Resenhas

quarta-feira, 18 de abril de 2018

:: Resenha 402 :: “Minha versão de você”, Christina Lauren





Sinopse: Há três anos a família de Tanner Scott se mudou da Califórnia para Utah, fazendo com que sua bissexualidade voltasse para o armário. Agora, com apenas mais um semestre até o fim das aulas no colegial e seu tão sonhado futuro em uma universidade longe da família, ele só deseja que o tempo passe mais depressa. Quando Autumn, sua melhor amiga, se inscreve na aula de escrita e o desafia a participar, Tanner não consegue recusar o convite, afinal de contas, quatro meses é tempo mais do que suficiente para escrever um livro, certo? O garoto está mais certo do que imagina, pois leva apenas um segundo para que ele note Sebastian Brother, o prodígio mórmon que, nas aulas de escrita do ano anterior, escreveu e publicou o próprio livro, e agora orienta a turma. Se quatro meses é muito tempo, um mês pode não ser. E é exatamente esse tempo que leva para Tanner se apaixonar por Sebastian. 





Oi, pessoal. Hoje venho falar do primeiro livro da Hoo Editora que eu li. No começo do ano passado a Universo dos Livros comprou a Hoo e como nós éramos parceiros, eu aproveitei e pedi esse livro, pois sou fãzoca de Christina Lauren e queria muito conferir esse primeiro romance LGBTQ das duas. Então, se você ficou curioso como eu, venha conferir.


Foi uma leitura um pouco arrastada, confesso, mas pelo simples fato do livro ser pequeno e, consequentemente, ter a fonte pequena. Eu que uso óculos, fico com as vistas muito cansadas quando o livro é assim, então não foi o caso de comer o livro, apesar de ter curtido bastante a história.

Em Minha versão de você, nós vamos conhecer Tanner, um jovem bissexual que sai da calorosa Califórnia para uma cidadezinha fria tomada de mórmons em Utah, por causa do trabalho da mãe dele. Por ser uma cidade pequena cheia de membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, os pais de Tanner, que são maravilhosos, pois sabem e apoiam a opção sexual do filho, optam por deixar isso quieto, sem revelar pra todo mundo nesta nova cidade, para poupar Tanner de qualquer situação ruim.

Quando Autumn, melhor amiga de Tanner, o desafia dizendo que se matriculou na aula de escrita falando que escreveria um livro e que ele não seria capaz, ele vai lá e mostra que pode sim escrever um livro em um período de quatro meses. Ele só não sabia que nessa aula, conheceria o encantador Sebastian, um aluno que no semestre passado não só escreveu um livro nesta mesma aula, como terá seu livro publicado, de tão bom.

O que Tanner também nem imaginava era que, além de se ver completamente encantado pelas bochechas coradas de Sebastian, é que Sebastian se mostraria, além de mórmon, gay. E como tudo isso se desenrola e se desenvolve? Então, não vai ser fácil, até porque Sebastian sabe e diz que sempre se viu atraído por meninos, mas para ele e todos os mórmons, isso é errado.

Tanner se vê, então, numa confusão de sentimentos e pensamentos. Como só manter uma amizade com Sebastian, que está sempre ali disposto ajudando com o livro de Tan, se os dois se sentem atraídos? Se os dois são perfeitos juntos? No fundo, Tan sabe que é complicado, até seus pais o alertam o quão chato é um relacionamento às escondidas, mas, a gente também sabe que ficar sem o outro ao qual estamos apaixonados, é praticamente impossível, certo?

É muito gostoso, apesar das partes chatas e tristes por conta das dificuldades dessa relação, ver toda a história desses dois se desenrolar. A gente se encanta com o apoio dos pais de Tanner, com a cabeça desse jovem rapaz, mas também sentimos muita raiva dos pais de Sebastian e suas cabeças tão pequenas. É um livro que, infelizmente, retrata bem o preconceito que hoje, em 2018, ainda existe aos montes.


Se você não for uma pessoa tão religiosa como eu, não descarte o livro achando que os mórmons tomam conta com suas crenças, muito pelo contrário. É interessante que parece que eles tiram sarro (não de maneira pejorativa) até disso no livro, nos diálogos entre Tanner e Sebastian, pois Sebastian sabe que Tanner não tem nada, absolutamente nada de mórmon e é muito bacana ver como tudo isso é apresentado no livro, a vida de cada um, com suas diferenças. Até quando Sebastian convida Tanner para algum evento ou atividade, Tanner vê que não é tão ruim assim, apesar de soltar uns palavrões e fazer Sebastian rir e sorrir o mais belo dos sorrisos por conta do jeito de Tan. E ele sempre deixa claro que nem ele e nem ninguém vai tentar convertê-lo.

Minha versão de você é um livro encantador onde a gente vê dois jovens rapazes se relacionarem, descobrindo coisas, enfrentando tantas outras. Com certeza é um livro que eu recomendo para todos, por ser tão importante por diversas razões. Eu só queria que o final não tivesse sido tão corrido, mesmo assim foi lindo. Leiam!


Título: Minha Versão de Você
ISBN-13: 9788593911057
ISBN-10: 8593911056
Ano: 2017 
Páginas: 352
Editora: Hoo
Compre aqui: Amazon
Classificação:

Sobre a autora:


Christina Hobbs e Lauren Billings, conhecidas pelo pseudônimo Christina Lauren, causaram grande impacto com a série Cretino Irresistível. O livro de estreia entrou nas listas de best-sellers do USA Today e do The New York Times e, em sua primeira semana, alcançou as listas de mais vendidos no Brasil. A série, inclusive, teve seus direitos cinematográficos vendidos para uma produtora e as autoras têm sido responsáveis pela produção do roteiro.
A dupla já publicou cerca de dezoito obras e foi traduzida em mais de trinta línguas, além de terem recebido o selo de excelência e o prêmio de Livro do Ano da RT Magazine.Minha versão de você é o primeiro romance LGBTQ das autoras.

Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Oi Bianca,
    Mesmo tendo a minha religião eu não sou de curtir livros que tratam do tema, mesmo que esse envolva um pouco disso eu gostei, principalmente da relação do protagonista com os pais e como o apoiam. Claro que quero saber como vai desenrolar o romance, e como nunca li nenhum livro que falasse de bissexualidade me interessei!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que vale muito a pena conferir, independente da religião. Que bom que o interesse já foi despertado. ;)

      Excluir
  2. Oi Bianca!
    Eu confesso que fiquei com a pulga atrás da orelha com esse livro, que diferente essa história, primeira resenha que leio sobre e já fiquei super curiosa e interessada em ler, vou add aos desejados, gostei mto!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bianca.

    Bom, com certeza o Tanner acabou se envolvendo em uma situação um pouco além do comum, mas que poderá mostrar para o Sebastian o verdadeiro 'Eu', bem como a aceitação em si, independente de qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  4. Acho essa capa linda, mas não sabia nada sobre o livro; não tinha percebido que a autora é a mesma da série Cretino irresistível, interessante.
    A história parece bonita, aborda um tema super importante, mas me parece que falta algo mais...

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Bia!!!
    Amei a resenha!!!Tb não curto letras pequenas nos livros!!! :'(
    Ainda não li nada LGBTQ(na verdade, nem sabia q agora tem o "Q" e nem sei ainda o q significa kkkkkk, mas acho q não li kkkkkk), mas pretendo!!!
    Amo as séries dos "Cretinos" e "Irreversíveis" :-D , quero conhecer esse outro tipo de escrita, das autoras...Vai pra "IL" ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha eu fui conhecer pelo livro tb, Van. O Q é de queer e engloba pessoas que não se viam representadas pela expressão gay, mas que também não se sentem heterossexuais, daí surgiu o título queer. Eu confesso que me enrolo com essas letras e gêneros. o.o

      Excluir
    2. Nossa q confuso!!! Tb me enrolo, tamo junto kkkkkk
      Obrigada pela explicação :-*

      Excluir