Resenhas

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

:: Resenha 441 :: "Céu sem estrelas", Iris Figueiredo




Sinopse: Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento. 
Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.
“Uma história brilhante sobre encontrar a sua força mesmo quando não há esperanças. Iris escreve com uma sensibilidade incrível e dá voz aos jovens que vivem a busca constante pelo seu lugar no mundo.” – Vitor Martins, autor de Quinze Dias





Fala aí, pessoal. Recebi naquele pacote do Time de Leitores da Companhia das Letras, este livro aí, Céu sem estrelas, da autora Iris Figueiredo, lançamento da editora Seguinte. E sem saber absolutamente nada sobre o livro, nem conhecer a autora, eu fui positivamente surpreendida com uma história intensa e recheada de assuntos para nos fazer refletir.

Em Céu sem estrelas nós vamos conhecer Cecília e Bernardo. Cecília é melhor amiga de Iasmin, irmã de Bernardo, e desde sempre tem uma paixonite por ele. Os dois estão naquela fase de transição e muita novidade, pois acabam de entrar para a faculdade, enquanto Iasmin, que repetiu de ano, ainda está no ensino médio.

Cecília é uma garota que sempre sofreu com seus quilinhos a mais, tendo de ouvir muita coisa ruim, receber muitos olhares tortos, por não seguir os padrões de beleza impostos pela sociedade, além de lidar com problemas familiares. A mãe, uma criatura ausente que me irritou muito durante a leitura, parece só se importar com o seu macho, deixando claro muitas vezes que a gravidez fora um erro de uma fase desregrada.

Quando Cecília é demitida da livraria onde trabalhava, bem no dia do seu aniversário, ela resolve esconder o ocorrido da mãe, e passa uma semana fingindo que ia trabalhar. Mas, infelizmente o padrasto de Cecília resolve ir à livraria e descobre tudo. Luciana, a vaca (desculpa, mas eu não aguento essa criatura) da mãe, simplesmente manda a filha sair de casa, sugerindo que ela passe um tempo na casa da avó, só porque ela escondeu que tinha sido demitida! 

Sem querer fazer o que a mãe mandou, Cecília vai para a casa da melhor amiga, e com isso, acaba ficando próxima de Bernardo. A amizade entre os dois não demora a se desenvolver e a gente vê que há algo mais ali, não só da parte de Cecília. Se você está imaginando um romance leve, juvenil ou que é apenas mais um clichê… tsc, você se enganou. Iris Figueiredo desenvolve através de uma escrita totalmente fluida e instigante, uma trama recheada de assuntos sérios como depressão, ataque de pânico, automutilação, traição, conflitos familiares, relacionamento abusivo, entre outros.

"Ninguém sabia o que tinha debaixo das minhas mangas. Só Bernardo.
Uma pessoa normal não fazia esse tipo de coisa por vontade própria. Eu gostava de sentir dor. Não, eu não gostava. Eu precisava. Era o que me mantinha sã. O sangue, o corte, a ardência, o ritual... tudo aquilo me mantinha sã. Mas depois vinha a vergonha."

Gostei muito de conhecer a escrita da autora, que como falei, é fluida e dinâmica, não tem enrolação, ela não é de encher linguiça. Você entra facilmente na história, fazendo parte daquele grupo de amigos especiais dentro de um fusca azul. 

Com uma capa extremamente fofa e condizente à história, Céu sem estrelas tem uma história fofa e ao mesmo tempo extremamente pesada, levantando questões sobre relacionamentos, transtornos, saúde mental, fazendo o leitor pensar e refletir. Iris mostra que por mais que a gente passe por momentos nebulosos, que a gente pense que nesses momentos nada parece dar certo, as coisas vão melhorar, nós não estamos sozinhos e não há problema algum em procurar ajuda.

"- Podemos começar do zero? - perguntou Bernardo.
- Não.
Bernardo hesitou, e percebi que ele não sabia bem o que dizer em seguida.
- Por quê?
- Porque não dá para apagar o que a gente viveu. Nossa história é antiga, começou a ser construída antes mesmo daquele beijo. Desde que te vi pela primeira vez e me apaixonei. Eu gosto de você desde aquele dia. Não quero passar uma borracha nisso.
- E o que a gente faz?
- A gente retoma de onde parou. Corrige nossos erros, aprende com eles. Preciso voltar a confiar em você. E preciso saber o que a gente é. Preciso sarar.
- Posso ficar ao seu lado enquanto você sara?
Não havia outra resposta para aquele pedido.
- Pode."

Título: Céu Sem Estrelas
Autora: Iris Figueiredo
ISBN-13: 9788555340697
ISBN-10: 8555340691
Ano: 2018
Páginas: 360
Editora: Seguinte
Compre aqui: Amazon
Skoob
Classificação:



Sobre a autora:


Iris Figueiredo nasceu em 1992, na região metropolitana do Rio de Janeiro. É formada em produção editorial pela UFRJ e pós-graduada em trans-mídia. Já atuou em diversas áreas do mercado editorial e manteve por muitos anos o blog Literalmente Falando. É autora da duologia Confissões On-line: Bastidores da minha vida virtual (Generale, 2013) e Entre o real e o virtual (2015).

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Esse último quote é lindo Bia, fiquei curiosa. E pelo que vi na resenha a autora aborda muitos temas intensos, vou tentar ler mais a frente. Curti a dica ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um amor, né? Leia sim, vale a pena conferir. ;)

      Excluir
  2. Ah, estou desejando esse livro!
    Só leio comentários positivos e sua resenha aumentou minha vontade.

    Beijos

    ResponderExcluir