Resenhas

quarta-feira, 11 de abril de 2018

:: Resenha 400 :: A mulher na janela", A. J. Finn


Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos.
Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir.
Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?
Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. 'A mulher na janela' é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.

Primeiro lugar na lista do The New York Times.

“'A mulher na janela' é um daqueles raros livros realmente impossíveis de largar.” – Stephen King

“Surpreendente. Arrebatador. Sensacional. Um suspense noir para o novo milênio, com personagens fascinantes, reviravoltas formidáveis, uma escrita primorosa e uma narradora com quem eu adoraria tomar uma garrafa de vinho. Talvez duas garrafas.” – Gillian Flynn, autora de Garota exemplar.

Hahahaahahaha é só trocar a dona Anna Fox no lugar do Jeff e fica tudo certo... =)


Cortesia da nossa querida parceira, a editora Arqueiro, esse é o primeiro livro do autor A. J. Finn que leio. E quero confessar que, quando comecei o livro, eu não fazia ideia do que estava por vir e agradeço muito por isso. rsrs

No decorrer da leitura eu percebi que meus sentimentos mudavam a cada momento. Foi, digamos, um processo de muitas dúvidas, onde certas estranhezas, do que é certo e errado durante a narrativa viciante desse autor, me bagunçou. Pois veja, coleguinhas, em alguns momentos ao olhar o outro com curiosidade, é quase que uma parada natural nossa, onde podemos também tirar, por meio disso, uma experiência para usarmos e validar nossos referenciais, tipo, aprender com as punições ou copiar modelos bem-sucedidos. Enfim, tirando esses exemplos, eu ainda tenho o pensamento que existe uma parada de linha tênue para o tal lado em relação a quem acaba ficando obcecado em devassar a intimidade alheia esquecendo completamente de cuidar da sua própria vida.

Até porque, embora uns sejam mais curiosos do que outros em relação à intimidade alheia, não dá para afirmar que todos nós temos um lado “voyeur obcecado”. Certo? Pois, penso que, em determinadas pessoas, esse ato da observação (espionar) excessiva e não em relação a uma intenção sexual com a pessoa observada, deva ser uma parada meio que um transtorno. E deixo claro que eu não saberia definir de forma plausível qual transtorno é esse, até porque não sou formada em comportamento e funções mentais do tal ser humano hahahahaha. Só estou no momento tentando expressar o que penso e caso eu esteja errada, favor me corrigir de boa.

Então, voltando para o foco do livro em si e explicando o caso da dona Anna Fox, que tá mais para espionar a vida alheia e não em buscar um contato sexual com as pessoas que estão sendo observadas, esse ser que narra o livro, aos olhos de muitas pessoas, seria considerada uma bisbilhoteira, uma abelhuda, chocalheira, intrometida, mexeriqueira, onzeneira, zabumbeira, e com seus 38 anos de vida, morando sozinha em uma casa cara em Manhattan, ela deveria estar fazendo realmente uma reflexão sobre sua própria vida e focar no seu problema. 

Sim, logo no começo do livro nós descobrimos que ela é agorafóbica, ou seja, ela tem medo de lugares e situações que possam causar pânico, impotência ou constrangimento, então já faz quase um ano que ela não sai de casa, mas se deleita em espionar seus vizinhos e quando não faz o estilo observador passivo, como o fotógrafo Jeff, de Janela Indiscreta, Anna bebe uma grande quantidade de vinho, principalmente merlot, e assiste a inúmeros clássicos do cinema em preto-e-branco. Ela mora com seu gato, é separada do marido, que acabou levando a filha de 8 anos para morar com ele, mas que sempre fala ao telefone em uma esperança quase em vão de que ele volte. É formada em psicologia infantil e às vezes aconselha alguns pacientes por e-mail. Ah... não posso esquecer que existe um inquilino, um carpinteiro bonito que mora em seu porão e sua presença injeta, digamos, um pouco de entusiasmo em sua vida. Bom, já deu para sacar um pouco a dona Anna que de um jeito misterioso e devastador, fez com que ela respondesse isolando-se socialmente e seguindo com sua rotina diária de observar as famílias ao seu redor com sua câmera Nikkon D5500, com sua lente Opteka que não deixa passar nada. 

Ela passa a se concentra mais e obcecadamente na nova família que acaba de se mudar, os Russells, família perfeita de pai, mãe e o filho adolescente. Certa noite, Anna vê algo que a deixa totalmente aterrorizada, o que faz o seu mundo começar a ruir. Dessa forma, já garantindo que não contei o livro todo hahahahaha e que ainda tem muita coisa para engrossar esse caldo, a leitura te prende mais ainda, fazendo você devorar as páginas seguintes. Afinal, depois do efeito colateral do acontecido em que a dona Anna presencia através da sua potente câmera, não tem como não se deliciar vorazmente dos próximos passos que se seguem nesse caminho cheio de suspense. 

E na minha humilde opinião, esse é um livro que mexe com você, pois no final, você vai ter aquela certeza de que depois que termina-lo, ele ainda vai estar com você por um bom tempo. Tirem suas próprias conclusões, vamos lá, coloque ele na lista de próximas leituras, porque tenho quase certeza que vocês vão gostar. É um livro que vale apena ler, principalmente pela excelente narrativa do autor e a forma como ele conseguiu administrar essa trama com maestria do começo ao fim. ;)

Desconfio de que em algum lugar, dentro de você, exista algo de que ninguém sabe.
(A sombra de uma dúvida - 1943)


Título: A Mulher Na Janela
Título original: The Woman in the Window
Autor: A. J. Finn
ISBN-13: 9788580418323
ISBN-10: 8580418321
Ano: 2018
Páginas: 352
Editora: Arqueiro
Compre aqui: Amazon
Skoob
Classificação: 



Sobre o autor:

Formado em Oxford, A. J. Finn já foi crítico literário e escreveu para diversas publicações, incluindo Los Angeles Times, The Washington PostThe Times Literary Supplement.A mulher na Janela, seu primeiro romance, foi vendido para 36 países e está sendo adaptado para o cinema numa grande produção da 20th Century Fox. Natural de Nova York, Finn viveu dez anos na Inglaterra antes de voltar para a sua cidade natal, onde mora atualmente. 

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Oi, Graziela.

    Um livro que mistura delírio (vamos dizer assim) e realidade, costuma prender o leitor até a última página. E esse parece ser o caso desse livro. 😍

    Após ter, supostamente presenciado algo terrível, fica difícil, eu diria até para a Anna, acreditar em suas próprias nuances. E traz questionamentos sobre sua mentalidade, então fica difícil distinguir tudo.

    Tô ansiosa para lê-lo!

    E por lembrar "A Garota No Trem", eu espero me surpreender, mas de uma forma mais que positiva!

    ResponderExcluir
  2. Eu não curto esses thrillers psicológicos, acho que não tenho estrutura para tal leitura.
    Mas me parece que esse livro é muito bem escrito, levando o leitor a refletir.
    Gostei do seu ponto de vista em relação a leitura, só não vou colocar na lista...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá Graziela!
    Tenho acompanhado resenhas desse livro e confesso que por todas as opiniões positivas sobre ele eu tenho mto interesse em ler o livro, parece que o autor soube como prender os leitores nesse enredo que parece ter agradado bastante, espero ler um dia.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi Grazi.
    Maravilhoso ler sua opinião... Eu estava interessada no livro pelo burburinho que ele fez, mas até então tinha poucas informações do que se tratava a história, não esperava que minha curiosidade se tornasse tão aguçada, não só sobre o mistério, mas também em descobrir como uma mulher que tinha toda uma vida chegou nesse ponto! Sem dúvidas será uma ótima leitura.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá Grá!!!
    Ameiii a resenha!!!
    Amooo Suspense em filmes, mas em livros, ainda estou engatinhando kkkkkk
    Tô Mega curiosa pra conhecer esse livro e saber o q rolou, pra q a personagem tenha essa fobia, tb sobre a família ao lado!!!
    Tb quero conhecer a escrita desse autor, q achei um gato, por sinal kkkkk
    Então com certeza, esse já vai pra "IL" ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir