Pular para o conteúdo principal

:: Resenha 472 :: “Explosivo”, Jane Harvey-Berrick


Sinopse: “Esqueça os SEALS, Fuzileiros Navais, Pilotos de Caça… Eu tenho o trabalho mais perigoso do mundo. E eu amo isso.”
James Spears é parte de um grupo de elite que vive e respira o perigo. Enquanto alguns fogem disso, ele caminha diretamente para lá. Calmo, friamente focado. James é especialista em operar EODs, dispositivos de eliminação de explosivos.
Dispositivo…
Eliminação...
Explosivos…
Você o chamaria de especialista em dispositivos explosivos. Ou louco. Um cara que deseja a morte. Ele já ouviu tudo isso e não dá a mínima. Ele é o melhor.
Dizem que não corre sangue em suas veias, apenas gelo. Dizem que ele nunca perde o controle. Tudo isso está prestes a ser testado.
Amira foi recrutada pela CIA para se infiltrar em uma célula terrorista vivendo na área rural da Pensilvânia. Ela é ideal para estar infiltrada, ninguém suspeitaria dela, pois seu irmão morreu quando uma bomba foi jogada em um hospital sírio em que ele estava trabalhando como médico. E agora ódio queima profundamente dentro dela. Ela é perfeita.
Isso foi o que disseram a James quando mandaram que ele a treinasse para ser a melhor criadora de bombas que existe. Em um campo secreto, dentro da floresta, James ensina a ela tudo o que sabe sobre construir bombas. Ele não é do tipo que reza, mas agora realmente espera que esteja fazendo a coisa certa.
Ele pode confiar nela? Ela algum dia irá confiar nele? Quem está jogando com quem? E quem irá pagar o preço final?
Codinome: Hansel e Gretel

Olá, pessoal. Depois de alguns dias tentando absorver essa leitura, estou eu aqui para falar um pouquinho sobre Explosivo, meu primeiro contato com a querida e simpática, Jane Harvey-Berrick.

Tive o prazer de encontrar duas vezes a Jane, nas duas edições do The Gift Day que eu fui (evento organizado pela The Gift Box Editora). A Jane é um doce, super atenciosa com os leitores, mas na hora de escrever… a doçura toda é deixada de lado, porque a mulher pesa a mão bonito.

"Vi Amira apertar os olhos. Aprendi a ler muito aqueles olhos escuros e expressivos, talvez porque era tudo que eu conseguia ver."

Em Explosivo nós vamos conhecer James, um soldado britânico especialista em explosivos, que não tem família nem ninguém que o prenda a uma vida fora do exército. Ao ser enviado para os Estados Unidos para ajudar numa operação super secreta, ele conhecerá pessoas que mudarão completamente a sua vida.

Amira é uma muçulmana que mora nos EUA já há algum tempo, mas nunca seguiu as exigências extremas impostas de sua religião. Tudo isso muda quando seu irmão é estupidamente morto em um ataque na Síria.
Após esta grande perda, Amira mergulha num luto que a faz não aceitar o ocorrido, e é aí que ela decide honrar a memória de seu irmão.

"Achei que eu fosse vomitar. Nas últimas semanas, Clay tinha sido a minha rocha - agora eu estava sozinha com um assassino de sangue frio, um homem cujos sonhos doentios o faziam querer matar o maior número de pessoas da forma mais eficiente possível. Nunca senti tanto medo."

A missão de James é treinar o militar brincalhão Clay e Amira, para que ambos possam se infiltrar em uma célula terrorista que já se sabe, está em solo americano. As circunstâncias são tensas, o tempo é curtíssimo, e James precisa ensiná-los a identificar possíveis bombas em todo e qualquer ambiente, a montar e desarmar bombas, e passar todo tipo de informação que possa ajudá-los numa missão tão imprevisível e perigosa como essa que enfrentarão em breve. 

Eu nunca havia lido nada parecido, o único contato que eu tive com algo do tipo, foi assistir a série Homeland, que conta a história de um sargento desaparecido em ação, que é recebido como herói quando volta aos Estados Unidos depois de passar oito anos em cativeiro no Iraque. Há uma agente da CIA, a Carrie, que não acredita na história e acha que ele pode estar conectado ao grupo terrorista Al Qaeda. Então, ler esse livro tão imprevisível, que te faz pensar uma coisa e te leva para um caminho completamente diferente, que você não imaginava, foi uma grata surpresa, eu curti de verdade.

"Um homem mais sábio teria entendido o recado, mas a vida poderia ser bem curta, terminar de repente, brutalmente - e eu sabia o que eu queria. Eu sabia quem eu queria."

Se você imagina que este é só mais um romance com pegada hot por conta da capa, deixa eu te dizer uma coisa: você está completamente enganado! Explosivo é um drama intenso com uma trama de vingança, perda, fé, amizade, superação e amor, que te prende e te surpreende. E com aqueeeele final!!

Como assim, Jaaaaaaneeeee???


 Eu só posso contar os dias para ler o segundo livro!

Título: Explosivo - Tik Tok
ISBN-13: 9788552923404
ISBN-10: 8552923408
Ano: 2018
Páginas: 305
Editora: The Gift Box
Compre aqui: Amazon e-book | físico
Classificação:



Sobre a autora:


Jane Harvey-Berrick viveu em Londres por mais de dez anos e tem um caso de amor com Nova York. Foi só depois que se mudou para o campo que as palavras realmente começaram a fluir.
Mora em uma pequena vila à beira-mar e caminha com seu cão, Pip, todos os dias. É durante essas caminhadas à beira-mar que ela tem suas melhores ideias. A escrita, para ela, tornou-se um modo de vida que ama compartilhar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

:: Resenha 181 :: "After 5 - Depois da Promessa", Anna Todd

Sinopse: Bem quando Hardin acreditava já ter enfrentado todos os fantasmas de seu passado, um terrível segredo sobre seus pais é revelado, despertando os seus piores demônios internos. Tessa sabe que só ela tem o poder de aliviar todos os sentimentos de raiva, traição e confusão que afligem seu amado badboy. Só ela sabe como salvá-lo de seu ciclo autodestrutivo. Mas dessa vez ela não pode. Porque, quando menos espera, sua vida é para sempre alterada por uma tragédia. Hardin e Tessa prometem lutar com todas as suas forças para que o destino não os separe para sempre. Mas o que acontecerá quando suas forças chegarem ao fim? Depois da promessa... qual será o desfecho dessa história? G ente... *pausa dramática*... Eu sobrevivi à série After ... "É isso aí, garota!!!" (Crika e Mari, do Grupo de Apoio After, representadas pelas lindas Meryl Streep e J.Lo)

:: Resenha 153 :: “After 3 – Depois do Desencontro”, Anna Todd

O k, vai ter spoiler sim e se reclamar vai ter mais! Brincadeeeeeeiraa!!! =P É que assim, vamos combinar? Resenha do terceiro livro onde acontece coisa pra diabo, não tem como, vai rolar uns spoilerszinhos de leve, então fique avisado, certo? Se quiser seguir, siga, se não quiser, comenta assim mesmo hahahaha. Bom, parece que todo livro dessa mulher termina com uma bomba. O segundo terminou com a Tessa guardando um segredinho básico do Hardin, lembra que eu até comentei na resenha ? Então, além disso, terminou com ela dando de cara com o pai e é assim que este terceiro livro começa. Confesso que antes de começar, ao ler a contracapa que diz... Sinopse: Tessa passa pelo momento mais difícil de sua vida. Enquanto luta para crescer na carreira com a qual sempre sonhou, seu mundo é virado de ponta-cabeça: a inesperada aparição de seu pai e uma traição imperdoável a deixam mais fragilizada do que nunca. Hardin — com seus beijos viciantes, seu toque incendiário e seu ch

:: Resenha 168 :: “After 4 – Depois da esperança”, Anna Todd

Sinopse: Depois de tantos obstáculos, Tessa e Hardin estão, enfim, mais maduros como casal. As dificuldades causadas pelo gênio forte dele e pela impulsividade dela ainda existem, mas eles já não conseguem negar o amor que sentem um pelo outro. Mesmo morando em cidades diferentes, estão mais apaixonados do que nunca. Se a química entre os dois já era explosiva antes, agora que eles se entregaram de vez a essa paixão, cada encontro será mais ardente do que o anterior. Mas uma cruel reviravolta do destino trará à tona todos os fantasmas do passado de Hardin. Depois da esperança, haverá forças para enfrentar mais dificuldades? Q uem acompanha as minhas resenhas de After, sabe que eu sofro lendo esses livros, sabe que surto querendo jogar ele na parede ou que eu morro de vontade de entrar no livro pra socar o Hardin. Nesse quarto livro, por incrível que pareça isso foi bem sutil, não que eu não tenha sentido vontade, mas foi bem mais tranquilo e eu confesso, no final eu cheguei