o quanto pode contra os encantos de um Justin, agora, mais maduro e... muito mais atraente. Será que ambos resistirão à paixão e ao desejo que os incita desde a adolescência?

Oi, amores! Sim, tá diminuindo a chamada porque a preguiça às vezes é maior que o mundo, enfim… Oi, amores! Se vocês seguem a nossa página no Facebook, vocês devem ter visto que eu postei uma imagem de votação através das reações de curtida, para que vocês, nossos seguidores, escolhessem a minha próxima leitura em uma singela lista de cinco. Vamos fazer um anexo nesse enredo aqui: foi complicadíssimo escolher só cinco, só falando! Bom, lista feita, esperei 24h para ver o que vocês votariam e com uma diferença muito grande, a maioria escolheu Amor Imenso, da Penelope Ward, livro que comprei o e-book em uma promoção e acabei deixando para ler depois por falta de tempo, mas sempre tive vontade. Isso foi numa quinta, o resultado saiu na sexta, eu comecei imediatamente após dar o resultado e... terminei na madrugada de sábado!

Amor Imenso é um livro curto, apesar de cobrir um período de tempo um tanto quanto longo (o curioso que As Cores do Amor, que li antes também seguiu esse time que é bem legal). Voltando, Amor Imenso não é um livro de 500 páginas, como eu disse antes, o meu é e-book e a previsão do Kindle é de 4h38min de leitura, o que meio que acabou acontecendo e mesmo sendo rápido, é muio bom! A Penelope conseguiu, na metade do livro, fazer um plot twist sensacional que eu não esperava e que bateu tão bem, foi tão bom, porque saiu do trivial, do comum e me prendeu na leitura de tal forma que eu não sabia como parar de ler, resultado: olheiras no domingo!

Passei todos esses anos me esforçando para não pensar nele. Agora, era só nele em que conseguia pensar.

Não sei se vocês notaram, mas eu estou fazendo uma ordem inversa de como eu geralmente faço resenha, estou dando minhas impressões de cara, porque sério, essa resenha é para você que nunca leu, pegar o livro e ir ler! Não se deixe levar pela sinopse, não é um romance do tipo Love-Hate. A autora fugiu muito bem do clichê, mesmo explorando duas vertentes dos romances curtos que estão na moda no mercado americano (romances entre vizinhos/amigos de infância e romances onde se odeiam, mas se amam, mas se odeia… Deu para entender?). Sim, no começo o Justin implica com a Amélia, ele está magoado com o fim precoce da amizade de infância deles, anos atrás, mas não demora muito para que a situação se resolva e já que começamos a falar dos personagens, vamos a eles!

Para de se apaixonar por ele de novo, Amélia

Amélia é uma jovem professora que acabou de perder a avó, sua referência materna (Amélia e a mãe tem uma relação complicada, para dizer o mínimo) e descobriu que a casa da sua avó, onde ela tem as suas melhores memórias, foi deixada para ela, mas também foi deixada para o Justin, um vizinho que cresceu com a Amélia, já que a avó dela tomava conta dele durante o dia. O problema é que uma vez, há muitos anos, Justin e Amélia foram inseparáveis, e vemos essa relação deles em alguns flashbacks no começo do livro e os dois eram aquele casal que todo mundo sabia que ficaria junto, mas não aconteceu. Um mal entendido entre eles (que não vou falar qual é, mas vou dizer que foi uma besteira) fez os dois tomarem rumos diferentes na vida e perderam contato.

Sim, a gente dizia “eu te amo” um para o outro. E, quando você começa a dizer isso para alguém, acaba virando lugar-comum. As palavras perdem valor por uso excessivo e abusivo.

Já o Justin, guardou muita mágoa por perder a amiga, sentindo-se traído e abandonado por ela. Quando os dois vão finalmente dividir a casa na praia, ele acaba agindo como um bebêzão (#falomermo) e dá umas provocadas na ex-amiga até que o mal entendido é desfeito e o que era mágoa logo se transforma na velha atração, mas agora não mais entre dois adolescentes e sim entre dois adultos. O problema? Justin tem uma namorada super bacana e nem ele e nem a Amélia querem machucar a Jade ou entrar em uma relação que envolve traição. Acho que já rolou muito? Pois é, isso não é nem 25% do livro! Rola muito mais coisas, muitas viradas e fica quase impossível largar a leitura!

Tecnicamente, vou te foder até te deixar maluca.

Por fim, a leitura beira o simples, sem deixar de ser óbvio, é um romance que você espera o casal ficar junto, mas acontece tantas coisas que vai cozinhando essa atração entre eles em fogo brando, quando você percebe que existe lava vulcânica pronta para explodir e quando explode… UAUUU! Como eu disse antes, é um livro rápido, gostoso e fácil de ler, o que eu chamaria de leitura de fim de semana chuvoso que vai muito bem com um copo de chocolate quente (favor não sujar seu livro!). E fica ligado, se você for um leitor de e-books, esse livro sempre aparece em promoções, como no meu caso, e o custo beneficio foi excelente! Uma leitura ótima por menos de 6 reais!

Nome: Amor Imenso
Nome Original: RoomHate
Autora: Penelope Ward
ISBN-13: 9788542209341
ISBN-10: 8542209346
Ano: 2017
Páginas: 272
Editora: Essência
Compre aqui: Amazon
Classificação:

Sobre a autora: 

Penelope Ward cresceu em Boston, nos Estados Unidos, com mais cinco irmãos. Ela se tornou escritora de romances, muitos eróticos, após deixar a carreira de apresentadora de TV para se dedicar mais à família. Vários de seus 11 livros estiveram nas listas de mais vendidos dos prestigiados jornais The New York Times e Wall Street Journal. Penelope mora com o marido e os filhos, de 11 e 9 anos, em Rhode Island.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Oi Talita, achei essa uma leitura bem leve e uma vez que eles estão se entendendo a história fica ótima, mas tenho que dizer que o motivo da "birra" achei meio sem graça e as partes em que ele agiu como um bebezão haha me irritaram um pouco rsrs. Mas como um todo é uma boa história, dessas que nem vemos a hora passar :D Curti a resenha *__*

    ResponderExcluir
  2. Olá Tali!!!
    Ameiiii a resenha e foi nesse q votei, para ser sua próxima leitura, pois não li nada dessa autora e esse gato delícia na capa, me deixou muito curiosa!!!
    Agora quero muito ler e sim/com certeza, vai pra imensa lista ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir