Pular para o conteúdo principal

:: Resenha 558 :: "Teto para dois", Beth O'Leary

 

Sinopse: Eles dividem um apartamento com uma cama só. Ele dorme de dia, ela, à noite. Os dois nunca se encontraram, mas estão prestes a descobrir que, para se sentir em casa, às vezes é preciso jogar as regras pela janela.

Três meses após o término do seu relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bastante inusitado.

Leon está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional para arranjar dinheiro rápido: sublocar seu apartamento, onde fica apenas no período da manhã e da tarde nos dias úteis, já que passa os finais de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Só que tem um detalhe importante: o lugar tem apenas uma cama.

Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Leon e Tiffy fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as trivialidades do dia a dia por Post-its espalhados pela casa. Mas será que essa solução aparentemente perfeita resiste a um ex-namorado obsessivo, uma namorada ciumenta, um irmão encrencado, dois empregos exigentes e alguns amigos superprotetores?


Fala aí, pessoal. Começo essa resenha falando que se você pegar um livro que logo no começo não te prenda, insista um pouco mais porque pode ser que valha a pena. Foi o que aconteceu comigo lendo Teto Para Dois. O começo achei lento, cheguei a pensar em largá-lo, mas chegou um momento que ele me ganhou e no final eu simplesmente não queria que ele tivesse acabado.

Aqui nós vamos conhecer a história de Tiffy e Leon. Ambos estão com problemas de grana, daí Leon resolve disponibilizar seu apartamento para que alguém fique lá nos horário que ele não esteja e assim ele divide o aluguel. 

Funciona assim, como Leon é enfermeiro numa casa de repouso e trabalha no turno da noite, ele só fica no apartamento de manhã e de tarde, nos finais de semana ele vai pra casa da namorada. Já Tiffy é editora assistente e como ela trabalha durante o dia, o apartamento fica pra ela durante a noite toda.

A princípio parece bem estranho dividir o apartamento com alguém completamente desconhecido, principalmente dividir a mesma cama com alguém. Só que depois de um péssimo término de namoro, Tiffy precisa sair correndo da casa de seu ex, e Leon é sua melhor e única opção.

Sem nunca se verem ou se encontrarem, eles encontram um jeito de se comunicar e eles vão começar a fazer isso através de post-its colados pela casa com recados. Leon sempre com poucas palavras, o oposto de Tiffy que só consegue deixar recados longos e bem humorados.

Foi através dessa comunicação que o livro me ganhou e me prendeu de vez. O tempo vai passando e eles vão se conhecendo, compartilhando acontecimentos, a vida e a gente se pega como eles, desejando cada vez que um deles chega em casa para ver os novos bilhetes.

Que livro gostoso, gente! Personagens cativantes, divertidos e mesmo que sejam completamente diferentes, se tornam perfeitos juntos! E por trás de todo esse romance fofo e divertido, a autora ainda conseguiu abordar um tema sério que é o relacionamento abusivo. Que bom que eu dei uma chance para esse livro. Terminei apaixonada!


Título: Teto para dois
Autora: Beth O'Leary
Editora: Intrínseca
Skoob
Compre aqui: Amazon

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei