Resenhas

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

:: Resenha 355 :: "A Torre Negra - A Torre Negra vol.7", Stephen King

Sinopse: Neste volume a obra apresenta o desfecho da missão implacável de Roland Deschain para chegar à Torre Negra. O pistoleiro Roland é obcecado por uma enorme corrente de energia que emana da torre que ele busca - e que precisa ser resgatada, pois está enfraquecendo. No decorrer da saga, Roland recruta um viciado em drogas, uma mulher sem pernas, um padre amaldiçoado e um 'filho', além de um animal inventado, o trapalhão Oi, para ser seu ka-tet, ou bando. Este o acompanhará na missão para achar a torre das mãos do Rei Rubro e seus aliados, cuja missão é a destruição da torre e do mundo.


This is "The End" ... My only friend, is "The End" ...

Fala aê, bando de viciados em leitura ^__^

Chegamos ao final da Saga e eu sinceramente gostaria de ter com quem debater a história, mas sei que ninguém leu os sete livros da saga, durante o curto intervalo de tempo destas resenhas.

Depois deste ultimo livro, ainda farei mais uma resenha sobre um livro de contos dentro da saga da Torre Negra, livro este chamado "O Vento Pela Fechadura".

Rola uma espécie de ressaca pós história, mas toda saga precisa ter um desfecho. Não seria justo com a própria história prolongá-la sem necessidade. Foi suficiente. Não sobrou nem faltou.

Bom, vamos seguir com o trabalho, pois o livro é mais uma gigante de mais de 800 páginas.

Gostaria de lhes dizer que o Padre é meu personagem favorito, mas isso seria uma grande injustiça com o velho Roland, com Ed Dean e com o pequeno Jake Chambers. Mas o padre é F#$@.

E com a coragem de um verdadeiro pistoleiro, nosso herói encontra sua redenção, confrontando as criaturas que destruíram sua vida em "Salem's Lot" e que o perseguiram depois disso. 

O Padre Callahan enfrentando uma horda de monstros no Dixie Pig, em NY
Redenção:
Vozes do mar, das árvores, do vento! Quando às vezes, n'um sonho doloroso, 
Me embala o vosso canto poderoso, Eu julgo igual ao meu, vosso tormento... 
Verbo crepuscular e íntimo alento Das coisas mudas; salmo misterioso; 
Não serás tu, queixume vaporoso, O suspiro do mundo e o seu lamento? 
Um espírito habita a imensidade: Uma ânsia cruel de liberdade 
Agita e abala as formas fugitivas. E eu compreendo a vossa língua estranha, 
Vozes do mar, da selva, da montanha... Almas irmãs da minha, almas cativas! 
Não choreis, ventos, árvores e mares, Coro antigo de vozes rumorosas, 
Das vozes primitivas, dolorosas Como um pranto de larvas tumulares... 
Da sombra das visões crepusculares Rompendo, um dia, surgireis radiosas 
D'esse sonho e essas ânsias afrontosas, Que exprimem vossas queixas singulares... 
Almas no limbo ainda da existência, Acordareis um dia na Consciência, 
E pairando, já puro pensamento, Vereis as Formas, filhas da Ilusão, 
Cair desfeitas, como um sonho vão... E acabará por fim vosso tormento. 
Antero de Quental, in "Sonetos" 
Seguimos em frente, Jake segue em frente, tendo o pequeno trapalhão como companhia.
Em busca de Suzan, o menino e seu amiguinho peludo encontram um labirinto abaixo do "Dixie Pig" (o restaurante onde se encontram os vampiros, can-tois e taheens que trabalham para o rei rubro).

Can-tois ou Homens Baixos são humanóides de aparência horrenda, com feições brutas e faces gigantes, eles utilizam máscaras de látex nível "filme sci fi hollywoodiano" para se passarem por humanos normais, enquanto estão em nosso mundo, chamado na saga de "mundo chave".

Taheens são criaturas que estão fisicamente bem acima dos can-toi, possuindo grandes e fortes corpos humanos com cabeças de animais, são crias do rei rubro, seus soldados de elite.

Dois Can-Toi e um Taheen com cabeça de doninha.
Enquanto isso, Su é levada para uma espécie de "fábrica de monstros" para ter seu filho.
Como já mencionei antes, Mordred Deschain é o filho de Roland que Su carrega no ventre.
Tal informação é revelada a Su por Mia, o demônio que possui seu corpo para a gestação.
Mia é a verdadeira mãe de Mordred, Su é apenas o corpo que faz a gestação da criança.
Mia é mais um fantoche nas mãos do Rei Rubro e acredita que vai criar a criança, mas está enganada.
Uma criatura que queria ser mãe, foi enganada e convencida a gerar o filho de Roland dentro de Su.

Mordrer está prestes a nascer e Mia promete deixar Su em paz após o nascimento do filho.
Mas será que Su continuará viva após esse parto tão estranho, realizado pelos homens do Rei Rubro?

Su e Mia são separadas, Mordred nasce e devora Mia.
Mordred é um monstro, metade humano, metade aranha, podendo se transformar em aranha.
Criado a imagem e semelhança do Rei Rubro, sendo muito mais um filho dele do que de Roland, de Mia ou de Su, Mordred tem como unica missão exterminar Roland.
O monstro cresce de maneira acelerada e desenfreada, querendo comer tudo e todos que cruzam seu caminho, mas quase é morto por Su e consegue fugir.

Mordred Deschain
Conhecemos Ted Brautigan, um personagem de um de outros livros do tio King, "Hearts in Atlantis".
Ted é um "Sapador" (pessoa com habilidades psiquicas utilizadas pelo Rei Rubro a fim de destruir os feixes que seguram a Torre Negra) e descobrimos que então é isso, o vilão precisa dos psionicos para destruir a torre e sem eles seu plano não pode ser bem sucedido.

OBS: Existe um filme "Herts in Atlantis" onde Ted é interpretado por ninguém menos que Antony Hopkins, mas neste filme é mostrada uma história com Ted após seu encontro com o Ka-tet do 19.

Também conheceremos Patrick Danville, um personagem do livro "Insomnia".
Patrick se encontra "sequestrado" e será salvo por Roland e Su, já bem perto do fim da história.

OBS: O sequestrador de Patrick é Dandelo, uma criatura do mesmo tipo de Pennywise, o palhaço, vilão do livro e do filme "IT, A Coisa".

Me recuso a comentar sobre o que acontece com cada um dos outros personagens do Ka-tet do 19, mas posso lhes garantir que vale a pena conferir. Limito-me então a lhes dizer que:

“Childe Roland à Torre Negra chegou”.

Contra tudo e contra todos, Roland segue em direção a Torre Negra, a fim de confrontar o maior inimigo de todos, o Rei Rubro, cérebro de toda a conspiração contra a Torre Negra e contra a ordem.

O Rei Rubro, Senhor das Aranhas
A Torre Negra poderia ser facilmente considerado por mim o pior livro da série, mas o tio King é tão filho de uma can-toi, que conseguiu com o final surpreendente, desfazer diversos equívocos que acontecem nessa última parte da história. Entre 800 e poucas página, tive vontade de matar o velho King por várias vezes, mas ele consegue se superar no final e consegue desfazer toda e qualquer injustiça que você imagine ao longo da leitura dos sete livros.

Infelizmente, ou felizmente, preciso encerrar por aqui, porque ao contrário do que todos imaginaram no início dessa resenha, a história não termina, sim, pasmem, vou repetir, a história não termina. O que abre um leque infinito para fan fics e adaptações em filmes e seriados. Sim, o final da história, que não tem final, explica porque o filme pode e consegue ser tão diferente da história do livro.

Não posso lhes contar o final, mas posso dar uma dica ...
Lembram que eu disse algumas linhas acima que o Rei Rubro é o Senhor das Aranhas?
Então, vamos cantar juntos e nosso trecho da musiquinha fica como dica para vocês ...
A Dona Aranha subiu pela parede, veio a chuva forte e a derrubou. Já passou a chuva! O Sol já vem surgindo. E a Dona Aranha continua a subir. Ela é teimosa e desobediente, sobe, sobe, sobe e nunca está contente ... 
Me despeço de vocês com um "Até Breve", pois o "Adeus" é forte demais.
Você pode ler minha matéria falando um pouco sobre "A origem da Torre Negra" e também o poema que inspirou Stephen King a escrever toda esta saga, clicando "AQUI"

Longos dias e belas noites! 
Título: A Torre Negra
Série: A Torre Negra # VII
Autor: Stephen King
ISBN-13: 9788581050270
ISBN-10: 8581050271
Ano: 2012
Páginas: 872
Editora: Suma de Letras
Compre aqui: Amazon 
Classificação:



Sobre o autor:


Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar. De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).



Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Terminou, mais você ainda tem um livro de contos pra resenhar e todos os livros na estante pra reler né?! rsrs, isso me consola quando termino um livro que considero muito bom e nem bem termino e já tô com saudades haha. Mais uma resenha de um livro que parece bem louco kkkkkkk, tem um personagem que é metade aranha? um sequestrador que se assemelha a It - A coisa? e um final aberto?!! são mais de 800 páginas bem movimentadas pelo visto e achei legal que King consegue surpreender no final aos seus fãs. Ótimas resenhas Bruno :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, vou acabar relendo em breve, muito breve rsrsrs.
      Agradeço muito por ter acompanhado a saga de perto.
      É uma história bem original, apesar de todas as referências. O que realmente acaba tornando-a bem diferente e "meio louca".
      Espero que minhas resenhas inspirem pessoas a ler esta fantástica saga.
      Abraço ^__^

      Excluir
  2. Gosto das histórias que contam os filmes, de forma interessante, o criador optou por inserir uma cena de abertura com personagens novos, o que acaba sendo um choque para o espectador. Desde que vi o elenco de A Torre Negra imaginei que seria uma grande produção, já que tem a participação de atores muito reconhecidos, pessoalmente eu irei ver por causo do ator Idris Elba, um ator muito comprometido. É uma historia que vale a pena ver. Para uma tarde de lazer é uma boa opção. Adoro os filmes porque são muito interessantes, podemos encontrar de diferentes gêneros.

    ResponderExcluir