Resenhas

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

:: Resenha 348 :: "Canção de Susannah - A Torre Negra vol.6", Stephen King



Sinopse: Sexto e penúltimo volume da série "A Torre Negra" --que narra a incessante busca de Roland Deschain de Gilead pelo seu graal particular--, "Canção de Susannah" começa onde "Lobos de Calla" havia terminado, com Mia se transportando para Nova York em 1999, habitando o corpo de Susannah.

Mia carrega um filho (esse por sua vez, terá como missão assassinar Roland), e precisa dar a luz em um local específico de Manhattan.

Nesse meio tempo, Roland está com Eddie no Maine, em 1977, procurando o dono de uma livraria chamado Calvin Tower. A vida de Calvin precisa ser salva, pois ele é proprietário de um pedaço de terra muito importante.

Uma das melhores surpresas fica por conta do próprio Stephen King aparecendo como personagem.




Fala aê, bando de viciados em leitura ^__^

Se vocês têm lido os livros, já entenderam que a Su tem múltiplas personalidades. Mas Mia, a mãe, seria mais uma de suas personalidades, ou uma possessão demoníaca?


Canção de Susannah é a parte central da trama da Rosa.
Hummmmmmm ... você boiou em "a trama da rosa", né? 
Tudo bem, vamos dar uma resumida para o entendimento de quem não vêm lendo os livros.

A Torre Negra é representada no "mundo de hoje" por uma rosa que floresceu em um terreno baldio, no meio da cidade de Nova York. Esta rosa, que parece cantar com a voz de um coro de anjos e que tem mais de 1.000 sóis incandescentes, queimando em seu interior, precisa ser protegida, para o bem de todos os seres vivos em todos os mundos. Mas como fazer isso? 


Muito simples! Um grupo de pistoleiros liderados por um homem que não é deste mundo, precisa abrir uma empresa e convencer o dono do terreno baldio a vender este terreno a eles. Não é fácil?


Um ciclo que parecia ter se encerrado no passado volta a ter evidência. O dono da livraria onde Jake conseguiu o livro de Charlie Chu Chu, POR ACASO, também é o dono do terreno onde a rosa está florescendo e POR ACASO seu nome é Calvin TOWER. TOWER (-__-)

Durante o final do conflito em Calla Bryn Sturgis, Mia arrastou o corpo de Su para Nova York.
Mia está gerando seu filho dentro do corpo de Su e esse "chapinha", como ela costuma chamar, precisa ser levado até um determinado local, para que seu parto seja realizado pelos homens do Rei Rubro.

Enquanto isso, os rapazes, Ed, Jake, Don e Roland, estão procurando a "donzela" que desapareceu.
Seguindo seus rastros, descobrem como e por onde ela atravessou da Terra Média para Nova York.
Inicia-se, então, com a ajuda dos índios "manís", uma espécie de ritual para abertura da passagem e o transporte deles pela mesma passagem. Roland os divide em duas duplas equilibradas, onde ele e Ed ficariam separados para questões de combate, por serem os mais aptos a defesa do grupo.

Mas durante este ritual, o Ka, que seria o destino, decide que as duplas organizadas por Roland não eram boas o suficiente para que a brincadeira fosse realmente divertida e as duplas se misturam no exato momento da passagem pelo "buraco dimensional". 


Don e Jake, os dois "mais frágeis" do grupo, uma criança e um velho, atravessam juntos, enquanto Ed e Roland, os dois homens mais fortes e aptos ao combate, ficam para trás.
O que deixa Ed desesperado, não apenas pelo fato de achar que Jake e Don são uma "dupla frágil", mas principalmente porque esta primeira dupla iria atrás de Su, sua esposa grávida desaparecida. Mas Roland tenta acalmá-lo explicando que "o Ka" deveria ter um plano especial para Jake e Don.

Será que tinha mesmo um plano especial para eles? Oh my god, o frio no estômago já é certo.
Será que o menino e o velho vão dar conta dos homens do rei rubro? O menino, o velho e Oy.
NUNCA se esqueçam de Oy, aquele canídeo, de uma raça conhecida como "trapalhão", meio cachorro, meio guaxinim que repete as palavras que ouve. Oy sim, a princípio, havia ficado decidido que não atravessaria, pois era uma criatura do Mundo Médio que poderia não se adaptar a Nova York, mas como era de se esperar, Oy foi atrás de Jake no último segundo possível. 

E Su? E por que tantos gifs da Rochelle?
Simplesmente porque Mia prendeu Susannah Dean dentro de sua própria mente, numa espécie de cela imaginária, onde a consciência da esposa de Ed fica presa enquanto o demônio utiliza seu corpo.

Então, realmente se trata de uma possessão demoníaca e não de mais uma personalidade desenvolvida por sua mente doente? Creio que sim, levanto em conta o fato de uma mulher negra que teve suas duas pernas amputadas estar andando por Nova York com duas pernas de uma mulher branca ...

SIIIIIIIMMMMMMM as pessoas vêem Su andando pelas ruas com o corpo de uma mulher negra e as pernas de uma mulher branca, pois Mia, o demônio é uma mulher branca e usa suas pernas, pelo fato do corpo de Su não ter mais as pernas.

Mas e a Rochelle, ainda não entendemos a Rochelle.
É porque vocês não leram os livros, mas eu vou dar uma moral pra vocês.
Uma das personalidades de Su é praticamente a Rochelle, na minha imaginação de leitor.
Kkkkkkk todas as vezes que "Deta" tomava conta da situação eu imaginava a Rochelle.
E Mia vai sentir o amargo sabor do "Xarope" que o Cris tinha que tomar até se fosse atropelado.


Em determinado momento, Mia e Su conseguem conversar. Su vê Mia fisicamente, a mulher branca que está usando seu corpo pra gerar um filho. Depois de muita conversa e revelações bombásticas, Mia, resumidamente, explica a Su que é sim uma espécie de demônio e que esteve presente na história em três momentos, agora tirem as crianças da sala porquê vem zueira ...

1 - Transou com Roland, em forma de mulher, como um demônio invisível, em um círculo amaldiçoado, onde ela estava inicialmente presa e guardou seu sêmen dentro dela.
2 - Transou com Su, em forma de homem, também como um demônio invisível, enquanto eles atravessavam Jake de Nova York para a Terra Média, depositando nela o sêmem de Roland que havia guardado para ser utilizado no momento oportuno.
3  -  Possuindo o corpo de Su agora em sua fase final da gestação do ... PASMEM ... filho de Roland.


LONGOS DIAS E BELAS NOITES!

Título: Canção de Susannah
Série: A Torre Negra # VI
Autor: Stephen King
ISBN-13: 9788573027587
ISBN-10: 8573027584
Ano: 2005
Páginas: 405
Editora: Suma de Letras
Compre aqui: Amazon, Submarino 
Classificação: 


Sobre o autor:

Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar. De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Então Bruno esse parece ser o livro mais louco da série até aqui kkkkk, tô bem aqui tentando encaixar em minha mente a parte do tire as crianças da sala e ainda imaginando Rochelle de pernas brancas, Oi??!! kkkkkkkkk A história tá insana, mas a resenha tá ótima e assim imagino que o livro também o seja :D Agora só falta um pra acabar né? Já tá com saudade?!

    Sobre Rochelle eu não me perguntei porque tinha tantos Gifs dela na resenha, eu gosto dela, mas sempre que aparecia uma imagem nova a medida que ia descendo a resenha a frase "meu marido tem dois empregos" vinha a minha mente rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - Diga Oi Lilica. (Perninha).
      - Oi Lilica! (Lilica).

      Siiiiiiimmmmmmm já estou com saudades e é por isso que a próxima resenha será sobre um livro de contos da torre negra "O Vento pela Fechadura". Pois é, uma loucura que só entende quem está vivenciando a história. Os melhores gifs são os da Rochelle né rsrsrsrs.
      Espero que você tenha se convertido em uma pistoleira. No bom sentido, claro.
      Só falta uma ...

      Excluir
  2. Ahhhhhhhh so faltou mandar o demônio usar produtis Ivone. Com certeza tem no catálogo algo que ela poderja usar para uniformizar as pernas com o tronco Rsrsrsrsrs.
    Sempre achei o King muito louco, mas nunca tinha lido essa série, só tenho acompanhado as suas resenhas, agora tenho certeza que ele é loucooooo rsrsrsrs.
    Amei a resenha, os gifs e estou mais perdida do que nunca rsrsrs.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala parceira ^__^
      O King tem sérios problemas mentais, acho que é por isso que as histórias dele são boas, porque ele faz coisas que as pessoas normais tem vergonha de fazer. Tipo, colocar a si próprio no meio do pagode kkkkkkk
      Obrigado, to me preparando psicologicamente pra iniciar as vídeo resenhas @__@
      Beijos

      Excluir
  3. Só vim por causa dos gifs! hauahuahua Rochelle, maravilhosa! <3

    ResponderExcluir