Pular para o conteúdo principal

:: Resenha 417 :: “Doce Lar”, Tillie Cole




Sinopse: Aos vinte anos, Molly Shakespeare acha que já sabe de tudo. 
Ela leu Descartes e Kant.
Ela estudou em Oxford.
Ela sabe que as pessoas que te amam também te deixam.
Mas quando Molly se muda da cinzenta Inglaterra para começar uma nova vida nos Estados Unidos, ela descobre que ainda tem muito a aprender. No Alabama os verões são mais quentes, as pessoas mais intimidantes e os alunos de sua nova escola muito mais viciados em futebol.
Após conhecer o famoso quarterback Romeu Prince, Molly só consegue pensar em seus olhos castanhos, cabelos loiros, físico perfeito... e em como sua vida tranquila e solitária parece estar a ponto de mudar drasticamente.





Fala aí, pessoal. Que saudades que eu estava de ler um livro assim, rápido, gostoso e clichezento. Eu, que ainda não li o famoso livro do potinho, Mil Beijos de Garoto, da Tillie Cole, fui recomendada por amigas que estavam incomodadas com Romeo, a ler Doce Lar antes de eu finalmente conhecer a maravilha que é Mil Beijos, e como sou uma amiga obediente (cof-cof), lá fui eu conhecer Molly e Romeo.

"Pela primeira vez na vida, eu estava correndo para alguma coisa, não de alguma coisa."

Em Doce Lar, Cole traz aquela clássica história de dois personagens completamente diferentes que se atraem loucamente, a mocinha doce e estudiosa, e o bad boy que pega todas as menininhas da cidade. Estamos falando de Molly, a inglesinha cabeçuda que se formou em Oxford e veio para o Alabama, no sudeste dos EUA, para estudar para o seu mestrado em filosofia, pois seu objetivo é se tornar professora. E Romeo Prince, o bad boy gato e gostoso mais disputado pelas meninas e famoso quarterback titular do Tide, time de futebol na Universidade do Alabama.

Vamos ter aquela paixão instantânea? Vamos.
Vamos ter aquela clássica cena das nojentinhas da faculdade trombando na mocinha e derrubando todo o seu material? Vamos.
Vamos ter a nojentinha principal fazendo de tudo pra separar o casal? Vamos.
Falei que era clichezão, não falei?

O drama da história fica por conta do passado dos dois. Molly perdeu toda sua família e segue a vida focada em seus estudos, ficamos sabendo disso logo no começo do livro, então não considere um spoiler. Aos poucos, no decorrer na história, nós vamos saber, junto a Molly, quais os segredos do passado de Romeo. E vamos entender todos os problemas que ele tem com seus pais. Preciso deixar registrado aqui o meu ódio por esses dois. Eu simplesmente queria entrar no livro e dar uma surra neles.

Como comentei no início, algumas amigas ficaram incomodadas com o jeito extremamente mandão e dominador de Romeo. Ele realmente é assim, mas eu sinceramente não me incomodei em momento algum, ainda mais que Molly curtia esse lado dele e quando queria falar, falava, se impondo sem problema.

Molly e Romeo é aquele casal que te conquista. Eles têm suas diferenças, mas eles também têm muito em comum com seus problemas passados e familiares, os seus fantasmas. Um precisa do outro, um completa o outro e é uma delícia acompanhar essa história, fazendo você grudar no livro do começo ao fim.

Preciso comentar que os personagens secundários, os amigos de Molly e Rome são fundamentais e eu adorei todos eles, pois eles dão leveza e humor pra história e estão ali do lado, apoiando os dois quando eles precisavam. Gostei bastante da escrita da Cole, e eu não podia terminar sem agradecer a editora por ter escutado os leitores, quando os mesmos não ficaram satisfeitos com a capa que tinham divulgado aqui para o Brasil, antes de manter a linda capa original.

"- Molly, um lar não é um lugar. Não é um país, uma cidade, uma casa nem um pertence. Lar é estar com a outra metade de sua alma, com a pessoa que compartilha seu pesar e te ajuda a levar o peso da perda. O lar está na pessoa que, apesar de todas as coisas, nunca desiste de você e te traz felicidade. Isso, Molly, querida, é seu lar doce lar..."

Pra quem gosta de romance clichê com uma boa dose de pimenta e drama, eu super recomendo Doce Lar.

Título: Doce Lar
Série: Sweet # 1
Autora: Tillie Cole
ISBN-13: 9788542212464
ISBN-10: 8542212460
Ano: 2018
Páginas: 320
Editora: Essência
Compre aqui: Amazon
Skoob
Classificação:


Sobre a autora:


Tillie Cole nasceu em Teesside, na Grã-Bretanha, filha de uma mãe inglesa e um pai escocês. Graduada na Universidade de Newcastle, ela foi professora por sete anos antes de se mudar com o marido para o Canadá. Escreve romances contemporâneos – como sua série de maior sucesso, Sweet. Mil Beijos de Garoto é sua estreia no gênero jovem adulto.

Comentários

  1. Duas resenhas positivas em dois dias que vejo desse livro e eu tô como?? Querendo muito ler com certeza haha... Ótima resenha Bia, eu amo um clichê e se passando na faculdade, com jogador de futebol americano então... Quero sim ler ;)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bianca.

    Esse livro apesar de clichê, ele conseguiu se destacar, por ter essa carga emocional presente no enredo.

    No entanto, pra mim, apesar de tudo e não ser um livro marcante, me fez gostar da leitura e me envolveu por completo.

    ResponderExcluir
  3. Olá Bia!!!
    Ameii a resenha e já quero esse livro, só por causa da "polêmica" da capa kkkkk...Tb não li o livro do potinho na capa, pq falaram q gasta muitos lencinhos kkkk, então vou adquirir primeiro esse clichê mesmo, pq amo e to correndo um pouco de sofrência...Maaas estão todos na "IL" ;-)
    Bjs :-*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei