Pular para o conteúdo principal

:: Resenha 423 :: "Corte de Asas e Ruína", Sarah J. Maas


Sinopse: O terceiro volume da série best-seller Corte de Espinhos e Rosas, da mesma autora da saga Trono de Vidro em “Corte de Asas e Ruína” a guerra se aproxima, um conflito que promete devastar Prythian. Em meio à Corte Primaveril, num perigoso jogo de intrigas e mentiras, a Grã-Senhora da Corte Noturna esconde seu laço de parceria e sua verdadeira lealdade. Tamlin está fazendo acordos com o invasor, Jurian recuperou suas forças e as rainhas humanas prometem se alinhar aos desejos de Hybern em troca de imortalidade. Enquanto isso Feyre e seus amigos precisam aprender em quais Grãos-Senhores confiar, e procurar aliados nos mais improváveis lugares. Porém, a Quebradora da Maldição ainda tem uma ou duas cartas na manga antes que sua ilha queime. 

É muito raro eu colocar minha expectativa em um livro lá no alto e não me decepcionar. Geralmente, quando vamos com muita sede ao pote, o livro acaba frustrado a gente, e esse era o meu sentimento quando comecei a ler Corte de Espinhos e Rosas. Algumas meninas do nosso grupo de Whats, leram e amaram. Algumas até mesmo surtaram, e eu, que já tinha comprado os dois primeiros livros em uma promoção, estava com eles lá, paradinhos, esperando o terceiro cair numa promo também. Só que aí, precisando de uma mudança de ares, eu peguei o primeiro, e foi bom, muito bom. Então eu precisei ler o segundo sem intercalar nada, só precisava ler e foi excelente. E agora, chegando no fim da trilogia, eu entendi o hype "que livro é esse?" Meu Deus! Tanta coisa acontecendo em tão pouco tempo e ainda sobrando pontas soltas, porque vai ter mais sim e ninguém vai me ver reclamando! Só da Nestha e do Tamlin!

Não posso falar muito da história, vou dar uma geral por alto, mas já deixo adiantado aquele pedido de desculpa, para o caso de algum spoiler escapar ou se a resenha ficar meio vaga. Mas como vocês notaram lá na sinopse, ela já conta algumas coisas que aconteceram. O segundo livro termina de um jeito que é necessário ler o terceiro. Fica a dica e se você for ler, já garanta todos os três livros e olha que eu sou uma pessoa controlada em relação a isso, vide o espaço que dei entre Ladrões de Sonhos e Lírio Azul, Azul Lírio, série de fantasia adolescente que terminei esse ano e que também usou um gancho enorme. Mas com Corte de Asas e Ruínas eu só precisava ler. Eram muitas emoções, muitos acontecimentos e muitos desdobramentos possíveis que tornaram o livro impossível de pegar. 

Viverá com esse terror todos os dias, jamais saberá qual é a origem. Apenas o medo de algo a perseguindo, caçando, esperando por você assim que baixar a guarda.

E não pense que o terceiro livro começa com algum respiro. Os desdobramentos das traições no final do livro anterior provocam mudanças gritantes na guerra que se aproxima e em alguns personagens. Quem, até então era só um coadjuvante, ganhou destaque e importância fundamental no que vai acontecer, e a gente já saca isso lá em Corte de Névoa e Fúria. E quando começamos a ler Corte de Asas e Ruínas, só queremos saber mais sobre o que acontece. O problema é que o livro começa com a Feyre na Corte Primaveril junto do Tamlin e da Ianthe (#vaca), e você só sabe que vai dar merda, não sabe como, onde e qual, mas vai dar ruim! E que a guerra que vai envolver toda Prytian se aproxima e a preparação para essa guerra, nem todos dizem a verdade e nem todos são tão canalhas quanto dizem ser! 

Mas isso é guerra. Não temos o luxo de ter boas ideias, apenas de escolher entre ideias ruins.

Dividido em três partes, talvez o começo é o que tem menos ação direta, mas ele existe para mostrar para gente uma nova Feyre, mais forte, mais independente e muito diferente daquela Feyre que sobreviveu Sob a Montanha. E é essa virada na personagem que faz ela cair nas graças do público de vez. Vocês já repararam o quão raro é ter personagens femininas fodonas? Aquelas que não ficam fragilizadas esperando o príncipe encantado aparecer? Feyre é tudo isso e mais um pouco, porque além de ser forte, ela é dona de suas ações, ela é, dentro da história, um agente que causa ações e transformações narrativas e não somente serve para que o Rhys ou outros personagens apareçam e nos conquistem, ela vai lá e resolve, provoca, faz e é foda (me perdoe o bom português, mas não tem melhor adjetivo) ter esse perfil na personagem que estava no fundo do poço porque vivia um relacionamento abusivo. É como se a autora falasse: olha aqui, você pode e vai superar e quando isso acontecer, você será foda! 

Nós, Rhys, Cass e eu, de vez em quando nos lembramos de que o que achamos ser nossa maior fraqueza pode ser, às vezes, nossa maior força. E que a pessoa mais improvável pode mudar o curso da história. — A Filosofia Nephelle.

Levando em consideração que todo o livro gira em torno da preparação para uma guerra, com toda uma trama política intricada acontecendo, afinal, nem todas as cortes acreditam na ameaça que Hyberns representa, e principalmente, não confiam no Rhys, quando o caldo entorna e a guerra chega, Sarah não poupa detalhes e mostra o quão feio é o combate e que todos os personagens que aprendemos a amar correm perigo porque eles não se negam a entrar na luta de cabeça. Eles são assim e a gente fica com o coração na mão, torcendo para que todos os sacrifícios que são realizados deem certo. 

Apenas você pode decidir o que a destrói, Quebradora da Maldição. Apenas você.

Vocês conhecem aquele meme que toca uma música triste, deprimida, e você está ali, só olhando para o nada e contemplando a solidão? Segue um exemplo.


Foi assim que eu me senti quando cheguei aos 100% de Corte de Asas e Ruínas. Não tinha mais livro, não tinha mais história, não tinha mais Rhys, Feyre, Cassian, Azriel. Estou sentindo falta até da Nestha e do Tamlin, mas só um pouquinho e já esperando ansiosamente por A Court of Frosting and Starligth, uma novela que saiu esse ano nos EUA e espero que chegue logo ao Brasil. Além disso, a autora já anunciou mais dois livros que vão focar agora em outros personagens o que não significa que esse ficou em aberto. 
,
É raro uma pessoa encarar quem realmente é e não fugir, não ser destruída por isso. [...] Alguns olham para o espelho e nem percebem que o horror refletido são eles, mesmo que o terror os deixe loucos. Alguns entram com arrogância e são arrasados pela pequena criatura medíocre que encontram no lugar.

Uma última coisa que vou falar sobre essa série, além, é claro, que a escrita da Sarah me conquistou, que os personagens e a trama política criada por ela foram incríveis, além dos dramas pessoais dos personagens foram maravilhosos e eu já falei tudo isso nas resenhas anteriores, é sobre cenas de sexo! Eu deveria ter falado sobre isso antes, mas acabei esquecendo e vendo os comentários na resenha do Bruno sobre a Invasão de Terling, achei que valia a pena colocar um parêntese aqui sobre o assunto. Bom, sexo não é o foco da história, não é uma fantasia erótica, mas sexo acontece e é, de certa forma, trabalhado de forma natural pela autora. Tem algumas descrições, mas nada detalhado e como sou uma leitora de eróticos, não vi nada muito pesado que necessitasse colocar a pimentinha na classificação, mas vale avisar que tem e, para mim, não tira nada do brilho da série como um todo. 

A grande alegria e honra de minha vida foi conhecê-los. Chamar vocês de minha família. E sou grato, mais do que posso expressar, por ter recebido esse tempo com vocês.

Para concluir, volto a falar que se você tem essa série, faça um favor a si mesmo e pegue ela para ler. Se ainda não tem, compra logo todos os livros, porque os ganchos são desesperadores. A mistura de romance com fantasia e a trama de guerra é perfeita. Cada livro focando em um desses aspectos. Se o primeiro foi mais para o romance, o segundo mais fantasia com descobertas de poderes, o terceiro foi sobre política, guerra e sacrifícios. Sobre o quanto cada um está disposto a perder para garantir um futuro para outros que não se importam nem com a sua morte. Foi lindo, emocionante e ao mesmo tempo angustiante. Uma conclusão a altura da série.

Antes de ir embora deixa eu vou perguntar uma coisa para vocês: gostaram da nossa cara nova? O modelo novo foi criado com muito carinho pela Bia e por mim. O nosso objetivo era deixar mais limpo, leve e agradável aos olhos de vocês, então espero que tenham gostado e se você ainda não segue a gente nas nossas redes sociais, corre lá que esse mês de aniversário está repleto de surpresas!! 

Nome: Corte de Asas e Ruína 
Série: Corte de Espinhos e Rosas # 3 
Autora: Sarah J. Maas 
ISBN-13: 9788501301383 
ISBN-10: 8501301388 
Ano: 2017 
Páginas: 687 
Editora: Galera Record 
Compre aqui: Amazon E-book | Amazon Físico 
Classificação: 

Sobre a autora: 

Sarah J. Maas é autora #1 do New York Times e USA Today por suas séries Trono de Vidro, a qual começou a escrever aos dezesseis anos e que já foi publicada em mais de trinta e cinco países, e Corte de Espinhos e Rosas. Atualmente a autora vive na Pensilvânia com seu marido e um cachorro e, ao longo dos anos, desenvolveu uma apreciação pouco saudável para filmes da Disney e música pop ruim. Ela adora contos de fadas e balé, bebe muito chá e assiste muita televisão. Quando Maas não está escrevendo, pode ser encontrada explorando o belo condado de Bucks County.

Comentários

  1. Eu não tinha nenhuma expectativa com essa série, na verdade, não tinha nem vontade de ler; só que ganhei o 1° em um sorteio e fui ler para ver do que se tratava.
    Nossa, gostei muito e tive que providenciar os outros dois com urgência. Haha...
    Não só supriu as expectativas como surpreendeu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Tali, eu não cheguei a sentir falta da Nestha kkkk mas fiquei meio sem chão quando terminei, como assim não tem mais história pra ler?! por enquanto né... quero muito essas continuações e olha que nem comecei animada essa série. O que eu gostei muito nesse livro é que há a preparação e há a guerra, tudo muito bem escrito, há alguns livros que li onde o autor passa muitas páginas se preparando mas a ação mesmo toma poucas páginas, é meio decepcionante.

    A resenha tá ótima e sobre a questão das cenas de sexo, acho válido avisar pois há muitos pré-adolescentes que leem muita fantasia, mas as cenas só complementaram a trama, foram bem colocadas e concordo que não tiram o brilho da série ;)

    Agora sobre o novo layout, amei meninas, parabéns, tá lindo o blog <3 Bjks!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei