Pular para o conteúdo principal

:: Resenha 437 :: "A Jornada do Guardião do Portal", Bruno Rocha






Sinopse: Joseph está fugindo e carrega consigo duas crianças ainda muito pequenas. 
Mas quem é esse Joseph e por que ele foge? 
Conseguirá este homem escapar, salvando as crianças?

A primeira parte de A Jornada do Guardião do Portal é uma fuga EXASPERADA, culminando em uma batalha ÉPICA e IRREFUTÁVEL.
Coleguinhas...voltei. ^ ^


Depois de um tempo no hiato (digamos assim), titia Grá está de volta trazendo para vocês a primeira parte de um livro que de cara já se vê que vai ser uma aventura fantástica e maravilhosa. E confesso para vocês  que por conta do sentimento gostoso que ficou depois de ler as páginas criadas por Bruno Rocha, meu pobre coração bipolar abraçou novamente a paixão pela leitura. Sério, coleguinhas! Titia Grá estava em um hiato, bem foda. 

E de verdade, foi A Jornada do Guardião do Portal: Parte 1, com um eletrizante começo muito bem desenvolvido que me trouxe de volta para aquela montanha russa que tanto adoro. Aquela que bagunça nossas emoções com intensidade, que faz você devorar as páginas como se não houvesse amanhã, e no final, te faz esperar ansiosamente pela continuação. Então, simmm, eu amo essa montanha russa e dessa forma, bora falar um pouquinho dessa absorvência grande que ainda carrego comigo.

É uma época onde imensos carvalhos milenares, cavalos únicos, criaturas assustadoras, Deuses, magias e armas poderosas se misturam a um homem: Joseph Haggen Frammer, mais conhecido como Hammer. Uma vez cavaleiro da justiça e do bem, que servia o Deus Heydrion e agora um mercenário que durante sua jornada de sobrevivência e proteção, em uma missão praticamente suicida, acaba encontrando de volta uma parada de valor inestimável. É claaaaro que não vou contar para não perder a tal graça, já que a primeira parte tem apenas 56 páginas e tu descobre na medida certa. ^^  

Mas, deixo claro aqui que são 56 páginas arrebatadoras, sem encher linguiças desnecessárias e com uma narração impecável e cativante, com uma sucessão de acontecimentos que te prende do começo ao final e consegue mexer com as suas emoções de uma maneira real e não superficial. Onde você consegue visualizar e sentir perfeitamente a tensão e determinação de Hammer em proteger as crianças e claro, as pressões de cada decisão que o momento exige para sobreviver. Situações que o autor consegue retratar com uma notável maestria. Porque o medo e a coragem estão ali, muito reais e que tecem o caminho através da grande e questionável dúvida: E agora Arnaldo, qual será o placar final? Vai dar vida ou morte na bagaça?. É coleguinhas, titia Grá chegou a ter esse questionamento, o que foi interessante ao meu ver, pois não é uma parada previsível. Surpresas aparecem no decorrer da leitura, então mesmo que a história comece com uma introdução fodástica e tu ache que a parada vai seguir um caminho, as consequências durante essa batalha de coragem e bastante ralação de couro do nosso personagem principal, simplesmente te atropelam. Tu fica com o coração na mão e expectativa mil misturada com curiosidade do que está por vir. Então, coleguinhas... eu digo com todo o meu coração, a parada é forte, a montanha russa é intensa e o prazer de uma leitura boa é garantido!

Os olhos vermelhos encontraram Juliet pendurada na cintura do cavaleiro e o demônio mostrou os dentes, babando ódio. Hammer sorriu de volta em desafio.  Os olhos cerrados encaravam o mal. O coração disparou, as lembranças vieram à mente e um gosto ferroso e amargo tomou conta de sua boca. Era sempre assim, havia uma aura de medo e desespero que era exalada por um Nefasto.  Ele não tinha mais a proteção mágica, porém a determinação e a experiência  o manteriam focado no que precisava fazer para vencer aquela batalha.
As crianças, ele precisava protegê-las até chegar a um lugar seguro. 


Sério... Essa primeira parte é fodástica. *.* 


Então, é isso coleguinhas, titia Grá não pode falar muito senão estraga a surpresa que essa primeira parte carrega, mas titia Grá pode dizer que essa leitura é recomendadíssima. Cheia de aventura, magia, ação e personagens que nos encantam demais, sem contar a narrativa fluida. Espero realmente que vocês acabem dando uma chance para essa história e coloquem-a na lista de vocês. Bruno Rocha mandou muito bem e espero ansiosa pela continuação. 

P.s Gygax, já te amo! Gente, cereja do bolo! Só digo isso. 
Momento shipador de personagem ativado.


Título: A Jornada do Guardião do Portal: Parte 1
Autor: Bruno Rocha
ASIN: B07D5K3DSB
Ano: 2018
Páginas: 56
Compre aqui: Amazon
Skoob
Classificação:


Sobre o autor:


Bruno Rocha é carioca, adora compor, tocar, cantar e escrever as histórias que seus personagens lhe contam. Não necessariamente nesta ordem.

Comentários

  1. Oi Graziela, conseguir despertar tantos sentimentos em 56 páginas é maravilhoso e super animador, fico feliz pelo Bruno e desejo muito sucesso na carreira dele.
    Feliz também por ti, por estar conseguindo sair do "hiato", espero que suas leituras sejam cada vez melhores... *__*

    ResponderExcluir
  2. Mana bem vinda de volta... o vício de blogar deve ser alimentado, mesmo que precisemos dar um tempo, às vezes.
    Dito isso, eu já quero essas 56 paginas na minha vida, quero nem saber se vão chamar de "protecionisno" rsrsrsrs
    Apaixonei na história e na resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei