segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

:: Resenha 469 :: "A Lady de Lyon", Julie Garwood


Sinopse: Julie Garwood, aclamada autora dos best-sellers Esplendor da honra e Um amor para Lady Johanna, traz novamente uma inesquecível história de amor...
Christina Bennett causou furor na sociedade londrina. A arrebatadora beldade esconde com sucesso o segredo de seu misterioso passado até a noite em que Lyon, o Marquês de Lyonwood, rouba-lhe um beijo ousado e sensual. O arrogante aristocrata com coração de pirata prova o gosto do fogo selvagem que arde por baixo do charme indiferente de Christina e anseia por possuí-la intensamente.
Mas a destemida e insolente Christina não será conquistada com tanta facilidade. Dona do próprio coração e de sua fortuna, ela resiste às sensuais carícias de Lyon. Ela se atreve a não se render ao seu amor... pois, se o fizer, também terá que abrir mão de seu precioso segredo... e de seu destino prometido!

Quando li Um amor para Lady Johanna sabia que estava nascendo um caso sério de amor com a Julie Garwood e esse sentimento ficou ainda mais forte com Esplendor da Honra. Obviamente que eu já sou uma fã dos romances de época e já li várias autoras com os mais diferentes jeitos de contar uma história, mas aquelas que usam do humor em suas tramas sempre levam um pedaço do meu coração e se tem algo que chama atenção em A Lady de Lyon é o humor, presente em praticamente todos os diálogos entre Christina e Lyon. E o motivo final que me levou a ler esse livro foi que os dois livros anteriores da autora que li eram Medievais e Lyon acontece no período Regencial, o favorito dos romances de época, por isso corri para conhecer como a Julie retrataria esse período e já adianto: foi uma viagem e tanto!

O livro já começa de uma maneira que eu nunca vi em um romance de época: com um xamã nativo americano realizando um ritual que resulta em um sonho com uma manada de búfalos protegendo um leão da montanha branco. Logo ele descobre que a filha do chefe dos Dakota, Alegria, que havia sido dada como morta assim como o seu filho, está viva e traz com ela uma menina de cabelos tão loiros que são quase brancos, olhos azuis como o céu e um choro tão forte quanto o rugido de um leão. Alegria conta a eles o que aconteceu com ela e como a mãe de Christina, Jéssica, salvou a vida dela e de seu filho Águia Branca e a promessa que as duas fizeram uma a outra de protegerem seus filhos, com uma ressalva, Alegria deveria enviar Christina para Londres quando já fosse mais velha. Uma vez aceita pela tribo, Christina cresceu livre, forte, destemida e tem apenas uma certeza: quer ter um amor tão forte quanto o de Alegria e Lobo Negro e para isso, ela só aceita se casar com um guerreiro, um homem forte e capaz de ficar ao lado dela.

– Se eu deixasse, você roubaria o meu coração. Eu não posso permitir que isso aconteça. Adeus, Lyon. Não devo voltar a vê-lo nunca mais.
Com aquelas palavras de despedida, Christina entrou em casa. A porta se fechou suavemente atrás dela.
Lyon ficou ali parado no degrau.
– Uma ova que você vai me esquecer! – ele gritou.

Anos depois, em Londres, o Marques de Lyonwood é chamado as pressas em casa porque sua esposa. Lettie, entrou em trabalho de parto mais cedo, o parto se prolonga por horas e em seus delírios causados pela dor, Lettie acaba revelando uma traição amarga para o Lyon e quando ele se vê viúvo e sem o tão esperado filho, se fecha para o mundo, se entregando aos trabalhos de espião e por isso recebe a fama de ser um homem cruel. O tempo passa e reencontramos um Lyon ferido e tendo que ir um evento social que a sua irmã debutante precisa comparecer. Uma cicatriz na testa e o fato dele ser tão alto, forte e musculoso quanto um urso era o bastante para fazer qualquer um pensar várias vezes antes de se aproximar e ele preferia assim, até que uma beldade loira e muito misteriosa entra no salão. Trata-se de Christine, agora com 19 anos e que finalmente voltou a Londres para realizar o último pedido de sua mãe, mas o que ela não esperava é que suas respostas evasivas sobre o seu passado atrairia a atenção de Lyon.

– Você não vai ser um homem fácil de se matar. Pronto, agora você já sabe da verdade. Ficou satisfeito com ela?
Lyon assentiu, dando a impressão de que entendia do que ela estava falando. Ele soube naquele momento que nada do que aquela mulher lhe dissesse no futuro iria confundi-lo. Não, ele tinha chegado ao limite. Um homem só podia suportar um certo número de surpresas, disse a si mesmo.

Entre os dois começa um jogo de gato e rato, ele logo se vê atraído não só pela beleza dela, mas por sua capacidade de enrolar ele ao não dar nenhuma resposta concreta e conseguir mentir tão descaradamente na frente dele, um notório espião da Coroa. Para Christine, Lyon é o exato tipo de guerreiro que ela sempre sonhou para si, o problema é que ela não deseja se apaixonar por ele, afinal de contas, está certa de que após terminar a missão que sua mãe deixou em seu leito de morte vai voltar para os Dakotas e caso se apaixone pelo seu guerreiro inglês, não terá forças para voltar a sua família. Acrescente a essa mistura um ladrão que só rouba de alguns ricos, a tia de Christina que é uma amargurada da vida e mal vista em toda a sociedade londrina, a mãe de Lyon que passa os seus dias em luto por seu filho James e o pai de Christina que ela nunca conheceu, mas sabe que era dele que a sua mãe fugia. Resumindo, tem muita história nesse livro!

– Você não tem nenhuma humildade – ela lhe disse. – E você é um guerreiro, Lyon. Um guerreiro vaidoso, sim, mas guerreiro mesmo assim.

Por isso não se assuste com o tamanho do livro, as 464 páginas dele passam bem rápido. Os personagens são cativantes, Chrsitine e Lyon passam boa parte do livro tentando um ser mais esperto que o outro, e muitas vezes ela se enrola com as palavras e começa a falar em francês no lugar de inglês, ou troca as palavras. Os diálogos entre eles, em especial quando ela inventa uma história para o seu passado e logo em seguida esquece o que inventou, e Lyon tenta responder sarcasticamente sem ela se dar conta, são capazes de tirar um risinho de qualquer um. Apesar de ter alguns relatos mais tensos, alguns fatos mais pesados, a autora é uma mestra, uma favorita minha, porque o livro é também muito leve, fluido e mesmo sendo longo e com muita história, não tem barriga nem enrolação.

Christina, se alguma coisa acontecesse com você, minha vida estaria acabada. Você é a melhor metade de mim, minha querida.

Uma observação que raramente faço, mas esse livro merece. A edição da UDL está belíssima e isso vem de alguém que estranhou a capa em um primeiro momento, mas ela encaixa bem com a história e os detalhes no começo de cada capítulo e em cada página fazem ele ser um exemplar especial. Com uma história encantadora e uma edição caprichada A Lady de Lyon merece um lugar especial na minha estante de todo fá de romance de época.

Nome: A Lady de Lyon
Série: Crown's Spies #1
Autora: Julie Garwood
ISBN-13: 9788550302614
ISBN-10: 8550302619
Ano: 2018
Páginas: 464
Editora: Universo dos Livros
Compre aqui: Amazon
Classificação: 

Sobre a autora: 

A obra de Julie Garwood está traduzida em cerca de trinta países. No conjunto são mais de trinta milhões de livros vendidos e dezessete títulos entre os mais vendidos do New York Times. É uma das escritoras que os Norte-Americanos mais apreciam e acarinham. A sua reputação de excelente contadora de histórias baseia-se na capacidade para criar narrativas com personagens cativantes, emoções fortes e enredos com reviravoltas surpreendentes. Os seus leitores dizem que é o humor, bem como a força das suas histórias, que os entretém e os faz rir e chorar.Tem três filhos e vive com o marido em Lenwood, Kansas.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário