Resenhas

segunda-feira, 2 de julho de 2018

:: Resenha 423 :: "Corte de Asas e Ruína", Sarah J. Maas


Sinopse: O terceiro volume da série best-seller Corte de Espinhos e Rosas, da mesma autora da saga Trono de Vidro em “Corte de Asas e Ruína” a guerra se aproxima, um conflito que promete devastar Prythian. Em meio à Corte Primaveril, num perigoso jogo de intrigas e mentiras, a Grã-Senhora da Corte Noturna esconde seu laço de parceria e sua verdadeira lealdade. Tamlin está fazendo acordos com o invasor, Jurian recuperou suas forças e as rainhas humanas prometem se alinhar aos desejos de Hybern em troca de imortalidade. Enquanto isso Feyre e seus amigos precisam aprender em quais Grãos-Senhores confiar, e procurar aliados nos mais improváveis lugares. Porém, a Quebradora da Maldição ainda tem uma ou duas cartas na manga antes que sua ilha queime. 

É muito raro eu colocar minha expectativa em um livro lá no alto e não me decepcionar. Geralmente, quando vamos com muita sede ao pote, o livro acaba frustrado a gente, e esse era o meu sentimento quando comecei a ler Corte de Espinhos e Rosas. Algumas meninas do nosso grupo de Whats, leram e amaram. Algumas até mesmo surtaram, e eu, que já tinha comprado os dois primeiros livros em uma promoção, estava com eles lá, paradinhos, esperando o terceiro cair numa promo também. Só que aí, precisando de uma mudança de ares, eu peguei o primeiro, e foi bom, muito bom. Então eu precisei ler o segundo sem intercalar nada, só precisava ler e foi excelente. E agora, chegando no fim da trilogia, eu entendi o hype "que livro é esse?" Meu Deus! Tanta coisa acontecendo em tão pouco tempo e ainda sobrando pontas soltas, porque vai ter mais sim e ninguém vai me ver reclamando! Só da Nestha e do Tamlin!

Não posso falar muito da história, vou dar uma geral por alto, mas já deixo adiantado aquele pedido de desculpa, para o caso de algum spoiler escapar ou se a resenha ficar meio vaga. Mas como vocês notaram lá na sinopse, ela já conta algumas coisas que aconteceram. O segundo livro termina de um jeito que é necessário ler o terceiro. Fica a dica e se você for ler, já garanta todos os três livros e olha que eu sou uma pessoa controlada em relação a isso, vide o espaço que dei entre Ladrões de Sonhos e Lírio Azul, Azul Lírio, série de fantasia adolescente que terminei esse ano e que também usou um gancho enorme. Mas com Corte de Asas e Ruínas eu só precisava ler. Eram muitas emoções, muitos acontecimentos e muitos desdobramentos possíveis que tornaram o livro impossível de pegar. 

Viverá com esse terror todos os dias, jamais saberá qual é a origem. Apenas o medo de algo a perseguindo, caçando, esperando por você assim que baixar a guarda.

E não pense que o terceiro livro começa com algum respiro. Os desdobramentos das traições no final do livro anterior provocam mudanças gritantes na guerra que se aproxima e em alguns personagens. Quem, até então era só um coadjuvante, ganhou destaque e importância fundamental no que vai acontecer, e a gente já saca isso lá em Corte de Névoa e Fúria. E quando começamos a ler Corte de Asas e Ruínas, só queremos saber mais sobre o que acontece. O problema é que o livro começa com a Feyre na Corte Primaveril junto do Tamlin e da Ianthe (#vaca), e você só sabe que vai dar merda, não sabe como, onde e qual, mas vai dar ruim! E que a guerra que vai envolver toda Prytian se aproxima e a preparação para essa guerra, nem todos dizem a verdade e nem todos são tão canalhas quanto dizem ser! 

Mas isso é guerra. Não temos o luxo de ter boas ideias, apenas de escolher entre ideias ruins.

Dividido em três partes, talvez o começo é o que tem menos ação direta, mas ele existe para mostrar para gente uma nova Feyre, mais forte, mais independente e muito diferente daquela Feyre que sobreviveu Sob a Montanha. E é essa virada na personagem que faz ela cair nas graças do público de vez. Vocês já repararam o quão raro é ter personagens femininas fodonas? Aquelas que não ficam fragilizadas esperando o príncipe encantado aparecer? Feyre é tudo isso e mais um pouco, porque além de ser forte, ela é dona de suas ações, ela é, dentro da história, um agente que causa ações e transformações narrativas e não somente serve para que o Rhys ou outros personagens apareçam e nos conquistem, ela vai lá e resolve, provoca, faz e é foda (me perdoe o bom português, mas não tem melhor adjetivo) ter esse perfil na personagem que estava no fundo do poço porque vivia um relacionamento abusivo. É como se a autora falasse: olha aqui, você pode e vai superar e quando isso acontecer, você será foda! 

Nós, Rhys, Cass e eu, de vez em quando nos lembramos de que o que achamos ser nossa maior fraqueza pode ser, às vezes, nossa maior força. E que a pessoa mais improvável pode mudar o curso da história. — A Filosofia Nephelle.

Levando em consideração que todo o livro gira em torno da preparação para uma guerra, com toda uma trama política intricada acontecendo, afinal, nem todas as cortes acreditam na ameaça que Hyberns representa, e principalmente, não confiam no Rhys, quando o caldo entorna e a guerra chega, Sarah não poupa detalhes e mostra o quão feio é o combate e que todos os personagens que aprendemos a amar correm perigo porque eles não se negam a entrar na luta de cabeça. Eles são assim e a gente fica com o coração na mão, torcendo para que todos os sacrifícios que são realizados deem certo. 

Apenas você pode decidir o que a destrói, Quebradora da Maldição. Apenas você.

Vocês conhecem aquele meme que toca uma música triste, deprimida, e você está ali, só olhando para o nada e contemplando a solidão? Segue um exemplo.


Foi assim que eu me senti quando cheguei aos 100% de Corte de Asas e Ruínas. Não tinha mais livro, não tinha mais história, não tinha mais Rhys, Feyre, Cassian, Azriel. Estou sentindo falta até da Nestha e do Tamlin, mas só um pouquinho e já esperando ansiosamente por A Court of Frosting and Starligth, uma novela que saiu esse ano nos EUA e espero que chegue logo ao Brasil. Além disso, a autora já anunciou mais dois livros que vão focar agora em outros personagens o que não significa que esse ficou em aberto. 
,
É raro uma pessoa encarar quem realmente é e não fugir, não ser destruída por isso. [...] Alguns olham para o espelho e nem percebem que o horror refletido são eles, mesmo que o terror os deixe loucos. Alguns entram com arrogância e são arrasados pela pequena criatura medíocre que encontram no lugar.

Uma última coisa que vou falar sobre essa série, além, é claro, que a escrita da Sarah me conquistou, que os personagens e a trama política criada por ela foram incríveis, além dos dramas pessoais dos personagens foram maravilhosos e eu já falei tudo isso nas resenhas anteriores, é sobre cenas de sexo! Eu deveria ter falado sobre isso antes, mas acabei esquecendo e vendo os comentários na resenha do Bruno sobre a Invasão de Terling, achei que valia a pena colocar um parêntese aqui sobre o assunto. Bom, sexo não é o foco da história, não é uma fantasia erótica, mas sexo acontece e é, de certa forma, trabalhado de forma natural pela autora. Tem algumas descrições, mas nada detalhado e como sou uma leitora de eróticos, não vi nada muito pesado que necessitasse colocar a pimentinha na classificação, mas vale avisar que tem e, para mim, não tira nada do brilho da série como um todo. 

A grande alegria e honra de minha vida foi conhecê-los. Chamar vocês de minha família. E sou grato, mais do que posso expressar, por ter recebido esse tempo com vocês.

Para concluir, volto a falar que se você tem essa série, faça um favor a si mesmo e pegue ela para ler. Se ainda não tem, compra logo todos os livros, porque os ganchos são desesperadores. A mistura de romance com fantasia e a trama de guerra é perfeita. Cada livro focando em um desses aspectos. Se o primeiro foi mais para o romance, o segundo mais fantasia com descobertas de poderes, o terceiro foi sobre política, guerra e sacrifícios. Sobre o quanto cada um está disposto a perder para garantir um futuro para outros que não se importam nem com a sua morte. Foi lindo, emocionante e ao mesmo tempo angustiante. Uma conclusão a altura da série.

Antes de ir embora deixa eu vou perguntar uma coisa para vocês: gostaram da nossa cara nova? O modelo novo foi criado com muito carinho pela Bia e por mim. O nosso objetivo era deixar mais limpo, leve e agradável aos olhos de vocês, então espero que tenham gostado e se você ainda não segue a gente nas nossas redes sociais, corre lá que esse mês de aniversário está repleto de surpresas!! 

Nome: Corte de Asas e Ruína 
Série: Corte de Espinhos e Rosas # 3 
Autora: Sarah J. Maas 
ISBN-13: 9788501301383 
ISBN-10: 8501301388 
Ano: 2017 
Páginas: 687 
Editora: Galera Record 
Compre aqui: Amazon E-book | Amazon Físico 
Classificação: 

Sobre a autora: 

Sarah J. Maas é autora #1 do New York Times e USA Today por suas séries Trono de Vidro, a qual começou a escrever aos dezesseis anos e que já foi publicada em mais de trinta e cinco países, e Corte de Espinhos e Rosas. Atualmente a autora vive na Pensilvânia com seu marido e um cachorro e, ao longo dos anos, desenvolveu uma apreciação pouco saudável para filmes da Disney e música pop ruim. Ela adora contos de fadas e balé, bebe muito chá e assiste muita televisão. Quando Maas não está escrevendo, pode ser encontrada explorando o belo condado de Bucks County.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Eu não tinha nenhuma expectativa com essa série, na verdade, não tinha nem vontade de ler; só que ganhei o 1° em um sorteio e fui ler para ver do que se tratava.
    Nossa, gostei muito e tive que providenciar os outros dois com urgência. Haha...
    Não só supriu as expectativas como surpreendeu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Tali, eu não cheguei a sentir falta da Nestha kkkk mas fiquei meio sem chão quando terminei, como assim não tem mais história pra ler?! por enquanto né... quero muito essas continuações e olha que nem comecei animada essa série. O que eu gostei muito nesse livro é que há a preparação e há a guerra, tudo muito bem escrito, há alguns livros que li onde o autor passa muitas páginas se preparando mas a ação mesmo toma poucas páginas, é meio decepcionante.

    A resenha tá ótima e sobre a questão das cenas de sexo, acho válido avisar pois há muitos pré-adolescentes que leem muita fantasia, mas as cenas só complementaram a trama, foram bem colocadas e concordo que não tiram o brilho da série ;)

    Agora sobre o novo layout, amei meninas, parabéns, tá lindo o blog <3 Bjks!

    ResponderExcluir