Resenhas

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

:: Resenha 356 :: "Minha Vida (Não Tão) Perfeita", Sophie Kinsella


Sinopse: Cat Brenner tem uma vida perfeita, mora num flat em Londres, tem um emprego glamoroso e um perfil super cool no Instagram. Ah, ok... Não é bem assim... Seu flat tem um quarto minúsculo sem espaço nem para guarda-roupa, seu trabalho numa agência de publicidade é burocrático e chato, e a vida que compartilha no Instagram não reflete exatamente a realidade. E seu nome verdadeiro nem é Cat, é Katie. Mas um dia seus sonhos se tornarão realidade. Bom, é nisso que ela acredita até que, de repente sua vida não tão perfeita desmorona. Demeter, sua chefe bem-sucedida a demite. Tudo o que Katie sempre sonhou vai por água abaixo, e ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset. Em sua cidadezinha natal, ela decide ajudar o pai e a madrasta com a nova empreitada do casal:  os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo e estão muito empolgados com o novo negócio, mas não sabem muito bem por onde começar.  E não é justamente lá que o destino coloca Katie e sua ex-chefe cara a cara de novo? Demeter e a família vão passar férias no glamping, e Katie tem a chance de, enfim, colocar aquela megera no seu devido lugar. Mas será que ela deve mesmo se vingar da pessoa que arruinou sua vida? Ou apenas tentar recuperar seu emprego? Demeter- a executiva que tem tudo a seus pés - possui mesmo uma vida tão perfeita? ou quem sabe, as duas têm mais em comum do que imaginam? Por que pensando bem, o que há de errado em não ter uma vida (não tão) perfeita assim.



Olá pessoal!!
A resenha do livro de hoje é de um livro em que eu estava ansiosíssima para ler, porque amigos, sou viciada nos livros da Sophie Kinsella, então aproveitei o black friday e o adquiri rapidinho, rsrsrs.

Neste livro vamos conhecer Cat Brenner, uma garota linda, e que tem a vida per-fei-ta. Ela mora em um super apartamento em Londres, tem um emprego super bacana, frequenta os melhores lugares e tem os melhores amigos...

"Mas estou decidida a ser Cat. Vou ser Cat. é minha nova identidade londrina. Tive três empregos na vida (ok, dois eram estágios) e, em cada um deles, eu me reinventei um pouco. Passar de Katie para Cat é o último estágio."

Só que não é bem assim... Na verdade o verdadeiro nome de Cat é Katie (ela abandonou seu nome achando que seria bem interessante tirar seu nome de interiorana e colocar um nome mais moderno em sua nova vida), seu quarto no apartamento em que ela divide com mais duas pessoas é minúsculo, ela não tem nem um guarda-roupas, usa na verdade uma rede para guardar seus pertences. Seu emprego é na verdade bem chato, e ela anda tão quebrada de grana, que raramente toma um cafezinho na esquina. Então seu hobbie na verdade, é compartilhar e ostentar fotos de lugares e coisas que não são dela. Ela vai a restaurantes para tirar fotos dos pratos de outras pessoas e posta no Instagram, ou, pega fotos de lugares que ela sonha conhecer na internet e posta. Conta mentiras para o Pai para dizer que está na melhor. E assim Katie segue com a vida.

"Mas veja bem: não sou invejosa. Não exatamente. Não quero ser a Demeter. Não quero as coisas dela. Sei lá, tenho só 26 anos. O que eu faria com SUV da Volvo?? Mas, quando olho para ela, sinto um comichão de... alguma coisa, e penso: será que poderia ser comigo?"

Katie trabalha em uma agência de publicidade, e seu trabalho na verdade é bem sem graça, ela queria mesmo entrar com a parte criativa, mas seu cargo só exige que ela leia pesquisas, e ainda ela tem que aturar sua chefe, a incrível (só que não) Demeter. Demeter tem tudo aquilo que Katie sempre sonhou: roupas de grife, uma mansão com escada na frente em um bairro chique, fazer viagens fantásticas, e ter uma família linda. Então com sua vida chatinha, Katie sempre se espelhou em Demeter, sonhando em ser ela futuramente.
Até que seus sonhos vão ralo abaixo. Demeter a demite de uma forma bem mesquinha, o que faz Katie adquirir um ódio profundo dela, e assim sem emprego e sem dinheiro, ela volta para o interior para ajudar seu Pai e sua Madrasta no novo empreendimento deles, um glamping.

"Entro no Instagram, penso um pouco e então posto uma foto do Shard, aquele arranha-céu em forma de pirâmide, com a seguinte legenda: Outro dia tu-do-de-bom, muito trabalho, diversão e pouco descanso!! Em seguida, encontro outra foto interessante de um chocolate quente com marshmellows que tirei esses dias. Na verdade, o chocolate quente não era meu - ele estava em uma mesa do lado de fora do café em Marylebone. A moça tinha ido ao banheiro e eu aproveitei e corri para tirar uma foto."

Assim que chega à Fazenda, Katie conta mais algumas mentirinhas para o Pai, diz que tirou um período sabático da empresa, e que só está ali para ajudá-los por determinado tempo, e com isso todo mundo cai na lábia dela. Até que chega um dia, em que uma nova família chega para se hospedar no glamping, e quando Katie vê que é Demeter e sua família, ela fica louca. Até perceber que Demeter não a reconhece, assim começa seu plano para tornar a estadia de Demeter um inferno.

O ponto-alto do livro são os personagens, morri de amores pelo Mick e pela Biddy, que são o pai a madrasta de Katie, eles são muito inocentes, e amei isso. Teremos algumas colegas de trabalho de Katie que precisam de destaque, o colega de apartamento de Katie: o rei da Web e do whey. E tem o Alex, um carinha em que Katie vai ficar extremamente apaixonada e sonhando em ter filhinhos e uma casinha, rsrs.

Bom pessoal, quando vi o lançamento desse livro entrei em estado de histeria, rsrsrs, amo a Sophie, já li todos livros dela, e ela sem dúvidas é uma das minhas autoras favoritas, sem falar que ela tem um senso de humor surreal. Ainda sem falar que ela aborda um tema super atual, em que as pessoas só se preocupam com a aparência e o status social, as pessoas atualmente prezam mais pelo ter e não pelo ser, estamos com as redes sociais cheias de pessoas com as vidas perfeitas, corpos perfeitos, viagens perfeitas... E isso para mim é o maior defeito que existe, a pessoa mostrar ser o que não é, como a Katie por exemplo, ela sonha em ter um vida igual a da Demeter, mas o que ela não sabe que a vida da Demeter é tudo, menos perfeita.

E vou explicar o motivo da minha nota baixa, para os padrões da Sophie. Quando comecei a ler, achei o início bem arrastado, ela se focou muito apenas em Katie e Demeter, e deixou passar algumas coisas. E acho que estou ficando velha e chata, porque de todos os livros dela, esse foi o que achei mais sem graça. Se você pega qualquer outro livro dela, desde o início você está rindo histericamente, e isso não aconteceu com ele, ele tem umas partes engraçadinhas, mas nada demais. Então, me decepcionei bastante, sabe quando você cria uma expectativa imensa, e quando vai ver te dão um banho de água fria? é assim que me sinto, rsrs.
Não que seja um livro ruim, muito pelo contrário, ele tem uma temática interessante, apesar do início lento, ele é bem fluido e mesmo sendo de grandinho, você lê rapidinho. Ele é um bom passatempo, mas não é um dos meus livros favoritos dela.

E por aí alguém que também tenha lido e não gostou ou que tenha lido e amado??

Beijinhos

Título: Minha Vida (Não Tão) Perfeita
Autora: Sophie Kinsella
ISBN-13:  9788501109927
ISBN-10: 8501109924
Ano: 2017
Páginas: 406
Editora: Record
Compre aqui: AmazonSaraiva,
Skoob
Classificação: 




Sobre a autora:  

Sophie Kinsella é escritora e ex-jornalista de economia, com especialização na área financeira. Dela, a Editora Record publicou O segredo de Emma Corrigan, Samantha Sweet executiva do la, Lembra de mim?, Menina de vinte, Fiquei com o seu número e A lua de mel, além da série sobre a irresistível consumista Becky Bloom.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Esse é um problema com as expectativas Mariana, pelo menos comigo quase sempre elas não são alcançadas rsrs, fiquei um pouquinho triste que o livro tem um inicio um pouco arrastado, mas ainda quero sim ler e ver no que dá essa história. As protagonistas da Sophie parecem sempre seguir o mesmo caminho, loucas, enroladas e ainda assim cativantes, tem romance o que não poderia faltar e vou ver no que vai dar essa leitura futuramente. Curti a resenha *__*

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mari.
    Acho que foi no Clube do Livro Saraiva sobre os 13 Porquês que a mediadora citou esse livro. Essa coisa da aparência, de mostrar uma vida perfeita sendo que por trás está tudo indo muito mal e tal... se não me engano citaram esse livro durante o bate papo.
    Eu li muito pouco da Kinsella, mas entendo o seu desapontamento. Acho que a gente sempre espera que ela faça chick lits engraçadíssimos e nesse ela tocou num tema mais sério e essa parte engraçada dela não foi tão presente.
    Mesmo assim eu tenho vontade de ler. :)
    Bjo

    ResponderExcluir