Resenhas

segunda-feira, 16 de julho de 2018

:: Resenha 427 :: “Dança da Escuridão”, Marcus Barcelos



Sinopse: Em Dança da Escuridão, a aguardada sequência de Horror na Colina de Darrington, Ben Simons desperta abruptamente e se vê amarrado a uma cadeira de metal, imerso no breu de um local desconhecido. A voz que grita é a de um homem misterioso e sem escrúpulos, que não poupará esforços para extrair de seu interior a obscura confirmação que tanto deseja... o mal presente na sua origem. Agora, para entender o que aquilo significa, o que o colocou na situação de alvo da seita, e tentar salvar todos que estão em perigo por sua causa, ele precisará remontar seus passos desde muito antes da fuga do sanatório ou do episódio na Colina de Darrington e confrontar os tentáculos da aterrorizante organização, que se mostram cada vez mais presentes em todos os lugares.


QUANTO DO BOM MENINO AINDA RESTA? 

O QUANTO AGORA É ESCURIDÃO?




Fala aê, bando de viciados em leitura ^_^
Marcus Barcelos dá sequência à história de Ben Simons e pega BEM PESADO.
Quem aí vai dormir sozinho hoje? Depois de ver esse gif e ler a resenha. Boa sorte, digo, noite.

No primeiro livro, Horror na Colina de Darrington, "ouvimos" o relato de Benjamin Simons sobre o que aconteceu com ele na casa da colina e como se tornou o "Monstro da Colina", apelido que ganhou da mídia local.

Esta continuação da história se passa 11 anos depois das ocorrências narradas no primeiro livro.

O protagonista se encontra enclausurado em um quarto escuro, na presença de um Algoz que não reconhece imediatamente. Não se lembrando de como havia chegado até ali, ele começa a recapitular os fatos, tentando entender de que forma a situação o levou à aquele local, naquele dia e com aquela pessoa.

A primeira coisa que se lembra é da fuga da clínica psiquiátrica, que teve a ajuda de Amanda e Andrew. Dali em diante, o rapaz, mais uma vez, vai narrar uma aventura MACABRA. E coloca macabra nisso.

Estou eu no ônibus, amarradão lendo o livro, quando me deparo com "Magia Goética".

Coloquei o marcador na página, fechei o livro, guardei dentro da mochila e refleti...





Ele não escreveu isso, eu li errado, vou abrir o livro calmamente e vai estar escrito "GORÉTE".

O ônibus andou por mais uns 5 minutinhos, enquanto eu pensava na Goréte, digo, Goétia.

Abri a mochila novamente, peguei o livro de boa, abri na página que estava marcada e lá estava a "Magia Goética". Tá bom, Mr. Marcus, CHALLENGE ACCEPTED.


Essa é a parte que você vai no Google e pesquisa sobre Goétia e/ou Magia Goética.

Espero que você retorne aqui, para terminar de ler a resenha. Não corre não, heim.

Qualquer coisa, chama um amigo pra ficar ao seu lado, o que não é vergonha nenhuma.


Como sempre fui um grande curioso a respeito de Ocultismo, eu sabia bem o que era Goétia e NUNCA havia imaginado ler sobre tal em um livro de ficção, menos ainda em um livro nacional. Mais uma vez o autor me surpreendeu. Também fala sobre "Geometria Arcana", não se aprofundando nestes assuntos, apenas levantando a curiosidade do leitor, a respeito, e deixando claro que as coisas estavam sendo planejadas há bastante tempo, por alguém.

Eu tenho uma certa TARA por teorias de conspiração e sociedades secretas, unindo isso ao fato de, a escrita do Marcos ser parecida com a minha, comecei a me envolver com o livro como se eu estivesse escrevendo-o, imaginava exatamente como seria a próxima página. Acertei algumas vezes, errei outras. Fui abduzido pela história e, mais uma vez, quando menos percebi, já estava no fim.

Existe um laço forte de gratidão e cumplicidade, entre Ben e Amanda, sua prima.

Existe um ciume básico, em relação à Andrew, o marido de Amanda, uma novidade para Ben.

E existe um link empático, entre Ben e Jacob, o menino que é o filho de sua prima.

Marcos tem sacadas geniais na descrição das cenas.

Por exemplo, em uma passagem, o menino descreve uma pessoa em seu sonho, usando um estetoscópio gigante, cujas partes chegam a arrastar no chão. Brilhante. Você logo imagina um médico. Simples, mas brilhante. Você se sente a própria criança enxergando aquela cena e é tomado pelo sentimento do personagem, que o restante da cena lhe passa. Você não é mais o leitor. Você é o menino, sonhando, sentindo medo e caminhando, sempre em frente.

Seguindo a premissa do primeiro livro, sua continuação é SUCINTA, DIRETA e VIOLENTA.

Por mais que você imagine o que vai acontecer na sequência do capítulo que está lendo, você acaba surpreendido por uma cena que só o autor é capaz de imaginar e descreve de uma forma que você ri e pensa "novamente ele me pegou". Muito bom.

Eu super recomendo a leitura, este livro com certeza está no meu TOP 10 nacional.

Poderia falar tanto mais sobre a história, mas não teria tanta graça, prefiro lhes dizer como me senti lendo e interagindo com a obra. Deixo a vocês o prazer do mesmo.

E longe de ser uma crítica, é apenas algo que me incomoda, mesmo.

Novamente não vejo uma classificação etária, pelo menos não no livro.

E acredito que essa não seja uma história de classificação etária "LIVRE".

Tenho comentado sobre isso aqui no blog, sinto falta da classificação em diversos livros.

Eu estou querendo muito convidar o Marcus para bater um papo com o Viciados em Leitura, responder umas perguntinhas que os fãs devem ter em mente e aproveitaria para debater sobre isso.

Marcus Barcelos, fica aqui meu convite para uma mini entrevista.

Muito obrigado pela história e por me surpreender a cada página.



Título: Dança da Escuridão
ISBN-13: 9788595810198
ISBN-10: 8595810192
Ano: 2018
Páginas: 256
Editora: Faro Editorial
Compre aqui: Amazon
Classificação:




Sobre o autor: 

Nascido e criado no Rio de Janeiro, Marcus Barcelos é graduando em Jornalismo pela Universidade Estácio de Sá.
Ávido por literatura e escritor amador desde os 10 anos de idade, possui diversos textos, contos, resenhas, crônicas e poesias publicadas na internet e em antologias publicadas por diversas editoras. Tem como inspiração os grandes mestres do terror e suspense Stephen King, Edgar Allan Poe e H. P. Lovecraft. Além da paixão por literatura, Marcus também tem paixão pelos esportes. É treinador de boxe da Federação do Estado do RJ e surfista nos finais de semana. Ou sempre quando tem onda boa. Sucesso no Wattpad, com mais de 400.000 leituras, “Horror na Colina de Darrington” é seu primeiro romance publicado.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Oi Bruno, só pra constar os Gifs e o aviso no inicio da resenha quase me fizeram fugir da resenha haha... Mas como eu gosto de suas resenhas mesmo não tendo o mesmo gosto literário no quesito terror (eu fujo rsr), fui ler e gostei muito dela, tá empolgada e imagino que quem curte o gênero vai gostar muito dessa continuação que é de um autor nacional, fico feliz em ver boas notas pra autores nacionais :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili,
      Kkkkkkk fico feliz que você tenha sido forte.
      Não diria, apenas para quem curte, mas também pra quem quer iniciar, os dois livros do Marcus são uma ótima introdução ao gênero.

      Excluir