segunda-feira, 8 de abril de 2019

:: Resenha 484 :: “Mil beijos de garoto”, Tillie Cole





Sinopse: Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.






Meu. Deus. Do. Céu. Que livro é esseeeeeeeee??? Sim, eu sei que estou atrasada no rolê, eu seeeeiii! Se você leu minha última resenha, você viu que eu fui coagida pela Anastacia do blog Notas Literárias, a ler dois livros incríveis o quanto antes, ou nossa amizade estaria abaladíssima! Foi por isso que nos últimos dias eu quase morri desidratada, porque é emoção demais para um pobre coração, ler Na Ilha e logo depois, Mil Beijos de Garoto.

O meu coração quase explodiu, de verdade!
Em Mil Beijos de Garoto, Tillie Cole conta a bela história de Poppy e Rune. Rune acaba de chegar na Geórgia, bem contrariado por ter de deixar a Noruega por conta do trabalho do pai, mas felizmente ele é muito bem recebido pela pequena Poppy, uma menina linda e serelepe que é sua mais nova vizinha e que promete uma vida recheada de aventuras.

Os anos passam, eles crescem, assim como a amizade e o amor que existe entre os dois. Só que a vida os surpreende bem naquela fase da adolescência onde tudo é tão intenso e à flor da pele. O pai de Rune precisa voltar para a Noruega, novamente por conta do trabalho e aí o mundo de Rune desaba. Ele terá de deixar sua doce Poppy para trás.

Ele se torna um garoto extremamente frio, mal-humorado, irritadiço, principalmente com o pai, pois ele o culpa por ter de deixar sua amada por sabe-se lá quanto tempo. Se passam dois anos até a família Kristiansen poder deixar a Noruega e voltar para a Geórgia. Nesses dois anos, no início, Rune e Poppy se falavam diariamente, porém, num triste dia, Poppy some e Rune não tem mais sinal algum dela e dos Litchfields.

"- Eu sou a garota que acorda cedo para ver o nascer do sol. Eu sou a garota que quer ver o que há de bom em todos, a que é arrebatada por uma música, inspirada por arte. - Virando-se para mim, ela sorriu e disse: - Eu sou essa garota, Rune. A que espera a tempestade passar simplesmente para vislumbrar um arco-íris. Por que ser infeliz quando você pode ser feliz? É uma escolha óbvia para mim."

Quando Rune retorna, ele fica sabendo que Poppy também retornara à cidade um pouco antes dele e sua família. E tanto Rune quanto nós leitores, ficamos com aquela pergunta martelando na cabeça: O que será que aconteceu com Poppy que ela sumiu nesse meio tempo?

Gente, sabe quando o livro te arrebata tanto que é até difícil colocar tudo em palavras? É o que acontece quando você lê esse livro. Tillie Cole escreve tão lindamente essa história pura de amor e amizade, e de uma maneira tão intensa, tão real, cheia de mensagens reflexivas, que do mesmo jeito que os beijos de Rune quase explodem o coração de Poppy, os nossos próprios corações quase explodem a cada nova página lida.

"O som de "O Cisne", de "O carnaval dos animais", flutuou até nossos assentos. Assisti à violoncelista se entregar à música, suas expressões faciais revelando suas emoções a cada nova nota.
Eu queria ser ela.
Naquele momento, queria ser a violoncelista tocando tão perfeitamente aquela peça. Eu queria ser agraciada com aquela confiança, a confiança de fazer essa apresentação.
Tudo desapareceu enquanto eu a observava. Então fechei os olhos. Fechei os olhos e deixei a música tomar conta de meus sentidos. Deixei que ela me levasse em sua jornada. Enquanto o andamento aumentava, o vibrato ecoava lindamente nas paredes do teatro, e abri meus olhos.
E as lágrimas vieram.
As lágrimas vieram, como a música pedia.
A mão de Rune apertou a minha e senti seu olhar sobre mim. Eu podia sentir que ele se preocupava se eu estava chateada. Mas eu não estava chateada. Eu estava flutuando. Meu coração flutuava na melodia extasiante."

Eu que sempre fui muito chorona, vinha numa fase mais controlada. Vários livros que o pessoal me falava “Ah, se você é chorona, você com certeza vai chorar lendo esse livro”, e aí eu lia e… nada, rolava um suor ocular, mas nada de lágrimas e mais lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Agora, esse livro… meu Deus do céu! Eu terminei Mil Beijos de Garoto chorando de soluçar. Sim, soluçar, minha gente! Sente o nível desse livro!!! Eu não consigo entender como tem gente que não consegue concluir essa leitura, como é que tem gente que não gosta desse livro. É algo que simplesmente não entra na minha cabeça!

"Ele me beijou até que não houvesse parte de mim que não soubesse a quem pertencia. Ele me beijou até que meu coração novamente se fundia ao dele - duas metades de um todo.
(...)
- Beijo trezentos e cinquenta e sete. Encostada na parede de casa... quando Rune tomou posse do meu coração. - Rune ficou imóvel, suas mãos se retesaram, e terminei com: - E meu coração quase explodiu.
Aí ele chegou. O sorriso puro de Rune. Era radiante, largo e verdadeiro.
Meu coração disparou com essa visão."

Com seu jeito doce e gentil, cheia de gratidão pela vida, Poppy mostrará ao sombrio menino de longos cabelos loiros, que nós devemos viver as nossas aventuras intensamente, desfrutando de cada momento único da vida. Mil Beijos de Garoto é um livro sensível, emocionante, lindíssimo, com mensagens belíssimas e importantes que nos fazem refletir. Ele também nos faz sorrir e chorar de soluçar. Não tenham medo por ele apertar seu peito e seu coração, vale a pena ler cada linha dessa história de amor.

"Ela era a minha flor de cerejeira.
Uma beleza sem par, de vida limitada. Uma beleza tão extrema em sua graça que não poderia durar. Fica para enriquecer nossas vidas, então voa com o vento. Nunca esquecida. Porque nos lembra de que devemos viver. De que a vida é frágil, mas, nessa fragilidade, há força. Há amor. Há propósito. Lembra-nos de que a vida é curta, que nossa respiração é contada e que nosso destino é fixo, independentemente do quanto lutamos.
Lembra-nos de não desperdiçar um só segundo. Viver intensamente, amar mais intensamente ainda. Caçar sonhos, buscar aventuras... capturar momentos.
Viver lindamente."

Amo essa peça e me emocionei muito sempre que ouvia enquanto lia. 

"As primeiras notas do "Prelúdio" de Bach fluíram de meu arco para a corda e dali para o salão, apressando-se para preencher o grande ambiente com os sons celestiais. Oscilei enquanto a música me tomou em seu abraço, vertendo de mim, expondo minha alma para que todos ouvissem."

Quando terminei eu estava exatamente assim!


Título: Mil Beijos de Garoto
Autora: Tillie Cole
ISBN-13: 9788542209822
ISBN-10: 8542209826
Ano: 2017
Páginas: 400
Editora: Outro Planeta
Compre aqui: Amazon
Skoob
Classificação:


Sobre a autora:


Tillie Cole nasceu em Teesside, na Grã-Bretanha, filha de uma mãe inglesa e um pai escocês. Graduada na Universidade de Newcastle, ela foi professora por sete anos antes de se mudar com o marido para o Canadá. Escreve romances contemporâneos – como sua série de maior sucesso, Sweet. Mil Beijos de Garoto é sua estreia no gênero jovem adulto.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário