Resenhas

quarta-feira, 11 de julho de 2018

:: Resenha 426 :: “Tudo que acontece aqui dentro”, Júlio Hermann



Sinopse: Amar é afogar-se com os próprios sentimentos e continuar respirando.
Tudo o que acontece aqui dentro é uma seleção de crônicas sobre o amor em seus diversos estágios, sobre aprender com as experiências da vida... trata-se de um tipo de testamento das coisas do coração. É também um romance narrado pelas memórias de quem as viveu, por cartas que deveriam ter sido rasgadas, registros dos sentimentos pessoais de quem revelou bem mais de si que a maioria de todos nós. Uma das coisas mais bonitas é a maneira com que vamos enfeitando a alma enquanto esperamos alguém chegar "São cartas que escrevi enquanto ainda sentia a ferida arder. Os momentos felizes e os dias em que pensei que não iria aguentar”.
Júlio tem um dom. Ele consegue exprimir sobre sentimentos com muita beleza e, ao compartilhar em escritos, permite que nós também possamos nomear o que muitas vezes sentimos e ficamos de algum modo aflitos, por não compreender. É o momento em que o nosso coração encontra a paz. Ele transforma o grito preso nas gargantas em literatura. São linhas que costuram o aprendizado sobre amor com o olhar de uma geração.



Oi, gente!
Vou começar essa resenha confessando uma coisa pra vocês, eu só pedi esse livro para a nossa parceira, Faro Editorial, por causa da capa. Sim! Verdade! Eu não sabia absolutamente nada sobre o livro, não tinha lido nem a sinopse, mas essa capa é tão linda que eu não resisti!


E quando essa lindeza chegou aqui em casa, eu fui surpreendida ao ver que ele não era uma bela e tocante história de amor, mas sim um livro recheado de crônicas, na verdade são cartas de amor. Belas e tocantes cartas de amor nunca rasgadas.

A cada carta você se emociona, você sorri, você se identifica, você vê pessoas conhecidas ali, você vê que já sentiu aquilo também. O gaúcho Júlio Hermann descreve perfeitamente tudo o que envolve o amor e os relacionamentos. A felicidade, as conquistas, as ilusões, os términos inevitáveis, os términos insuperáveis.

“Às vezes procuramos alguém para preencher os espaços deixados porque o vazio incomoda. Às vezes o vazio preenche tanto que somos nós por nós mesmos e tudo fica bem.
Passa tempo, passa vida, passa uma infinidade de instantes e tudo parece estar bem com a gente. Mesmo que não da mesma forma. Mesmo que tenha ficado lá atrás.
Eis que lá pelas tantas, quatro ou cinco da manhã, eu resolvo colocar o celular no silencioso para não precisar responder até o dia seguinte. Para não precisar deixar presente o que já ficou para trás.”

Pra deixar tudo ainda mais intenso, a cada carta ele sugere uma música, que encaixa perfeitamente com a leitura. E eu recomendo que sim, você faça isso e tenha a experiência completa que esse livro proporciona. Na verdade, esse livro você tem que ler aos poucos, não há necessidade de ler todo de uma vez numa tacada só, porque ele precisa ser degustado, sentido. Deixe ele ao lado da sua cama. No fim do dia, pegue ele, coloque seus fones de ouvido, abra o Spotify e mergulhe em suas belas páginas. Porque além de ter essa capa apaixonante, por dentro ele é tão lindo quanto!


E nunca deixe de ser claro e verdadeiro com os seus sentimentos, não deixe nada pra depois, não deixe nada guardado dentro de você. E principalmente, diga eu te amo sem medo. É clichê dizer aquela clássica “pode ser tarde demais”, mas aqui a gente ama tudo o que é clichê, então sempre que tiver vontade de dizer um eu te amo para alguém, fale, porque você pode perder a oportunidade, porque pode ser tarde demais. 

“Se eu pudesse deixar um conselho: se atira, gente. Se atira, que é melhor encarar um naufrágio do que o espelho toda manhã, convivendo com o que não é e poderia ter sido, só que não tentamos para saber. Se atira, que lá embaixo, nas profundezas, o mar é mais bonito. Se atira que encarar as ondas é bem melhor do que permanecer assistindo a tudo da orla e vendo o barco ir embora. Se atira, que morrer engasgado deve doer para caralho, e do outro lado pode ter alguém com o remo na mão te esperando pra navegar.”



Título: Tudo Que Acontece Aqui Dentro
ISBN-13: 9788595810051
ISBN-10: 8595810052
Ano: 2018
Páginas: 192
Editora: Faro Editorial
Compre aqui: Amazon
Classificação:


Sobre o autor: 


Júlio Hermann não tem medo de colocar o dedo na garganta e vomitar cada uma das coisas que sente e pensa. Conversa sobre amor e comportamento com veemência, separando cada umas das coisas que sente em fragmentos que são capazes de o expor de peito aberto a quem o lê.
Escreve sobre cada pequena coisa que a gente sente e não diz, todo pequeno detalhe que guardamos no peito com medo de se expor demais para as pessoas lá fora.
Dizem que suas histórias são dos outros, mas a verdade é que coloca uma fibra de seu coração em cada frase que escreve. Escreve por que sente, por que um anzol puxa cada um de seus órgãos, e usa a arte como salva-vidas.
Escreve por amar demais, fala por amar demais a vida e cada uma de suas facetas. Usa cada uma das formas de se expressar pra mostrar aos outros as coisas pelas quais acredita que vale a pena lutar. Carrega uma fé particular de que não existe nada mais poderoso do que a cada palavra escrita.
Produz conteúdo literário, informativo e institucional, ministra palestras e acredita que todo rosto pode contar uma história interessante, desde que resolva conta-la de peito aberto. Você pode saber mais sobre isso na aba de contato.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Quem não ama uma bela capa hein Bia?! Eu amo e já comprei livros só pela capa também haha. E o bom é que você foi positivamente surpreendida com ele né, eu não sabia que esse era um livro de crônicas mais gostei muito da resenha e da dica de leitura, se surgir a oportunidade vou ler sim :D

    ResponderExcluir
  2. Ah, essa capa é linda, e pelo visto a edição é toda maravilhosa.
    Esse livro está na minha lista, e sua resenha me deixou mais empolgada para ler.

    Beijos

    ResponderExcluir