Resenhas

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

:: Resenha 352 :: “Rainbow”, M.S. Fayes


Sinopse: Rainbow Walker sempre se sentiu diferente das garotas da sua idade. Com um nome peculiar e uma família estranha, ela nunca conseguiu estabelecer vínculos ou manter muitas amizades. Agora, em uma nova cidade, ela terá que se adaptar a uma nova escola e rotina, ao mesmo tempo em que precisa deixar sua introspecção de lado.
Mas Rainbow não está sozinha nessa jornada, já que uma pessoa inesperada entra em seu caminho, fazendo com que ela precise rever todos os velhos preconceitos em relação aos outros, se obrigando a deixar as pessoas entrarem na sua vida.
Reviravoltas, conflitos familiares e toda espécie de desventuras típicas de uma adolescente no Ensino Médio não podem competir com o que ela menos esperava encontrar: o amor e a autodescoberta.

Olá, pessoal! Na Bienal de SP do ano passado eu entrei no estande da Qualis pra encontrar a Cristina Valori, comprar o livro dela e do nada uma pessoa me agarra, segura meu rosto com as duas mãos e fala um monte de coisas, olho no olho, sobre o excelente trabalho da Cris. Eu, que fui totalmente pega de surpresa, só ri e concordei, pois adoro a Cris e os seus livros. Depois desse episódio pra lá de doido eu soube que aquela pessoa que tinha me agarrado era, nada mais, nada menos, que M.S. Fayes. Não que eu não soubesse que era uma autora ali com a Cris, eu só não tinha ligado o nome à pessoa, saca? 

Pra completar, eu estava com DangeRock na minha lista mental de compras, mas acabei esquecendo de comprar! Sabe como é loucura de Bienal, né? Ainda mais indo em um dia só. Na Bienal deste ano - aqui em casa, no Rio, indo praticamente todos os dias -, eu não podia dar mole novamente, então garanti - com muitos abraços, beijos, foto e autógrafos -, o meu exemplar de Rainbow e DangeRock. Yeah!!! Na resenha de hoje eu conto pra vocês o que eu achei dessa belezinha que é Rainbow.

Além dessa capa maravilhosa, Rainbow é um livro muito rápido, gostoso de ler, e mesmo ele sendo leve e para um público mais jovem, ele traz temas bacanas, sérios e importantes, como por exemplo, família e bullying.

Quem conta essa história pra gente é Rainbow Walker, uma jovem de 17 anos, filha de pais hippies e irmã mais velha dos gêmeos Sunshine e Thunder Storm. Sério, como não amar esses nomes incríveis? Pena que justamente esses nomes brilhantes são a causa de muito bullying sofrido por eles a vida inteira, em todo lugar, em toda escola que frequentavam. Digo isso porque como os pais deles são hippies, eles estavam sempre se mudando, seguindo aquele estilo de vida paz e amor, totalmente livres de amarras.

Então, visualiza a família: Pais hippongas, tipo ciganos que vivem viajando. Rainbow uma nerd, séria, fechada, que justamente por viver se mudando, nunca se abria pra fazer amizades, praticamente uma velha rsrs. Sunshine totalmente o oposto da irmã, aquela adolescente da pá virada, que sabe de todas as fofocas, festas, gatos e tudo mais. Storm também, o típico adolescente, saradinho delícia, com os hormônios enlouquecidos, uma verdadeira figura encantadora.

Eles entram na Westwood Garden High School, no meio do semestre e essa é, com certeza, a pior escola que eles já frequentaram, com relação a bullying. Sério, o pessoal aqui é muito p** n* c....

Ela só não imaginava que ia conhecer, ou melhor, ela só não imaginava que logo ela fosse se sentir atraída pelo quarterback do time da escola, que graças a Deus foge daquele estereótipo que a gente conhece desses jogadores, que costumam ser lindos e boçais. Thomas Reynard tem um estilo punk, largado, até meio misterioso e muito, muito atraente. *suspiros*

Claro que Thomas também vai se pegar atraído pela excêntrica garota nova da escola. E o mais legal aqui, é que Thomas consegue enxergá-la, como nem ela mesma se vê. Ele consegue ver por trás de todas as cascas, todos os muros que ela construiu a vida inteira ao redor dela, mantendo o jeito sério e distante de todo mundo, que prefere não se abrir pra ninguém.

E é muito gostoso ver Thomas invadindo esse espaço dela e a amizade deles se desenvolvendo. Melhor ainda é quando Thomas tem a brilhante ideia de pedir ajuda a ela. Como ele tem uma prima pra lá de louca, e que Thomas já teve uns trelelê, ele pede pra Rainbow fingir que é namorada dele. Podia ter pedido pra mim, mas ok, eu entendo.

Então a gente vai acompanhar esse delicioso envolvimento dos dois, ao mesmo tempo que vamos ver cada um deles enfrentando seus próprios problemas. Thomas com a louca da prima, e Rainbow com os pais que querem seguir livre e viajando sempre, assim como os seus próprios tormentos, a luta diária que ela trava em se descobrir, em se aceitar, mesmo sendo tão difícil, numa escola onde as pessoas não conseguem respeitar o outro.

Essa minha primeira experiência lendo M.S. Fayes, depois de todos os deliciosos encontros com ela na Bienal, foi excelente. Virei fã de seu jeito, de sua escrita e criatividade, e não vejo a hora de conhecer DangeRock.

Ah, fica aqui um pedido: Sei que já tem o conto A garota dos meus sonhos, que minha amiga Anastacia do Notas Literárias disse que é molhado num estilo teenager, mas eu preciso de um livro novo para o meu Reynard, mais adulto, mais sexy e mais molhado. Obrigada! U.u

Agora sério, leiam porque Rainbow é um livro muito gostosinho. Mais que recomendado! ;)

Título: Rainbow
Autora: M.S. Fayes
ISBN-13: 9788584422043
ISBN-10: 8584422048
Ano: 2017
Páginas: 288
Editora: Pandorga
Compre aqui: Amazon
Classificação:


Sobre a autora:


M.S. Fayes é apenas uma das tantas faces de Martinha Fagundes. Entre os afazeres da vida, marido e filhos, além de trabalhos em diversas vertentes criativas, ela encontrou em seus livros a maneira mais divertida de conseguir que seus personagens obedecessem aos seus comandos sentimentais e tivessem seus finais traçados romanticamente. Há coisa melhor do que um belo final feliz?

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Ahhhhh que resenha fofaaaaa!!!! O conto é muito fofo, mas ainda não vai aplacar o seu calor rsrsrs...

    ResponderExcluir