Resenhas

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

:: Resenha 442 :: "Para todos os garotos que já amei", Jenny Han







Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.






Oi, oi, pessoal! Como todos vocês com certeza já devem saber, a Netflix lançou uma adaptação, um filme desse livro aí, Para todos os garotos que já amei, da Jenny Han, então eu tive que correr e finalmente ler o livro que eu já tinha há algum tempo. Sou dessas, né?

Com essa capa e esse título, a gente já imagina que o livro seja fofo e ele realmente é. Jenny Han traz uma história adolescente super amorzinho, leve, gostosa e divertida. Inclusive foi o que eu falei para o Bruno quando virei pra ele e disse “Você vai assistir o filme comigo, hein, mas nada de debochar por ele ser amorzinho.” E ele se amarrou, deu até umas gargalhadas junto comigo.

"Quando escrevo, não reprimo nada. Escrevo como se ele nunca fosse ler. Porque não vai mesmo. Cada pensamento secreto, cada observação cuidadosa, todos os sentimentos que guardei dentro de mim, coloco tudo na carta."

Bom, nós vamos conhecer a jovem Lara Jean, que vamos combinar, é gente como a gente, como a grande maioria das adolescentes, é uma menina sonhadora, romântica, que se desapaixona por um menino com a mesma facilidade com que se apaixona. Eu pelo menos era igualzinha hahaha. Lara Jean quando deixa de amar loucamente um menino, ela escreve uma carta para ele, onde descarrega todas as suas emoções, todo o seu amor. Só que ela não envia a carta, ela guarda em uma caixa pra lá de especial, presente de sua falecida mãe.

Quando, num belo dia ela descobre que suas tão preciosas cartas foram enviadas, ela simplesmente se desespera e não sabe onde enfiar a cara. Também, imagina os meninos vindo falar com ela, mesmo alguns anos depois? Eu morreria de vergonha hahahaha. A sorte é que o resultado desse desastre não é tão ruim assim com algumas cartas, ela só vai ter que lidar meeesmo com dois meninos, que são Josh e Peter.  

"Não são cartas de amor no sentido mais estrito da palavra. Minhas cartas são de quando não quero mais estar apaixonada. São cartas de despedida. Porque, depois que escrevo, aquele amor ardente para de me consumir. Posso tomar o café da manhã sem me preocupar se ele também gosta de banana com cereal; posso cantar músicas românticas sem estar cantando para ele. Se o amor é como uma possessão, talvez minhas cartas sejam meu exorcismo. As cartas me libertam. Ou pelo menos deveriam."

O problema é que ela está passando por uma fase cheia de adaptações, já que sua irmã mais velha, Margot, acaba de viajar para Escócia onde fará faculdade. Desde que as meninas perderam a mãe, Margot assumiu o papel da responsável, tipo, por tudo. Imagina uma casa com três meninas e um pai ginecologista/obstetra que está sempre trabalhando? Então, como Margot foi embora, quem assume o papel de irmã mais velha e responsável por várias tarefas de casa, é Lara Jean. Aí ela se vê num rolo só por conta das cartas e dos meninos, e ainda tem que se adaptar à falta enorme que a irmã, que era sua melhor amiga, faz.

A coisa toda com Josh é a mais complicada, porque ele é o ex namorado de Margot e toda a família adora o menino. Imagina a situação de Lara Jean que foi louca por ele antes da irmã? Eu é que não queria estar na pele dela! Aí pra complicar mais ainda a situação toda, quando Josh procura Lara Jean para discutir sobre a carta que ele recebeu, ela começa a ficar em dúvidas sobre todos os seus sentimentos. É aí que, por não poder ter absolutamente nada com o ex da irmã, ela e Peter começam um namoro de mentira. E… a gente sabe que essa coisa de mentirinha nunca dá certo, né?

"Acho que, nas questões do coração, não dá para prever como uma pessoa vai se comportar."

Para todos os garotos que já amei é um livro super fofo, leve, bem humorado, recheado de diálogos interessantes, sobre a importância da família e dos amigos, sobre amadurecimento e responsabilidades. Já estou curiosa para ler os próximos livros. 

Quanto ao filme, assim como toda adaptação, ele tem coisas diferentes, coisas que ficaram de fora, mas mesmo assim, com tudo isso, o filme está super fofo e vale muito a pena assistir! Eu adorei e recomendo!


Título: Para Todos os Garotos que Já Amei
Autora: Jenny Han
ISBN-13: 9788580577266
ISBN-10: 8580577268
Ano: 2015
Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Compre aqui: Amazon
Classificação:


Sobre a autora:


Jenny Han nasceu na Virgínia, Estados Unidos, e cursou mestrado em escrita criativa pela New School. Sabe fazer um brownie perfeito, é ótima em inventar apelidos e tem paixão por livros de receitas. Sua série de TV preferida é Buffy - a caça-vampiros. Mora no Brooklyn, em Nova York.

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Oi Bia, como eu sou relaxada e ainda não tinha os livros da Lara Jean eu fui ver o filme assim mesmo e amei, mega fofo <3 e agora tô desesperada e aceitando presente na forma desses livros haha...

    Amei a resenha Bia, o livro deve ser bem amorzinho mesmo e como ele é quase sempre melhor que o filme imagino que vá gostar ainda mais dele ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha eu estava doida pra assistir, peguei o livro no dia que o filme saiu e não via a hora de terminar pra ver logo. Eu adorei! Com certeza vc vai amar o livro! ;)

      Excluir
  2. Amo essa trilogia e amei o filme, apesar das diferenças.
    Me identifico com a Lara Jean.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que toda menina se identifica com ela, né. <3 Doida pra ler os outros livros!

      Excluir