Pular para o conteúdo principal

:: Resenha 549 :: “Recuperado”, Jay Crownover

 

Sinopse: Foi ódio à primeira vista...

Affton
Eu odiava Cable James McCaffrey.
Ele era metido, mimado, um usuário... e um viciado.
Ele estava fora de controle e não se importava em esconder isso.
Ele tinha tudo o que se poderia querer, mas ainda assim parecia infeliz e perdido.
Cada movimento que Cable fazia, cada erro que cometia, piorava a impressão que eu tinha dele. No entanto, não pude evitar de tentar salvá-lo de si mesmo quando ninguém mais tentou. No calor sufocante do verão, Cable me ensinou que ter tudo não significava nada se você não pudesse ter a única coisa que deseja mais do que tudo.

Cable
Eu era obcecado por Affton Reed.
Ela era rígida, certinha e nem um pouco divertida. Havia algo na sua bondade inata que me atraía.
Ela agia como se estivesse acima de todas as falhas comuns aos humanos, como cheiro de fumaça após um incêndio.
Eu estava apaixonado por ela, mas isso não me impedia de agir como se ela não existisse.
No calor escaldante do verão, Affton me ensinou que sempre há um caminho de volta do desespero. Ela me mostrou que o truque para ter tudo era perceber que já estava tudo lá, nas minhas mãos. Tudo o que eu tinha que fazer era segurá-lo.

O caminho para a recuperação é cheio de voltas e curvas, não importa quem esteja no assento do motorista.

Fala aí, pessoal! Minha última leitura foi este intenso livro de Jay Crownover e para a minha primeira leitura da autora, eu posso dizer que curti bastante a escrita e o desenrolar que ela faz da história, apesar de não ter tantos diálogos, que é uma característica que eu gosto bastante em um livro.

De um lado temos Affton Reed, ela mora sozinha com o pai na pequena cidade de Loveless, depois de perder sua mãe ainda jovem para as drogas. Seu desejo é concluir o ensino médio e ir para a faculdade. Do outro lado temos Cable James McCaffrey, ele é aquele gatinho arrogante e podre de rico, filho de pais influentes da pequena cidade de Loveless que vive nas festas regadas a álcool e drogas.

Quando Affton vê que Cable está numa situação crítica, se perdendo naquela vida desregrada do vício, ela não pensa duas vezes e tenta ajudá-lo, mesmo o odiando. Só que aí vem a vida e resolve ela mesma mudar os planos para aquele garoto.

Dois anos depois de uma tragédia mudar a vida de Cable, a mãe dele vai atrás de Affton. A ideia é que Affton fique ao lado de Cable durante o verão enquanto ele está em condicional, para mantê-lo na linha. Os dois passarão o verão juntos e será um caminho longo, intenso, com Cable se recuperando, tentando se manter limpo e Affton ali, segurando aquela barra para não ver outra vez o que aconteceu com sua mãe.

Ela é uma personagem incrível, uma menina que precisou crescer rápido, bondosa e determinada. Ele também vai se mostrando ao longo da história um cara maneiro, disposto a se manter limpo, focado, assumindo seus problemas, fantasmas e erros. 

Jay escreveu uma bela história de amor e superação, mostrando também que não é nada fácil a vida de um dependente químico, principalmente quando ele está tentando se manter limpo. Leiam!

Título: Recuperado
Autora: Jay Crownover
Editora: The Gift Box
Compre aqui: Amazon



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei